Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Os mais novos e os tempos livres

01
Jun19

jbnet.jpg

 

Dia Mundial da Criança é sempre motivo para celebrar com os mais novos e aproveitar as iniciativas que vão sendo lançadas por autarquias e organizações como forma de festejar este dia dedicado aos mais novos. 

Sendo sempre bom relembrar o que nem devia ser chamado a atenção, que todos os dias são importantes para se dar atenção aos outros, onde se incluem os mais novos, o essencial é valorizar e preservar sempre o bem-estar das crianças, criando um bom ambiente, sabendo estar educando, incentivando e ensinando para uma boa ajuda no seu crescimento. Em tempos escolares ou férias, sempre há que incentivar também os mais novos a terem as suas próprias responsabilidades e atividades em casa ou fora dela para que não se tornem em jovens fechados e adultos frustrados. 

Como forma de incentivar o lazer nos tempos livres, a JB tem os produtos ideais para ocupar em boa forma crianças e adultos em atividades familiares e lúdicas. Tendo no seu catálogo diversas marcas viradas para a educação, literatura, escritório, jogos e brinquedos, como é o caso da Panini e da Primo, várias são as ofertas disponíveis e que podem ser adquiridas de forma online e numa encomenda rápida que dentro de poucos dias é entregue e pode de imediato ser utilizada. 

 

As fitas de finalistas...

23
Abr17

Por esta altura do ano, finais de Abril e início de Maio noto uma certa afluência ao blog por um motivo especial. As dedicatórias para as fitas de finalistas.

Na verdade há uns anos postei de forma pública duas dedicatórias que fiz pelas fitas da minha Afilhada, quando saltou da pré para a primária e na de um Primo de faculdade. Desde ai que por estas semanas as visitas a esses dois textos sobem e os mesmos tornam-se constantes entre as publicações mais vistas de cada dia. 

Parabéns D! 15 Anos!

29
Jan13

O meu primo preferido faz hoje anos! Parabéns priminho pelos teus quinze anos! Lembro-me do dia em que nasceste, eras tão vermelho e enrugado e eu lá fui com os meus onze anos ver-te ao hospital e desde aí senti que serias o meu irmão, aquele que nunca tive.

Não é a mesma coisa, mas como não tenho irmãos, o meu primo, filho da minha madrinha, quando nasceu veio abafar o buraco que se fazia um pouco na minha vida acerca da falta que sentia de ter um irmão. Nunca tive alguém aqui em casa sem ser os meus pais e sempre senti essa falta, mas há quinze anos atrás tudo mudou com o nascimento do D. 

A partir daí passamos a ser os dois netos dos meus avós maternos que partiram no ano passado para outras vidas e sempre nos demos bem. Embora com idades ainda um pouco distantes, sempre gostei do meu primo desde o seu nascimento e sempre o vi como um miúdo que tinha que proteger e que tinha que amar. Isso sempre aconteceu e hoje, depois de quinze anos, posso continuar a dizer que adoro o meu primo D. Nos seus primeiros tempos de vida foi um pouco criado aqui em casa, uma vez que a minha mãe tomava conta dele, e isso ajudou a criar uma maior ligação com o miúdo. Foi crescendo e a união que a minha mãe têm uma com a outra é a mesma que nós temos também.

Quinze anos, como o tempo passa e ele está crescido. É certo que um pouco mais baixo que os outros da sua idade, mas está crescido, é verdade! Muitos Parabéns D! Já estás quase um adulto, embora tão criança!