Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

A Livraria Perdida, de Evie Woods

Singular Editora

a livraria perdida capa.jpg

Título: A Livraria Perdida

Título Original: The Lost Bookshop

Autor: Evie Woods

Editora: Singular Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2024

Páginas: 368

ISBN: 978-989-789-036-9

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Numa rua tranquila de Dublin, uma livraria perdida está à espera de ser encontrada.

Opaline, Martha e Henry parecem não ter nada em comum além de terem sido, durante demasiado tempo, personagens secundárias nas suas próprias vidas. Opaline tem de fugir de Londres para não ser obrigada a casar-se, Martha parece inevitavelmente presa numa relação tóxica, e Henry está noivo de uma mulher que não ama.

É em Ha’penny Lane, uma pacata rua de Dublin, que os caminhos destas personagens se cruzam. Era ali que devia estar a livraria fundada por Opaline, onde Henry entrou uma noite, pouco depois de chegar à Irlanda… mas não só não está, como também não há registos capazes de provar que alguma vez tenha existido.

Seguindo o pouco que sabem sobre a incrível vida desta misteriosa mulher, Henry e Martha tudo farão para encontrar a livraria perdida e descobrir os seus segredos. Por entre os ramos de uma árvore que teima em crescer numa cave da capital irlandesa, páginas que sussurram, mistérios literários desvendados e livros que aparecem em prateleiras sem que alguém os tenha posto lá, as histórias destas três personagens que o destino põe à prova serão reveladas, mostrando que até a vida mais banal pode tornar-se tão fascinante como as que se encontram nas páginas dos melhores livros.

 

Opinião: Opaline encontra-se no início do século XX e Martha e Henry são dois desconhecidos nos dias correntes. O que têm estas três personagens em comum a ponto de deixarem o leitor agarrado à narrativa de A Livraria Perdida? Uma autêntica viagem pela literatura vista perante o olhar de três pessoas distintas e onde todos somos convidados a perceber que cada um é sempre fruto do que vai vivendo, ajudando o passado a moldar cada ser perante o presente.

Nesta história encontramos o passado com Opaline, uma mulher sonhadora que ambiciona ser uma comerciante de livros mas presa a nível familiar como forma de castração por estar a lutar pelo que os outros acreditam ser contra as normas da sociedade. Já nos tempos atuais Martha é a esposa em fuga de um marido sem escrúpulos e Henry é um noivo pouco confiante no seu futuro. Os dois cruzam-se quando Henry decide procurar um raro manuscrito numa livraria que parece não existir na rua Ha'penny Lane, na Irlanda, mesmo ao lado da casa onde Martha encontrou o seu refúgio quando procurou a libertação.

Está Tudo Bem, a Sério | Monica Heisey

Singular Editora

está tudo bem a sério.jpg

Título: Está Tudo Bem, a Sério

Título Original: Really Good, Actually

Autor: Monica Heisey

Editora: Singular Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Setembro de 2023

Páginas: 356

ISBN: 978-989-789-005-5

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: O casamento de Maggie durou apenas 608 dias, mas isso não a afeta – está tudo bem, a sério. Claro, está sozinha pela primeira vez na vida, não consegue pagar a renda de casa e o seu obscuro doutoramento está encalhado há meses...

Mas, com 29 anos, Maggie está determinada a abraçar o seu novo estatuto de Divorciada Surpreendentemente Jovem.

Livre de compromissos, tem agora tempo para se dedicar a todo o tipo de hobbies, para mergulhar no mundo dos encontros e para partilhar tudo e mais alguma coisa nas redes sociais. À medida que Maggie se lança de cabeça no caos do primeiro ano de divórcio, dá por si a questionar todos os aspetos da vida, incluindo: Porque é que as pessoas continuam casadas? Será que falhei ainda antes de ter começado? Quantos mais hambúrgueres entregues em casa às quatro da manhã preciso de comer até voltar a ser feliz?

Está tudo bem, a sério é um irresistível romance sobre as incertezas do amor moderno, a amizade e a felicidade, escrito por um nome que certamente dará muito que falar.

 

Opinião: De um momento para o outro entrei na vida de Maggie para a acompanhar no seu processo de divórcio onde além de todo o sistema burocrático da questão, foi essencial recomeçar a aprender a viver a solo, com os gastos mensais a deixarem de ser partilhados, com as relações de amizade a ganharem uma nova dimensão e até onde a marcação de novos encontros a que há muito não estava acostumada tomaram lugar. Isto acaba por ser o que se pode apelidar por "diário de uma recente divorciada" onde facilmente todos nos podemos rever no momento em que aquela relação que se acreditou que seria para a vida toda termina para dar lugar a um vazio de onde acreditamos ser doloroso sair até todo o carrossel de novas emoções começarem a surgir.