Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

O Dia em Que Escapámos aos Nazis, de Ivan Sciapeconi

Editorial Presença

00C639A3-26F0-4CEA-ADF0-83F8E16F19F6.jpeg

Título: O Dia em Que Escapámos aos Nazis

Título Original: 40 Cappotti e un Bottone

Autor: Ivan Sciapeconi

Editora: Editorial Presença

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2023

Páginas: 160

ISBN: 978-972-23-7041-7

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: Inédita e comovente, esta é a história de 40 crianças e jovens judeus que fogem da Alemanha nazi e se refugiam em Itália… até ao dia em que têm de tentar escapar outra vez.

É um dia de verão e estamos em 1942. Quarenta crianças e jovens judeus chegam à estação de Nonantola, perto de Modena, em Itália. Fugiram da Alemanha nazi, com a ajuda de Recha Freier, e dirigiam-se à Palestina, mas a guerra troca-lhes as voltas: primeiro vão para a Croácia, depois Eslovénia e finalmente Itália.

Ali chegados, ficam no solar Emma, fora da cidade. O pior parece ter ficado para trás: há aulas, várias atividades, e os mais velhos aprendem ofícios. Entre aquele grupo está Natan, um menino que, ao início, desconfia de tanta generosidade. Dentro dele, estão muito vivas as memórias do pai a desaparecer, do adeus à mãe e ao irmão mais novo. Mas ali não há estrelas amarelas nos casacos, não há guetos, não há o grande medo da noite.

Porém, a 8 de setembro de 1943, as tropas nazis começam a chegar a Nonantola, e o grupo do solar Emma tem de tentar escapar novamente. Desta vez, não estão sozinhos, têm uma comunidade inteira a ajudá-los. Mas como poderão enganar as tropas de Hitler? De que forma conseguirão fugir? O padre de Nonantola tem um plano, um engenhoso plano, em que toda a aldeia terá de participar.

Esta tocante história, baseada em acontecimentos reais e narrada por uma criança, emociona-nos, dá-nos esperança e faz-nos acreditar num mundo onde todos, juntos, podemos construir algo melhor.

 

Opinião: Voltei ao tema da Segunda Guerra Mundial na literatura e com O Dia em Que Escapámos aos Nazis as coisas não me correram assim tão bem como em outras narrativas anteriores.

Ivan Sciapeconi criou e contou a história de quarenta crianças e jovens judeus que tiveram de fugir da Alemanha em direção a Itália pela força dos combates que se instalaram. Pelo caminho passaram pela Palestina, Croácia e Eslovénia onde viveram com o medo do que estava pela frente, com fortes memórias de um passado de dor e perda. Com um presente a parecer ganhar estabilidade, surgem as tropas de Hitler que voltam a trazer o medo a este grupo que foi acolhido por toda uma comunidade que os ajuda a seguir um caminho de fuga quando tudo parecia estar a acalmar.

Twisted Games | Ana Huang

Clube do Autor

twisted games.jpg

Título: Twisted Games

Título Original: Twisted Games

Autor: Ana Huang

Editora: Clube do Autor

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2023

Páginas: 424

ISBN: 978-989-724-662-3

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Um amor proibido, uma química fora de série!

Magnífica, obstinada e amarrada pelas correntes do poder, a princesa Bridget sonha com a liberdade de viver e amar como quiser. Quando o irmão, o herdeiro, abdica por amor, Bridget é forçada a assumir o trono que nunca ambicionou e enfrentar um casamento sem amor e politicamente conveniente.

Enquanto navega pelos meandros – e traições – do seu novo papel real, tem de esconder o seu desejo por um homem que nunca poderá ter. O guarda-costas. O seu protetor. A sua desgraça.

Estoico, taciturno e arrogante, o guarda-costas Rhys Larsen tem duas regras de que não abdica: proteger os seus clientes a todo o custo e não se envolver emocionalmente. Sempre. Nunca se sentiu tentado a quebrá-las… Até a conhecer. Bridget von Ascheberg. Uma princesa teimosa e com um fogo oculto que reduz a cinzas as suas regras. Ela não é nada do que ele esperava e, afinal, é tudo o que ele nunca soube que precisava.

Dia após dia, centímetro a centímetro, ela quebra as defesas de Rhys até que ele não pode mais negar a verdade – jurou protegê-la, mas quer arruiná-la. Levá-la consigo. Ela é sua. A sua princesa. O seu fruto proibido. As suas fantasias mais ousadas.

