Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Irmãs | Daisy Johnson

Euforia Editora

irmãs capa.jpg

Título: Irmãs

Título Original: Sisters

Autor: Daisy Johnson

Editora: Euforia

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2024

Páginas: 184

ISBN: 978-989-35291-3-3

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Nascidas com apenas dez meses de diferença, July e September não precisam de mais ninguém a não ser uma da outra. Depois de um grave incidente na escola, as adolescentes mudam-se com a mãe para uma casa de família perto da costa, há muito abandonada. Na sua nova e isolada vida, as irmãs parecem testar todos os limites da sua relação, numa série de encontros chocantes que vão pôr à prova a sua experiência partilhada e forçar revelações sobre o passado, o presente e o futuro das jovens.

Irmãs é uma história assombrosa sobre duas raparigas apanhadas numa poderosa teia emocional, que lutam para perceber onde acaba uma e começa a outra, num relato tenso, poderoso e profundamente comovente do amor fraterno e do que acontece quando duas irmãs têm de enfrentar os impulsos mais sombrios uma da outra.

 

Opinião: July e September são irmãs que nasceram com dez meses de diferença e que após sofrerem um grave problema são levadas pela mãe para outro local, tendo de recomeçar tudo de novo perante uma forte componente emocional retratada numa balança entre o perceber e saber onde termina o espaço de uma e começa o da outra. Esta é uma história contada em três partes, relatadas pelas suas três protagonistas, as irmãs e a própria mãe, numa mistura entre o presente e o passado de forma a baralhar o leitor sobre o poder que cada uma tem perante a outra. Se por um lado existe uma September, a irmã mais velha, como a autoritária que orienta o rumo da irmã e da própria mãe, por outro ponto encontramos uma July subserviente. A dado momento o leitor é notoriamente baralhado e fica sem saber quem é quem, se ambas existem e  fiquei com a perceção da dúvida sobre se estava a conseguir entender o que estava a ser contado ou se afinal tinha as ideias todas baralhadas sobre este relacionamento entre irmãs tão vincado que leva mesmo a pontos de alucinação. Esta é uma história sobre a sanidade mental em que o leitor coloca muito em causa sobre o que está perante os seus olhos sem ficar indiferente ao julgamento que vai fazendo sobre comportamentos obsessivos demonstrados ao longo do que vai sendo relatado. Se me senti baralhado com a narrativa de Irmãs? Bastante mesmo e tenho a confessar que ainda tenho dúvidas sobre como o final chegou e se chegou da forma como o entendi ou se tudo não passou de uma ilusão bem vincada. Uma leitura rápida, desconcertante e que me deixou tão baralhado que deveria voltar a ler do início para tentar apanhar alguma ponta solta que me tenha escapado.

 

O Recluso | Freida McFadden

Alma dos Livros

o recluso capa.jpg

Título: O Recluso

Título Original: The Inmate

Autor: Freida McFadden

Editora: Alma dos Livros

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2024

Páginas: 320

ISBN: 978-989-570-196-4

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Há três regras capitais que Brooke deve seguir quando é contratada como técnica de enfermagem de um estabelecimento prisional masculino de segurança máxima: 1.ª Tratar todos os prisioneiros com respeito. 2.ª Não partilhar quaisquer informações pessoais. 3.ª Nunca desenvolver intimidade com nenhum dos reclusos.

O que ninguém na prisão sabe é que Brooke já quebrou as regras. Um dos reclusos mais perigosos é um ex-namorado seu: Shane Nelson, a estrela de futebol americano do tempo da escola e o autor de uma série de assassínios horríveis. Ele foi condenado a passar a vida atrás das grades. Ela foi quem testemunhou para que isso acontecesse. Shane sabe disso. E nunca se irá esquecer. 

