Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

25
Jan20

Sincera.mente, com Jorge Mourato

Teatro Villaret

sincera.mente.jpg

 

O nome de Jorge Mourato está desde sempre associado à comédia e muito ao stand up. Em 2020 os palcos nacionais voltam a receber o ator com o espetáculo da sua autoria Sincera.mente que pode ser visto todas as Quartas-feiras, no Teatro Villaret, em Lisboa, pelas 21h30.

Contando e recriando várias peripécias da sua vida pessoal, Jorge Mourato enfrenta o público a solo na sala de espetáculos onde revela situações e peripécias que foi presenciado e vivido ao longo dos tempos. De forma divertida, sem apoio, completamente sozinho de microfone na mão e uma simples cadeira em palco para não ser praticamente utilizada, os seus pontos de vista atuais sobre o seu passado surgem como divertidas histórias do que na altura se tornaram acontecimentos que permanecem na sua memória. 

Dos primeiros anos de vida, ao tempo escolar e na entrada da faculdade, os amores com as drogas, as saídas com algum o sexo, o corpo, os animais, as sogras, a televisão e a fama que muito altera, os bairros lisboetas com a sua vizinhança, a paternidade e os temas de casal, os filhos e o mundo que os envolve, e essencialmente o Jorge são os temas centrais deste divertido espetáculo onde a sinceridade parte para o patamar dos aplausos que podem levar o público mais suscetível a fazer «Oh, sincera.mente, ele está mesmo a contar esta história?».

Num espetáculo de hora e meia, sem pausas e com imprevistos, Mourato, e não Malato como alguns habitantes do seu bairro pensam, abrilhanta, ri de si próprio e incorpora personagens reais da sua vida para que tudo se torne mais real. 

Quem não gosta de passar o serão a sorrir com um espetáculo de stand up que todas as semanas poderá ser diferente, consoante o público, e também variando pela disposição do seu anfitrião que mesmo com guião poderá seguir um caminho paralelo?

14
Nov19

Alma Nuestra no Teatro Villaret | 25/26.11.2019

Convites duplos

Alma Nuestra.jpg

 

Conheces os Alma Nuestra? Não? Então deixa-me apresentar este projeto! Com a voz de Salvador Sobral, que se juntou a Victor Zamora no piano, onde mais tarde se juntaram André Sousa Machado, na bateria, e Nelson Cascais, no contrabaixo, eis a composição do quarteto que forma os Alma Nuestro. Formado em 2016, este grupo de amigos revisita os grandes clássicos da música cubana e sul-americana com uma sonoridade jazzística.

Três anos juntos e agora, em 2019, chega o primeiro registo discográfico da banda que conta com nove temas dos compositores Benny Moré, Jose Antonio Méndez, Ignacio Villa, Frank Domínguez, César Portillo de la Luz, María Grever, Rafael Hernández Marín e Juan Carlos Lobían. O disco já se encontra disponível para compra física e online em todo o território nacional, sendo que o lançamento internacional está previsto para o primeiro quadrimestre de 2020, pela Warner Espanha.

Para a apresentação do álbum estão marcados dois concertos em Lisboa e um no Porto e com o apoio da Força de Produção, tenho convites duplos para oferecer destinados às sessões de 25 e 26 de Novembro, pelas 21h30, no Teatro Villaret, em Lisboa. Este passatempo irá estar disponível até às 18h00 de dia 23 de Novembro, Sábado, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

02
Jul19

Convites Duplos | GOD | 12/13.07.2019

god.jpg

 

GOD, o espetáculo de sucesso protagonizado por Joaquim Monchique volta a Lisboa para uma nova temporada de Verão no Teatro Villaret. Com sessões marcadas a partir de dia 12 de Julho às Sextas-feiras e Sábados pelas 21h30, e aos Domingos, pelas 18h00, GOD promete voltar a encher a sala de espetáculos até 20 de Setembro. 

A comédia divinal está assim de volta aos palcos, dando ao público nova oportunidade para assistir a este extraordinário espetáculo onde o humor é levado a um bom nível que já conquistou mais de cinquenta mil espetadores em Portugal desde 2016 através das várias temporadas que já foram levadas a cena. 

Deus regressa assim à Terra através de Joaquim Monchique a quem se juntam os anjos Miguel e Gabriel, interpretados por Diogo Mesquita e Rui Andrade, numa tentativa de alterarem o rumo da humanidade para tornarem a vida terrena mais aprazível.

