Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

policial-billboard

Saturday Night Fever | 03.11.2019

Convites duplos

31
Out19

 

Yellow Star Company convida todo o público a assistir ao seu mais recente grande musical, Saturday Night Fever, que se encontra em cena no Salão Preto e Prata do Casino Estoril até meados de Novembro, pretende levar o público para os tempos áureos do disco sound através deste musical.

Levando o público até aos tempos áureos do disco sound através da história de Tony Manero, um jovem que vive no bairro de Brooklyn. Gostando de dançar e só com os fins de semana para o fazer por trabalhar numa loja que lhe ocupa todo o tempo, a luta pelo sonho deste jovem existe. Com Stephanie como parceira de dança, as perspetivas de mudar de vida e os aplausos nas pistas, Tony prepara a sua participação num concurso de dança. Tudo isto ao mesmo tempo que uma crise amorosa e familiar se instala, criando uma certa instabilidade. 

Ricardo de Sá, Beatriz Barosa e Mafalda Tavares lideram o elenco, perante outros nomes conhecidos, como é o caso de António Máximo, Andreia Barros, Diogo Martins, Daniel Cerca Santos, Pedro Vieira, Sara Cecília, João Vilas, Luís Pacheco, Fabiana Craveiro, Alexander Aleksandrov, Elsa Galvão e Diogo Faria, que em palco brilham com Saturday Night Fever.

 

Doença da Juventude | Teatro Aberto

29
Out19

doença da juventude cartaz.jpg

 

Maria terminou o curso de Medicina e vai dar uma festa. A partir de agora, começa a vida a sério. "A vida a sério"... que cliché. Tu nasceste para quê? O que reserva o futuro para ti? Qual é o mal de ter ambições? Colegas de faculdade, ex-namorados, amigas, ódios de estimação — todos se cruzam antes e depois da festa, à procura de alguém especial, à procura de si próprios, em busca do caminho certo para a sua vida. Num mundo descartável e repleto de estímulos consumistas, quem sabe o que é certo ou errado?

O futuro dos jovens quando terminam os estudos torna-se no ponto de partida para o arranque do novo espetáculo que se encontra em cena na Sala Azul do Teatro Aberto. Com encenação de Marta Dias e texto de Ferdinand Bruckner, Doença da Juventude debate o quanto a sociedade se atropela com todos os medos, ânsias, ambições e perspetivas de futuro.

Com interpretação de Carolina Carvalho, Eduardo Breda, Filipa Areosa, Helena Caldeira, Madalena Almeida, Samuel Alves e Vítor d’Andrade, Doença da Juventude arranca com os preparativos de uma festa que pretende assinalar o final do curso de Medicina de Maria e a sua entrada numa vida de adulto. No entanto todos os acontecimentos se desenrolam para causar o pânico existencial nesta jovem que entre a amizade, o amor, os colegas e todos os que a rodeiam, percebe que não sabe qual o seu caminho numa sociedade que se usa, reutiliza, pisa e desnuda quem está mesmo ao seu lado. Qual o significado de cada um por esta passagem na Terra? Os abutres que tentam passar por todas as escadas da vida, utilizando meios e usando tudo o que está ao seu redor para triunfarem, mesmo que para isso desistam de pessoas que lhe querem bem, os insignificantes das aparências, as vontades não correspondidas com trocas, acusações e traições que magoam. A sociedade é feita de utilizações voluntárias por se viver num mundo de aparências, ambições e maldade onde a vida não passa somente de uma passagem que para uns tem de ser levada com respeito e para outros é simplesmente uma passagem para ser levada no limite em cada momento. 

Num cenário colorido e com pontos futuristas, um texto corrido e influenciador que permite refletir ao longo do espetáculo sobre o mesmo, um elenco bem completo e uma produção a que o Teatro Aberto já nos habituou, Doença da Juventude vai de encontro aos dramas com que todos nos confrontamos no dia-a-dia por vivermos com necessidade dos outros. Na vida é impossível seguir sozinho cada percurso, sendo necessário estar rodeado de quem nos quer bem, por vezes demais, e também quem nos afeta, e é neste ponto que este trabalho se baseia. Os conflitos pessoais que enfrentamos, demonstrados numa perspetiva de jovens adultos que estão a dar um passo nas suas vidas mas perante os quais encontram barreiras vindas dos seus pares. 

Saturday Night Fever | 31.10.2019

Convites duplos

27
Out19

 

A Yellow Star Company estreou Saturday Night Fever para reconquistar o público após o sucesso do ano passado de Grease. Com sessões agendadas para o Salão Preto e Prata do Casino Estoril até meados de Novembro, pretende levar o público para os tempos áureos do disco sound através deste musical.

