Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

wook-natal-billboard

Garnel sem rumo na TVI

25
Nov19

felipa garnel.jpg

 

Felipa Garnel chegou há uns meses à TVI para se tornar diretora do canal, após a saída de Bruno Santos, que esteve à frente da estação durante anos, enquanto tudo parecia um mar de rosas. Felipa chegou, pareceu querer fazer renascer o canal, só que mais de seis meses depois, o que resultou é ainda pior do que o mal que já andava a ser feito. O caminho é mesmo o da saída e pelas piores razões!

Ao longo da programação diária nada foi feito para se tentar recuperar horários outrora líderes. Não digo que fosse exigido voltar a uma liderança folgada, mas pelo menos colmatar um pouco os maus valores que vinham a ser feitos seria fundamental ao longo do Verão. Nada foi feito, bem pelo contrário. Horários que ainda podiam competir pela liderança, perderam o seu rumo e tudo continuou na mesma. Os formatos seguiram a linha de sempre, não se tentando inovar com novos conteúdos e formas de fazer diferente. Será que custaria assim tanto mexer em pontos da grelha do canal para reinventar fórmulas antigas que correram bem e apostar ao mesmo tempo na novidade e diferença? 

O que dizer de um serviço noticioso matinal que não é líder mas que tinha resultados razoáveis? Agora e no lugar de tentar aliar a informação ao entretenimento no Diário da Manhã, como nos velhos tempos em que esse modelo funcionava, optam por esticar ainda mais o horário das notícias da manhã. Então? Não seria melhor ter mais momentos de entretenimento num info-entretenimento para que o derrotado Você na Tv! pudesse começar com melhores valores perante a queda que teve com a saída de Cristina Ferreira para a SIC? E o que dizer do próprio programa de Goucha e Maria? O formato continua como se nada tivesse acontecido. Seria necessário apostar, reforçar orçamentos, mostrar grandiosidade em detrimento de entrevistas pelos sofás habituais, sem grande foco nos convidados e num modo de fazer tudo corrido e sempre com o mesmo modelo. A Maria tem capacidade de fazer diferente, já o Goucha nem por isso, agora não se entende a razão para não a deixam fazer as manhãs à sua maneira como fazia nos tempos do Porto Canal onde era livre e levava o público a gostar do seu jeito de estar em televisão.

Passando para as tardes, se uma novela repetida contra a mesma fórmula na concorrência já é mau, agora estão duas repetições no horário, Belmonte e Doce Tentação. Então? E que tal um formato diferente, em modo talk-show, para serem uma alternativa ao que é feito do outro lado. Não seria mais interessante do que dar mais do mesmo e ainda em dose dupla e emissões reduzidas? Ainda nas tardes e embora veja algumas alterações nos conteúdos do A Tarde é Sua de Fátima Lopes, as mesmas não chegam. É necessário, tal como de manhã, reforçar, apostar na diferença, existir maior interatividade e volto a frisar, fazer diferente, aproximando o público do programa e não andar consecutivamente com doenças e mais doenças como tema de destaque. Ao final do dia e antes do jantar, apostaram, as audiências de Ver P'ra Crer não são as melhores, mas pelo menos é uma diferença e das poucas coisas positivas que foram feitas em vários meses. Não chega e seria necessário fazer um formato com outro tipo de produção, mas como parece que tudo é feito para continuarem a perder, optaram por um cenário mixúruco, pequenas plateias e pelo menos um bom trio entre apresentador e apoiantes dos concorrentes.

Judite Sousa deixa TVI num bom momento

07
Nov19

judite sousa.jpg

 

Após algumas semanas longe dos ecrãs, a gozar um período de férias, Judite Sousa anunciou através das redes sociais a sua saída da TVI. 

Foi através de uma partilha pelo Instagram, que a diretora-adjunta da TVI e TVI24 comunicou que estava de saída do canal onde estava desde 2011, após uma longa carreira pela RTP. 

Depois de uma longa e serena ponderação, decidi terminar a minha relação profissional com a TVI. Foram oito anos que me permitiram, em total liberdade, vivenciar a paixão pelo jornalismo com sentido de dever e responsabilidade ao serviço de uma empresa privada. Este é o momento para expressar gratidão a todos os meus companheiros de trabalho das diferentes áreas da empresa. Os últimos anos foram particularmente difíceis, mas em palavras ou na reserva do silêncio, entendi sinais de conforto. Quero expressar o meu agradecimento ao José Alberto Carvalho que me desafiou para esta viagem, com amizade, em 2011. Quero igualmente agradecer ao Sérgio Figueiredo as oportunidades profissionais que me proporcionou nestes últimos quatro anos e que me ajudaram a ultrapassar momentos mais difíceis da minha existência. Finalmente, uma palavra aos espectadores da TVI cujo carinho e apoio nunca me faltaram.

