Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Plano Nacional Leitura -billboard

La Casa de Papel 4 ainda se recomenda...

Publicado por O Informador, 05.04.20

la-casa-de-papel-4-001.jpg

 

A quarta temporada de La Casa de Papel volta a não dar tréguas, embora o receio de que tudo falhe continue a existir a cada renovação que é feita. 

Continuando o rumo que a série tomou no terceiro conjunto de episódios, nesta nova temporada começamos com o professor em fuga e ao mesmo tempo a reorganizar um plano após Lisboa ter sido apanhada. Com a restante equipa no interior da Reserva Nacional do Banco de Espanha, onde tudo parece controlado numa primeira fase mesmo com a ausência à distância do professor, a primeira fase destes novos episódios gira muito em torno do que se passa na tenda exterior das forças de segurança para se perceber se Lisboa consegue esconder os segredos do gangue ou a pressão acaba por a derrotar. Primeiramente esta temporada parece ser feita simplesmente para dar continuidade sem existirem grandes alterações, eis que a meio tudo muda. Os conflitos no interior do edifício acontecem como sempre, um novo vilão surge de forma inesperada entre os reféns e o caos fica instalado definitivamente. Com todos os planos virados do avesso, a série ganha novo alento e fica demonstrado que esta continuação do sucesso tem sido válida e recomenda-se.

A confiança dentro e fora do grupo é colocada em causa, na tenda a guarda e inspetores deitam tudo a perder com fugas de informação, os novos aliados exteriores do professor surgem de novos pontos, numa situação criada de forma muito rebuscada, mas aceitável, e o recurso aos flashbacks tem de acontecer de forma inevitável para explicar as alterações da história como combinações e ligações do passado, ficando sempre com a ideia de que esses factos são forçados pela necessidade da entrada de novas personagens por alguma porta, que nesta série só consegue ser explicada como se tudo já tivesse preparado há uns anos. 

De resto e seguindo a boa capacidade dos argumentistas de criarem sem defraudar as expetativas, da produção em manter a qualidade e com um elenco que não falha, tenho a destacar a capacidade de criarem novas personagens que se destacam pela positiva desde logo, dando força a que a história se desenrole e que o público se deixe levar por outras vedetas e deixe a preferência de quem vai ficando para trás a favor da necessidade de renovação. 

No Meu Bairro | T3

Netflix

Publicado por O Informador, 30.03.20

no meu bairro.jpg

 

No Meu Bairro foi das séries juvenis que me conseguiu convencer logo na primeira temporada pelo seu lado critico e real de um grupo de jovens que vive num bairro problemático dos Estados Unidos, fugindo ao que é apresentado geralmente quando este tipo de produtos chegam ao público.

Embora tenha ficado um pouco reticente com o que se seguiria por existir alguma falta de investimento no campo da produção pelos primeiros episódios, a segunda fornada superou as expectativas pela capacidade de mudança e por existir claramente um melhoramento em, termos de investimento a nível de argumento e imagem. Renovando o sucesso, eis que surgiu em 2020 a terceira temporada e o que tem vindo a ganhar qualidade ainda conseguiu melhorar, alterando também, em certo ponto, o rumo das personagens. 

Continuando a debater as relações de jovens adolescentes entre si e em família num bairro onde o crime, o sistema da droga e os perigos são constantes, No Meu Bairro defronta o sonho e a criação de jovens com muito para ser vivido com os problemas de um local que não os deixa celebrar a juventude de forma livre e como merecem.  

Com jovens atores com talento e sem seguirem os estereótipos dos atores/modelos com corpos e rostos dentro dos ideais estéticos da beleza, o que ajuda esta série a funcionar melhor por não mostrar a suposta perfeição mas sim pessoas normais, embora com histórias que não são assim tão previsíveis e reais, este produto de entretenimento marca a diferença também por esse ponto.

Ana com A | Temporada 3

Anne With An "E"

Publicado por O Informador, 29.01.20

ana com a.jpg

 

Se existe série que gostei de seguir e que infelizmente, por decisões que não correspondem aos gostos do público, termina na terceira temporada, é Ana com A, com o título original Anne With An "E".

Estreou na plataforma Netflix em 2017 com uma temporada de sete episódios. Em 2018 foi renovada com mais dez capítulos e no início de 2020 viu os derradeiros dez episódios disponíveis. Três temporadas em crescendo, tanto em qualidade de produção como a nível de história, a narrativa que conta a vida da jovem Anne prendeu, mesmo que de início tenha sentido vontade de deixar de ver a série pela irritação que esta personagem me causou por ser muito mexida, metida com tudo e sem papas na língua, o que quando surge em demasia cansa, tal como na vida real. De cabeços ruivos, sardas e muito atrapalhada, Anne é a jovem órfã que ganha uma nova família que a obriga a alterar hábitos e manias. Cheia de sonhos e boa vontade para seguir em frente sem deixar os que ama para trás, dando sempre a volta aos contratempos que vão surgindo, esta jovem acaba por ser a união de quem a rodeia.  

Nesta terceira temporada não existem exceções e tudo se adensa. A rebelde e teimosa Anne sem perder o protagonismo, tem nesta derradeira temporada novos confrontos e decisões a serem tomadas, existindo espaço também para que outras personagens tenham ganho um maior destaque por verem as suas histórias com um maior desenvolvimento. Os primeiros amores, as etnias, o racismo, a perda e as conquistas, as mudanças sociais, a aceitação e os avanços para novos mundos e em grande destaque, o poder e a importância que a mulher ganhou na época. Nesta terceira temporada de Ana com A os facilitismos não acontecem e todos têm a ganhar quando existe uma alma tão pura e sensata como a de uma miúda que procura o seu passado para conseguir finalmente ser feliz com o que tem. 

