Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Banner billboard Saldos 2019
21
Dez18

O Sal da Vida | Helena Sacadura Cabral

| O Informador

o sal da vida helena sacadura cabral.jpg

Título: O Sal da Vida

Autor: Helena Sacadura Cabral

Editora:  Clube do Autor

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Outubro de 2018

Páginas: 216

ISBN: 978-989-724-452-0

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Ternas, irreverentes e por vezes com final inesperado, as novas histórias de helena Sacadura Cabral revelam os diversos caminhos em busca do amor e da felicidade.

Reais ou ficcionadas, são fragmentos de vidas que mostram a riqueza do quotidiano e a importância dos afetos; são o espelho da nossa sociedade inquieta e refletem a firme convicção de que todos podem ser donos do seu próprio destino.

 

Opinião: Helena Sacadura Cabral reúne em O Sal da Vida histórias reais e inéditas onde se juntam espaços de ficção num romance de crónicas escritas ao longo do tempo e que foram ficando para agora poderem ser lançadas num livro onde o amor, a perda, a saudade e a felicidade ganham destaque. Para Helena Sacadura Cabral estas memórias tinham de ser contadas com o pretexto de que «Viver é muito mais do que existir. É lutar para ser feliz, amar e ser amado.» e é assim que O Sal da Vida surge junto do leitor.

Começando por mostrar os Encontros e Desencontros que a vida nos vai colocando pela frente ao longo do tempo, são vários os relatos próprios e ficcionais dados a conhecer de forma simples, sem criar ilusões e com um significado único. Cada linha deste livro é falada, relatada como se a autora estivesse a divagar para si própria, sem criar desenhos literários para que o texto venha a ficar com uma maior perfeição e um estilo gramatical mais elaborado. Não, em O Sal da Vida existe verdade, existem relatos tal como são pensados e não criando grandezas que só tendem a piorar o que realmente importa para quem está do outro lado, o leitor. Dos Encontros e Desencontros passamos para as Encruzilhadas da Vida onde os inesperados acontecem e há que manter as forças para ultrapassar cada ponto negativo que se nos atravessa pela frente. As perdas e os problemas na vida de Helena e as criações para ajudar a reforçar este capítulo são reais, são possíveis e podem acontecer a qualquer um. Visitamos posteriormente As Datas que nos Marcam e percebemos que como todos nós existem os bons e os maus momentos, onde existem datas que podem ser celebradas mas também as que ano após ano nos deixam mais cabisbaixos porque alguém partiu e aos 84 anos de idade Helena Sacadura Cabral sabe bem o que é a perda de pessoas de quem ama mas que continuam bem presentes na sua vida através de memórias e recordações que permanecem consigo e perante os seus olhos. As peripécias recriadas em Contado, Ninguém Acredita e finalmente Construir um Caminho para a Felicidade são os últimos pontos a serem desfiados por esta magnifica mulher que sempre luta pelo bem-estar interior e também de quem está ao seu redor. 

28
Nov14

Reacção inesperada

| O Informador

Andei durante vários dias para contar aos meus pais que no início do ano tudo se está a preparar para que passe alguns meses a trabalhar e viver pela zona de Faro. No início do ano tive um mês em Vila do Conde, também em trabalho, e em equipa. Desta vez as coisas não se vão passar de forma tão rápida e ficarei sozinho, falando de pessoas que já conheço, com uma nova equipa durante algum tempo, ficando a viver por lá, num local que irei escolher. Se andava a adiar contar que ia ficar um pouco longe, a reacção que tiveram acabou por surpreender.

Achei, e era esse o meu receio, que quando contasse que iria viver uns meses para o Algarve, ficando a morar sozinho, que tivesse que enfrentar as armas todas poderosas da opinião da mãe. No entanto e depois de explicar o que ia fazer tudo foi tão bem aceite que até senti que não estava a falar com os pais com quem tenho vivido ao longo destes anos.

Cresci, já sinto necessidade de ter o meu espaço e acredito que esta ida temporária em trabalho para longe de tudo e todos me vai ajudar a dar o passo para que quando voltar siga em frente com a vivência fora de casa dos pais, começando a ter o meu espaço, as minhas coisas, o meu canto...

A reacção da minha ida foi inesperada, no entanto fiquei contente por não ter de ouvir isto e aquilo, sabendo no entanto que quando a data da primeira partida tiver para acontecer que as criticas, opiniões e avisos vão aparecer. Coisas de mãe galinha e de filho mimado!

14
Nov13

Escadas, arrecadação ou lixo?!

| O Informador

Felizmente que vivo num apartamento num prédio só com rés-do-chão e primeiro andar e somente com quatro habitações! Não que não conseguisse e talvez preferisse viver num local mais movimentado e com um maior número de vizinhos. Só que as chatices nesses lugares também acontecem com uma maior regularidade e uma das coisas que não entendo e que acontece cada vez mais pelos prédios com vários moradores é o de colocarem nos arredores da porta ou nas escadas, que são pouco usadas devido ao elevador, os seus lixos e bens da casa que já não lhes fazem falta! As escadas são uma arrecadação ou um caixote do lixo para essas pessoas? Um nojo é o que me parece, porque para mim nem uma coisa nem outra!

Não percebo e não consigo encaixar o que leva os moradores de um apartamento, que já não precisam de um móvel no seu interior, a deixá-lo durante semanas ou mesmo meses nas suas escadas, perto da porta, como se aquele espaço fosse uma arrecadação privada que ninguém frequenta. Além de móveis, e por vezes até sapatos durante dias e dias à mercê de qualquer um, ainda existe quem deixe o seu lixo por ali, seguramente com a esperança que o contentor da sua rua entre no prédio, suba as escadas e leve a sua comida.

Será que esses preguiçosos e um pouco porcos não conseguem perceber que as escadas são de todos porque ninguém é obrigado a andar de elevador e fica mal os seus vizinhos terem de passar por móveis que outrora já foram belos, calçado com mau cheiro e lixo mais que azedo, até conseguirem chegar à sua porta que gostam de manter limpa e cheirosa?!

A falta de bom senso é cada vez mais comum nos dias que correm!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não que seja a prática a recomendar obviamente o q...

  • Sofia

    A letra de médico no geral é ilegível! As empresas...

  • O Informador

    No campo profissional acho que sempre consegui man...

  • Sofia

    A nível pessoal tens o.pode de decisão de deixar a...

  • O Informador

    Quando não tenho empatia inicial na vida não tento...

Mensagens

Pesquisar