 

Opinião: Brooke é contratada para ser uma das enfermeiras responsáveis de um estabelecimento prisional quando regressa para a sua cidade natal, onde cresceu e de onde saiu quando levou consigo um segredo bem guardado, um filho a ser gerado, Josh. Ao regressar às suas origens e de forma um pouco propositada, começa a mexer com o seu passado ao saber que um dos reclusos é o seu ex-namorado, Shane, que ajudou a colocar na prisão, isto ao mesmo tempo que se deixa conquistar por um dos seus antigos melhores amigos, Tim, que pode saber mais do que o esperado sobre o que levou a toda a reviravolta nas suas vidas. 

Quem Está Aí? | Teresa Driscoll

Editorial Presença

Título: Quem Está Aí?

Título Original: I Will Make You Pay

Autor: Teresa Driscoll

Editora: Editorial Presença

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2024

Páginas: 336

ISBN: 978-972-23-737-0

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Todas as quartas-feiras, Alice recebe uma chamada. Todas as quartas-feiras, as ameaças adensam-se. E aquela voz distorcida torna-se o seu maior pesadelo.

É apenas mais uma quarta-feira na redação… até o telefone começar a tocar. A jornalista Alice Henderson atende uma chamada, e o que ouve, do outro lado da linha, é uma voz distorcida a fazer uma ameaça aterradora. Alice desliga e pensa que aquilo não passou de uma brincadeira de mau gosto, mas… na quarta-feira seguinte, volta a receber uma chamada, e desta vez é claro que a ameaça é destinada a si.

Alguém quer fazê-la sofrer, mas porquê? Quem está do outro lado? Os artigos de Alice no jornal local tornaram-na uma figura popular e reconhecida… Será o seu passado, e não o seu trabalho, que a está a pôr em risco? Alice não quer ceder ao medo que começa a tomar conta dela, mas quando a investigação da polícia não apresenta resultados, o namorado da jornalista insiste em contratar Matthew Hill, um investigador privado.

A cada quarta-feira, as ameaças adensam-se, e agora não é apenas Alice a visada, mas também a sua família. Enquanto a perseguição se torna cada vez mais feroz, e antes que as terríveis ameaças se tornem realidade, conseguirá Alice descobrir por que razão tudo isto lhe está a acontecer?

 

Opinião: Hoje é Quarta-feira e se recebesses uma chamada anónima com ameaças perante o teu futuro? Alice recebeu esta dita estranha chamada e mesmo que tivesse ficado com a pulga atrás da orelha, seguiu a sua vida, até que na Quarta-feira seguinte uma nova chamada de atenção lhe é feita com dados que a podem colocar em perigo. A partir daqui a jornalista começa a viver numa autêntica espiral de mistério onde o medo e a curiosidade se aliam uma vez que não sente que tenha feito algo para estar a ser colocada à prova, relembrando os seus últimos anos e também colocando o seu trabalho de investigação para o jornal local para que trabalha em causa por poder ter publicado algum artigo que não foi aceite por quem está por detrás do anonimato das ameaças.

O leitor é convidado a mexer no passado desta mulher, percebendo que a própria Alice não é quem mostra ser de início, tudo ao mesmo tempo que se vai acompanhando o passado da pessoa que está envolvida neste mistério, sem se conseguir perceber quem é "ele", existindo sempre a velha questão das suspeitas que o leitor vai tendo sobre quem possa ser, mistério só revelado mesmo perto do fim e que a autora consegue, sem necessitar de recorrer a muitas personagens ao longo da narrativa, surpreender por poder ser qualquer um dos mencionados ao longo da história de vida de Alice. Um passado com várias nuances, um presente de omissões e lutas, esta é a luta de uma mulher que de um dia para o outro se vê num ajuste de contas por algo que não pensava ser possível.

Os Crimes do Verão de 1985 | Miguel D'Alte

Suma de Letras

os crimes do verão de 1985.jpg

Título: Os Crimes do Verão de 1985

Autor: Miguel D'Alte

Editora: Suma de Letras

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Outubro de 2023

Páginas: 384

ISBN: 978-989-787-069-9

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Uma ilha fustigada por uma tempestade durante a noite. Três desaparecidos. Um culpado. Onde estão os corpos?

