Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Televisão | A liderança que se foi...

17
Jun19

televisão.jpg

 

Chegamos praticamente a meio do ano de 2019 e as questões sobre como tenho visto o atual panorama de mudanças televisivas já me foram feitas várias vezes. Hoje apetece-me entrar numa viagem para mostrar o que entendo perante a liderança que se esfomou da TVI por terem ficado à sombra da bananeira no primeiro lugar do pódio por não sentirem uma forte concorrência que lhes fizesse frente. Agora o canal líder durante anos deixou a torre ruir em menos de nada e não venham com as desculpas que esta derrota só aconteceu devido ao salto de Cristina Ferreira da quatro para a três. 

Sim, a outrora companheira de Manuel Luís Goucha bateu com a porta do canal que a ajudou a alcançar o estrelado. Hoje entendo a sua saída. Na SIC dirigida por Daniel Oliveira, Cristina percebeu que tinha capacidade e espaço para fazer televisão como queria e a pensar no que o público quer ver e não estar ligada a formatos que ganham simplesmente porque do outro lado não existe capacidade de fazer melhor. As coisas mudaram, a direção do canal da Impresa foi alterada e a capacidade de reerguerem um projeto que andou anos perdido foi evidente desde os primeiros meses de poder. Alterações simples na grelha, contratações, arrumar de casa e Janeiro entretanto chegou. Cristina estreou e venceu, sem deixar o primeiro lugar das manhãs. Consigo ajudou Júlia Pinheiro a mostrar os conteúdos do seu programa das tardes. Com isto e porque o formato reality show escolhido aliou campo, amor e conflito, o sucesso surgiu. Não, a SIC não alcançou em 2019 a liderança somente por causa da apresentadora da Malveira. Ajudou muito sim, isso é um facto, mas o bolo foi todo muito bem embrulhado e as novas apostas estrearam a seu tempo e bem, com um bom estudo de mercado e a capacidade de prender o público ao longo da semana para as estreias que iam acontecer. Hoje a SIC reina de manhã, de tarde e praticamente anda na luta pelo horário nobre que é cada vez mais seu.

Do outro lado a TVI caiu em Janeiro, baralhou em Fevereiro, piorou em Março e quando chegou a Abril o caos estava instalado. Programas a estrear e a serem retirados da grelha sem aviso, horários todos trocados de dia para dia. Apresentadores que surgem e desaparecem dos seus formatos. Atores na apresentação, especiais pimba a torto e a direito. Estagiários a promoverem estreias tão bem que o público nem dá pelas mesmas. O que aconteceu a uma TVI que parecia tão bem e que só sobrevivia no topo por falta de motivação dos vizinhos do lado? Assim que a concorrência respirou alto a direção do canal de Queluz eclipsou, tentou e criou tanto degredo em poucas semanas que só acabaram por conseguir piorar o que logo ficou mal quando se viram a perder. Não estar preparado para sair derrotado é lixado, mas quando se vive na sombra e não se tenta fazer sempre mais, melhor e diferente o risco é um facto. Agora têm de correr atrás dos seus próprios erros e o trajeto não será assim tão fácil.

Neste momento o caminho é somente preparar o novo ano televisivo com pinças bem cuidadas, começando as alterações aos poucos como o que foi feito por Daniel Oliveira e companhia quando pegaram no início do Verão de 2018 numa SIC atrofiada pela direção anterior do canal. Será que em Queluz têm assim tanto medo neste momento de cortar todos os males pela raiz para começar de novo e não cairem ainda mais? É que a RTP anda a trincar os calcanhares em alguns dias e se continuarem assim levam mesmo com a terceira posição do seu lado. 

Afinal Ljubomir é um vendido!

11
Jun19

ljubomir-stanisic.jpg

 

Ljubomir Stanisic tem regresso marcado ao ecrã da TVI para este ano com a terceira temporada de Pesadelo na Cozinha. Caso para se disser que afinal é mesmo um vendido e que as suas palavras não valem muito quando o dinheiro fala mais alto. 

