Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

maria-duenas-billboard

Quem lá vem? Pessoa indesejada!

07
Mar19

pessoas indesejadas.jpg

Há uns dias, num parque de estacionamento do supermercado estava em conversa com uma amiga e de um momento para o outro ambos devemos ter pensado o mesmo quando um carro se aproximou justamente para estacionar num dos lugares bem próximos de nós.

O instinto de ambos surgiu praticamente em simultâneo quando percebemos quem era o condutor daquele veículo, um senhor bem chato, mentiroso e metido que nem um nem outro queria aturar. Conclusão, tivemos a mesma expressão, despedimos-nos e seguimos cada um a sua viagem. Tudo isto para que o Sr. Chato não nos visse para fugirmos dos cumprimentos habituais com histórias que não te deixam quase sair do lugar por ir atrás e quase te agarrar por teres de ouvir o que tem a dizer sobre a sua vida. 

Quem lá vinha ao nosso encontro não era desejado, optando assim por seguirmos antes que nos visse e nos pregasse aquela seca que só algumas pessoas conseguem dar a quem está nem aí para as suas vitórias, mentiras e incongruências. Assim «quem lá vinha» ficou lá porque quando nos podia ter visto já nós «lá íamos» bem no fundo para não sermos apanhados na teia dos prolongados cumprimentos.

Eu, o rapazito!

16
Set16

Sinceramente, não querendo parecer convencido, sei que aparento por vezes ter menos idade que a verdadeira! Há uns dias no trabalho senti isso na pele com uma cliente a apelidar-me por rapazinho junto do meu colega, com dois anos a mais que eu, que foi chamado por senhor! A diferenciação poderia ter uma boa ou má conotação mas não senti nada de critica naquela forma de se exprimir perante os dois, simplesmente quis diferenciar mas enquanto eu fiquei contente...

Ah pois é, o «rapazito» já caminha para os trinta e continuam a achar que tenho uns vinte e quatro, vinte e cinco! Não me importo nada, embora há uns anos me tenham confundido com o meu primo que tem quase doze anos a menos, mas enfim. Na altura fiquei um pouco irritado e devo ter mostrado má cara, mas logo passou, embora a situação me tenha ficado marcada!

Nos dias que correm continuo a sentir que fisicamente quem não me conhece continua a achar, na maioria dos casos, que sou mais novo e isso poderá sempre ser um pau de dois bicos. Tenho responsabilidades laborais e consegui ao longo do tempo mostrar trabalho e por ser um dos mais novos, quase com trinta, e aparentar ainda menos, não quer dizer que não saiba o que ando a fazer. Só que quem olha à primeira vista para um suposto funcionário mais novo que os outros não leva a sério que a responsabilidade existe acima de quem tem mais idade.