Inesperado e proibido, o amor que surge pode destruir um reino… e condenar os dois.

 

Opinião: Twisted Games surge após o sucesso alcançado com Twisted Love, o primeiro volume de uma série literária onde o romance se envolve com o vício e o prazer carnal entre duas pessoas que se querem.

Nesta segunda história o leitor encontra a princesa Bridget a conviver de forma diária com o seu guarda-costas Rhys. De início uma relação complicada onde Rhys não dá espaço para grandes liberdades a Britdget. Com o tempo esta relação de protegida e segurança transforma-se numa obsessão mútua que acaba por seguir para um amor proibido quando a jovem princesa percebe que as circunstâncias da vida a vão conduzir ao trono e que para isso terá de seguir as leis monárquicas onde os casamentos por conveniência são lei e que estar numa relação com o seu segurança privado não será opção. Se por um lado Bridget segue moralmente as normas que lhe são impostas à vista dos outros sem as querer reter, por outro é toda a envolvência secreta entre os dois que consegue cativar o leitor. Ambos sabem que têm de estar juntos e a luta pelos verdadeiros sentimentos acontece quando se enfrentam normas impostas com séculos de história e que para serem alteradas esta jovem princesa acaba por seguir caminhos onde a persuasão e pressão acabam por existir para que o amor seja a arma forte quando assumir o trono. 

Já começaste a ler?

ler.jpeg

Neste início de 2023 aqui te deixo o desafio para que tu, que não costumas ser um leitor constante, comeces a pegar nos livros aos poucos.

Não tens de escolher aquele sucesso que está nos tops de vendas nacionais da livrarias nem pegar no primeiro livro que te aparece pela prateleira do supermercado, mas deixo-te o desafio para percorreres os corredores literários e seguires o chamamento, olhar para as capas, pegar naquele título que te pode estar a piscar o olho, ler a sua sinopse e perceberes que aquelas trezentas páginas te podem fazer companhia durante o próximo mês. Sim, um livro de trezentas páginas para um não leitor pode corresponder a dez simples páginas por dia, o que para ganhares o hábito da leitura é simples e eficaz. Basta quereres, colocas esse teu novo companheiro das letras na mesa-de-cabeceira e todos os dias, ao deitar, por exemplo, lês um pouco e perceberás que aos poucos a história te vai fazendo companhia.

O Dia em Que Deixei de Falar com a Minha Avó | Cláudia Oliveira

o dia em que deixei de falar com a minha avó.jpg

Título: O Dia em Que Deixei de Falar com a Minha Avó

Autor: Cláudia Oliveira

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Novembro de 2022

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Uma novela sobre o dia em que deixei de falar com a minha avó.

 

Opinião: Um conto, um estilo literário que geralmente fico de pé atrás por saber com o tempo que geralmente não me consigo envolver com a história. No entanto e após deixar esta leitura para um dia em que me sentisse bem, por saber que a envolvência de temas pessoais me poderia também a mim levar para outras memórias, peguei em O Dia em Que Deixei de Falar com a Minha Avó e encontrei a emoção em toda a mágoa transcrita para palavras sobre um passado marcante, que acabou por provocar dor perante situações que os adultos não conseguem perceber que afetam de tal modo as crianças que vão ser jovens e adultos e que irão ter de enfrentar as memórias do passado que nem sempre foi embrulhado por quem lhes devia querer bem da melhor forma. 

Um desabafo intenso e que enfrenta um passado de mudança forçada com vozes e situações que se fizeram sentir entre várias frentes de lados opostos que se foram compatibilizando quando por um bem comum deviam ter seguido uma linha e pensado que o presente reflete sempre o futuro. A dor da perda e derrota existe e a perceção que cada um enfrenta sobre a sua comoção é vivida de forma diferente, mas quando se acaba por transmitir a quem se está e se quer bem da pior forma o que devia ser um ponto de acolhimento e amor acaba por se transformar como uma autêntica chapada violenta de sentimentos. 

