Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

14
Dez18

A Verdade | Teatro Aberto

O Informador

a verdade.jpg

Patrícia e Paulo têm uma relação em segredo. Joana, a mulher de Paulo, suspeita de qualquer coisa e faz-lhe perguntas cada vez mais embaraçosas. Miguel, o marido de Patrícia, é o melhor amigo de Paulo, mas a franqueza entre os dois já não é o que era. À medida que os enganos se vão enredando, os dois casais perdem-se num labirinto de quem disse o quê a quem.

Num jogo de máscaras brilhantemente cruel, A verdade, de Florian Zeller, centra-se no microcosmo da vida conjugal para expor as hipocrisias da sociedade e problematizar com humor as vantagens de ocultar a verdade e os inconvenientes de a revelar.

A Mentira e A Verdade são duas peças de Florian Zeller, o autor também do sucesso O Pai, e o Teatro Aberto estreou em simultâneo os dois espetáculos e com os mesmos atores em palco. Joana Brandão, Miguel Guilherme, Patrícia André e Paulo Pires encontram-se entre a mentira e a verdade num projeto encenado por João Lourenço que pode ser visto de Quarta-feira a Domingo pelas Salas Azul e Vermelha do Teatro Aberto. 

O primeiro contacto com estas peças foi com A Verdade onde encontrei um par de amantes, Patrícia e Paulo, a viverem a sua relação em quartos de hotel, longe dos olhares dos seus dois companheiros, Joana, mulher de Paulo, e Miguel, o marido de Patrícia. Desde cedo Joana questiona Paulo sobre os seus horários e as suas mentiras, já Miguel percebe que está a ser enganado pela mulher e pelo melhor amigo mas disfarça através de um enredo cheio de mentiras a ocultarem a verdade. Uma teia de enganos entre quatro pessoas que se conhecem e onde a verdade é explorada justamente para se encontrarem as mentiras que cada um vai ditando sobre os outros. Afinal de contas quem está a mentir acreditando na sua verdade que vai contra a verdade que surge do outro lado?

Em A Verdade o público é convidado a entrar neste jogo entre casais onde a mentira de uns é tão levada a sério que quando se percebe que do outro a verdade já é conhecida, disfarça-se e reforça-se mesmo que tudo o que está a ser dito contra sim não passa de um engano. Quem mente consegue acreditar tanto na sua verdade sobre os factos que no momento do confronto o que é mentira passa a ser verdade e todos os outros que sabem como tudo está a acontecer são levados a crer que eles sim estão enganados. Afinal de contas a verdade está em quem acredita no que faz e pensa ou nos outros? Estará preparado quem mente pela sua verdade a enfrentar a realidade e ser inquirido sobre os factos reais? Mentir e ser apanhado nessa mesma mentira e não aceitar que os seus comportamentos sempre estiveram errados, ficando mesmo contra quem o enfrenta com a verdade que é bem contrária à sua. 

03
Dez18

Convites Duplos | A Verdade e A Mentira | 09.12.2018

O Informador

a mentira.jpg

O que é verdade e mentira nos dias que correm? No dia-a-dia surgem histórias que tanto podem transmitir verdades como mentiras, estando cada vez mais em voga as «fake news» nas conversas paralelas e nos meios de comunicação social. 

Atual e como forma de desafiar o pensamento, o Teatro Aberto estreia em Dezembro dois espetáculos em simultâneo onde A Verdade e A Mentira são debatidas em duas peças de Florian Zeller, o autor do sucesso O Pai. Com encenação de João Lourenço e interpretação em ambos os espetáculos de Joana Brandão, Patrícia André, Miguel Guilherme e Paulo Pires, A Verdade e A Mentira são duas produções distintas que se complementam e são representadas pelo mesmo elenco. A discussão e reflexão são assim lançadas através do humor sobre factos quotidianos representados de forma séria. 

