Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Leituras de Abril

Abril, águas mil! Por aqui foi mais Abril, leituras triplas! Não rimei, pois não? Mas também não era para rimar, a intenção era só mesmo fazer uma introdução assim meio engraçada sobre as minhas leituras do mês de Abril. Foram três os livros que li no passado mês, como tem vindo a ser hábito nos últimos meses. Vamos lá atirar-nos de cabeça às minhas leituras...

O Olho de HertzogO Olho de Hertzog

Vencedor do Prémio Leya 2009, este livro da autoria de João Paulo Borges Coelho foi comprado por um preço irrisório numa feira do livro de um supermercado bem conhecido. Com uma escrita óptima e bem explicita sobre o rescaldo da Grande Guerra, mas que a mim não me convenceu, isto porque para além de não gostar do tema central, não consegui perceber a história, não tendo encaixado logo de início com as suas personagens principais O Olho de Hertzog é um livro ideal para os fãs da história que envolve esta guerra. Um livro que mereceu uma boa distinção por parte da crítica, mas que a mim não me conquistou pelo que é contado e não pela forma como o é.

AcraManuscrito encontrado em Accra

Paulo Coelho voltou a fazer sucesso comigo! Pela segunda vez adquiri um livro do autor brasileiro assim do nada e sem intenção, não conseguindo perceber se existe uma espécie de chamamento ou não para isto me acontecer, o que é verdade é que vou com a intenção de comprar uma coisa e depois pego nos livros do autor e trago-os comigo deixando a minha intenção para trás. Ao longo de pouco mais de 150 páginas, Paulo Coelho reflecte sobre a vida, a sua existência e a morte, mostrando todos os lados das várias fases pessoais pelas quais todos passamos e necessitamos de sentir. Os valores do ser humano, a razão da sua existência e da luta diária pelo bem são contados neste manuscrito que passa pelos momentos de solidão, julgamento, ansiedade, inimizade, beleza, coragem… ao longo deste último desabafo de Paulo Coelho através das palavras.

Preces AtendidasPreces Atendidas

Danielle Steel é a minha autora de romances preferida e mais uma vez deixei-me levar através destas Preces Atendidas. Com uma história básica e onde o final ficou previsível logo desde o início da leitura, a forma como Danielle conduziu as suas personagens foi-me agarrando a este livro porque, e mesmo pensando que o final seria o que foi, existiram vários momentos em que pensei que aquelas pessoas iam desistir dos seus novos projetos e vidas para se deixarem ficar com o que tinham, mesmo vivendo situações de solidão e baixa auto-estima. Felizmente e graças quem sabe, às minhas preces, tudo terminou como eu desejei. Um bom livro para se ter como companhia nos momentos em que apetece ler, mas não apetece pensar!

Voltar a viver

Alex é um homem bem sucedido nos negócios. Ao seu lado tem tido a sua mulher, Faith. Mas ao fim de vários anos de casamento e com as suas filhas já fora de casa, o casal, que sempre esteve bem, começa com os seus problemas conjugais e de entendimento. Existirá motivo maior para duas pessoas estarem juntas só porque sim, remetendo-se à vontade um do outro sem mostrarem o que verdadeiramente querem?

Com as duas filhas já adultas e sem precisarem dos cuidados maternos, Faith percebe que a vida que foi tendo sempre girou em torno do seu marido e filhas. E agora que só lhe resta um marido que mal lhe liga, o que fazer com o seu próprio futuro?

Perto dos cinquenta anos é sempre tempo para se voltar a viver, isto para quem perdeu a maior parte da sua vida por dedicação aos outros e é este o lema que me tem feito reflectir o livro Preces Atendidas de Danielle Steel e de onde fiz este pequeno resumo sobre o casal Alex e Faith. Como é que as pessoas se deixam levar pela vontade dos outros sem pensarem primeiro em si mesmas?

Faith, neste caso, sempre se dedicou à sua vida familiar, depois e quando está a chegar aos cinquenta anos percebe que perdeu a sua própria existência em função dos outros. Se por um lado tem o desejo de tudo mudar e lutar pelo que quer, por outro existe a pressão de quem ainda vive ao seu lado, que está habituado a chegar a casa e ter tudo feito e ao seu dispor, sem ter que se preocupar com nada.

Uma relação, seja ela com a duração que tiver, não serve para a ajuda e bem-estar das duas partes? Numa relação não se tem que querer que o outro esteja bem e se sinta realizado com o que tem e faz? Quem manda e tem por hábito sentir-se o líder não aceita ser enfrentado, mas para que duas pessoas estejam felizes tem de existir vontade dos dois e não apenas de um, não podendo existir o poderoso e o cão de guarda.

Não aceito que as pessoas se rebaixem a favor e a pensar nos outros. Nunca é tarde para se voltar a viver quando se andou de olhos fechados para o mundo e para o que ele tem para nos dar.

Faith acordou, mas muitas pessoas por esse mundo fora vivem em função de outras e não têm a sua própria vida. Existem muitos Alex's por aí, infelizmente, porque as ideias retrogradas nunca vão desaparecer da nossa sociedade machista.

Preces Atendidas

Preces AtendidasPreces Atendidas é um romance que, sem dúvida, me deixou preso porque aparentemente o seu final já era previsível, mas a forma como os seus protagonistas se foram cruzando e mostrando quererem fugir da realidade deixou-me sempre curioso se Danielle Steel iria dar às suas personagens o final que era esperado... E deu!

Através do casamento de Faith com Alex, o marido que a autora mostra ser desinteressante e despegado do casamento, torcendo-se assim ao longo da leitura para que a separação do casal aconteça, a história começa, mas é depois durante as cerimónias fúnebres do padrasto de Faith que tudo começa a mudar, porque esta mulher percebe que está ao lado de uma pessoa que não lhe diz nada, tendo deixado levar-se pelo tempo e pelo bem-estar das suas filhas, agora crescidas.

Brad, um amigo de infância de Faith e do seu irmão Jack, aparece no momento de luto que Faith atravessa e mostra-lhe que Alex está errado por não estar ao seu lado naquele momento de dor. Embora os dois amigos sempre queiram mostrar que o que os une é uma sincera amizade, uma vez que também são ambos casados, os destinos e as vidas sem amor que ambos mantém acabam por os aproximar cada vez mais.

No final, o desfecho termina tal como sempre torci para que acontecesse, com os amigos bem e os seus dois companheiros a seguirem os seus caminhos, tal como já faziam nos casamentos de fachada que mantinham. Os filhos existem pelo meio, mas percebem que o que interessa é o bem-estar dos seus pais, estejam eles juntos ou separados.

Danielle Steel é a minha autora de romance de eleição e além de me conduzir por uma boa história de amor onde torci pelas minhas personagens favoritas, mostrou-me mais uma vez verdadeiras personagens que poderiam ser qualquer um de nós ou aquelas pessoas que até conhecemos com vidas tão parecidas a estas que são contadas.

Este livro mostro-me que por muito que se queria negar um facto, o mesmo acaba sempre por nos tocar e fazer perceber que teremos de tomar uma atitude para também não nos andarmos a enganar a nós próprios. Tal como a última frase do livro relata, «Por vezes, as preces demoram muito tempo a ser atendidas, mas as mais fervorosas acabam por sê-lo».

O que já li de Danielle Steel...

A Casa da Rua da Esperança

A Luz que Brilha

Ecos do Passado

Impossível

Segredos

Um Amor Imenso

Vou ler Preces Atendidas

Preces AtendidasQuem me segue com maior regularidade já sabe do meu gosto por ler Danielle Steel, agora, a autora que chegou até mim há quase dois anos, voltará a fazer-me companhia por mais uns dias e através do livro Preces Atendidas.

Embora goste da escrita e tenha algo bom a dizer sobre os livros que li da autora, ainda não li todos os que já foram publicados em Portugal pela Bertrand Editora porque gosto de intercalar vários autores entre si para não me cansar, e agora necessitava de ler algo que só Danielle Steel me conseguiria dar neste momento. Com as obras desta autora consigo imaginar e sonhar, entrando nas histórias sem que no entanto me deixem muito tempo a pensar. Precisava de ler algo assim leve, por isso esta escolha!

Sinopse

Um livro sobre a família e a amizade, sobre uma mulher que tenta libertar-se do seu passado e o homem que a ajuda a vencer. Faith Madison é a imagem perfeita da nova-iorquina sofisticada. Loura, magra, cheia de estilo, há muito quem inveje a sua vida. Ultrapassou uma infância trágica e casou-se com um banqueiro, de quem tem duas filhas adultas. Viveu ao máximo o seu papel de mulher e mãe e desfrutou da boa vida que teve. Mas, ao longo de todos os seus passos, ocultou de todos um segredo, e até de si própria. Mas quando reencontra um velho amor, um amigo de infância que, juntamente com ela e o seu irmão, formavam «Os Três Mosqueteiros», tudo na sua vida vai ser questionado. O casamento de Faith está em crise, porque ela decidiu, contra a vontade do marido, ter uma carreira própria e voltar a estudar. E é na correspondência com Brad, que vive num casamento sem amor, que vai encontrar refúgio. E à medida que recuperam a sua ligação de infância, algo mais vai crescendo entre eles.nBrad encontrará a coragem para tomar a decisão que devia ter tomado anos antes e também Faith será ousada e partilhará o segredo que traz consigo há tantos anos. Com uma visão extraordinária sobre a vida de maridos e mulheres, amantes e familiares, Danielle Steel conta-nos uma história comovente e sábia de segredos que nos ferem e escolham que nos saram - e das segundas oportunidades, que só uma vez na vida acontecem.

Depois de ter lido A Casa da Rua da Esperança, Ecos do Passado, Impossível, Segredos e Um Amor Imenso chegou então agora a vez de me deixar conquistar por Preces Atendidas. Contarei o que achei desta obra assim que a terminar de ler!