Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

24
Mai19

Oferta de Tempo

O Informador

«Eu sei que o tempo que não para, o tempo é coisa rara e a gente só repara quando ele já passou», esta é parte da letra que Miguel Gameiro escreveu para ser interpretada por Mariza. E a verdade é que o tempo é mesmo coisa rara que deve ser aproveitado em todos os momentos e com os sentidos no máximo.

No dia-a-dia da nova forma de estar na vida, tempo é preciosidade, vontade e ambição. Quem não pede para tudo acontecer sem pressa ou com uma pitada de verdade por perto? Oferecer tempo, dedicação e boa vontade a quem nos é querido é uma grande preciosidade. O tempo não estanca, não recua e não consegue ser substituído, sendo necessário dar valor a cada segundo que nos é dado para retribuir o que de bom esta vida contém. 

A necessidade é de agradecer a quem nos rodeia, quem nos dedica a sua atenção sem pedir nada em troca e nos mostra como é de bem com tudo que se está nas melhores condições para seguir em frente, vencer e sonhar, podendo estar sempre presente como o melhor estado de gratidão que pode ser oferecido. 

09
Mai19

A reserva de Marcelo Rebelo de Sousa

O Informador

marcelo rebelo de sousa.jpg

 

O ano é de eleições e nas últimas semanas Marcelo Rebelo de Sousa tem andado bem mais calmo nas suas aparições públicas por tudo e por nada. Talvez para deixar que o barco governamental siga o seu caminho a partir de agora a solo enquanto todos se preparam para a próxima corrida aos lugares cimeiros, o nosso Presidente tem-se mantido afastado, q.b., das guerras entre partidos.

Na questão dos professores com as birras de António Costa, Marcelo ficou quase calado, deixando ver como tudo acontecerá. Na greve de camionistas, falou mas deixou de lado a questão para quem a tem de resolver na verdade. Nos eventos públicos a que vai, embora menos também, evita falar muito com a comunicação social para não lhe serem colocadas questões.

Marcelo anda no seu recanto, com horas para tudo. O tempo de nadar e tomar o seu pequeno almoço, as reuniões políticas, os encontros que a função o obrigam continuam a existir, no entanto tudo parece andar a passar de forma mais despercebida. 

Será que o nosso Presidente não irá dar dicas pelos próximos meses no que deve ser feito ao longo da Campanha Eleitoral entre Direitas e Esquerdas unidas? Se estão unidas e pretendem fazer a corrida a solo, como depois conseguirão justificar se após as votações o elo tiver de voltar a existir com tanto diz que diz que parece que irá pautar os próximos meses políticos em Portugal?

18
Abr19

Corrida ao combustível

O Informador

combustível.jpg

Os transportes de combustível entraram em greve e mais de meio Portugal entrou em combustão com as corridas aos postos de abastecimento. Tive perceção do que poderia estar a ser preparado no próprio dia de manhã, ou seja, na Terça-feira, mas foi só à noite, já após as 22h00, que consegui entender a verdadeira dimensão do tema. 

Passei por dois postos de combustível com longas filas de espera, olhei para o regulador do depósito e pensei que devia dar a volta e deixar-me ficar em espera, mas segui na esperança que no dia seguinte, Quarta-feira, tudo ficasse resolvido, já que iria existir reunião entre o Governo, sindicato e ANTRAM. No entanto e como sei como as coisas funcionam entre nós, resolvi já bem perto de casa ficar em modo espera num posto de combustível. A fila nem demorou a andar, isto porque Gasóleo já não existia, sobrando só mesmo o que necessitava, a 95. Esperei, coloquei o carro no seu devido lugar, fui pagar para abastecer 40€ e quando regressei consegui entender a verdadeira noção das coisas. O depósito das bombas estava a dar realmente as últimas. Demorei mais de cinco minutos e arrisco a dizer bem perto dos dez, para colocar os litros pagos. Tudo estava bem lento, mostrando que o depósito estava a ficar vazio e já estava a dar as últimas naquele momento. 

Hoje escrevo este texto com a certeza que o pensamento de que afinal tinha de parar e perder tempo em espera valeu a pena. A reunião não deu em nada, servindo de pouco, e somente os serviços mínimos foram assegurados, ficando a maioria dos postos de abastecimento sem combustível por mais uns dias. 

02
Mar19

Luto | Pessoal ou Social?!

O Informador

luto.jpg

As discussões sobre o luto são uma constante quando por perto alguém parte para outra vida, para quem acredita que a mesma exista. O que é o luto afinal para além das vestes escuras que os mais velhos ainda tendem a usar como sinal de respeito que do meu ponto de vista não passam de pensamentos mantidos por uma sociedade que se auto recrimina se nos tempos após a morte de alguém não se vestirem com tons escuros ou mesmo de negro?!

O luto está no interior da pessoa, nos pensamentos e sentimentos que são mantidos quando se fica sem alguém que nos é querido. Existe assim uma verdadeira necessidade, através do vestuário, para se mostrar aos outros o que se sente através das vestimenta negra? Se alguém parte qual é a necessidade de quem fica de se carregar de escuro para mostrar aos outros, porque para mim é só mesmo isso que acontece, uma demonstração social de peso, de que está triste e tem de deixar de vestir roupas coloridas porque a base da solidão e da partida é o escuro. E ai de quem numa aldeia pequena não se vista a rigor de luto que leva logo com as críticas. Isto é a verdade, nas aldeias deste país, talvez mais no interior até, quem perde um ente-querido tem de se vestir de escuro a bem da sua comunhão com os que ficam, já que caso contrário quem fica torna-se uma «viúva alegre» ou «um filho desleixado» por não respeitar a alma de quem partiu.

