Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

23
Out20

Dias de Outono | José Rodrigues

Porto Editora

Dias de Outono

 

Título: Dias de Outono

Autor: José Rodrigues

Editora: Porto Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Setembro de 2020

Páginas: 304

ISBN: 978-972-0-03339-0

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Os dias de Miguel são divididos entre a intensa atividade profissional e o apoio a Teresa, a sua tia, institucionalizada com uma doença irreversível. Na família encontra o conforto dos seus dias agitados, com Catarina e os filhos André e Tiago.

As alterações recentes na administração do banco onde trabalha, a degradação do casamento e os problemas vividos pelo filho adolescente levam Miguel a questionar as opções de vida. Ao mesmo tempo, retoma as memórias mais antigas, incluindo a sua vila no interior e a casa onde nasceu e viveu, criado por Teresa, num ambiente de permanente felicidade.

Quando o mundo de Miguel parece desabar, passado e presente unem-se numa longa jornada de salvação e de mudança de prioridades, onde o amor se transforma no principal caminho para a reconstrução da felicidade, mesmo quando a perda e a saudade pareciam não querer dar tréguas…

 

Opinião: A escrita de José Rodrigues fascina pela sua simplicidade com que descreve cada personagem e momento pelo qual estão a passar. Chamando temas bem atuais da sociedade, o autor não falha no aproximar as suas criações de forma emotiva ao leitor que se deixa facilmente conquistar por cada um sem criar embaraços porque na verdade todos têm pontos positivos a transmitir a quem pega num livro e simplesmente quer viajar por uma história simples e neste caso com as raízes nacionais como pano de fundo. 

Após ter lido e ter ficado rendido aos romances O Tempo nos Teus Olhos e O Rio de Esmeralda, desta vez foi a vez de Dias de Outono de me acompanhar por uns dias através de uma história tão real como qualquer outra, contada de forma emotiva e focando temas como o álcool e as drogas entre as influências na adolescência, a balança que tanto pesa entre um casamento perfeito e o foco total na carreira, a perda e as conquistas, fundamentando bem perto do final a perceção de que nem tudo vale a pena se não existe felicidade por trás dos sacrifícios que são gerados pela ambição. 

De forma rápida posso revelar que este romance nos dá a conhecer a vida de um casal, Miguel, um banqueiro de sucesso, e Catarina, a médica em ascensão entre os seus pares profissionais, e dos seus dois filhos, André e Tiago, ambos a sair da adolescência. Tudo parece bem na forma como os conhecemos primeiramente, mas a situação não é bem essa. Entre problemas de Tiago perante más influências e o afastamento pelo trabalho do casal a rotura acontece, as preocupações aumentam e a vida da cidade deixa de fazer sentido para Miguel que recupera o seu passado para ao mesmo tempo ajudar a salvar o filho de um futuro menos bom. Quatro vidas feitas de mudança necessária para que todos entendam que casamentos não são eternos quando não se dá o devido valor ao outro e a atenção necessária aos filhos. Tudo muda, o leitor é convidado a conhecer a ruralidade do nosso país, o que o autor tem feito brilhantemente em todos os seus romances, e a deixar-se levar pelos encantos de uma aldeia tão tradicional, com gente boa a circular em torno da nova vida deste homem que percebe a bom tempo de que é necessária uma mudança na sua vida para se voltar a ser feliz.

10
Out20

Sete Mentiras | Elizabeth Kay

Planeta Manuscrito

CF843058-8CB8-4681-9DA1-A18A042C269A-38160F18-F2E1

 

Título: Sete Mentiras

Título original: Seven Lies

Autor: Elizabeth Kay

Editora: Planeta Manuscrito

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Setembro de 2020

Páginas: 368

ISBN: 978-989-777-394-5

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Tudo começou com uma pequena mentira...

Jane e Marnie sempre foram amigas inseparáveis desde os 11 anos. Sabiam os segredos mais escondidos uma da outra. E não quereriam que fosse de outra maneira.

Mas, quando Marnie se apaixona e lhe apresenta o marido, Jane conta a sua primeira mentira. Na realidade odeia Charles, o marido rico e convencido de Marnie, mas não é capaz de lhe dizer. Ao fim ao cabo, até as melhores amigas guardam qualquer coisa para si mesmas. Se tivesse sido franca, talvez o marido da sua melhor amiga ainda hoje estivesse vivo...

Porque, claro, esta não é a sua última mentira. Na realidade, foi apenas o começo...

 

Opinião: É pela voz de Jane que conhecemos a sua amizade de adolescência com Marnie. As duas jovens cresceram, dividiram casa como estudantes, muito partilharam e tudo contaram, dos desabafos aos amores, dos desaires às conquistas, tudo vivido entre as duas, numa amizade íntima e perfeita. O tempo uniu e separou para voltar a unir anos mais tarde, mas quando as vidas mudam e novas pessoas entram em definitivo nesta relação amigável as alterações surgem e a verdade direta começa a ser distorcida.