Para Lá do Inverno | Isabel Allende

Porto Editora

E0D81120-4EDD-4AAD-9C84-5C30023D6466.jpeg

Título: Para Lá do Inverno

Título Original: Más allá del invierno

Autor: Isabel Allende

Editora: Porto Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Novembro de 2017

Páginas: 336

ISBN: 978-989-784-608-3

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: «No meio do inverno, aprendi por fim que havia em mim um verão invencível.» Albert Camus

Isabel Allende parte da célebre frase de Albert Camus para nos apresentar um conjunto de personagens próprios da América contemporânea que se encontram «no mais profundo inverno das suas vidas»: uma mulher chilena, uma jovem imigrante ilegal guatemalteca e um cauteloso professor universitário.

Os três sobrevivem a uma terrível tempestade de neve que se abate sobre Nova Iorque e acabam por perceber que para lá do inverno há espaço para o amor e para o verão invencível que a vida nos oferece quando menos se espera.

Para lá do inverno é um dos romances mais pessoais da autora: uma obra absolutamente atual que aborda a realidade da migração e a identidade da América de hoje através de personagens que encontram a esperança no amor e nas segundas oportunidades.

 

Opinião: Para Lá do Inverno dá a conhecer ao leitor três personagens que são obrigadas a cruzarem e partilharem o seu caminho por serem atingidas por uma forte tempestade de neve em Brooklyn, Nova Iorque, e que os deixa à mercê das baixas temperaturas, entre três pessoas que têm pela frente uma alteração da sua vida que só acontece pelo tempo em que são quase que obrigados a conviver no mesmo espaço e a reagir como se sempre estivessem estado juntos.

Nesta obra de Isabel Allende é dado a conhecer um professor universitário, Richard, um homem reservado, que não gosta de partilhar o seu espaço e a sua própria vida com os outros, quando de súbito e muito pela forte queda de neve se vê envolvido num acidente automóvel com uma jovem imigrante ilegal guatemalteca, Evelyn, que trás consigo o verdadeiro problema deste romance e que acaba por dar o mote para que num dia de tempestade, Richard tenha de recorrer à ajuda de Lúcia, uma mulher chilena que vive na cave da sua moradia, para que juntos consigam organizar o caminho em que de súbito estão envolvidos quando se descobre que no interior do veículo conduzido por Evelyn no momento do embate está um cadáver.

Livros para o Natal

natal-970x250-billboardAs últimas compras por vezes são as mais compensadoras e é por isso que na Wook estão por estes dias que antecedem o Natal milhares de livros com descontos que vão dos 30% aos 50% e que ainda trazem consigo os portes grátis. 

Para além de boa e diversa literatura, a Wook tem também ao dispor de todos nós uma vasta gama de brinquedos e jogos didáticos, tal como música e a possibilidade da compra de bilhetes para os mais variados espetáculos que estão a decorrer pelo país ou entradas em eventos especiais. 

 

Jogo Mortal | Bruno M. Franco

Suma de Letras

jogo mortal.jpg

Título: Jogo Mortal

Autor: Bruno M. Franco

Editora: Suma de Letras

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Setembro de 2022

Páginas: 528

ISBN: 978-989-784-608-3

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Quando aceitou a ficha de casino com uma inscrição que o rapaz da bicicleta lhe deu, Helena não sabia que a sua vida ia mudar para sempre.

Quando clicou no site que prometia dinheiro fácil, ela não sabia que se veria enredada num dos jogos mais doentios e mortais de sempre.

Quando começam a aparecer pessoas assassinadas, os inspetores da PJ Leonardo Rosa e Marta Mateus são chamados a investigar. E o que descobrem é muito maior do que teriam imaginado.

Neste segundo livro da saga «Mortal», os inspetores preferidos dos leitores portugueses voltam a trabalhar juntos ao mesmo que tempo que têm de lidar com o que sentem em relação um ao outro.

Leonardo, viúvo, começou a ver a colega, a inveterada solteira Marta, de uma forma diferente.

Conseguirão eles ultrapassar todas as mágoas passadas e trabalhar rapidamente para impedir mais mortes?

Atreve-se a ler?

 

Opinião: Acompanhei o lançamento do primeiro volume da saga Mortal do Bruno M. Franco e logo percebi que estava a chegar um ciclo viciante onde a história da dupla de inspetores Leonardo Rosa e Marta Mateus se cruzava com uma sucessão de crimes violentos. Se Segredo Mortal conquistou, Jogo Mortal acabou por superar as expetativas através de uma reviravolta e uma história de base capaz de surpreender onde o valor da vida humana é colocado em grande destaque numa luta que coloca a sobrevivência e o poder do dinheiro em dois polos opostos da barricada.

