Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

20
Ago18

Sexo com calor? Desaconselhável!

| O Informador

sexo calor.jpg

A Colômbia enfrenta uma onda de calor, tal como Portugal tem tido ao longo das últimas semanas com dias bem quentes a afetarem todo o território. Com as altas temperaturas a atacarem os colombianos, o secretário da saúde da cidade de Santa Marta, Julio Salas, apelou para que a população deixasse de praticar relações sexuais. Ao que parece o conselho é mesmo deixar para as horas mais frescas, o final do dia, o contacto sexual para que não se gastem tantas energias com o tempo quente. 

Portuguesas e portugueses, emigrantes e turistas, tomem nota disto, se estão em Portugal por estes dias quentes de Verão e não tiverem ar condicionado em casa, não pratiquem sexo. Bebam muitos líquidos, tirem a roupa mas não provoquem os vossos parceiros porque com calor sexo é totalmente desaconselhável. O conselho vem da Colômbia para o Mundo e Portugal não é exceção por estarmos a enfrentar várias ondas de calor. 

04
Ago18

Love On Top de regresso

| O Informador

love on top.jpg

Hoje começa a nova edição do reality show low cost da TVI, o Love on Top, ou como Isabel Silva afirma, Lobe on Top. Já me questionaram sobre o que achava do regresso deste formato de bolinha vermelha ao ecrã. O que posso dizer? São seis raparigas e seis rapazes, escolhidos em discotecas e sites bem particulares, que se encontram numa casa para se conhecerem de dia e noite, em biquíni ou sem ele.

Quem me segue há algum tempo sabe que gosto de acompanhar reality shows, gostando de uns formatos e não tanto de outros, mas sigo e este em particular não é de todo dos meus preferidos, dentro do lote do que já foi feito a nível nacional. Percebo o seu regresso, principalmente pela polémica das quentes imagens pelo mundo online, gerando falatório nas redes sociais e imprensa e também por render milhões de visualizações em certos países onde os vídeos do formato são um verdadeiro sucesso nos conteúdos porno. Se vai ter audiência? Conseguirá manter os valores que o canal tem obtido no horário e com o TVI Reality. Se podiam e conseguiam fazer melhor? Podiam, mas com este tempo quente que agora chegou o momento é mesmo para colocar tudo a nu e com muita vontade para a brincadeira, mesmo que apostem num formato barato, com concorrentes que se vendem por pouco e estão dispostos a muito.

13
Jun18

Ganha | Sexo, Drogas e Selfies | Oficina do Livro

| O Informador

Sexo, Drogas e Selfies SDS.jpg

Joana perdeu a virgindade aos doze anos e é uma das raparigas mais populares do colégio.

Ela e as amigas, aparentemente perfeitas para os pais, escondem um dia-a-dia de sexo com estranhos, sem preservativo, e muitas drogas. Noites levadas ao limite para contornarem o aborrecimento de um quotidiano em que estão sempre agarradas ao telemóvel.

É o retrato de uma geração que não vive o momento, porque cada instante só lhe parece real se for registado pela câmara de um telemóvel. É a geração que depende das selfies e dos likes. 

Em pouco tempo, a vida da Joana e das amigas toma um rumo inesperado, e entra numa espiral descontrolada que condiciona definitivamente o seu futuro.

Francisco Salgueiro, autor de O Fim da Inocência, regressou aos diários de uma geração que leva os riscos ao limite, lançando assim Sexo, Drogas e Selfies, SDS.

Após dez anos sobre o primeiro livro baseado em factos reais, Francisco Salgueiro regressa assim através da Oficina do Livro aos temas de destaque entre os jovens que vivem na descoberta de novos mundos onde as drogas, o sexo e o mundo das redes sociais são o grande destaque entre abusos e seguranças sobre o lema Yolo, em que só vivemos uma vez. Um livro que retrata a geração que vive cada momento no limite, com o registo da sua vida a ser partilhado com a sociedade através de imagens que ficam e de atos que nem sempre podem dar bons frutos no futuro. 

Tu, que estás desse lado, tens aqui a oportunidade de ganhar um exemplar desta nova obra de Francisco Salgueiro. Esta hipótese irá estar disponível até às 12h00 de dia 21 de Junho, Quinta-feira, e nesse mesmo dia será revelado o nome vencedor nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. O premiado será contactado via email com a notícia sobre o prémio. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem...