Verão. 27 de agosto de 1985. Numa noite de tempestade, duas crianças e a sua cuidadora, Beatriz - uma adolescente de dezasseis anos -, desaparecem da casa de férias dos Mariz, uma família abastada de Lisboa, ligada à banca, na pequena Ilha do Poço Negro.

Quando os pais regressam depois de jantar, encontram a casa vazia e sinais de luta e sangue. Em pânico, e com a ajuda de Ademar Lear - um jovem jornalista que passava na rua a caminho de casa -, contactam as autoridades. A ilha está isolada devido à tempestade, as buscas decorrem toda à noite, sem sucesso. De manhã, após a tempestade passar, uma dupla de inspetores da Polícia Judiciária chega à ilha para investigar. A população acorda em choque e acolhe as forças da autoridade com desconfiança; jornalistas invadem a ilha: o caso torna-se mediático.

Dias depois, o violento namorado de Beatriz é preso. Todas as provas apontam para ele, mas são circunstanciais. É então que confessa os crimes e é condenado.

Até que, em 2012, um documentarista estrangeiro chega à ilha com novas provas sobre o caso e entra em contato com Ademar Leal - jornalista caído em desgraça, atormentado pela investigação que o tornou famoso -, entretanto regressado à ilha.

O que se passou no Verão de 1985?

 

Opinião: Numa noite de Verão em 1985, uma jovem e duas crianças que estavam ao seu encargo desaparecem de forma misteriosa na pequena Ilha do Poço Negro. A família abastada Matiz passava os seus períodos de férias fora de Lisboa e partia para descanso neste paraíso nacional, recorrendo quando era necessário a Beatriz Lessa para tomar conta dos seus filhos sempre que se tinham de ausentar por algumas horas da sua casa de férias para eventos com a população local. No entanto numa noite de tempestade, quando o casal regressa a casa nem sinal da babysitter e dos seus filhos.

A partir daqui o leitor é convidado a conhecer os dias que antecederam estes desaparecimentos, o pós perante a investigação decorrida e o período de 2012, onde o conhecido jornalista Ademar Leal, que acompanhou o caso na altura, é convidado a recuperar este tema por um documentarista internacional, também ele misterioso, e juntos pretendem descobrir, com a ajuda do responsável da GNR, o chefe Pratas, o que na altura dos acontecimentos parece ter ficado mal esclarecido e resolvido pela investigação a cargo de José Gonçalves.

A Trama | Jean Hanff Korelitz

Editorial Presença

A Trama.jpg

Título: A Trama

Título Original: The Plot

Autor: Jean Hanff Korelitz

Editora: Editorial Presença

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Junho de 2022

Páginas: 344

ISBN: 978-972-23-6934-3

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Jacob Finch Bonner era um promissor romancista com um primeiro livro acima da média. Hoje, é professor de Escrita Criativa e tenta manter a sua já pequena autoestima viva. Não publica nem escreve há anos.

Quando Evan Parker, o seu aluno mais arrogante, anuncia aos quatro ventos que não precisa da ajuda do professor para nada, porque a trama do livro que está a escrever é extraordinária, Jake olha para ele como mais um aluno narcisista, presunçoso e com ego enorme, mas depois… ouve Evan contar a história do livro.

Jake fica ainda mais deprimido e antecipa a estreia meteórica de Evan, no entanto, a publicação do livro não acontece. Jake acaba por descobrir que Evan morreu e, supõe-se, não terminou de o escrever. Que fazer? O que qualquer autor faria com uma história assim tão boa: tem de a contar.

Passam alguns anos, e Jake é agora o autor do livro. Tem a fama, tem o proveito e a sua carreira está no pico. Até ao dia em que recebe um e-mail: «És um ladrão.» Enquanto Jake tenta perceber quem está por detrás da primeira de muitas mensagens ameaçadoras e procura esconder a verdade dos leitores e da imprensa, o antigo professor descobre mais sobre Evan - e isso espanta-o e assusta-o brutalmente. Quem é - ou quem foi - Evan? Quem escreveu realmente aquele livro?

 

Opinião: Jacob Finch Bonner é atualmente professor de escrita criativa, após ter lançado um grande sucesso literário há uns anos que não conseguiu suplantar, estando com incapacidade para criar um novo enredo envolvente para voltar a surpreender os seus leitores. Ao mesmo tempo que as ideias de Jacob se mostram congeladas, na sua turma enquanto professor encontra Evan Parker, um aluno com forte acreditação num romance que criou, tendo o jovem todas as certezas de que a sua ideia irá ser um autêntico sucesso de vendas. Cético numa primeira fase perante esta certeza do jovem, Jacob ignora as ideias de Evan, desacreditando o seu enredo. A partir daqui, o que irá acontecer quando o escritor e professor sem ideias para um novo romance descobre que o promissor aluno está desaparecido? A surpresa é uma constante em A Trama, o livro dentro do livro que me conquistou. 

Criando um enredo dentro de um outro enredo é um dos pontos fortes desta narrativa de Jean Hanff Korelitz, onde ambas as histórias unidas conseguem cativar o leitor que é convidado a recolher informações para perceber até onde ambas as histórias se conseguem cruzar. Aqui é possível encontrar um livro dentro do livro, seguindo os contratempos que os seus criadores têm, acabando ao mesmo tempo esta narrativa completa por ter um toque de paródia critica para com o mundo dos escritores e toda a industria editorial, onde autores, tradutores, editores e até leitores acabam por ter o seu destaque nesta forma de contar a história picando o estado atual da literatura. 

Desaparecida | Rachel Hawkins

Bertrand Editora

desaparecida.jpg

Título: Desaparecida

Título Original:The Wife Upstairs

Autor: RachelHawkinss

Editora: Bertrand Editora

Edição:1ªª Edição

Lançamento: Junho de 2022

Páginas: 320

ISBN: 978-972-25-4223-4

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Jane, recém-chegada a Birmingham, Alabama, é uma dogsitter sem dinheiro em Thornfield Estates - um condomínio fechado repleto de mansões, SUV reluzentes e donas de casa entediadas. O tipo de lugar onde ninguém vai reparar se Jane roubar, entre outras coisas, as joias descartadas nas mesinhas de cabeceira dos seus clientes abastados. Onde ninguém vai pensar em perguntar se Jane é o seu nome verdadeiro... Mas a sua sorte muda quando conhece Eddie Rochester. Recém-viúvo, Eddie é o residente mais misterioso de Thornfield Estates. A sua mulher, Bea, afogou-se num acidente de barco com a melhor amiga, e os seus corpos ficaram perdidos para sempre nas profundezas. Jane não pode deixar de ver uma oportunidade em Eddie - ele não só é rico, sério e bonito, como também lhe pode oferecer o tipo de proteção que ela sempre desejou. No entanto, enquanto Jane e Eddie se apaixonam, ela é progressivamente ensombrada pela lenda de Bea, mulher perfeita. Como pode a simples Jane alguma vez estar à altura? E conquistará o coração de Eddie antes que o seu passado - ou o dele - a venha assombrar?

Com um suspense delicioso, uma graça particular e uma refrescante sensibilidade feminina, Desaparecida vira o tabuleiro na trama habitual do romance proibido e da atração imprudente - e de uma mulher que se recusa a permanecer enterrada.

 

Opinião: Desaparecida poderia ser considerado mais um romance cheio de suspense onde a maldade dos seres humanos convive com a boa imagem que tentam passar para os outros. No entanto esta criação de Rachel Hawkins tem muita emoção desenvolvida de forma inteligente para agarrar o leitor a partir do momento em que conhece Jane, a jovem que passeia cães num bairro rico de Birmingham, em Alabama.