Contando a história de Tony Manero, um jovem que vive no bairro de Brooklyn. Gostando de dançar e só com os fins de semana para o fazer por trabalhar numa loja que lhe ocupa todo o tempo, a luta pelo sonho existe. Com Stephanie como parceira de dança, as perspetivas de mudar de vida e os aplausos nas pistas, Tony prepara a sua participação num concurso de dança. Tudo isto ao mesmo tempo que uma crise amorosa e familiar se instala, criando uma certa instabilidade. 

Ricardo de Sá, Beatriz Barosa e Mafalda Tavares lideram o elenco, perante outros nomes conhecidos, como é o caso de António Máximo, Andreia Barros, Diogo Martins, Daniel Cerca Santos, Pedro Vieira, Sara Cecília, João Vilas, Luís Pacheco, Fabiana Craveiro, Alexander Aleksandrov, Elsa Galvão e Diogo Faria, que em palco brilham com Saturday Night Fever.

 

Ding Dong | Yellow Star Company

Comédia

21
Out19

ding dong.jpg

 

Leste a sinopse que está na imagem? Que tal? Parece ser o início de uma boa comédia ou nem por isso? Um marido enganado que sabe de tudo e cria um cenário para se vingar e dar a volta a toda a situação. Parece ser daquelas histórias de amor e traições que tanto já se viu pelo teatro, novelas e salas de cinema não é? Mas não, isto porque além de Ding Dong ser do mesmo autor do sucesso Boeing Boeing, Marc Camoletti, que em Portugal esteve em cena com várias temporadas durante anos, o elenco escolhido pela Yellow Star Company para esta nova aposta é tão perfeito que todos encaixam nas suas respetivas personagens como luvas feitas por medida. 

Andreia Dinis, Gonçalo Diniz, João Didelet, Melânia Gomes, Núria Madruga e Sofia Baessa formam o elenco escolhido onde marido enganado e sua respetiva esposa com amante e uma companheira deste por empréstimo e a verdadeira mulher se cruzam com uma louca empregada bastante interventiva. Uma comédia? Mais que isso, esta é a comédia que a Yellow Star Company preparou para encher a sala do Teatro Armando Cortez pelos próximos meses e pela primeira sessão a que assisti só posso dizer que o sucesso estará de certo do lado de Ding Dong.

O público ao logo de quase duas horas de sessão, com direito a intervalo, gargalhou, aplaudiu, comentou e esperou pelo que estava para acontecer. Tudo é feito de forma rápida, sem cansar, com um bom texto e bem trabalhado onde os atores conseguem ter a capacidade de improvisar consoante a receção que estão a ter da plateia. Tudo parece estar bem sincronizado, desde a prestação de elenco, e aqui tenho que destacar que Melânia Gomes ganha um destaque enorme por estar num aquário onde está totalmente perfeita, a comédia, embora todo o elenco esteja bem. Um cenário simples e colorido como este estilo de produção pede, tempos perfeitos, e sincronização exímia. 

Saturday Night Fever | 20/21.09.2019

Convites duplos

15
Set19

saturday.png

 

Nova temporada e novos espetáculos a chegarem aos palcos nacionais. A Yellow Star Company continua a apostar nos sucessos dos anos anteriores porque o público assim o exige, mas gosta sempre de lançar novas apostas para surpreender o público. Este ano e já em Setembro, estreia no Salão Preto e Prata do Casino Estoril o musical Saturday Night Fever.

Os tempos áureos do disco sound vão finalmente chegar a Portugal, pela primeira vez numa super produção com assinatura Yellow Star Company. Um musical inesquecível e que não pode perder!

Tony Manero é um jovem que vive no bairro de Brooklyn. É um excelente bailarino nos tempos do disco sound mas é feliz apenas aos fins de semana, depois de passar a semana inteira a trabalhar numa monótona loja de tintas.

Sob a influência do seu irmão, um padre frustrado, e de Stephanie, a sua parceira de dança, começa a questionar a maneira como encara a vida e a limitação das suas perspectivas. Paralelamente Tony vive uma crise amorosa, enquanto se prepara para participar num importante concurso de dança. 

Se Grease conquistou o público, desta vez será Saturday Night Fever a chamar e a convidar a plateia a cantar, dançar e aplaudir com o grande elenco que este musical tem, onde Ricardo de Sá, Beatriz Barosa e Mafalda Tavares lideram perante outros nomes conhecidos, como é o caso de António Máximo, Andreia Barros, Diogo Martins, Daniel Cerca Santos, Pedro Vieira, Sara Cecília, João Vilas, Luís Pacheco, Fabiana Craveiro, Alexander Aleksandrov, Elsa Galvão e Diogo Faria.