Os seguidores do blog podem ter a oportunidade de assistir a uma destas duas peças já no próximo dia 09 de Dezembro. Neste momento tenho convites duplos para sortear para a sessão de A Mentira, pelas 16h00, e A Verdade, pelas 18h30. Escolham qual dos dois espetáculos querem ver e participem, quem sabe se não conseguirão perceber onde está a verdade da mentira e vice-versa neste jogo de reflexões. Este passatempo irá estar disponível até às 18h30 de dia 06 de Novembro, Quinta-feira, e nesse mesmo dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

12
Jun18

Pela Água | Teatro Aberto

O Informador

pela água cartaz.jpg

O Teatro Aberto apresenta Pela Água, um texto de Tiago Correia, vencedor do Grande Prémio de Teatro Português em 2016, com encenação e dramaturgia a cargo de Tiago Torres da Silva e interpretação de Fernando Luís, Miguel Nunes e Teresa Sobral. Podemos viajar pelo pensamento humano e conhecer perspetivas distintas de uma história transformada em duas mas que culmina num só desfecho através da vivência de dois homens tão diferentes mas paralelamente semelhantes?

Pela Água junta duas personagens masculinas num só local, um espaço que serve de viagem de encontro entre duas gerações distintas onde estes dois homens se auto intitulam como o Velho e o Jovem. Ambos têm algo em comum, uma mulher pela qual se debatem pelos verdadeiros sentimentos que cada um nutria por quem já não se encontra presente. Após a morte da amada, quem mais amou esta mulher ausente das suas vidas mas bem presente em pensamento?

O debate entre as deambulações onde as recordações e os confrontos existem sobre o que cada um sentiu no período em que viveu fisicamente uma paixão que pertenceu a outro. Poderia a mesma mulher amar ao mesmo tempo dois homens distintos, com formas de pensar e estar na vida tão diferentes onde nem os objetivos se conseguem cruzar?

Viajando pelas memórias, percebendo os vários pontos de união entre cada história, o que afastou e uniu dois amantes ao longo do tempo. Os primeiros conhecimentos de um homem mais velho para com a sua esposa que acabou por encontrar num jovem o que não tinha uns anos após o início do casamento. As diferenças de dois seres que amam a mesma mulher e que se entregam de forma tão diferente mas ao mesmo tempo semelhante à mesma amada, encontrando e dando carinho, conhecendo as dores e as mazelas do presente e acompanhando uma vida que nunca foi escondida. 

Sabendo ambos que a iriam perder, quem tinha mais obrigação de cuidar como se a companheira lhe pertencesse de forma total e quem usufruiu do tempo, da companhia, sem pensar no amanhã, sem encargos e somente com o pensamento no presente libertador?

05
Jun18

Convites Duplos | Pela Água | 08-06-2018

O Informador

pela água cartaz.jpg

Sinopse

Dois homens encontram-se pela primeira vez. Separam-nos a idade e o abismo cavado pela ausência de uma mulher.

Quem são estes dois homens? O que os liga de forma tão visceral?

Este é o momento de se confrontarem um com o outro e consigo mesmos. Pela água, o caminho adensa-se. As dúvidas emergem e misturam-se com as paixões. E a verdade sobre o que aconteceu oculta-se de novo na corrente.

Ficha Artistica

Encenação e Dramaturgia Tiago Torres da Silva

Cenário Rui Francisco

Música José Peixoto

Figurinos José António Tenente

Com Fernando Luís, Miguel Nunes e Teresa Sobral

pela água.jpg

Pela Água é o nome do mais recente espetáculo do Teatro Aberto, em cena na Sala Vermelha. Com texto de Tiago Correia, encenação e dramaturgia de Tiago Torres da Silva e contando com Fernando Luís, Miguel Nunes e Teresa Sobral na composição do elenco, esta produção conta com sessões de Quarta-feira a Sábado às 21h30 e ao Domingo pelas 16h00. 