Sem dinheiro, a viver com um conhecido a que nem consegue chamar de amigo, Jane sobrevive e procura desde cedo dar a volta à sua extenuante vida, querendo dar-lhe um novo fôlego ao mesmo tempo que esconde um passado sombrio, sem família, cheio de receios e mentiras com um certo mistério, que o leitor fica por descobrir longamente, a assombrarem a perspetiva de seguir em frente. Roubando alguns acessórios de moda aos seus patrões ricos que lhe confiam os seus animais de estimação e as suas próprias casas, Jane entra e sai de grandes mansões quando se cruza com Eddie, um viúvo bem aparente e que ostenta uma boa vida. A partir daqui as ideias surgem na mente desta jovem, começando a ser traçado o plano para que o seu rumo de vida seja alterado, visualizando desde cedo o que poderá ter daí em diante, com dinheiro, riqueza, joias e sem passar as necessidades presentes, tudo ao mesmo tempo que tenta esquecer quem foi no passado.

Verdade ou Consequência | M. J. Arlidge

Topseller

verdade ou consequência.jpg

Título: Verdade ou Consequência

Título Original: Truth or Dare

Autor: M. J. Arlidge

Editora: Topseller

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2022

Páginas: 416

ISBN: 978-989-564-946-4

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: A cidade de Southampton vê-se a braços com uma onda de crimes violentos sem precedentes. Fogo posto num ferro-velho. Um assalto a um carro que termina em tragédia. Um homicídio num dos parques da cidade. A polícia tenta alcançar respostas a todo o custo, mas, sem pistas, parece ser impossível descobrir o que liga todos estes casos.

Para a inspetora Helen Grace, no entanto, os problemas estão apenas a começar: dentro da própria esquadra, os obstáculos acumulam-se, deitando por terra qualquer avanço nas investigações, ao mesmo tempo que a pressão sobre si não para de aumentar — e quando as peças do puzzle se começam a encaixar, revelando uma hábil e perversa teia de crimes, a inspetora Grace vê-se obrigada a enfrentar algo que talvez seja impossível de travar…

 

Opinião: A inspetora Helen Grace é chamada ao centro da ação perante vários crimes ocorridos em simultâneo em Southampton e cujos primeiros indícios nada mostram qualquer ligação entre as várias mortes e roubos cometidos. Um incêndio com autor, assassinato e roubo de carro dão o mote para tudo começar e com a sua equipa Helen entra em funções sem prever que para além das complicações que terá no terreno também dentro do seu próprio núcleo encontra entraves de maior. 

Numa história de tensão, intriga e malícia com Joseph Hudson, que se envolveu num passado recente com Helen e que agora a quer ver fora do seu posto de controlo na investigação para o próprio o assumir, em Verdade ou Consequência todos os envolvidos no enredo do lado da procura pela verdade têm um lado da balança e os dados que vão sendo encontrados nem sempre conseguem ser partilhados a bem de um desenrolar rápido na investigação. Num drama interno com momentos distorcidos, os cuidados com todos os indícios tendem a ser maiores e Helen segue o seu lema pessoal de se defender a si própria e seguir em frente, numa fase quase em modo solitária, a percorrer escombros e quadros de crime naquela que considera a sua luta diária perante os crimes que são cometidos em sociedade. 

 

A Maldição | Lourenço Seruya

Cultura Editora

a maldição.jpg

Título: A Maldição

Autor: Lourenço Seruya

Editora: Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 384

ISBN: 978-989-9096-23-3

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: A mais recente investigação do inspetor Bruno Saraiva leva-o até ao Teatro da Passagem, em Lisboa.

A Pedra do Pecado foi representada apenas duas vezes em Portugal, uma em 1977 e outra em 1982. Foram encenadas por companhias diferentes, mas houve um acontecimento comum: em ambas as estreias morreu a atriz principal. Apesar de essas mortes terem sido consideradas de causas naturais, surgiu a crença de que a peça estaria amaldiçoada…

Durante muito tempo nenhum encenador ousou voltar a pegar nesse texto. Até que, quarenta anos depois, o Teatro da Passagem decide levá-la à cena novamente…

O dia da estreia chega finalmente e o ambiente é de tensão e nervosismo. Será que A Pedra do Pecado está mesmo amaldiçoada? Será que naquela estreia vai voltar a haver uma morte?

