Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

27
Dez19

As meias já se foram...

meias.jpg

 

Cresci com o conhecimento de que em todos os Natais iria receber meias. Agora e já há alguns anos, que esta tradição se alterou e as meias que eram oferecidas ficaram mesmo para trás. Se as quero que as compre ao meu gosto. Os presentes foram alterados e as célebres meias que sempre apareciam como presente natalício já eram.

Posso dizer que a tradição já não é o que era e que os queixumes de que recebia meias agora resultam em momentos de saudade! Em muitos momentos da vida não entendemos que os hábitos dos quais refilamos com o tempo se transformam e acabam por fazer falta por mostrar a saudade da real essência de pequenos gestos. Não damos valor a um par de meias oferecidas pela tia, pela avó ou pela vizinha mas é quando esses pormenores deixam de aparecer que percebemos mais uma vez que essas pessoas já não estão em alguns casos presentes nas nossas vidas. 

24
Dez19

Natal 2019!

natal.jpg

Natal 2019! Os dias que anteciparam estes dias natalícios foram corridos, com trabalho a redobrar. Hoje mesmo estarei a trabalhar até ao final da tarde para que os últimos presentes sejam comprados por existirem muitos portugueses que acham que quem trabalha na área comercial tem de estar sempre disponível, até horas tardias, e com bom ar, sem pressas porque o cliente tem sempre razão. 

As pessoas não têm consciência do consumismo, da arrogância que por vezes demonstram quando querem comprar um presente de última hora e não encontram nada que lhes agrade, fazendo má cara, respondendo de forma rude e muitas vezes nem pronunciarem um «Boa tarde!» que não fica mal a ninguém. Deixam as compras para o fim por ser uma obrigação e depois querem que tudo lhes apareça pela frente, com pressas, falta de noção e sem respeitarem quem está a fazer o seu trabalho.

Lembra-te que se fores um dos que deixa todas as compras para serem feitas mesmo pelas últimas horas do dia que o faças de modo civilizado e que respeites pelo menos quem está a realizar o seu trabalho para que possas dar aquele presente comprado às três pancadas sem apareceres de mãos a abanar na noite da consoada. 

18
Out19

Outubro de Natal

natal 1.jpg

 

Estamos em Outubro e o certo é que neste momento as superfícies comerciais já se estão a antecipar à grande época natalícia que por aí está para chegar. Anteriormente, e não assim há tantos anos, Dezembro é o mês de todas as compras, os primeiros dias para embelezar a casa, começar a pensar nos presentes, correr para as lojas, preparar a lista de compras para as refeições dos dias natalícios e a noite de 24 chegava, a família se unia e o 25 seria sempre um prolongamento da noite mais tradicional e familiar.

Os tempos foram-se alterado, a lei da concorrência comercial adensou-se e o Dezembro esticou para Novembro e este ano, não me lembro bem se será o primeiro, em pleno meio mês de Outubro encontrei decoração de Natal já a fazer parte de grandes lojas de decoração. Os supermercados também já começaram com as grandes promoções de brinquedos que ficaram do ano passado para que depois nas semanas derradeiras de Natal as novidades possam encher prateleiras com preços mais elevados. 

Portugal começa a vibrar com a época natalícia cada vez mais cedo, faltam mais de dois meses para que o bacalhau e o peru sejam servidos como reis da mesa e os presentes sejam abertos antes de seguir para a Missa do Galo mas o comércio não perdoa e se é necessário vender e antecipar o que a concorrência está a preparar, então que comece o Natal.

29
Set19

Conheces o verbo Bajular?

bajular.jpeg

 

A questão que te coloco e que até peço para dares algum exemplo pelos comentários é... Se já sentiste que foste bajulado por alguém com interesses por trás de tanta adulação?!

Fazendo uso do nosso melhor dicionário online, o Priberam, passo a elucidar que bajular é um verbo transitivo que se pode traduzir como «prestar bajulação a» e «lisonjear de forma servil», ou seja, adular ou bajoujar. Quem nunca o sentiu ser feito para com a sua pessoa só porque existe interesse do lado de lá de venerar, criar ilusão, seguir todos os passos?

Por vezes as pessoas não se dão conta do quanto se tornam bajuladoras para tentar chegar aos seus objetivos, lançando os trunfos e tentando demonstrar o que nem sempre são para ficarem bem, dando a sua melhor fase, as boas conversas, demonstrando que estamos tão bem quando pretendem na verdade é caminhar pelo seu percurso às nossas costas. A isto também se pode apelidar, através de uma frase mais corriqueira e popular, «passar a mão pelo pêlo» porque quem está a receber as boas novas parece ter tudo de bom. Sim, tu bajulas, ele bajula e todos bajulam porque nem sempre as verdades são ditas como são, sendo necessário criar aquela ilusão de que está tudo tão perfeito com o que fazem que és o máximo dos máximos e digo-te isso numa boa como se estivesse a limar aquela unha que tem de ficar perfeita, com todo o brilho e relevo necessário.

Quem nunca bajulou? Quem nunca bajula? E quem nunca bajulará? Atirem a primeira pedra, seus bajuladores!

17
Fev19

Barbie aposta na inclusão

barbie.jpg

Foram precisas décadas para que a Mattel percebesse que existe muito mais para além de uma rapariga alta, esguia, loura e teoricamente perfeita. Há uns anos algumas Barbies incluídas na série Fashionistas começaram a ganhar cor na luta contra o racismo, tal como diferentes cores e cortes de cabelo, profissões e tipos de corpo. Agora, no ano em que a Barbie completa o seu 60ª aniversário, eis que um novo passo é dado, desta vez na direção da inclusão social com novas bonecas a serem lançadas mais para o final do ano a refletirem alguns problemas físicos. Os novos modelos a serem lançados contarão com uma Barbie em cadeira de rodas e uma outra com uma perna de prótese removível. 

Segundo a Mattel nas suas páginas pelas várias redes sociais, este lançamento pretende demonstrar «um maior reflexo do mundo que as raparigas vêem à sua volta», mostrando assim um novo esforço para reconhecer que a diversidade perante o conceito de beleza é igualitário a todos. 

Lembro, e após pesquisa, que há duas décadas, a Mattel lançou para o mercado a Share a Smile Becky, uma amiga da Barbie com mobilidade reduzida, mas a mesma foi retirada do mercado em 2017 por não se conseguir incluir no fantástico mundo da Barbie por falta de acessibilidades na casa e nos mais diversos acessórios criados ao longo destes anos. Agora é a própria Barbie que terá as suas novas versões, acreditando-se que assim os novos modelos para além da boneca possam estar a ser desenhados a favor da inclusão, uma vez que estas novas Barbies serão articuladas, tal como tem acontecido ao longo dos últimos anos com as restantes.