Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

25-livros-em-ingles-filosofia-historia
13
Jan18

Ser escuteiro... Não compreendo!

| O Informador

escuteiro.jpg

A questão de ver miúdos escuteiros por ai ao frio e a percorrerem quilómetros de estrada ao escuro, com lanternas na cabeça e sem estarem acompanhados por adultos é daqueles temas que nunca vou compreender e com o qual me debato sobre quem me vier dizer que os seus filhos andam nos escuteiros e que os pais ficam descansados quando as suas crias ficam noites fora de casa ou dias onde não sabem o seu paradeiro e o que andam a fazer. Desculpem-me a sinceridade, mas estas provas de aptidão para mim não colam e não as consigo aceitar!

Há dias voltei a cruzar-me com quatro miúdos, com idades entre os dez e os treze, não mais que isso, quando já era noite cerrada. Os quatro de coletes florescentes colocados, três deles com lanterna na cabeça e cada qual com o seu «cajado» de guerra. Pelo menos quatro quilómetros aqueles pré adolescentes iam fazer para chegarem a nova pista junto de uma pessoa mais velha e que no lugar de estar sentada em espera que grupo a grupo fosse chegando deveria sim andar a acompanhar no sentido de ser responsável pelos elementos mais novos que colocam a andar por ai, vagueando com um sentido que só os mentores percebem e que nunca vou entender. Conheço jovens que se iniciaram nos escuteiros em criança e que hoje são lideres de grupo e adoram, defendendo estas atividades, as noites frias passadas fora de casa, em tendas partilhadas e onde por vezes cada qual tem de se desenrascar com a sua própria alimentação e comodidades ao longo de estadias de horas em que assentam arraiais após caminhadas de longa distância para voltarem a acordar e ter um novo caminho pela frente. Os miúdos gostam, ok, mas será que não deviam existir cuidados redobrados com estes jovens grupos que circulam em estradas sem iluminação e onde os acidentes acontecem, para mais quando a circulação não é feita em fila pela berma da estrada, mas sim ao lado uns dos outros. Sei que as regras ditam todas as leis de proteção na estrada, mas essas mesmas regras não são cumpridas quando se é mais novo e se pensa em brincar e aproveitar o momento de caminhada para colocar a conversa com os amigos em dia. 

23
Fev13

Miúdos escuteiros abandonados

| O Informador

Em pequeno passei pela fase em que queria ir para o grupo de escuteiros, mas depois essa ideia passou-me e ainda bem. Há uns dias vi um grupo de escuteiros com idades que deveriam andar entre os 9 e os 11 anos a andarem sozinhos numa estrada muito frequentada. O mal não está tanto por ai, mas sim porque além de irem carregados, estava a chover, era de noite e existia pouca visibilidade para que quem por ali passava de automóvel os visse. Onde andavam os coletes refletores daquelas crianças? Não andavam! Onde andavam os adultos responsáveis pelos mesmos? Ali na zona também não estavam!

Ou seja, os miúdos andavam à procura do sítio onde iam pernoitar, porque as tendas andavam às suas costas, mas eles faziam este exercício de orientação de noite e num local perigoso, para mais com o mau tempo que estava.

Será que não tem que existir um pouco de cuidado com quem organiza estas coisas? Os responsáveis não têm consciência que estamos em 2013 e que o perigo está em qualquer lado, não sendo como há uns anos atrás? Eu fiquei pasmo quando vi aqueles seres a andarem por ali com cara de desorientados e em busca do seu rumo àquelas horas.

A culpa não é deles, mas sim de quem os organiza. Depois perguntou-me também, e os pais, será que sabem que enquanto estão descansados em casa os seus filhos andam a passar ao lado do perigo sem o visionamento de um adulto?

No escutismo é a lei da sobrevivência, mas também não se podem esquecer que não é o vale tudo que ali está a acontecer!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Mensagens

Mais comentados

Pesquisar

Posts destacados