Onde é que numa peça de vestuário se vê o que está na verdade no coração de alguém que ficou sem o seu par ou familiar? O luto está no interior de cada um e não na demonstração para os outros. Vivam as vossas vidas sem esses pensamentos de recriminação de uma sociedade hipócrita que ainda acredita que é necessário demonstrar a tristeza com cores quando cada um sabe de si e tem no seu interior os verdadeiros motivos perante a perda. 

18
Fev19

89ª Feira do Livro de Lisboa já está marcada

O Informador

feira do livro lisboa 2019.png

A 89ª Feira do Livro de Lisboa já tem data definida para se apresentar ao público. Este ano o maior evento literário do país irá realizar-se entre os dias 29 de Maio a 16 de Junho, ocupando grande parte do Parque Eduardo VII, como tem vindo a ser hábito.

Pouco ainda se sabe sobre o que está a ser preparado para a edição deste ano, o que já é certo é que Espanha é o país convidado, após Portugal ter sido o convidado da feira literária de Sevilha e de em 2017 também ter sido o país presente na 76ª Feira do Livro de Madrid.

Para o evento deste ano, além de Espanha ser o país convidado, a organização está a tentar voltar a surpreender os seus visitantes com um maior número de expositores e de eventos a decorrer em simultâneo ao longo dos dias em que o evento irá estar a decorrer. Além das bancas literárias e dos espaços de comida, os palcos para workshops, apresentações, sessões de autógrafos, conversas com os autores e mesmo concertos estão a ser pensados para que os leitores não se fiquem somente pelas compras e visitas ao parque, podendo aproveitar ao longo de grande parte do dia o evento com os mais diversos motivos de interesse que irão estar em destaque.

17
Fev19

Barbie aposta na inclusão

O Informador

barbie.jpg

Foram precisas décadas para que a Mattel percebesse que existe muito mais para além de uma rapariga alta, esguia, loura e teoricamente perfeita. Há uns anos algumas Barbies incluídas na série Fashionistas começaram a ganhar cor na luta contra o racismo, tal como diferentes cores e cortes de cabelo, profissões e tipos de corpo. Agora, no ano em que a Barbie completa o seu 60ª aniversário, eis que um novo passo é dado, desta vez na direção da inclusão social com novas bonecas a serem lançadas mais para o final do ano a refletirem alguns problemas físicos. Os novos modelos a serem lançados contarão com uma Barbie em cadeira de rodas e uma outra com uma perna de prótese removível. 

Segundo a Mattel nas suas páginas pelas várias redes sociais, este lançamento pretende demonstrar «um maior reflexo do mundo que as raparigas vêem à sua volta», mostrando assim um novo esforço para reconhecer que a diversidade perante o conceito de beleza é igualitário a todos. 

Lembro, e após pesquisa, que há duas décadas, a Mattel lançou para o mercado a Share a Smile Becky, uma amiga da Barbie com mobilidade reduzida, mas a mesma foi retirada do mercado em 2017 por não se conseguir incluir no fantástico mundo da Barbie por falta de acessibilidades na casa e nos mais diversos acessórios criados ao longo destes anos. Agora é a própria Barbie que terá as suas novas versões, acreditando-se que assim os novos modelos para além da boneca possam estar a ser desenhados a favor da inclusão, uma vez que estas novas Barbies serão articuladas, tal como tem acontecido ao longo dos últimos anos com as restantes. 

27
Nov18

60 anos recordados pela desigualdade

O Informador

nestum.jpg

A marca Nestum nasceu em 1958, estando a completar os seus 60 anos, data que está a ser celebrada com a implementação na embalagem da imagem original que foi lançada aquando dos primeiros anos de Nestum no mercado. Ao longo dos últimos anos, talvez por influência do avô que sempre apreciou estes cereais ao pequeno almoço, ter uma caixa de Nestum cá por casa é praticamente obrigatório e por estes dias reparei no apontamento sobre as figuras que estão na embalagem, onde as mulheres tratavam dos filhos e nem sinal de um homem a ajudar as crianças a tomarem a sua refeição.

Se olharmos bem, nem é preciso reparar assim tanto, na embalagem celebrativa é possível ver duas crianças a tomarem a sua refeição pela mão de duas mulheres. Com sessenta anos em cima seria normal existir a ideia de que só as mulheres davam comida e tratavam das crianças da casa na altura, mas agora isto não faz de todo sentido. Não é um pouco descabido terem recorrido a uma imagem destas para celebrarem, justamente numa altura em que as diferenças e o femininos estão tão na ordem do dia? Os direitos e deveres de um casal não são iguais? Décadas atrás tudo era visto de forma diferente e as coisas aconteciam desse mesmo modo, mas agora não, esta imagem é para assinalar uma data histórica da marca, no entanto vai contra a prática dos dias que correm, em que todos somos iguais e não são as mulheres que têm exclusivamente de ficar em casa a tratar da educação das crianças. 

banner mrec exames nacionais e provas de aferição

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook