Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

wook-natal-billboard

Primeira conjuntivite

04
Dez19

olhar.jpeg

 

Acordas e tens uma dor leve no olhar que te desfoca através das lágrimas a visão. Lavas a cara e tentas perceber o que está a afetar a tua visão. Não encontras qualquer pestana, grão de pó ou impureza. Pensas que passado um pouco está tudo bem. As horas passam e a tua visão tendem a piorar, a comichão surge e não consegues entender o que se passa. Não podes colocar as tuas lentes de contacto para saíres de casa. Vais à porta da rua e percebes que o sol te afeta. Colocas os óculos de sol sem graduação porque tens de te deslocar a uma farmácia para te receitarem alguma coisa. Conjuntivite é o nome que dão ao mal estar sentido no olhar. Um frasco de pingos sai contigo do estabelecimento. Voltas a colocar os óculos escuros para andares na rua e chegares a casa. Optas por ficar no escuro porque a luz do dia afeta, colocas os pingos, estás a melhor com as horas que passam e quando dás por isso passou um dia de folga perante o qual não desfrutaste porque tiveste a tua primeira conjuntivite ao fim de trinta e três anos, onde mais de metade dos mesmos usas lentes de contacto e nunca nada deste género te tinha acontecido. Esta história é minha, eu sou o Ricardo, o moço que ficou com conjuntivite assim do nada e ao fim de mais de trinta anos, sem saber como era ter esta reação ocular. Espero que tenha sido a primeira e a última! Obrigado!

 

24h de má indisposição

10
Ago19

indisposição.jpeg

 

Passei todo o dia com uma certa moleza que até me fez adormecer ao longo da tarde, no entanto foi a noite que me custou mais a ultrapassar por diversos motivos.

Má indisposição, calor, sede e aparentemente falta de sono, tudo aconteceu numa só noite em que só desejei dormir descansado e não o consegui fazer. Na manhã seguinte além de acordar mais cedo que o desejado e imposto pelo despertador, não apetecia levantar, ao tomar banho os músculos pareciam tão vulneráveis que só pensava em me sentar. Mal comi por falta de vontade e segui para o trabalho, mal do estômago, sem força e com a certeza que o dia não iria ser fácil. E assim foi. A manhã foi horrível, entre a barriga vazia, a falta de apetite e as idas ao wc. Depois lá consegui comer uma sandes acompanhada pelo chá de camomila, ao almoço fiquei por meia posta de peixe cozido, o que não é nada para o que costumo comer, e o lanche neste dia não existiu. Ao longo da tarde a situação foi melhorando e a má disposição parece ter ficado para trás. Passei fome mas na verdade também não tive apetite e optei por não forçar o que podia cair mal. 

Estive cerca de vinte e quatro horas indisposto e tentei logo manter alguns cuidados na alimentação ao mesmo tempo que segui a minha vida, sem me deixar ficar só porque estava com o estômago meio transtornado pelas falhas dos últimos dias, o que também fez com que todo o corpo se sentisse perante a situação.

Um pedido pelas lentes de contacto

04
Mar19

lentes de contacto.jpg

Um pedido de quem é utilizador de lentes de contacto e sofre perguntas sobre a colocação e tiragem das mesmas... Não digam expressões como «que impressão», «que nojo», «isso espeta nos olhos»!

Se vos coloca impressão quando explicamos como colocamos e tiramos as lentes, então pensem e não digam, melhor ainda é nem perguntarem se já sabem que vos mete alguma confusão um ato que para nós, utilizadores de lentes de contacto, é bem simples.

Quando falarem com pessoas que utilizem lentes e têm ideias de dor, impressão e complicação não se expressem e não façam caretas quando estamos a explicar de forma normal que usar lentes não é nada de especial porque após uns dias de utilização já as colocamos e tiramos sem recurso a espelhos e com uma rapidez incrível.

Descobri o Carmex

30
Dez18

carmex.jpg

Há uns dias chegou até ao personagem uma amostra do batom medicamente aprovado Carmex. Este tradicional batom já conta com décadas de mercado e recentemente está a ser relançado para continuar a acalmar e proteger os lábios de todos nós. 

Com cânfora e petrolatum branco como ingredientes ativos e lanolina, ésteres cetílicos, manteiga de sementes de theobroma cacao, parafina, cera de abelha, mentol, ácido salicílico, fenol, vanilina e sabor nos compostos inativos, o bálsamo labial Carmex consegue associar o efeito refrescante com a leveza num produto recomendado por farmacêuticos.