Mostrando-se tranquila numa decisão que foi sua e perante a qual a empresa entrou em mútuo-acordo, Judite revelou entretanto à imprensa que esta «era uma decisão que vinha a ponderar desde o início do ano» e que agora foi tomada. Revelando que tem vários projetos a que se quer dedicar pelos próximos tempos, a jornalista pensa agora em descansar para depois agarrar o futuro que será bem mais calmo e longe dos grandes estúdios televisivos. 

Alguma imprensa revela que esta decisão de Judite esteja também a acompanhar a cada vez mais próxima entrada da Cofina na compra da Media Capital, indo de encontro às notícias de que vários rostos seriam afastados. Na verdade não vejo isso como uma possibilidade por parte da empresa, mas sim da jornalista que após vários anos a dar a cara pela informação, assumindo cargos de direção e entrando em cena como repórter em grandes acontecimentos nacionais e internacionais, se vê cansada e sem vontade de entrar num novo ciclo onde além de uma nova empresa será também tempo de recuperar a liderança perdida no início de 2019, tanto no entretenimento como na informação.

Falar sobre televisão

06
Nov19

televisão rtp sic tvi.webp

 

Anos e anos passaram desde que comecei a frequentar fóruns de televisão, tendo, para quem não sabe, pertencido numa fase de adolescência e de jovem adulto a um projeto online sobre o mundo do pequeno ecrã onde num só site noticiávamos, comentávamos e discutíamos tudo o que envolvia os novos produtos televisivos, as apostas, os rostos e o que podia ser feito. E se voltasse a ser comentador de bancada sobre o mundo mágico do pequeno ecrã?

A televisão era discutida num site e fórum próprios e senti que muito cresci a ver televisão e a pensar sobre o mundo que nos continua a fazer companhia, embora cada vez menos dentro do conceito de outrora. Hoje ainda me dizem porque não aproveito o blog para continuar a opinar sobre o que está mal, o que acontece e poderia acontecer nos sucessivos canais nacionais. O mundo do entretenimento muito tem mudado nos últimos anos, a concorrência voltou a existir e dá gosto ver as mexidas, alterações e preparações que andam a ser feitas pelos diversos grupos que geram os principais canais televisivos. 

Se percebo não tenho dúvidas, se gosto também não tenho dúvidas, e que tal voltar a falar de televisão por aqui como o fiz, pegando nas raízes da escrita online onde comecei a ter em publicações sobre este género de entretenimento que tantas horas me roubou, com gosto, durante anos? Dizem que prevejo o que está para acontecer e que por vezes tenho ideias que poderiam vir a correr bem e que as guardo e depois as coisas acabam por se concretizar como em conversa comentei. Porque não comentar e partilhar por aqui todos esses pensamentos sobre o presente e futuro do pequeno ecrã, as estreias, os suponhamos e as movimentações?

Amor Ocasional | T2 | Netflix

30
Out19

amor ocasional.jpg

 

Amor Ocasional estreou no final de 2018 na plataforma Netflix e logo vi os oito episódios da primeira temporada. Menos de um ano depois ficou disponível a segunda temporada com seis episódios e também já a vi.

Sem conseguir prender como a primeira fase, a continuação desta comédia romântica francesa segue a linha do que foi feito anteriormente, no entanto fiquei com a ideia que o fio condutor ficou um pouco desviado e acabou por ter um desfecho inicial do que vinha a acontecer para que tudo se resolvesse até ao final e terminar tudo praticamente da mesma forma como começou. Ou seja, o que vi neste segundo compacto de episódios foi como uma volta completa a um círculo que termina justamente onde começou, não existindo grandes desenvolvimentos, o que me deixou desiludido por ter gostado bastante da estreia, que vi de forma rápida, não arrastando por mais de uma semana como agora aconteceu. 

Amor Ocasional conta a história de Elsa, que tem sempre do seu lado as suas amigas Charlotte e Emilie, que se intrometem demais nas relações amorosas umas das outras e nesta fase da história seria necessário mais, virar toda a história para lhe dar continuação e não enrolar ao longo de seis episódios para que tudo ficasse na mesma, cada uma com o seu caminho já destinado previamente e sem aquele toque de interesse para uma possível continuação, já que nada acontece de interessante desta vez. 