Numa relação de amizade, vivida a partir de certo ponto de formas distintas entre Jane e Marnie, a convicção e força de se terem por perto começa a ser um pouco claustrofóbica para o leitor perante os sentimentos revelados por Jane como se tivesse o direito de propriedade exclusiva para com Marnie. Ambas namoraram e criaram relações conjugais, o tempo deixou que a amizade não terminasse mas ganhasse novos contornos quando se formaram dois casais apaixonados. No entanto um fatídico dia tirou o par perfeito a Jane e é a partir deste ponto que a boa convivência e a verdade entre estas duas agora mulheres adultas se altera. Com Jane a revelar obsessão perante a felicidade de Marnie e com esta a seguir a sua idílica vida a dois e a sonhar com o futuro, os problemas acontecem e tudo parece ter uma culpada. 

Sete Mentiras representa o confronto de ideias e vontades entre uma amizade tóxica e o amor, entre a verdade que enfrenta mentiras numa história bastante viciante onde se confundem sentimentos e a luta pelo bem-estar e a inveja acontece como um 《se não tenho também não irás ter》. Nesta narrativa o leitor conhece a verdade de Jane que não é de todo a perfeita, representando a força do mal que tantas vezes prejudica relações e mentes mais frágeis.

03
Out20

O Olhar que me Persegue | Helene Flood

D. Quixote

C028F326-978E-46C4-AF41-FD22A4BA3345-CECD485D-3F06

 

Título: O Olhar que me Persegue

Título original: Terapeuten

Autor: Helene Flood

Editora: D. Quixote

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Agosto de 2020

Páginas: 368

ISBN: 978-972-20-7058-4

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: O Olhar que me Persegue combina um ambiente francamente contemporâneo e realista com um suspense assustador e uma visão perturbadora sobre as nossas mais recônditas facetas, tanto na vida familiar como nos relacionamentos. Um thriller arrepiante que disseca a relação de um jovem casal, em que as emoções têm o papel principal.

Nomeado para o Norwegian Bookseller’s Prize em 2019, O Olhar que me Persegue é o primeiro de três thrillers psicológicos de Helene Flood, todos com protagonistas femininas, e tendo por cenário a cidade de Oslo. Numa abordagem totalmente diferente da dos seus congéneres nórdicos, mas igualmente brilhante, a jovem autora demonstra grande talento para gerir tanto o enredo como a qualidade da escrita.

 

Opinião: Uma obra nomeada, bem comentada internacionalmente como uma maravilha entre os melhores thrillers do ano perante uma estreia impressionante da sua autora e quando vou a meio da leitura percebo que todo o entusiasmo e boas expetativas que foram sendo criadas acabam simplesmente por revelar mais do mesmo.

Logo conhecemos Sara, uma jovem psicóloga casada com Sigurd, num casamento sem filhos, com alguns problemas conjugais pelo caminho mas numa luta para se definirem, estabelecerem e ganharem condições para formarem uma verdadeira família a pensarem no futuro. Trabalhando e recebendo os seus clientes num espaço anexo em casa, Sara tem os seus pacientes fixos, cada qual com os seus problemas e desabafos, enquanto que Sigurd estuda e mais tarde cria o seu próprio projeto ligado à arquitectura. Tudo decorre dentro do quase normal quando o desaparecimento de Sigurd acontece. Numa manhã sai para se encontrar com os amigos mais próximos para uns dias entre amigos e não mais aparece. Desaparecido e sem deixar rasto, Sara dá o alerta pelo seu desaparecimento e a partir desse momento a investigação acontece.

Investigação no terreno, fingidas amizades por perto para um possível apoio enquanto se tenta perceber o que aconteceu, sócios a saberem partes do processo mas a fingirem ignorância, uma esposa preocupada mas a manter dentro do possível as suas rotinas profissionais, e todo o processo a ser descodificado por parte de um investigador pouco acessível e bastante desconfiado. Controlo, entrevistas, conversas paralelas e paragens no tempo são vários dos pontos que este thriller demonstra entre uma esposa meio ausente em todo o processo para um marido desaparecido em que a única preocupação parece ser a sua própria segurança, mostrando um individualismo como parte de um casal algo arrogante e disciplinado, provando a falta de união entre dois jovens casados que o são somente por habituação. 

Um caso investigado, levando o leitor a identificar vários suspeitos ao longo de cada capítulo quando no final tudo muda e a real verdade fica perceptível mas sem ser revelada para que o 《quem matou》 seja devidamente incriminado e julgado. Posso dizer que fiquei surpreso por não sentir ao longo da leitura qualquer ponto que pudesse unir o assassino com todo um crime que levou à morte de um homem por motivos amorosos. 

