Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

06
Nov18

Worst Of | Teatro Nacional D. Maria II

| O Informador

worst of cartaz.jpg

Não é incomum, ao longo dos tempos, escutar-se a opinião de um atraso crónico do teatro português, por comparação com as outras artes. Worst of propõe-se a passar os olhos pela história do teatro nacional à sombra desta impressão. Para isso, um "best of" de atores nacionais dará voz às lamurias com a ajuda de exemplos que confirmam o desalento. Worst of não é uma celebração.

Worst Of chegou à Sala Garrett do Teatro Nacional Dona Maria II para fazer uma visita à história do teatro em Portugal, com oportunidade para que a opinião nos tempos que correm seja dada de forma feroz e impactante, mostrando como existe uma falha sobre tudo o que foi feito, parecendo faltar evolução no que é feito e que chega, como é bem reforçado em palco, a ser uma «merda» pela falta de vontade em fazer mais, em ser diferente, arriscar e não continuar a ser mais do mesmo, poupando esforços e não procurando alterar ou fazer em condições um bom espetáculo cultural.

Esta criação do Teatro Praga e que conta com a interpretação de Rogério Samora, São José Correia, Márcia Breia, Vítor Silva Costa, Cláudia Jardim, Diogo Bento, Patrícia da Silva e Pedro Penim, divide-se em dois palcos, onde o passado é representado para ser comentado pelo presente. Recorrendo a textos de André Brun, Júlio Dantas, Gil Vicente, Luís de Sttau Monteiro, J.M. Vieira Mendes, Francisco Gomes de Amorim e Almeida Garrett, Worst Of une assim o passado histórico do teatro, dos primórdios sucessos aos grandes fracassos, a um texto debatido e que já havia sido recusado pela direção do Teatro Nacional Dona Maria II em 2006, ganhando agora vida em 2018. 

22
Mai17

Rescaldo dos Globos de Ouro

| O Informador

globos de ouro.png

Vamos lá comentar a 22ª Gala dos Globos de Ouro que a SIC exibiu ontem, 21 de Maio de 2017, em parceria com a revista Caras.

Primeiramente é necessário falar da Passadeira Vermelha de apresentação em modo Televendas como já é habitual ser feito. É mesmo de serviço útil ao telespetador saber as marcas das vestimentas das estrelas que vão desfilando até entrar no Coliseu dos Recreios? Será que não conseguem somente falar com os famosos, maioritariamente rostos da estação, dos seus projetos e não comentarem roupas, sapatos e joias? Um outro pormenor que já é comum na Passadeira Vermelha dos Globos é o facto de dizerem que estão em direto quando assim não o é, já que é bem notório pela claridade do céu que as reportagens foram gravadas uns bons minutos antes, dado que depois quando começou a gala todos os convidados que há dois minutos estavam a entrar já estavam bem sentados nos seus respetivos lugares sem andarem pessoas em pé de um lado para o outro. Para mais este ano ainda tiveram uma falha no diferido e passaram um dos minutos com a Andreia Rodrigues em dose dupla, mas talvez ela tenha repetido a entrevista duas vezes e com a mesma pose, não sei!

Agora sim, a 22ª Gala dos Globos de Ouro! Antes demais questiono-me sobre a escolha de João Manzarra para a apresentação da suposta gala do ano em substituição de Bárbara Guimarães que foi assim afastada! As piadas consecutivas do Manzarra são aquela base já habitual com todos os apresentadores que passaram pelos Globos ao longo dos anos. O texto é tão formatado que o público na sala esquece-se de rir diversas vezes. Mas a questão essencial é... A sério que não existiam outras pessoas dentro do lote de apresentadores do canal para apresentar a que chamam de «Gala do Ano»? Júlia Pinheiro e João Baião são os dois rostos com maiores ordenados e só servem para apresentarem talk shows que perdem diariamente nas audiências e não podem fazer um especial de horário nobre uma vez por ano para tentarem compensar os maus resultados dos restantes dias?

Bárbara Guimarães subiu ao palco com Rodrigo Guedes de Carvalho e o jornalista tocou na ferida da apresentadora. Falou no drama da violência doméstica dando um chá de forma indireta a Manuel Maria Carrilho. Sério que isto era necessário num espetáculo nacional e onde se pretende estabelecer a alegria?

Mariana Pacheco e Vítor Silva Costa souberam mostrar a várias das duplas que foram ao palco apresentar e entregar globos que não é preciso elaborar muito para se estar bem e não cometer gralhas com as tentativas de ter graça junto de um público snob e que só se quer é despachar para seguir em frente para a verdadeira festa que o avançar da noite tem reservada. 

Rita Blanco e Albano Jerónimo esqueceram o teleponto e graças à atriz conseguiram ter dos melhores momentos cómicos da noite enquanto dupla a entregar um globo. Improviso e com o excelente bom humor de Rita Blanco, a dupla deixou o texto para trás e seguiu em frente. 

23
Mar15

Vamos dançar?...

| O Informador

Dança com as Estrelas 1.jpg

A terceira edição do Dança com as Estrelas começou e os serões de Domingo voltam assim a apelar aos corpos em movimento, taco a taco e com a sintonia perfeita.

Cristina Ferreira dispensa apresentações, os jurados a mesma coisa, bailarinos de excelência e um elenco de concorrentes aparentemente abaixo das edições anteriores mas capaz de surpreender. Confesso que à partida quando vi os dez escolhidos apontei dois nomes como os elos mais fracos, Kátia Aveiro e António Raminhos. Depois de ver as suas prestações percebi que a ideia da irmã de Ronaldo estava completamente errada, no entanto o público português volta a mostrar que não gosta do clã Aveiro e retira Kátia da competição logo na primeira oportunidade. Quanto ao comediante que não sabe dançar, está ali para dar um toque de boa disposição ao formato, fazendo até um trabalho dentro do estilo que tem apresentado no que bem sabe fazer, mas longe do que o programa exige. No geral os concorrentes, mesmo não sendo figuras de topo do canal, estão dentro dos que os anteriores fizeram na estreia e agora é semana após semana que a evolução acontece e se irá fazer notar.

Sim este é um bom programa de dança, é daquelas apostas que sempre tem corrido bem ao canal ao longo de três anos seguidos e muda completamente o estilo e também o público base do que vinha a ser feito pelos últimos meses nos serões de Domingo. 

Mais sobre mim

foto do autor

oportunidades 20 a 50 em livros

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • O Informador

    Já ouvi dizer que sim! Como sou filho único nunca ...

  • P. P.

  • Sofia

    Os filhos mais velhos são sempre sobrecarregados!

  • O Informador

    Pensando no presente e futuro sem levar as pedras ...

  • O Informador

    Por vezes é necessário dar espaço para que os outr...

Mensagens

Mais comentados

Pesquisar