Globos de Ouro da mudança

30
Set19

globos de ouro.jpg

 

A 24ª edição dos Globos de Ouro aconteceu e as melhorias surgiram, embora esperasse um maior nível de entretenimento que infelizmente não aconteceu, seguindo as linhas, em versão melhorada, do que tem sido feito! Cristina Ferreira passou a ser a anfitriã de serviço e outra coisa não seria de esperar porque é Cristina neste momento o grande rosto do entretenimento da SIC e quem melhor que uma das mulheres mais influentes para estar na condução deste espetáculo? Para mais Cristina brilhou, nem sempre bem vestida, mas com o seu estilo próprio de fazer televisão e dizer o que sente e pensa. Os nomeados além de mais diversificados foram entregues ao talento e não aos rostos que estavam ligados a projetos do canal como tendia a acontecer nos anos anteriores.

No entanto, o que acho que deva destacar acima de tudo, e também não seguindo a onda das vestimentas, premiados, discursos e vencidos, foi a presença dos principais diretores dos principais canais televisivos, tal como dos respetivos diretores de informação. Os canais, após diversos anos de costas voltadas na entrega dos Globos de Ouro mostraram desta vez que o caminho está a ser feito de forma diferente e nesta altura de mudanças as melhorias e cordialidades parecem estar no sentido certo.

Em 2019 as audiências mudaram, o líder de anos deixou de o ser, a concorrência apertou, o modo de fazer televisão diversificou e neste momento é tempo de fazer mais, melhor e diferente. As atuais direções estão a mostrar que se pode fazer diferente a partir de agora, partilhando momentos e apresentando produtos com qualidade e não formatos feitos de forma barata só porque o público os aceita. Neste momento a televisão em Portugal está a tornar-se de certa forma mais exigente e todas as mudanças dos últimos meses, também com as diversas plataformas a que todos temos acesso atualmente, a mostrarem que se pode diversificar tanto com pouco, a abrirem portas que estavam fechadas no passado, abertas no presente para mostrarem um futuro que pode ser promissor se quem está à frente dos diversos projetos não voltar a se deixar ficar na sombra dos resultados sem mostrar capacidade de inovar e surpreender. 

A 24ª edição dos Globos de Ouro provou em 2019 que a televisão está a mudar, que pensar num projeto já não é certeza de sucesso e por isso é necessário preparar, assumir que a qualidade é fundamental e este ano a gala das galas voltou a ser o que é era com todo o mérito, sendo um pilar certo de que o que está a ser feito e preparado para os próximos tempos só pode significar mais e melhor do que o que tem sido produzido na televisão portuguesa pelos diversos canais pelos últimos anos.

Bárbara Tinoco - Antes Dela Dizer Que Sim

Música do Dia

19
Set19

 

Ouvi há uns meses mas foi mais recentemente que me chamaram a atenção sobre este tema da Bárbara Tinoco, a jovem que com 19 anos está a conquistar o país com a sua voz através de Antes Dela Dizer Que Sim.

Bárbara não passou nas provas cegas do programa da RTP, The Voice, mas não foi por isso que desistiu do seu sonho e continuou a tentar, até que lançou o seu primeiro tema que em pouco tempo foi somando centenas, milhares e contabiliza agora já mais de dois milhões de visualizações, passando também na Rádio Comercial há alguns meses.

As melhores novidades online para os amantes da música, filmes, jogos e livros

03
Set19

 

 

Na atualidade são muitas as pessoas que gostam de se divertir sem sair de casa quando não estão a trabalhar. São vários os fatores que influenciam tais como o calor, os deslocamentos, os preços das coisas cada vez maiores... É por isto que cada vez mais pessoas tomaram esta decisão. E não somente estão os fatores negativos, mas também outros positivos que promovem esta forma de se divertir. Refiro-me às novas tecnologias, que tem sido o fator mais influenciador porque hoje em dia praticamente toda a gente tem um smartphone, um tablet ou um computador com acesso à internet, facilitando que isto seja possível.

 

Quais são os melhores passatempos online

Os aficionados de séries e filmes já podem ver quase qualquer género destas nos portais de vídeo em streaming como os conhecidos Netflix ou HBO, entre outros, que já são uma realidade para ver na televisão ou com a app para Android ou IOS. E não só se trata das últimas estreias e novidades, também é possível voltar a ver séries ou filmes de anos atrás e relembrar épocas passadas. Para isto, é preciso criar uma conta no seus portais e pagar uma taxa fixa por mês, tendo possibilidades de personalizar com os gostos de cada membro da família, sejam adultos ou crianças.

Outra revolução que surgiu no ano 2005 na cidade de San Francisco, é o conhecido portal youtube, o site para partilhar vídeos, que atualmente conta com milhões de visitantes ao redor do mundo por minuto. Ver o vídeo do seu cantor favorito, um tutorial para aprender bricolagem, uma língua ou maquilhagem, são uma pequena parte do que pode encontrar nele. Atualmente pertence à gigante Google.