25
Set20

Escrever, Memórias de um Ofício | Stephen King

Bertrand Editora

Escrever

 

Título: Escrever, Memórias de um Ofício

Título original: On Writing: A Memoir of the Craft

Autor: Stephen King

Editora: Bertrand Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Julho de 2020

Páginas: 288

ISBN: 978-972-25-4001-8

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Em 1997, Stephen King começou a escrever sobre o seu ofício e a sua vida. A meio de 1999, um acidente muito noticiado quase lhe tirou a vida e, nos meses de recuperação, o nexo entre a escrita e a vida tornou-se mais crucial do que nunca para o escritor. O resultado é uma obra clara, útil e reveladora.

Escrever é, assim, um relato fascinante que, partindo da experiência específica do autor, proporcionará aos leitores uma nova perspetiva sobre a formação de um escritor, com conselhos práticos e inspiradores sobre todas as fases, desde o desenvolvimento da intriga e a criação das personagens até aos hábitos profissionais e à fuga ao trabalho. Publicada originalmente na New Yorker e vivamente aclamada, esta obra culmina com um testemunho comovente do modo como a necessidade irresistível de escrever estimulou a recuperação de Stephen King e o trouxe de volta à vida. Brilhantemente estruturado e cativante, este livro ensinará - e divertirá - todos os que o lerem.

 

Opinião: A escuridão e os corredores sinistros por onde circulam as personagens criadas por Stephen King fazem do autor um dos mestres do terror literário mundial, mas não é por ser dos melhores a criar suspense com uma boa percentagem de caminhos perigosos e surpresas estranhas que King consegue ser dos melhores criadores de literatura do momento. Muito enredo, personagens suspeitas e mundos inacabados caracterizam as suas criações, levando o leitor a questionar-se sobre o estado da mente de onde saem as várias ideias obscuras que são apresentadas através dos vários lançamentos que são feitos da sua autoria. King vende, sem dúvida, é dos mais conhecido mundialmente mas longe da perfeição literária, no entanto teve em si a ideia de lançar-se na escrita de Escrever, Memórias de um Ofício, relatando a forma como entrou no mundo das letras, o seu caminho e ensinamentos, dando várias dicas para quem gosta de elaborar novas histórias, criar enredos e sonhar em lançar a sua obra num mercado tão complexo e competitivo nos dias que correm onde todos podem arriscar mas onde também só quem tem o real poder da criação, com um toque de diferença, consegue aguentar. 

05
Set20

O Caderno dos Sonhos | Julien Sandrel

Porto Editora

o caderno dos sonhos.jpg

 

Título: O Caderno dos Sonhos

Título original: La Chambre des Merveilles

Autor: Julien Sandrel

Editora: Porto Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Junho de 2020

Páginas: 240

ISBN: 978-972-0-03260-7

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Thelma é mãe solteira de Louis, um adolescente de 12 anos. Como todas as mães, faria tudo pelo seu filho, mas as solicitações de uma vida profissional exigente sobrepõem-se mais vezes do que seria desejável aos pedidos de atenção do jovem.

Numa fatídica manhã, tudo muda: irritado com a falta de atenção da mãe, zangado e desiludido, Louis acelera no seu skate e, poucos metros adiante, é colhido por um camião. No hospital, o prognóstico é pouco animador. Louis está em coma e não há sinais de recuperação. Thelma enfrenta o seu pior pesadelo. Em casa, enquanto reúne algumas coisas do filho, Thelma encontra um caderno onde Louis tem vindo a registar os sonhos que gostaria de concretizar. A mãe decide, então, viver por ele cada um desses sonhos.

Talvez recupere. Talvez volte para ela. E, se não voltar, Louis terá pelo menos vivido pelas histórias da mãe a vida com que sempre sonhou.

 

Opinião: Não estava preparado para a história de O Caderno dos Sonhos. Uma capa toda florida e cheia de cor e umas primeiras páginas pesadas, bastante pesadas, para o que prometia ser uma boa história entre mãe e filho. E não é que no fim a capa feliz resume o conteúdo desta narrativa tão bem elaborada onde os sonhos, o amor, a família e acima de tudo a esperança são traduzidos por palavras simples através de uma história que nos faz seguir cada passo de uma mulher, Thelma, que luta pelo bem do filho, Louis, até ao final. 

Numa mistura de drama e recompensa, O Caderno dos Sonhos é a realização pessoal de uma pessoa perante o desafio que a vida lhe impôs. Uma mãe, que ao ver o seu filho ser violentamente atropelado e ao ficar em coma durante meses, começa a percorrer os caminhos idealizados pelo filho, os seus sonhos e objetivos que tinha apontado para realizar mais tarde. Filho numa cama de hospital, uma mãe a percorrer o Mundo para concretizar os sonhos do seu menino, e uma equipa médica a colaborar para que a mensagem de superação entre os dois fosse possível. Esta é uma bela história de amor familiar, entre uma mulher que vivia para o trabalho e que por motivos maiores percebeu forçosamente que existe vida para além da profissão que sempre valorizou para poder manter uma boa comunhão com o filho, e o tempo em família onde ficou? Não existia, até que foi necessário parar, perceber o que era necessário após o acidente e lutar pela recuperação.