Confesso que não conhecia este produto que tem anos no mercado mas que tem estado um pouco escondido do grande comércio de consumo. Recebi esta amostra, já visitei o site da marca onde podemos encontrar este e outros produtos hidratantes e revelo mesmo que estou surpreendido pela eficácia com que este bálsamo atua para proteger e mesmo cuidar os lábios mais sensíveis. 

Sexo com calor? Desaconselhável!

20
Ago18

sexo calor.jpg

A Colômbia enfrenta uma onda de calor, tal como Portugal tem tido ao longo das últimas semanas com dias bem quentes a afetarem todo o território. Com as altas temperaturas a atacarem os colombianos, o secretário da saúde da cidade de Santa Marta, Julio Salas, apelou para que a população deixasse de praticar relações sexuais. Ao que parece o conselho é mesmo deixar para as horas mais frescas, o final do dia, o contacto sexual para que não se gastem tantas energias com o tempo quente. 

Portuguesas e portugueses, emigrantes e turistas, tomem nota disto, se estão em Portugal por estes dias quentes de Verão e não tiverem ar condicionado em casa, não pratiquem sexo. Bebam muitos líquidos, tirem a roupa mas não provoquem os vossos parceiros porque com calor sexo é totalmente desaconselhável. O conselho vem da Colômbia para o Mundo e Portugal não é exceção por estarmos a enfrentar várias ondas de calor. 

Malvada dor de dentes

16
Ago18

dor de dentes.png

Chegou de mansinho, numa manhã nublada quando as janelas ainda se encontravam fechadas e o lençol tapava um corpo nu. Palpitou sem ter avisado no dia anterior que iria aparecer e logo que se fez sentir percebi que estava lixado. O inesperado não era uma coisa boa, sendo uma ligeira dor de dentes que poderia ter passado ao longo do dia, mas não, permaneceu numa véspera de fim-de-semana para se prolongar nos dias seguintes. Alegria de ser sexta-feira não foi, sendo esta sensação inesperada mais um peso que ficou para durar, mesmo que o pensamento inicial fizesse força para que tudo passasse rapidamente.

Uma dor de dentes ligeira permaneceu, durou e não desapareceu como era esperado. Surgiu naquela manhã para me acompanhar ao longo de praticamente quatro dias, uma vez que nada passou e no primeiro dia da semana seguinte, a segunda-feira, o dentista estava ausente do consultório. 

Chumbo da eutanásia

31
Mai18

eutanásia.jpg

Na passada Terça-feira foi a votos no Parlamento a despenalização da eutanásia e os deputados não foram unânimes, uma vez que o chumbo dos quatro projetos de lei que estiveram a votação não foram aprovados por pouco, sem existir uma grande demonstração sobre um dos lados da questão. 

Com projetos de lei do PAN, BE, PS e PEV, a despenalização da eutanásia foi votada por todas as forças políticas onde cada deputado foi chamado pelo seu nome e dando o seu parecer sobre a questão. Com um maior número de votos contra do que a favor e algumas abstenções, os projetos foram assim todos chumbados para regalo principalmente dos deputados do CDS e PCP que estão claramente contra esta decisão. 

Cá por casa, antes do momento da votação no Parlamento, a questão levantou-se e a opinião também é discordante. Pessoalmente concordo com a despenalização da eutanásia, dando à pessoa que sabe que vai perder as suas capacidades por doença de escolher não sofrer e poupar o sofrimento de quem está ao seu redor, evitando perder qualidade de vida e ficando muitas vezes com uma mente sã num corpo morto ou vice-versa. Entre passar meses ou mesmo anos de sofrimento e obter o poder sobre a morte assistida, sou defensor do poder de escolha. Nesta questão, cá por casa as coisas não são mesmo unânimes, sendo o único a aprovar a despenalização da eutanásia, tema que gerou uma pequena discussão sobre os meus pontos de vista sobre este assunto e o facto de cada um poder escolher a morte assistida e com dignidade. Eu aceito e defendo mesmo a possibilidade, mas os receios que a despenalização num ponto inicial abram outros caminhos futuros existem nas gerações mais velhas e vejo que é nesse ponto que muitos ainda não conseguem olhar com bons olhos para esta medida que mais ano menos ano será aprovada e vista de outra forma através das bases que entretanto deverão ser dadas, com explicações e um plano estratégico para que tudo seja feito de forma a que a sociedade venha a perceber os pontos positivos sobre a despenalização da eutanásia no nosso país.