Há uns meses, e como já havia feito após a primeira temporada de grande sucesso do programa, o chef revelou em várias entrevistas que não voltaria a dar a cara pelo formato por estar farto e também porque não é um prostituto para fazer o que os diretores televisivos querem. «Já chega de Pesadelo», revelou Ljubomir pela imprensa. Afinal não é bem assim, novamente!

Poucas semanas após ter referido firmemente que não estaria de volta ao Pesadelo na Cozinha, mesmo com a terceira temporada a ser avaliada e comentada pela imprensa, eis que a TVI anuncia nova formada de episódios do programa que voltará a ser conduzido por Ljubomir Stanisic. Desmentindo à poucas semanas a sua participação numa terceira temporada de Pesadelo na Cozinha, eis que agora o dito é dado como mentira, uma vez que o canal já anunciou que será Ljubomir a dar a cara e o corpo pelo formato. 

Há umas semanas, o cozinheiro participou no episódio de estreia do programa Histórias da Gastronomia Portuguesa, da RTP, e revelou que este formato foi o que «me deu mais gozo fazer na vida porque tem que ver com a realidade de Portugal», sendo de interesse público, ao contrário do Pesadelo na Cozinha, mas agora o seu regresso está marcado ao programa que o celebrou em termos televisivos.

O helicóptero do acidente de Santana Lopes

16
Mai19

santana lopes paulo sande.jpg

 

Santana Lopes e o candidato pelo seu partido Aliança às Europeias, Paulo Sande, sofreram um acidente de carro no sentido norte-sul da A1. Segundo a comunicação social, o antigo primeiro-ministro ficou encarcerado no veículo após o capotamento do veículo mas antes mesmo de ser transportado para o centro hospitalar de Coimbra falou com a sua equipa eleitoral ao telefone. Os dois políticos sofreram vários ferimentos ligeiros mas o INEM, sabe-se lá porque, enviou um dos poucos helicópteros disponíveis no país para transportar de forma mais rápida os dois rostos do partido Aliança. 

Vamos lá situar as coisas, Santana Lopes e Paulo Sande tiveram um acidente. Correto. O carro capotou. Correto. Ambos ficaram com ligeiros ferimentos. Correto. E mesmo assim e por ser o ex primeiro ministro teve direito a ocupar um helicóptero que podia ser necessário para casos realmente graves para ser transportado para o hospital de Coimbra e que fez com que a estrada tivesse de ser totalmente cortada durante algum tempo. 

Alergia de regresso!

13
Abr19

polen.png

Há uns dias vi no noticiário que estavam a caminho vários dias que podiam ser complicados para quem sofre de alergias. No momento pensei que teria de estar atento. Ontem os primeiros sintomas alérgicos regressaram, após umas semanas de pausa.

A concentração de pólenes encontra-se elevada em várias zonas do país e com a sorte que tenho logo me bateu à porta, como um ser sensível que sou, uma nova dose alérgica. Os olhos já parecem pesados, os ouvidos fazem os seus batimentos estranhos e os pingos no nariz iniciaram a sua rota sem paragem, já para não falar na garganta que puxa aquela sensação estranha de tosse irritadiça. 

Os pólenes estão revoltados e alguém tem de levar com as consequências de tais ajuntamentos. Vamos lá atacar e esperar que estes aglomerados desapareçam rapidamente. 

A estreia de Começar do Zero

18
Mar19

começar do zero.png

Já estreou o novo programa da TVI, assumindo-se como uma experiência social, que tem como finalidade desprender os seus participantes de tudo o que possuem. Ao longo de um mês os concorrentes terão regras a seguir e o objetivo é perceber que a maioria das coisas que têm em casa são completamente desnecessárias. 

Sem nada logo de início e podendo recuperar um dos seus objetos a cada dia, o desafio começou com os primeiros grupos, as gémeas de 27 anos, Marta e Mariana, de Lisboa, o casal de Braga, Alice e Júlio, os três amigos do Montijo, David, Rui e Tiago e os amigos à distância de Fátima, Andreia e Renato. A partir daqui e tentando continuar com as suas rotinas diárias, o desafio está lançado e as dúvidas sobre como enfrentar este caminho surgem. Não podem comprar e somente podem ter emprestados bens essenciais mas a sobrevivência sem as suas coisas tem de continuar para que percebam do que realmente precisam nas suas vidas daqui em diante. 

Após as estreias da semana passada da SIC como Quem Quer Namorar com o Agricultor, e da TVI com o Quem Quer Casar com o Meu Filho, este Começar do Zero parece ter conteúdo e um certo interesse para que nós, enquanto espetadores, também possamos refletir no que realmente nos faz falta no dia-a-dia e dos bens que possuímos e que afinal de contas estão a mais nas nossas casas.

Quem Quer Casar ou Namorar com o Lixo?

16
Mar19

quem quer namorar com o agricultor quem quer casar

Estrearam há uns dias duas novas apostas televisivas que de bom nada têm. Se na SIC surgiu Quem Quer Namorar com o Agricultor onde o mulherio tenta conquistar os moços do campo, a TVI resolveu apostar em Quem Quer Casar com o Meu Filho com mães a escolherem as suas futuras noras. A opinião que tenho entre estes dois formatos é que são autênticos lixos televisivos, numa grande demonstração da incapacidade da televisão nacional de se reinventar, dando o que acham que o público quer ver mesmo que seja do pior que pode ser feito. 

Além de serem estes dois novos formatos um autêntico copy paste um do outro, estão num caminho onde o machismo reina. Homens têm de escolher os seus pares ideais, com a ala feminina à disposição em modo bonecas para o que der e vier. Elas desfilam, brincam, discutem e deixam-se levar pelos jogos da produção para conquistar agricultores e filhos da mamã e o público aplaude estas ideias transformadas em produtos de televisão que são anunciados como as grandes apostas dos dois canais. 

Isto não passa de programas bolurentos que são autênticas nódoas televisivas sem conteúdo e que demonstram muito bem o quanto a sociedade afinal ainda vive com o pensamento de que os homens são o centro de qualquer casal hetero, sendo elas a terem de saber cozinhar, limpar, costurar... Poupem-se pessoas que têm defendido estes Agricultores e Meninos da Mamã porque tanto um formato como o outro não passam mesmo de recuos no tempo, fazendo lembrar o que há mais de duas décadas foi feito com o Zé Maria do Big Brother, Mulheres de A a Zé, em que o alentejano de Barrancos tinha de encontrar a sua mulher ideal entre um lote de candidatas que se enfiaram numa casa a viver e a desempenharem determinadas provas para conquistar o moço herói do momento. 

Novos «Morangos» já cheiram a mofo

12
Mar19

april ivy.jpg

Existem coisas que não mudam e que em Portugal vão ficando atrás do que já é feito nos outros países. A TVI anunciou ainda em 2018 o regresso para uma décima temporada da série Morangos com Açúcar e agora, após casting e cursos de representação para encontrar os novos atores da série, eis que o canal revela quem será a protagonista desta nova fornada de episódios. 

April Ivy, de seu nome Mariana Gonçalves, com casting ou convite, foi, aparentemente, a selecionada para protagonizar os novos Morangos com Açúcar. Sendo cantora, sabendo dançar e não sendo, pelo que dizem, uma nódoa como estreante nas lides da representação, a jovem de 19 anos, terá sido assim a eleita para o papel principal por reunir todos os requisitos necessários e por também já ser conhecida de algum público jovem. 

Quanto ao rosto central masculino ainda não estará escolhido, segundo a mesma fonte da produtora, mas terá que ter alguma química com April para que as cenas funcionem logo de início como aconteceu com outros protagonistas, como é o caso de Cláudia Vieira e Pedro Teixeira, Sara Matos e Lourenço Ortigão, que com tanto à-vontade passaram os romances fictícios das suas personagens para a vida real. 

A estreia desta nova temporada está marcada para Setembro, num novo formato e mais moderno, segundo informação da produtora e da direção do canal. Se querem que acredite mesmo na inovação da série? É claro que não, ainda para mais com a escolha de uma protagonista que canta, mostrando que talvez venha aí mais do mesmo, com uma escola de artes como pano de fundo como aconteceu nas últimas temporadas.