Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

universitarios-billboard

Baralhado com os dias

  A verdade é esta, com tanta troca de horários, do podemos sair ou ficar fechados em casa, tenho a confessar que existem dias em que me sinto totalmente trocado com as horas do dia e mesmo se estamos no início da semana ou final. Tenho dado por mim a dar o "bom dia" quando já estamos a meio da tarde ou também a "boa tarde" quando ainda nem são 10h00 da manhã. Existe também o fenómeno de mentalmente acreditar que as Quartas-feiras por vezes são Segundas ou que os Sábados são (...)

Troca por Troca

  Infelizmente estas notícias surpreendem-me cada vez menos! E com isto ainda dizem que Deus existe e que olha por todos! Pois, pois... Continuem a acreditar nessa vossa fé quando milhões continuam a sofrer nas mãos de outros quantos milhões, muitas vezes sem qualquer culpa! Será que estes compradores do iPhone conseguirão agora ser felizes com o (...)

Trocar presentes indesejados

No Natal e no Aniversário existem sempre pessoas que não gostam dos presentes que recebem dos outros e depois optam por usar o talão, que geralmente vem a acompanhar as ofertas, para as poderem trocar. Isso não é um bocado fora? Uma coisa é trocar roupa com tamanhos que não encaixam na pessoa ou artigos que já se tem, outra é ir à loja para trocar o artigo por outro à sua escolha. Há uns dias, e por isso estar a falar deste assunto, vi uma reportagem televisiva onde estava a (...)

Sobra sempre para mim!

Sou solteiro e não tenho filhos... Isso faz com que no trabalho achem que sou mais desocupado que os outros e que quando é preciso trocar de horário eu sou sempre a primeira opção das pessoas para o peditório acontecer? Não me importo de trocar quando não tenho nada combinado para as horas em questão, mas quando vejo que existem duas opções e sou sempre a linha da frente por acharem que sou mais livre que os outros é um pouco demais não? Primeiro acham que não preciso de (...)

Prendas de Natal para trocar

O Natal já passou e agora é tempo de me fazer à estrada e ir trocar os presentes repetidos que me vieram parar à mão. Eu disse presentes? Pois, mas o que queria dizer era O Presente! Este ano, e para não variar, recebi algo que já tenho e agora vou ter que pegar no talão de troca e fazer-me à loja para o trocar. Falo do livro A Mão do Diabo de José Rodrigues dos Santos que me ofereceram neste Natal, depois de já o ter lido em Novembro, quando me foi oferecido por outras pessoas (...)