Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

05
Jul18

Vícios online

| O Informador

viciados online.jpg

Constantemente somos levados a proferir determinados comentários sobre o modo como os jovens, desde bem cedo, olham para o mundo dos jogos online, dos vídeos e das redes sociais onde conseguem passar horas e horas sem desviarem o olhar e mesmo o pensamento sobre os ecrãs de televisão, tablet e telemóvel, deixando cada vez mais os computadores para trás nesse campo. E nós, os adultos que também passamos bastante tempo agarrados às novas tecnologias com os novos e mais variados atrativos que nos são fornecidos para entreter como forma de matar o tempo, ninguém nos chama a atenção?

Se formos a olhar por vezes para um grupo que esteja aparentemente a conversar, seja em casa ou num local público, percebemos que em vários casos o telemóvel está na mão, com o ecrã bem ligado e não são só as redes sociais são motivo de entretenimento, estando também um jogo ou outro a surgir no ecrã, ouvindo o tema que está a ser debatido na mesa mas prestando atenção a um determinado nível que estamos quase a ultrapassar e onde não queremos perder por nada. E os vídeos que são vistos ao longo desse tempo e por vezes até partilhados via online com quem está na mesa para que outros se distraiam e peguem no telemóvel? Chamamos os mais novos de viciados e pedimos para que nos deem alguma atenção quando estamos a conversar para que não estejam sempre ligados ao mundo online, no entanto acabamos por seguir determinados comportamentos que não são exemplo algum para o que queremos mostrar aos outros. 

Confesso que tento não mexer muito no telemóvel quando existe conversa a debater ou quando estou entre amigos e família porque nem tudo é possível através dos jogos e das redes sociais, mas por vezes tenho que me auto reprimir porque caio num erro cada vez mais comum a todos. O vício do social digital tem acabado ao longo dos anos por abafar conversas e até os jogos, aqueles que nos deixam nervosos porque passamos algum tempo a bloquear num determinado ponto sem conseguirmos seguir em frente, nos deixam de fora de determinados momentos em sociedade real que é tão importante e que andamos a dar cada vez menor valor.

15
Fev17

As saudades da BGamer

| O Informador

bgamer.jpg

Quem como eu passou uns anos a comprar a revista BGamer logo no dia em que a edição mensal saia para as bancas? Quem como eu vibrava com as últimas novidades do mundo dos videojogos e que sonhava poder ter todos os novos lançamentos? Quem como eu lia de ponta a ponta esta publicação que marcou gerações de jogadores? Comprei ao longo de anos, durante a adolescência, a BGamer que acabou por sair do mercado devido às transformações que a imprensa escrita e em papel foi sofrendo. Agora e com direito a edição especial, eis que um novo número 0 foi lançado junto dos fãs que conviveram com uma revista marcante.

Com um olhar sobre o futuro dos videojogos, onde a realidade virtual tem destaque e com os novos títulos a espreitarem, a BGamer voltou às bancas nacionais com reportagens, vários especiais e análises aos mais recentes jogos, fazendo uma antevisão do que está para chegar no mundo das consolas com a Microsoft, Nintendo e Sony como anfitriãs. 

Além de todo o conteúdo da revista existe também a oferta do jogo Tropico 5, onde o jogador é convidado a governar uma ilha. E sabem que mais, este estilo de jogos é o meu forte, quer seja no telemóvel, no computador ou em consola.

23
Nov13

Videojogos: Lixo ou Venda

| O Informador

Tenho, talvez, mais de cem videojogos de PC dentro de um dos móveis do meu quarto. Muitos saíram-me em oferta com as revistas da especialidade e poucos foram comprados a solo e por os querer mesmo. Não são atuais, nada disso, e não me são úteis, sendo que muitos nem saíram da caixa. Hoje também não os tenciono usar porque não sou lá grande adepto de jogos de computador. O que fazer então com aqueles empecilhos? Tenho talvez duas soluções para me livrar de todos de uma ou várias vezes!

Uma das soluções é abrir o móvel, pegar em vários sacos do lixo e deixá-los num ecoponto destinado ao plástico, terminando aí as suas vidas, a não ser que sejam aproveitados por alguém que faça a separação do conteúdo dos ecopontos. A segunda opção é colocá-los à venda num site da especialidade por um preço baixíssimo e só para poder ganhar uns euros com a sua partida!

O que fazer? Deitar fora ou tentar vender? É que já têm todos mais de cinco anos e não me servem rigorosamente para nada, só estando mesmo a ocupar espaço! Alguém interessado?

26
Set13

Vendedor na Fnac

| O Informador

Não, eu não estou a trabalhar na Fnac, e o que quero dizer com o título que escolhi para este texto é que a partir de agora todos podemos ser Vendedores em www.fnac.pt.

Isto foi uma coisa que descobri ao ir consultar o saldo do meu cartão Fnac, quando me apareceu na minha conta uma área denominada de A minha conta de Vendedor - Gerir a minha conta Vendedor. Oh, o que é isto? Pois, pelo que me dá a entender pela explicação que me foi apresentada, parece-me algo do género dos sites de vendas em segunda mão...

Vender os seus CDs, DVDs, jogos, livros ... ? É possível na Fnac.pt!

A partir de hoje poderá vender os seus produtos novos ou usados na Fnac.pt

  • Pode colocar facilmente os seus produtos online decidindo qual o preço de venda. Não existe sistema de leilão.
  • Colocar à venda os seus produtos é gratuito! Apenas paga uma comissão sobre a venda do artigo.
  • Ser-lhe-á imediatamente enviado um email quando existir uma encomenda de um dos seus produtos.
  • Escolha o modo de pagamento que mais lhe convém: ou imediatamente através de cheque oferta virtual e-Tanto, ou por transferências bancárias automáticas a cada 10 dias.

O Informador ainda não fez a sua conta de vendedor no portal da Fnac, mas existem por aqui alguns videojogos, e não só, com vontade de terem novos donos! Quem sabe...

Mais sobre mim

foto do autor

Banner mrec Saldos 2019

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • O Informador

    Agora é tempo para viveres a tua vida, com trabalh...

  • Sofia

    Desde miúda que luto pela minha felicidade e não e...

  • O Informador

    Achei que a estreia esteve bem, agora há que não p...

  • O Informador

    Aquilo nem serviços mínimos atingiu, sinceramente....

  • Happy

    Eu vi e gostei muito!

Mensagens

Mais comentados

Pesquisar