O público acorreu em massa ao Teatro da Passagem, enchendo a sala como há muito não acontecia. Nos bastidores, os atores já estão prontos a entrar em palco. O pano sobe e o espetáculo começa… Mas um deles não vai chegar vivo ao final.

 

Opinião: A Mão Que Mata abriu o conhecimento enquanto leitor da obra de Lourenço Seruya que nos presentou com o surgimento do inspetor Bruno Saraiva como protagonista da narrativa. Agora surge A Maldição, com Bruno de novo no centro da ação numa história que para além de servir de continuação do bom trabalho realizado com a primeira obra consegue ainda mostrar a excelente evolução do seu autor no sentido de criar um enredo ainda mais dinâmico e envolvente com uma maior capacidade de atração junto do leitor que fica viciado desde o início para desvendar a eterna questão... «Quem matou...»?

Numa história centrada nos preparativos para a estreia de uma peça que das duas vezes que foi encenada acabou por ter um final triste, com a morte da sua protagonista, a aposta volta a ser feita e os receios entre a produção acontecem ao mesmo tempo que outros não acreditam em sequências lógicas. Os ensaios de A Pedra do Pecado acontecem no Teatro da Passagem com todo o elenco em preparativos, as divergências entre atores, encenadora e equipa técnica são passados para o leitor e na noite da grande estreia eis que o inevitável acontece e a maldição da morte na primeira sessão do espetáculo surge. Suicídio, homicídio entre colegas ou alguém fora de cena a querer fazer das suas? E é aqui que surge a equipa de Bruno Saraiva para que a investigação seja feita na procura da verdade, tudo isto ao mesmo tempo que todos os possíveis envolvidos mantém as suas aparências e tentam seguir com a estreia adiada em diante o mais rapidamente possível.

O Passageiro Misterioso | Louise Candlish

Clube do Autor

o passageiro misterioso capa.jpg

Título: O Passageiro Misterioso

Título Original: The Other Passenger

Autor: Louise Candlish

Editora: Clube do Autor

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2022

Páginas: 356

ISBN: 978-989-724-608-1

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Numa manhã gelada de Dezembro, um homem apanha o barco que o leva todos os dias para o trabalho. O amigo e vizinho Kit não apareceu, mas Jamie não está muito preocupado. No entanto, ao desembarcar, é surpreendido por dois agentes de polícia que o querem interrogar sobre a última vez em que os dois estiveram juntos. Kit está desaparecido desde então.  

Ao ser interrogado, Jamie percebe que alguém o acusou de discutir com Kit na última noite em que este foi visto. E o outro passageiro acredita que Jamie cometeu um crime. Incrédulo, Jamie recorda como conheceu Kit e a sua mulher, Melia, e de que forma as suas vidas ficaram irremediavelmente ligadas.

 

Opinião: Na primeira experiência literária com a escrita de Louise Candlish, através de O Passageiro Misterioso, encontrei um romance com bons toques de suspense através de uma leitura rápida e ágil que me conseguiu cativar desde o início com a convicção de que o final me iria surpreender e não seria o que parecia estar destinado, no entanto e embora me tenha sentido em comunhão com a leitura, o final acabou por ser um pouco sem sal e deixado por parte da autora um pouco ao abandono. Numa história onde o poder do dinheiro tem todo o destaque, o modo como todos podemos ser vitimas de artimanhas perante quem arrisca tudo para se sair bem em termos monetários é um facto, sendo esta narrativa um pouco como um alerta que nem sempre se pode confiar em quem parece chegar por bem do desconhecido. 

