Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

17
Set20

É reality, é Teresa!

Teresa Guilherme - Imagem da revista Vip

Imagem VIP

 

Podem dizer o que quiserem sobre os apresentadores que a TVI tem escolhido para apresentar os mais recentes reality shows, mas o que é certo é que Teresa Guilherme é a rainha e após uma estreia tão bem auspiciosa com a apresentadora como peixe na água e logo a colocar os pontos nos is com a entrada dos concorrentes, eis que no primeiro final de tarde em que entrou em direto para serem feitas as primeiras nomeações, a ordem voltou a ser colocada para que os jovens moradores da casa da Ericeira não se estiquem como aconteceu na última edição do formato.

Concorrentes a falarem no momento das nomeações e ao mesmo tempo que a Teresa a ouvirem uma expressão do estilo, «quando uma burra velha fala, a nova fica calada» a colocar desde logo uma das concorrentes a pedir desculpa por estar a falar ao mesmo tempo que a apresentadora. Não pedindo justificações perante as nomeações e tudo feito de forma rápida, Teresa sem falhas com os nomes dos concorrentes, dando sempre uma dica por meias palavras conforme falava de forma rápida com cada um, brilhando e mostrando que sabe bem o que faz, sem enganos e com todos os tempos tão bem cronometrados que não é necessário tirar espaço a uns para deixar outros brilharem. 

14
Set20

A Revolução do Big Brother já começou

bb revolução.jpg

 

A Revolução do Big Brother assinala o regresso de Teresa Guilherme ao pequeno ecrã e o início da estreia desta nova temporada do reality show logo deu para perceber que o amor e os velhos trocadilhos, embora ainda com algum entrave, estão de volta à base central com que irá girar bastante esta temporada. Teresa regressou como a grande profissional que é, sem nervos e dentro do estilo a que já nos habituou. De branco desceu a escadaria já conhecida do estúdio, a meio da noite ficou descalça e a noite foi toda sua, sem hesitações e falhas, como tão bem preparada que sempre se apresenta. 

Os concorrentes começaram a desfilar para entrarem na casa e de início surgiu a dupla Andreia, de 40 anos, do Seixal e que logo mostrou forte pulso para liderar, mandar e irritar os restantes, e o Bruno, de 27, de Espinho. Ambos entraram no jardim da casa, mas foram recambiados para uma das novidades desta edição do Big Brother, o espaço dos infiltrados, onde os concorrentes seleccionados não entram como concorrentes mas sim como futuros concorrentes que terão missões e darão missões aos que estão em jogo para lhes tentarem roupar o lugar, sem que sejam descobertos. Logo depois surgiu a primeira concorrente a ficar na casa, a meio desorientada Carina, que com 21 anos e vinda de Gondomar, trabalha numa roloute e sonha ser atriz. Quantos concorrentes de reality show entraram com este sonho e praticamente todos ficaram pelo caminho? Até já lhes perdi a conta, mas agora surge uma nova sonhadora daquelas que ficará esquecida rapidamente após a sua estadia na casa da Ericeira. Logo apareceu a Sofia, de 38 anos, luso-brasileira sem sotaque, assistente de bordo que vive em Lisboa. Aparentemente sem nada de novo a acrescentar, mas tudo começou agora, como tal ainda é bem cedo para tirar conclusões. A par da Sofia entrou o Renato Ribeiro, de Penafiel (espero que não seja um novo cromo como o Pedro Alves), super convencido de 22 anos e com o seu ego bem lá em cima. De seguida surgiram Sandra e Jéssica, mãe e filha, de 23 e 44 anos, respetivamente, de Cascais. Em conjunto tiveram de escolher qual entrava, ficando a filha em jogo, sendo Sandra transferida para o espaço dos infiltrados, sem que a filha percebesse. Lá surgiu a Catarina, outra assistente de bordo, que se diz apaixonar-se bem facilmente mas também recuar num ápice. Primeira impressão que tive com esta concorrente foi mais a que de poderia facilmente entrar no Love On Top à uns anos atrás. Mais um que quer ser conhecido com o sonho da música, o André Abrantes, de 31 anos, que saiu da Ericeira para entrar na casa do Big Brother que está na Ericeira. Deste não tive grande opinião. Diretamente do Porto Alto surgiu o mulherendo, como se intitula, Michel, que também quer ser ator e modelo. Será que Endemol e TVI andaram a ver os castings da produtora Plural para as novelas ou dos candidatos a um reality show? E que dizer da tresloucada Joana, que vem de Cascais, e se afirma como beta destravada sem filtro e que também quer uma certa ajuda para lançar a sua marca de moda? Afirma que nunca se apaixonou com 20 anos e parece vir com um papel mal entendido de boazinha e todos os valores das tias da linha, só que dentro da casa está uma das suas paixões dos últimos tempos, o Michel, que se afirma como um conquistador... Coitaaaaaaada! Diana, que mais parece a nova campónia mas viajada da casa, casada sem filhos e amante de animais, parece ser uma sonhadora cheia de receios e ideias um pouco estranhas. Se for controladora e super arrumada, bem me parece que possa ser uma nova Noélia, com alguma disturção, desta temporada, mas com várias semanas com as nomeações às costas. Rui Pedro, de Oliveira do Hospital, vizinho da famosa Fanny, com grande mania de modelo, afirma-se competitivo, divertido e nada preguiçoso, mas não sabe cozinhar e limpar. Um alvo a abater certamente pelos outros se não quiser fazer nada na casa. Uma outra Jéssica, de Sintra, que não é hospedeira mas trabalhava no aeroporto, ou seja, esta edição está cheia de aviões com aquele perfil de cópia, futilidade, cópia e futilidade. André Filipe, do Barreiro, com 25 anos, que se assume como um espirito livre com ideias meio alucinadas no vídeo de apresentação, com namorada que ficou no exterior e que mostra ser um cromo com ideias do além daqueles que não existirá dose de paciência que o aguente. Este André pertence ao grupo dos infiltrados não concorrentes mas entrará na casa como sendo o agente que irá estar entre os chamados de agentes e os que estão em jogo. Zena e Rúben chegaram juntos à porta da casa, mas ficaram em espera que o grupo de infiltrados tomasse a primeira decisão do jogo, qual dos dois entrava na casa e o que ficava no jardim por uns tempos. A Zena entrou e o Rúben ficou ao relento, como se diz na gíria. Carlos, mais um que sonha com o mundo da música e se acha divertido mas na verdade a primeira impressão é a de mais um convencido a entrar, só mais um, de músculos feitos, daqueles que devem adorar desfilar de tronco nu ao longo do dia. Será que com tanto sonhador a ator e músico ainda surgirá um musical entre este lote de concorrentes? E o professor Luís lá aparece como o último a ser apresentado, revelando ser uma pessoa divertida, de pronúncia engraçada, com namorada e que até parece uma sujeito normal dentro do lote apresentado de concorrentes.