Para assinalar o arranque da temporada de Verão no Teatro Villaret com GOD, tenho convites duplos para sortear para as sessões de dia 12 e 13 de Julho, Sexta-feira e Sábado, respetivamente, pelas 21h30. Se preferires assistir à sessão de dia 14, Domingo, pelas 18h00, também podes tentar a sorte via Instagram. Este passatempo irá estar disponível até às 10h00 de dia 11 de Julho, Quinta-feira, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

04
Abr18

Ñaque | Força de Produção

ñaque.jpg

Força de Produção convidou os veteranos atores José Pedro Gomes e José Raposo para, numa experiência que ambos já haviam mostrado vontade há algum tempo, se encontrarem em palco. Em cena no Teatro Villaret, Ñaque, mostra a vivência de uma companhia teatral itinerante do século XVII que com dois atores vai percorrendo o país, refletindo sobre o dia-a-dia dos homens que dão vida a várias personagens e que vão acabando por revelar ao longo da interpretação o seu percurso de vida profissional que se acaba por confundir com o campo pessoal.

Da autoria de José Sanchis Sinisterra e estreado em 1980, Ñaque chegou a Portugal em 2018, mostrando ser um texto intemporal. Além de mostrar dois atores que lutam pelo seu ganha pão através de uma acreditação sobre a sua função de se apresentarem perante um público que os espera no teatro, estes homens acabam por viver os altos e baixos que qualquer artista enfrenta na sua viagem de vida. Os objetivos e vontades que acabam por não conseguirem chegar a bom termo, a mudança para dar a volta a uma situação sem rumo e a crença que sempre se conseguirá fazer mais e melhor, lembrando um passado por vezes duro, de saltimbancos mas com a esperança sempre presente porque o sonho comanda a vida e o público pede sempre mais com a presença de cada artista a dar o melhor que sabe de si perante a exigência de um todo complexo.

A vida ingrata de um ator que sofre com os seus altos e baixos é retratada em Ñaque, onde dois excelentes atores contracenam como se tivessem numa amena cavaqueira pessoal e particular, num ambiente descontraído. O estatuto e profissionalismo de José Raposo e José Pedro Gomes já mostra ao público um à-vontade em palco único, fazendo mesmo com que o texto consiga ser valorizado pela forma como a naturalidade da dupla impera no espetáculo que é apresentado. 

23
Ago17

Eduardo Madeira Convida [Força de Produção]

eduardo madeira convida.png

Eduardo Madeira já tinha o meu Gosto, mas após assistir a uma sessão de Eduardo Madeira Convida no Teatro Villaret posso garantir que passou a ser um dos preferidos na arte de fazer rir. Sim, fazer rir é arte porque não é para todos, é para quem sabe e olhem que andam por ai muitos piadolas com a mania que têm graça, mas que se esquecem dela em algum local reservado.

Num espetáculo que todas as semanas  recebe diferentes convidados, Eduardo Madeira apresenta dentro do seu estilo uma produção que arranca gargalhadas, aplausos e assobios do início ao final de cada sessão. As piadas, a crítica, o estilo, a graça, o contéudo... Tudo isto num palco sem cenário e que acaba por ser uma mixórdia entre cadeiras, microfones e garrafas de água porque todos usam mas ninguém arruma a sala de estar para quem aparece a seguir.

Eduardo Madeira entra em palco e as suas histórias com imitações a par de temas compostos e interpretados excelentemente (mal) por si dão o mote para o que se irá passar a seguir. O desenrolar da noite vai acontecendo sempre com o artista a seguir o seu guião mas dando ouvidos ao que o público vai dizendo para colocar piadas onde o ambiente político e os famosos não escapam a uma ironia com estilo e não com piadas secas e sem maneiras. Intercalando entre os seus momentos e os convidados, Madeira sai de cena para receber os seus amigos em noites onde prevalece a união entre o stand up comedy, a música e o que cada convidado e o próprio anfitrião souberem fazer de melhor. 

Assisti à sessão em que a noite foi também abrilhantada por Luís Filipe Borges, o Boinas, para os mais distraídos, pela dupla Sousa & Abreu que não tem o estilo que aprecio mas que mesmo assim conseguiram fazer-me rir e pela voz do fadista Ricardo Ribeiro que a par do canto ainda conseguiu entrar com a sua presença em palco no espírito cómico do momento. Bons convidados numa noite de muito riso e bom fado!