Primeiramente o leitor acompanha pessoas comuns, neste caso Helena e Rui, a receberem de forma anónima fichas de jogo de casino para logo se perceber que o chamamento para o que promete mudar a vida destas pessoas vai muito para além de uma possibilidade positiva de dar a volta por cima. Se receberam a ficha de jogo entraram numa competição onde é impossível desistir e a partir daqui começam as Olimpíadas da Morte onde centenas de cidadãos que se desconhecem têm algo em comum e que por isso se tornam peões num desafio de sobrevivência que lhes promete garantir a estabilidade que tanto ambicionam mas que para isso têm de matar.

Com tarefas a serem compridas e crimes violentos a surgirem em catadupa, os inspetores Leonardo e Marta são chamados a interferir para que encontrem as provas do que liga os vários casos de homicídio que surgem na sua zona, o que com o tempo se vem a descobrir que é um mal muito mais abrangente por todo o território nacional. Só que nem sempre a investigação corre pela positiva e quando a dupla dá conta está mais que embrulhada no caso.

A ocasião faz o leitor

poesia-1440x958.jpg

Percebes que estás a gostar da história de um livro quando tens vontade de ler em todos os momentos que tens livres para ficares a saber o que está para acontecer. Do outro lado da balança, entendes muito bem quando a leitura se torna maçadora e acaba por ser arrastada por vários dias, em que muitos nem pegas no livro e acabas por o deixar de lado porque aquele entusiasmo que a conexão entre uma boa história e o leitor não surgiu.

Qualquer leitura tem os seus pontos fortes e os menos positivos e com o tempo o conhecimento para com determinados estilos de autor acaba por fazer do leitor um "bom ladrão" que regressa às narrativas criadas por quem não desiludiu e não o fez deixar uma história pelo caminho ou a ser levada de forma mais lenta sem aquele entusiasmo que um bom livro tem de suscitar na sua grande parte por quem lhe pega como companheiro de horas solitárias onde as viagens e conhecimentos sem se sair do mesmo lugar acontecem.

O Diário de um Mago | Paulo Coelho

Pergaminho

o diário de um mago.jpg

Título: O Diário de um Mago

Autor: Paulo Coelho

Editora: Pergaminho

Edição: 17ª Edição

Lançamento: Junho de 2018

Páginas: 288

ISBN: 978-972-711-080-3

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: A partir da sua peregrinação a Santiago de Compostela, Paulo Coelho constrói esta fascinante parábola, que aborda a necessidade que todos sentimos de encontrar o nosso próprio caminho. Esta narrativa, em que o autor expõe a sua filosofia humanista e introduz a profundidade da sua busca, inaugurou a sua excecional carreira de escritor e revela de que forma o caminho da sabedoria pode transformar as nossas vidas.

 

Opinião: O Diário de um Mago conta de forma pessoal o percurso do autor pelo Caminho de Santiago de Compostela na procura da sua espada, do seu auto encontro. Percorrendo trilhos onde os obstáculos surgem ao longo deste percurso, o destino está traçado e para que o mesmo seja conquistado é necessário perceber que o mago que o procura é digno para atingir a sua perfeição e entendimento. Através de várias situações articuladas com ensinamentos, esta obra de Paulo Coelho envolve o leitor na procura pessoal de si próprio, tendo de ultrapassar barreiras e perceber onde está o bem e o mal no seu interior para conseguir encontrar a sua espada. O Diário de um Mago une a emoção e inspiração com o processo de conhecimento através de um percurso de encontros entre a literatura de viagem e a fantasia numa leitura onde não me consegui envolver.

Black Friday na Wook

bf-970x250-billboardHoje, 25 de Novembro, é a grande e conhecida mundialmente Sexta-feira louca de Black Friday e na Wook, a nossa livraria online de eleição, as coisas não são diferentes e as promoções vão dos 20% aos 50% de desconto em todos os livros, excetuando os manuais escolares e os livros vendidos no marketplace. A promoção também será possível em ebooks e audiolivros que contam com 20% de desconto imediato em todos os livros selecionados.

De frisar que este desconto é obtido através da combinação de desconto imediato e/ou desconto em cartão wookmais e que a oferta dos portes de envio está garantida para entregas standard e em pontos de recolha em encomendas de valor igual ou superior a 15€, sendo que se o valor for inferior aos 15€, o valor dos portes será devolvido em cartão wookmais.