Com algumas entradas feitas e intervalo feito a meio das entradas, eis que numa cena tão mal encenada pela produção que logo se percebeu o que ia acontecer, Carina, Sofia, Renato Ribeiro, Jéssica, Catarina e André Abrantes, tiveram de sair da casa com alerta e ficaram presos no exterior da moradia e a conversa da Teresa logo demonstrou que estes seis concorrentes iriam passar os próximos dias ou semanas a viver no jardim, debaixo de uma tenda e com recurso a poucos acessórios de sobrevivência. Enquanto este circo foi montado no exterior, Joana e Michel ficaram trancados no confessionário para colocarem a conversa em dia sobre o conhecimento que já mantém antes de entrarem no jogo. As entradas sucederam e Diana e a segunda Jessica entraram diretamente para a casa, já Rui Pedro ficou no grupo dos outros, os que ficam a viver temporariamente no jardim. As restantes entradas foram acontecendo e a distribuição a ser feita.

18
Jun20

Convites duplos | Monólogos da Vagina

Domingo | 21 de Junho | 18h30

monologos tac1_ctt425x285.jpg

 

O sucesso Monólogos da Vagina regressou ao palco do Teatro Armando Cortez, após a paragem forçada dos últimos meses. Com sessões regulares de Quinta-feira a Domingo, como era habitual, o espetáculo produzido pela Yellow Star Company retomou o seu lugar na sala lisboeta e convida de novo o público a ver ou rever este espetáculo onde são seguidos todos os procedimentos exigidos pela DGS para que a segurança de todos seja colocada em primeiro lugar neste regresso às salas de teatro. 

Com Carla Andrino, Teresa Guilherme e Vera Kolodzig nos comandos destes Monólogos, e com um texto onde a abordagem dos mais variados temas é feita sem complexos, como é o caso do sexo, menstruação, prostituição, amor, orgasmo, violação, mutilação, imagem corporal e tudo o que puderem imaginar em torno do tema Vagina e também com os inúmeros significados e nomes comuns que são dados a esta parte física do corpo feminino, os Monólogos da Vagina estão de volta e só quem viu poderá aconselhar e reforçar o que vos digo. Este espetáculo vale bastante a pena, não sendo destinado somente a mulheres!

Com sessões de Quinta-feira a Sábado, pelas 21h30, e Domingos pelas 18h30, os Monólogos da Vagina convidam mulheres e homens, solteiros, casados, divorciados e viúvos para que durante hora e meia se divirtam em boa companhia com um elenco de rostos bem conhecidos que conseguem interpretar as mais variadas personagens sem qualquer receio e com todas as medidas de distanciamento e segurança necessárias para a época de pandemia que tentamos ultrapassar.

Para que todos possam ter a oportunidade de assistir a este espetáculo no Teatro Armando Cortez, tenho convites duplos para a sessão de Domingo, 21 de Junho, pelas 18h30. Este passatempo irá estar disponível até às 12h00 do dia 20 de Junho, Sábado, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

14
Jun20

Convites duplos | Monólogos da Vagina

19 de Junho | Sexta-feira | 21h30

monologos tac1_ctt425x285.jpg

 

O sucesso Monólogos da Vagina está de regresso aos palcos, após a paragem forçada dos últimos meses. Com sessões regulares de Quinta-feira a Domingo, como era habitual, o espetáculo produzido pela Yellow Star Company retomou o seu lugar no Teatro Armando Cortez e convida de novo o público a visitar a sala onde são seguidos todos os procedimentos exigidos pela DGS para que a segurança de todos seja colocada em primeiro lugar neste regresso às salas de teatro. 