Como o que é bom é para ser partilhado, tenho dez convites duplos para distribuir de forma igual pelos dias 20 e 21 de Setembro, sessões das 21h30. Este passatempo irá estar disponível até às 10h00 de dia 19 de Setembro, Quinta-feira, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

Boeing Boeing | 20.09.2019

Convites duplos

14
Set19

Boeing Boeing.jpg

Quem nunca ouviu falar de Boeing Boeing, a divertida comédia que a Yellow Star Company trouxe para Portugal há uns anos e que após várias temporadas de sucesso em Lisboa, Porto e por todo o país, está de regresso à sala do Teatro Armando Cortez para novas sessões onde o público é convidado a embarcar numa viagem bem elucidativa sobre a partilha do amor? E quem ainda não assistiu a esta comédia que junta em palco António Camelier, João Didelet, Cristina Cavalinhos, Liliana Santos, Marta Melro e Carolina Puntel? Como alguns ainda não viram, eis que tenho convites duplos para vos oferecer destinados às sessões dos dias 20 e 21 de Setembro. Porém, um sorteio acontece aqui pelo blog e o outro é exclusivo no Instagram

Uma hilariante comédia de enganos sobre a trajetória de um Casanova da Era do Jacto, Bernardo um arquiteto que está noivo de três mulheres, Janete, Julietta e Judite, três hospedeiras de bordo, de diferentes países com quem vive sem que saibam a existência uma das outras.

Berta, a fiel empregada doméstica de Bernardo, é cúmplice neste jogo amoroso, trocando as fotografias, roupas de cama e ementas para que nenhuma das noivas desconfie da presença de outras mulheres.

Até que um dia os seus amores vão chegar à sua casa ao mesmo tempo…

Dada a azáfama vivida na casa de Bernardo, Berta está à beira de um ataque de nervos! Um amigo de longa data do arquiteto, Roberto Seguro, veio visitá-lo e vê-se apanhado na maior trama amorosa que alguma vez viu e que terá um fim inesperado...

Assim, esta semana tenho cinco convites duplos para sortear destinados à sessão de dia 20 de Setembro, Sexta-feira, pelas 21h30, de Boeing Boeing. Este passatempo irá estar disponível até às 10h00 de dia 19 de Setembro, Quinta-feira, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

 

As Três Sozinhas | Teatro Nacional D. Maria II

09
Jul19

as três sozinhas 1.jpg

 

Três criadoras e uma multidão de mulheres dentro delas. As reais e as outras, as desejadas e as outras, as bruxas e as outras, as da ficção e as outras. A pensar, a voar, a mastigar, a lembrar, a atear. De Circe a Medeia, com Sereias, Hárpias e Górgonas. Mais as três Moiras e a madrasta da Branca de Neve, Joana D’Arc e Ana Bolena. E Capicua, Elza Soares e Patti Smith, Pussy Riot, Femen e Guerrilla Girls. Sem esquecer Maria Lamas, Carolina Beatriz Ângelo e Maria Judite de Carvalho. Convocando Frida Kahlo e Agnès Varda, Virginia Woolf e Anna Akhmátova, Isadora Duncan e Marina Abramovic. Invocando Judite com a espada de Holofernes, Lorena Bobbitt com uma faca de cozinha, Valerie Solanas com uma pistola. Lembrando Eastwick, Salem e Aljezur, o Relatório Hite, o Teste Bechdel e o Ponto G. E ainda Simone de Beauvoir, Camille Paglia, Judith Butler, Angela Davis, Virginie Despentes, Betty Friedan, Maya Angelou, Rebecca Solnit, Malala Yousafzai, Gloria Steinem, Chimamanda Ngozi Adichie. A lista é interminável, uma longa espiral de mulheres a girar em torno de uma clareira na floresta à noite. Elas estão em chamas.

As mulheres ganharam espaço na Sala Estúdio do Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, através da peça As Três Sozinhas, onde as atriz e produtoras desta produção Anabela Almeida, Cláudia Gaiolas e Sílvia Filipe dão vida a várias mulheres ao longo de cada sessão até ao dia 14 de Julho.

Ao longo de hora e meia de espetáculo as atrizes chamam a palco várias personalidades femininas do mundo do espetáculo para mostrarem como as personalidades, vivências e contradições sociais criaram cada rosto que se tornou célebre mas com várias nuances pela sua vida privada. Ana Bolena, Angela Davis, Frida Kahlo, Joana D'Arc, Simone de Beauvoir e Virginia Woolf são apenas alguns dos nomes destacados neste espetáculo onde é mostrada a contradição das mulheres perante o que estavam pré-destinadas. Todas lutaram pelos seus direitos, pelas desigualdades e vontades para se destacarem num mundo machista e recheado de dificuldades para com a diferença.

As vulnerabilidades e instabilidades do mundo feminino são retratadas nesta peça através de conversas íntimas entre três mulheres que se conhecem há duas décadas e que partilham memórias e experiências num trabalho onde a envolvência existe. A palavra áspera e sem cortes, as intimidades, a nudez sem complexos e os sonhos de cada mulher são evocados para contrariar tanto medo, receio e falta de poder numa sociedade fechada e onde as regras tinham de ser seguidas a favor das aparências. Debatendo o feminismo, o papel da mulher na sociedade, a violência doméstica, maternidade, abuso de mulheres, o corpo e o prazer, vários são os temas em destaque nesta representação.