02
Mar18

Feminismo a Mais

| O Informador

feminismo.jpg

Gosto de ver estas vozes que se levantam sobre o feminismo, apoiando uma luta para com a igualdade de género onde direitos e deveres têm de ser iguais para ambos os sexos. No entanto tamanho alarido por vezes acaba por ser em demasia e existem casos e mesmo atitudes que criam o efeito inverso ao pretendido. 

«Somos mulheres», sim são mulheres e os homens são homens. Há que lutar por novas oportunidades, mas afirmar constantemente que se deve continuar a querer fazer mais e mostrar que nem é de igualdades que se fala em certos temas mas sim de superioridade. Afinal de contas ser igual é a vontade ou ser mais que o sexo oposto é o objetivo?

Fazer o que tanto criticam não me parece lá muito bem, para mais numa sociedade onde ainda existem diferenças, não digo que não, mas este pisar repetitivo no mesmo tema do feminismo diariamente com todos os temas sociais a servirem para se comentar e lançar novo debate acaba por mostrar precisamente o contrário do que querem. Feminismo em demasia tem mostrado que ao andar consecutivamente a seguir a mesma linha consegue-se acabar por provocar a ideia de que essas mesmas pessoas se continuam a sentir inferiores aos homens. Se a sociedade é o que é com as diferenças a prevalecerem não há que lhes dar destaque, mas sim fazer com que as coisas mudem. Bater constantemente no tema, fazer alarido e criar chamadas de atenção de forma sucessiva cansa e cria exaustão para com as vozes que se elevam por este tema, como em qualquer outro. 

08
Fev18

Recasados em abstinência

| O Informador

abstinência sexual.jpg

Papa Francisco lançou a ideia e D. Manuel Clemente proferiu as declarações que já estão a deixar a igreja a pensar. O cardeal-patriarca de Lisboa propõe, com base em textos do Papa, a todos os católicos divorciados e que voltem a casar pelo civil para que pratiquem a abstinência sexual com a finalidade de poderem continuar a aceder aos sacramentos da confissão e da comunhão. 

Foi com base na orientação do Papa Francisco, Amoris Laetitia, que D. Manuel Clemente decidiu orientar divorciados e recasados para os ideais católicos, apelando ao convívio e partilha mas nada de vida sexual entre o novo casal. Assim sendo e pela ideia tornada pública pelo responsável da igreja católica em Portugal, casar pela segunda vez tem de ser com uma pessoa que aceite viver junto sim, mas como amigos ou irmãos, sem pensamentos e práticas sexuais.

Estas normas pretendem servir para, segundo o cardeal-patriarca, «acompanhar e integrar as pessoas na vida comunitária», não aceitando o divórcio e o refazer de uma nova vida conjugal. Para a figura nacional da igreja cada caso é um caso e tem de ser visto como tal, existindo assim exceções para os segundos casamentos com e sem abstinência. Novas uniões após um recente divórcio, falhas no anterior casamento e injustiças para com o anterior par são três dos exemplos de quem deve ficar em abstinência na nova relação. 

04
Ago16

Love on Top, de Portugal para o Mundo

| O Informador

love on top.jpg

A imprensa especializada no mundo televisivo em Portugal avança com a informação de que o reality show low cost da TVI está a despertar interesse pelo mercado internacional. Austrália, Alemanha, China, Dinamarca, Estados Unidos da América, França e Itália são alguns dos países que viram grupos televisivos a mostrarem algum agrado pelo programa Love on Top, estando neste momento a TVI a negociar com várias produtoras e operadoras a internacionalização do formato.

O que poderemos dizer sobre isto? Um programa barato onde os concorrentes ganham pouco e não se inibem de fazer nada. Das conversas picantes às cenas de sexo e pancada, o lote escolhido em cada edição, já se podem contar três, é sempre polémico e quando não o é de início consegue tornar-se.

Qual a razão de pelos outros países não quererem comprar um programa que consegue render, custa pouco, tem polémica, atrai o público e ainda alcança o mundo das aplicações de telemóvel?! Nenhuma!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • O Informador

    Não vi A Mentira ainda, existindo horário mais ráp...

  • Cristina Gaspar

    Acabei por ir ver A verdade depois da sessão de Do...

  • O Informador

    Enquanto caminho é que não dá. Não vá tropeçar em ...

  • Anónimo

    Boa noite."Hábitos de Leitura: Portugal na cauda d...

  • marta-omeucanto

    Eu leio onde calhar, seja em casa, na rua, ou em s...

Mensagens

Pesquisar