Educação Sexual por Quim Barreiros

Netflix

Publicado por O Informador, 23.01.20

 

Quim Barreiros é a surpresa do dia no que toca a notícias boas e divertidas, para lá das corrupções de Isabel dos Santos e dos vírus chineses.

O cantor e a Netflix Portugal lançaram um vídeo publicitário a divulgar a chegada da segunda temporada da série SexEducation à plataforma. Numa bem pensada estratégia de marketing, que colocou as redes sociais a partilharem o vídeo que já se tornou viral em poucas horas, o Quim Barreiro apresenta o seu novo tema aos alunos do colégio Moordale Secondary numa conjugação entre imagens da série e a atuação do cantor. Num tema ao bom estilo do Quim, o sexo é a arma forte da letra onde não falta a banana e o bacalhau.

Se me dissessem para criar uma campanha publicitária para a série jamais pensaria em colocar um dos artistas mais conhecidos do nosso país, com temas picantes e visto como pimba, a chamar de certa forma o público, que não é o seu (ou o Quim conquista todos?) para o regresso da série. 

Para os fãs de Friends

Publicado por O Informador, 29.08.19

friends.jpg

 

Faço aqui um comunicado aos fãs da mítica série Friends!

Nunca vi a série, nem espreitei qualquer episódio, no entanto e porque a sua crítica é boa e porque também são várias as pessoas que me questionam sobre se já vi esta célebre série que se estreou em 1994 e teve o seu último episódio em 2004, eis que fica aqui prometido de que em 2020 irei ver Friends do início ao fim, porque aqui não existe o sistema de saltar temporadas.

La Casa de Papel | Parte 3

Publicado por O Informador, 23.07.19

la casa de papel 3.jpg

 

A aguardada terceira parte da série La Casa de Papel ficou disponível e bastaram 48 horas para ver os oito novos episódios. Podia ter visto de forma mais rápida, mas existe vida para além de todo o universo Netflix, felizmente!

Após o grande sucesso das duas primeiras partes da série espanhola, o grupo está de volta com novos membros e um objetivo comum, resgatar Rio de um erro cometido a par com Tóquio. Com a continuação da história e pegando no que foi feito para baralhar e dar de novo, tenho a confessar que tive algum receio desta continuação após o que correu tão bem. No entanto e mesmo não conseguindo suplantar a surpresa das duas primeiras temporadas, esta terceira parte chega com a mesma intensidade para agarrar o público devido às transformações e aos novos esquemas formados para assaltar desta vez a Reserva Nacional do Banco de Espanha. Com os assaltantes a verem do seu lado o povo que continua em luta contra as opções do estado e a polícia do outro lado da barricada, as novas personagens entram na trama para ajudarem a desenvolver e moldar a mesma história, num local semelhante e onde os acontecimentos parecem ter os mesmos condimentos. A entrada no edifício com o objetivo de negociar a recuperação de Rio para a liberdade, a procura de ouro, os acidentes e imprevistos de percurso, os planeamentos bem conseguidos e que resultam, os ataques por parte dos opositores para baterem o grupo de frente em vão. Tudo parece mais do mesmo mas servido de forma diferente, tocando ao mesmo tempo em temas como a amizade, homossexualidade, família e obesidade, por exemplo, e com estratégias que acabam por revelar o trabalho da equipa criativa para continuar a partilhar o sucesso com o público que aplaudiu os primeiros episódios desta série.

Entre membros do grupo com novas funções, inspetores com particularidades únicas, personagens que estiveram no passado mas que não apareceram nas anteriores temporadas e que revelam um pouco sobre a personalidade e o que foi feito por outros até aqui, a terceira parte de A Casa de Papel conta ainda com a presença de personagens já desaparecidas, como é o caso do grande destaque dado a Berlim que surge através dos sucessivos flashbacks que vão sendo feitos para permitirem todas as explicações. 

La Casa de Papel 3 | Calma, que existe vida!

Publicado por O Informador, 21.07.19

la casa de papel 3.jpg

Boom! Boom! Boom! Já estreou a terceira parte da série maravilha da Netflix que o ano passado conseguiu conquistar e colocar meio mundo a falar do grande assalto à fábrica da moeda espanhola. Os novos episódios de La Casa de Papel estão lançados mas é bom relembrar que além de gostar de ver séries tenho uma vida que não me permite, a bem também do discernimento mental, ver todos os novos episódios de uma só vez. 

Primeiro trabalho, segundo tenho de me alimentar, gosto de sair, adoro ler, opto por me deixar estar e tenho mais que fazer do que passar um dia inteiro de olhos colocados no ecrã para assistir a mais de oito horas de uma série de que gosto, mas calma aí. Qual a razão de andarem a ver tudo a correr para dizerem que foram os primeiros a terminar de ver a nova temporada? Tenham vida, vejam com calma cada episódio, não andem para a frente aqueles minutos que vos parecem que não vão dar nada de novo e que pouco importam para a continuação da história. 

Estou a ver a terceira parte de A Casa de Papel, a gostar, mas com tempo e medida porque existe vida para além do mundo Netflix e existem outros conteúdos interessantes que contínuo a acompanhar para além do produto espanhol que ao contrário do que pensei, até me está a surpreender pela positiva.