Inicialmente conhecemos o casal Clare e Jaime. Ela uma mulher de sucesso no setor imobiliário e que herdou uma bela casa familiar onde vivem. Ele já passou por um bom emprego, mas no momento em que chega junto do leitor é um empregado de café que precisa do apoio da companheira para permanecer numa situação económica estável, o que não lhe dá qualquer satisfação. Nas viagens de barco entre casa e o trabalho Jaime conhece várias pessoas, entre elas Kit, Steve e Gretchen, com quem se habitua a parar num pub local antes de regressar ao final do dia a casa. Curiosamente também Clare conhece e trabalha com Melia, noiva de Kit, tornando-se estes dois casais, de diferentes idades e em fases da vida também dispersas, amigos. No entanto logo de início o leitor percebe que existe um certo mal estar perante a boa vida que Clare e Jaime mantém e as fracas economias, com dívidas pelo meio, de Melia e Kit. A partir daqui o mote fica lançado e o que parece uma amizade improvável acaba por se desenrolar num novelo de mentiras, traições e uso mútuo para se atingirem determinados fins. 

A Noiva Judia | Nuno Nepomuceno

Cultura Editora

a noiva judia capa.jpg

Título: A Noiva Judia

Autor: Nuno Nepomuceno

Editora: Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2022

Páginas: 392

ISBN: 978-989-9039-09-7

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: O corpo de um homem espancado até à morte é encontrado numa praia deserta. O cadáver pertence a um escritor, presente na cidade para assistir à antestreia da adaptação cinematográfica do seu livro mais famoso.

Na mesma noite, um jovem confessa o homicídio, mas é nesse momento que uma questão se coloca: por que motivo as provas recolhidas apontam para que esteja inocente? O mistério adensa-se quando a noiva da vítima, uma colecionadora de arte com os seus próprios planos, decide vir a público. Ela tem algo a dizer, mas poderá estar implicada?

Depois do sucesso de O Cardeal, Nuno Nepomuceno regressa e apresenta finalmente o muito aguardado desfecho da série Afonso Catalão. Entre Cambridge, Amesterdão e Veneza, inspirado pela morte do cineasta italiano Pier Paolo Pasolini, construído segundo os cinco elementos de um filme, A Noiva Judia é um thriller psicológico inteligente, sedutor e ousado, de leitura voraz, que só conseguirá pousar quando chegar à última página.

 

Opinião: A Noiva Judia assinala o final da série Afonso Catalão que Nuno Nepomuceno criou e levou a bom porto ao longo de seis entusiasmantes e bem interligados livros. Tudo começou com A Célula Adormecida, continuando através de Pecados SantosA Última CeiaA Morte do Papa e O Cardeal. Mas foi com A Noiva Judia, o sexto livro da série, que tudo terminou e mesmo com as expetativas altas, por me ter tornado um fã dos livros do Nuno, consegui ser surpreendido pelo brilhantismo com que fui presenteado com um final onde quase todos os personagens que sobreviveram no tempo regressaram e foram lembrados.

Através de capítulos curtos, bem elaborados e enriquecedores perante tudo o que já havia sido contado, em A Noiva Judia o destaque vai mesmo para o destaque do que ficou para trás através de uma nova história que começa e termina mas ajuda a recuperar a memória de outros casos que Afonso Catalão ajudou a resolver nos últimos anos. Neste último volume da série aqueles pontos de interrogação com determinadas personagens que foram aparecendo acabam por ficar arrumados com bons esclarecimentos para que se consiga ter a perceção da razão de vários acontecimentos que afinal tinham o seu significado por trás. Nesta última oportunidade, pelo menos para já, de conviver com Afonso Catalão é notória a capacidade de síntese por parte do autor para que esta obra possa ser lida de forma isolada sem se perder o fio condutor da trama, ajudando ao mesmo tempo os leitores assíduos a contextualizar pequenos pontos chave de outrora que podiam ter escapado com o tempo e que agora regressam com novo contexto de forma a ficarem esclarecidos e arrumados.