Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

WOKE | Titania Mcgrath

Guerra e Paz

woke.jpg

Título: Woke - Um Guia Para a Justiça Social

Título Original: Woke - A Guide to Social Justice

Autor: Titania Mcgrath

Editora: Guerra e Paz

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2021

Páginas: 136

ISBN: 978-989-702-604-1

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse:  Considerado um dos melhores livros do ano em Inglaterra, WOKE é o retrato do delírio que invadiu uma legião de activistas, que julga querer bater-se pela justiça social. Ricky Gervais afirmou tratar-se de uma «sátira maravilhosa».

Quem é Titania McGrath, a sua autora? É uma «activista interseccional», seja lá o que isso for. Ela jura-nos que a justiça social se conquista juntando uma bandeira arco-íris no perfil do Facebook, ou intimidando quem diga desconhecer o significado de «não binário», ou chamando nazi a quem pense votar num partido conservador. Em suma: os que defendem a liberdade de expressão são criptofascistas.

Mas será que Titania existe? Titania é a genial invenção do comediante Andrew Doyle, o verdadeiro autor de um livro que satiriza a loucura activista destes tempos.

A loucura do fundamentalismo está presente em várias colorações da direita, como se viu com Trump, mas também tingiu fortemente uma certa visão da esquerda progressista que distorce o que é o progresso.

A melhor forma de desconstruir o perigo do radicalismo é a sátira. Em WOKE assistimos à irrisão por absurdo das loucuras identitárias, do radicalismo feminista, e das extravagâncias de género, da deposição de estátuas e do cancelamento da cultura. É um livro político? É, garantimos, o livro cómico mais sério do ano.

 

Opinião: WOKE, o livro que é definido como sendo Um Guia Para a Justiça Social, veio ajudar a provar que não sou um bom leitor de textos que funcionam como sátira social. Do início ao fim da leitura deste livro de Titania Mcgrath, ou melhor, de Andrew Doyle, que decidiu que se surgisse no Twitter como uma mulher ativista na procura pela justiça social teria melhor impacto para com o seu público, não consegui encontrar um ponto positivo para estar a desperdiçar o meu tempo com este conjunto de argumentos que em nada veio acrescentar. Aceito que o problema seja meu por não conseguir achar a mínima piada à forma como os variados temas foram tratados pelo seu autor, perdão autora, mas realmente a comédia literária parece não ser o meu ponto forte.

Num conjunto de textos que tentam ser engraçados o debate tenta ser lançado em torno dos mesmos temas de sempre, dando o mote através de ataques à classe trabalhadora, à saída do Reino Unido da União Europeia, aos gays e lésbicas, o racismo, o feminismo, não esquecendo a desigualdade dos sexos e entre culturas. Quem olhar para a escrita deste comediante, que tenta não dar a cara e do qual espero que esteja do lado oposto destas opiniões dadas, percebe facilmente que a intenção é a provocação de forma gratuita e crítica, sem depois existirem argumentos para a discussão com consciência e sobre a liberdade de cada um. 

A tentativa de ser engraçado pode ter corrido muito bem com a maioria dos leitores, porém por aqui a graça ficou de fora, tendo sido uma leitura de arrasto somente porque não gosto de deixar livros a meio, mesmo que no fim pouco ou nada me digam.

 

Se ficaste curioso, encomenda já o teu exemplar de WOKE, de Titania Mcgrath

woke capa.jpg