Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ebooks-billboard

A Mão Que Mata | Lourenço Seruya

Cultura Editora

a mão que mata o informador.jpg

Título: A Mão Que Mata

Autor: Lourenço Seruya

Editora: Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Maio de 2021

Páginas: 320

ISBN: 978-989-9039-39-1

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Uma casa. Dez pessoas. Alguém não sairá com vida.

Naquela fria manhã de inverno, a família Ávila acordou em sobressalto: na sala de estar, jaz a tia Manuela numa poça de sangue. A vítima não era adorada pelos familiares, mas nenhum tinha motivos para a querer morta, portanto o homicídio só poderá ser resultado de um assalto.

O inspetor Bruno Saraiva da Polícia Judiciária é chamado para investigar o caso e rapidamente conclui que o assassino não só está naquela casa, como é alguém conhecido de todos.

As opiniões dividem-se e a família Ávila não parece muito disposta a colaborar com a polícia, até que é encontrado um segundo cadáver na mansão da Serra de Sintra...

 

Opinião: Pelo título logo se entende que o crime está na base desta primeira obra de Lourenço Seruya, que através da Cultura Editora viu o seu A Mão Que Mata ser publicado, juntando-se a um recente lote de novos autores bem equilibrados que a chancela tem reunido e conquistado os leitores. 

Num thriller passado perante o nevoeiro e os mistérios da serra de Sintra, sem esquecer os famosos travesseiros da Piriquita, A Mão Que Mata tem tudo o que aprecio numa história de suspense. Num enredo que prende do início ao fim, o leitor é convidado a entrar na casa da família Ávila onde o encontro entre irmãos e seus associados acontece para que se façam as partilhas após a morte do patriarca. Preparados para um fim-de-semana familiar, que tinha tudo para correr bem, só que uma morte acontece ao longo da primeira noite e o rumo dos próximos dias é totalmente alterado. A Tia Manuela pouco ou nada tinha a herdar, mas o certo é que contra a vontade da maioria foi convidada para a reunião mas acabou por ver a morte do seu lado. O que escondia esta mulher consigo para alguém a querer silenciar? Com esta morte a Polícia Judiciária é chamada ao local e a investigação perante a alçada de Bruno Saraiva começa. Inspetor galã, com um passado por revelar num futuro próximo que deixa desde logo o leitor a querer saber mais, Bruno tem em mãos, com a sua equipa, a descoberta de um assassino quando, sem aviso, também Cláudia, a empregada, surge morta. Num contraste entre a velha e a nova guarda de inspetores perante a investigação, é a voz de Bruno que se faz ouvir até ao final e até que tudo fique esclarecido. 

A Mão Que Mata é aquela história onde de início somos convidados a criar o suspeito ideal, e neste campo confesso que errei na escolha perante o que me pareceu mais óbvio pela simplicidade com que a personagem me foi apresentada. Num livro feito de pequenos pormenores e com capacidade descritiva ao mesmo tempo que se apresenta de forma leve e de fácil leitura, a narrativa de estreia de Lourenço Seruya prende, sem cansar e deixando muito em aberto para o que poderá, até convém, ter continuação num futuro próximo perante as aventuras pessoais e profissionais do inspetor Bruno Saraiva e da sua equipa.

 

Se ficaste curioso, encomenda já o teu exemplar de A Mão Que Mata, de Lourenço Seruya

a mão que mata capa.jpg