Com Carla Andrino, Teresa Guilherme e Verá Kolodzig nos comandos destes Monólogos, e com um texto onde a abordagem dos mais variados temas é feita sem complexos, como é o caso do sexo, menstruação, prostituição, amor, orgasmo, violação, mutilação, imagem corporal e tudo o que puderem imaginar em torno do tema Vagina e também com os inúmeros significados e nomes comuns que são dados a esta parte física do corpo feminino, os Monólogos da Vagina estão de volta e só quem viu poderá aconselhar e reforçar o que vos digo. Este espetáculo vale bastante a pena, não sendo destinado somente a mulheres!

Com sessões de Quinta-feira a Sábado, pelas 21h30, e Domingos pelas 18h30, os Monólogos da Vagina convidam mulheres e homens, solteiros, casados, divorciados e viúvos para que durante hora e meia se divirtam em boa companhia com um elenco de rostos bem conhecidos que conseguem interpretar as mais variadas personagens sem qualquer receio e com todas as medidas de distanciamento e segurança necessárias para a época de pandemia que tentamos ultrapassar.

Como os custos se mantém e as salas recebem menos público para seguir todas as regras exigidas e essenciais, também o teatro se teve de reinventar como tantas outras áreas. Assim para quem não puder estar fisicamente presente na sala e quiser ver esta divertida e útil produção, poderá por 5€ visitar a plataforma Volto e assistir às Sextas-feiras à emissão em direto destes Monólogos da Vagina que voltaram para ficar e prometem ser uma boa companhia no Teatro Armando Cortez ou no conforto de qualquer casa de Norte a Sul do país. Teatro em direto, na sala ou em casa, agora é possível, mostrando que não existe pandemia que nos faça desistir.

Para que todos possam ter a oportunidade de assistir a este espetáculo no Teatro Armando Cortez, tenho convites duplos para a sessão de Sexta-feira, 19 de Junho, pelas 21h30. Este passatempo irá estar disponível até às 15h00 do dia 18 de Junho, Quinta-feira, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

09
Jun20

Convites duplos | Monólogos da Vagina

11 de Junho, Quinta-feira, pelas 21h30

monologos tac1_ctt425x285.jpg

O sucesso Monólogos da Vagina está de regresso aos palcos, após a paragem forçada dos últimos meses. Com sessões regulares de Quinta-feira a Domingo, como era habitual, o espetáculo produzido pela Yellow Star Company retomou o seu lugar no Teatro Armando Cortez e convida de novo o público a visitar a sala onde são seguidos todos os procedimentos exigidos pela DGS para que a segurança de todos seja colocada em primeiro lugar neste regresso às salas de teatro. 

Com Carla Andrino, Teresa Guilherme e Verá Kolodzig nos comandos destes Monólogos, e com um texto onde a abordagem dos mais variados temas é feita sem complexos, como é o caso do sexo, menstruação, prostituição, amor, orgasmo, violação, mutilação, imagem corporal e tudo o que puderem imaginar em torno do tema Vagina e também com os inúmeros significados e nomes comuns que são dados a esta parte física do corpo feminino, os Monólogos da Vagina estão de volta e só quem viu poderá aconselhar e reforçar o que vos digo. Este espetáculo vale bastante a pena, não sendo destinado somente a mulheres!

Com sessões de Quinta-feira a Sábado, pelas 21h30, e Domingos pelas 18h30, os Monólogos da Vagina convidam mulheres e homens, solteiros, casados, divorciados e viúvos para que durante hora e meia se divirtam em boa companhia com um elenco de rostos bem conhecidos que conseguem interpretar as mais variadas personagens sem qualquer receio e com todas as medidas de distanciamento e segurança necessárias para a época de pandemia que tentamos ultrapassar.

Como os custos se mantém e as salas recebem menos público para seguir todas as regras exigidas e essenciais, também o teatro se teve de reinventar como tantas outras áreas. Assim para quem não puder estar fisicamente presente na sala e quiser ver esta divertida e útil produção, poderá por 5€ visitar a plataforma Volto e assistir às Sextas-feiras à emissão em direto destes Monólogos da Vagina que voltaram para ficar e prometem ser uma boa companhia no Teatro Armando Cortez ou no conforto de qualquer casa de Norte a Sul do país. Teatro em direto, na sala ou em casa, agora é possível, mostrando que não existe pandemia que nos faça desistir.

Para que todos possam ter a oportunidade de assistir a este espetáculo no Teatro Armando Cortez, tenho convites duplos para a sessão de Quinta-feira, 11 de Junho, pelas 21h30. Este passatempo irá estar disponível até às 19h00 do dia 10 de Junho, Quarta-feira, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.