Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

maria-duenas-billboard

Rendimento Social de Idiotas | Santiago Xande

12
Fev19

rendimento social de idiotas.jpg

Título:  Rendimento Social de Idiotas

Autor: Santiago Xande

Editora:  Manufactura

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2018

Páginas: 160

ISBN: 978-972-559-365-3

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Hilariante, sarcástico, burlesco; tão burlesco que até mete dó…

São pessoas que recebem o Rendimento Social de Inserção. Portugueses. Idiotas?

É um técnico do dito Rendimento, que passa para o papel o que de mais inesperado e inacreditável vai sucedendo, dia após dia, nessa negra e ingrata tarefa de explicar ao beneficiário o que significa beneficiário. Um livro polémico, sem dúvida. 

A crítica, por vezes mordaz e sempre demolidora, que neste livro implicitamente se faz, é acima de tudo um portentoso exercício de humor satírico.

Sem filtros, o dia-a-dia de um técnico de Rendimento Social de Inserção (RSI), confrontando-se com situações estranhas e caricatas, e com comportamentos bizarros ou até inacreditáveis, mas que, afinal, retratam simplesmente a realidade

Algumas das histórias mais idiotas do RSI - antigo Rendimento Mínimo Garantido -, contadas por alguém que passou por elas e que sobreviveu a todas com apenas algumas escoriações profundas e queimaduras graves.

As histórias que aqui se contam são todas reais, mas algumas são difíceis de aceitar. Lá está, são idiotas.

 

Opinião: Rendimento Social de Idiotas é daqueles livros que pode não ser apelativo pela primeira aparência mas que assim que se começa a sua leitura conquista pela boa disposição e os bons apontamentos comportamentais que vão sendo dados. 

Essencialmente e de forma resumida, o narrador das várias histórias incorporadas em Rendimento Social de Idiotas são contadas por um antigo funcionário do serviço de Rendimento Social de Inserção, que teve de ouvir, respirar fundo e voltar ao ativo perante várias situações inusitadas que lhe foram aparecendo pela frente ao longo dos anos em que trabalhou no serviço onde é atribuído o pagamento que vai para além do subsídio de desemprego para quem não tem qualquer rendimento.

Este Espaço é Teu! | Rendimento Social de Idiotas

27
Dez18

Rendimento Social de Idiotas.jpg

Sinopse

Hilariante, sarcástico, burlesco; tão burlesco que até mete dó…
São pessoas que recebem o Rendimento Social de Inserção. Portugueses. Idiotas?
É um técnico do dito Rendimento, que passa para o papel o que de mais inesperado e inacreditável vai sucedendo, dia após dia, nessa negra e ingrata tarefa de explicar ao beneficiário o que significa beneficiário. Um livro polémico, sem dúvida. 
A crítica, por vezes mordaz e sempre demolidora, que neste livro implicitamente se faz, é acima de tudo um portentoso exercício de humor satírico.
Sem filtros, o dia-a-dia de um técnico de Rendimento Social de Inserção (RSI), confrontando-se com situações estranhas e caricatas, e com comportamentos bizarros ou até inacreditáveis, mas que, afinal, retratam simplesmente a realidade
Algumas das histórias mais idiotas do RSI - antigo Rendimento Mínimo Garantido -, contadas por alguém que passou por elas e que sobreviveu a todas com apenas algumas escoriações profundas e queimaduras graves.
As histórias que aqui se contam são todas reais, mas algumas são difíceis de aceitar. Lá está, são idiotas.

Na Caixa de Mensagens da rubrica Espaço é Teu! deixaram um simples link, este, https://www.wook.pt/livro/rendimento-social-de-idiotas-santiago-xande/21608796, e mostraram que neste espaço do blog tudo é mesmo possível, desde divulgações de eventos, lançamentos, estreias, desabafos pessoais, declarações de amor, denúncias e afins. 

Este Espaço é Teu! e com um texto explicativo longo ou uma simples frase irei comentar sempre o que vais partilhando de forma anónima. Neste caso não sei quem partilhou o link que vai dar diretamente ao site da Wook, onde entramos na página de venda do livro Rendimento Social de Idiotas, podendo ficar a pensar que terá sido o seu autor, Santiago Xande, a fazê-lo, mas não o sei em concreto.