O texto Pela Água, vencedor do Grande Prémio de Teatro Português 2016, explora um encontro entre dois homens de gerações distintas mas com o amor por uma mulher em comum. Num diálogo predominantemente envolvido pela paixão, rancor e ausência, a reflexão sobre a realidade social e política é uma constante entre as personagens que debatem os dois lados da balança sobre uma questão universal... o Amor. 

Para vos presentear tenho dez convites duplos para oferecer destinados à sessão de 08 de Junho, Sexta-feira, pelas 21h30. Este passatempo irá estar disponível até às 19h00 de dia 07 de Junho, Quinta-feira, e nesse mesmo dia serão revelados os nomes vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos convites duplos acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem...

01
Mar18

Um Dia Uma Vida | Teatro Aberto

O Informador

um dia uma vida.jpg

A poesia de Ruy Belo está de volta ao Teatro Aberto através da peça Um Dia Uma Vida. Debatendo o sentido da vida nas relações humanas ao longo do tempo, este espetáculo inspirado no poema com o mesmo nome reflete a solidão, o passado, presente e futuro, os comportamentos e transparências humanas. 

Ao longo de Um Dia Uma Vida o público é convidado a acompanhar váiras vidas num só dia, começando pelo amanhecer que poderá traduzir-se pelo nascimento que dá origem a um crescimento sustentado em relações e conhecimentos até que tudo caminha para o final do dia onde o desaparecimento pessoal e coletivo toma lugar.

As relações com os outros, o caminhar sozinho num percurso que nem sempre é fácil, mostrando socialmente e através de artefactos ao longo dos dias que a vida é favorável através de imagens partilhadas pelas redes sociais e sorrisos expressivos quando na verdade, no interior esses mesmos sorrisos transmitem ausência e as ditas imagens de felicidade não passam de uma demonstração positiva do que não existe no interior de cada um. As transparências dos tempos modernos não passam em tantos casos de falsificações acerca da verdadeira personalidade que invade o interior de pessoas que criam ilusões cénicas para apresentarem demonstrações distantes da realidade. 

Um Dia Uma Vida centra-se na vida de várias personalidades onde uma mulher observa junto do espelho a sua amargura causada pelas perdas ao longo do tempo, um pescador que só quer ter a vida que tem, não precisando de conquistar mais para além do que fica para trás, um homem que ao não dormir reflete-se nas ondas do mar e uma jovem que sonha conquistar o mundo através dos novos modelos sociais. 

22
Fev18

Vencedores dos Convites Duplos | Um Dia Uma Vida | 23.02.2018

O Informador

um dia uma vida teatro aberto.jpg

O Teatro Aberto acabou de estrear pela Sala Vermelha um novo espetáculo da autoria de Ruy Belo. Um Dia Uma Vida une quatro personagens em palco numa interpretação poética que convida o público a viajar por diferentes situações do quotidiano de todos nós. 

Com interpretação de Ana Brandão, Madalena Almeida, Miguel Lopes Rodrigues e Rui Melo, vídeo a cargo de Eduardo Breda e luz da responsabilidade de Alberto Carvalho e Marta Dias, esta produção desafia o público a saborear as palavras de Ruy Belo ao longo de cada sessão. 

Com sessões de Quarta a Sábado pelas 21h30 e aos Domingos às 16h00, Um Dia Uma Vida convida o público a visitar o Teatro Aberto pelas próximas semanas para que vejam este texto poético a ser representado pelo talento em palco.

Para que todos possam assistir a Um Dia Uma Vida, foram dez os convites duplos que estiveram em sorteio aqui pelo blog para que os seus vencedores se sentem pela sala do Teatro Aberto na Sexta-feira, 23 de Fevereiro. Eis os sorteados através do sistema random.org que irão receber email com a indicação sobre o processo correto de levantamento dos convites. Inês Lopes, Maria Rosalina Casinhas, João Paulo Valente, Idália Guerreiro, Ivo Saavedra, Cristina Gaspar, Ana Maria Morais, Roberto Moreno, Ricardo Moreira e Júlio Ferreira são os dez vencedores dos convites duplos destinados à sessão já mencionada. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Posts destacados

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook