Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Revista Playboy com regresso marcado

playboy.jpg

 

Setembro de 2019 assinalará o regresso às bancas da revista Playboy, numa versão renovada que surge numa união com a 4Men, a publicação digital líder destinada ao universo masculino que visita a plataforma NiT.

Aliando a versão em papel e o digital, a nova Playboy Portugal apresenta-se antes de ser lançada como uma nova «super revista masculina» que contará já a partir de Setembro com um novo design, conteúdos originais, reportagens, novas e renovadas secções viradas para o dia-a-dia, moda, consumismo e entretenimento, notícias sobre a atualidade nacional e internacional, onde marcarão também presença vários cronistas para comentarem os mais sensíveis temas do momento na publicação em papel de forma mensal ou no site de forma diária. 

Este relançamento da Playboy em Portugal surge através da aquisição de 25% do capital da CCM, detentora dos direitos da revista no nosso país por parte da MadMen, dona da revista NiT, que terá a partir de Setembro a responsabilidade de provar ser capaz de marcar posição e conquistar os leitores para este novo projeto que é a revista Playboy Portugal. 

Já no que toca à publicação digital e pelo que foi revelado até aqui, o portal contará com as entrevistas e capas das antigas edições em papel, tal como as famosos imagens das Playmates e muito mais do que foi feito em termos nacionais e internacionais no universo Playboy. 

Nu integral de regresso à Playboy

playboy.jpg

Após uns bons meses de meninas tapadas pela capa da Playboy, eis que o nu integral volta a ser destaque na revista.

Em 2015 foi anunciado o fim das fotografias de nu integral na publicação, mas agora e após perceberam que a estratégia de mudança não resultou, eis que existe nova mexida e o tempo parece voltar para trás. Quem o revelou foi Cooper Hefner, o filho do criador da revista, que agora tem os comandos da Playboy nas mãos. Foi através das redes sociais que Cooper, o jovem de 25 anos, partilhou que «foi um erro» a decisão tomada anteriormente, acrescentado depois que «A nudez nunca foi o problema porque a nudez não é um problema. Hoje vamos recuperar a nossa identidade e defender quem nós somos», rematou. E para quando esta promessa será cumprida? Nem mais nem menos que já na edição de Março/Abril. 

O nu de Simão na Cristina

capa cristina.jpg

Uns meses depois dos primeiros nus na capa da revista Cristina e depois de umas capas mais recatadas, eis que ao número doze da publicação a nudez volta a ser distinguida num especial amor dedicado ao Dia dos Namorados e com Simão Sabrosa e Vanessa Rebelo como protagonistas. A história de amor do casal é o grande destaque da entrevista que aparece no meio de vários artigos onde o romance é a arma forte e onde até existe espaço para contos eróticos para apimentar este mês de Fevereiro. 

Voltamos agora aos nus na Cristina com Simão a aparecer sem qualquer peça de roupa na capa da revista líder de mercado no seu segmento. Eles prometem contar tudo sobre as separações que os uniram logo de seguida e as vozes mais críticas já se começaram a levantar com comentários do género... «Muito a Cristina [Ferreira] gosta de despir os homens» e «A Playboy mudou de nome agora chama-se Cristina!».

Hot! Hot! Hot! Rita na Cristina

Rita Pereira na Cristina.jpg

E eis que em pleno Agosto a revista Cristina consegue mais que uma qualquer Playboy que andou por aí! A revista da apresentadora da TVI conseguiu nada mais nada menos que despir Rita Pereira, algo que até agora parecia estar complicado!

Após capas bem vestidas e após um Ricardo Quaresma a nu, agora é a vez da atriz se despir de preconceitos e revelar-se aos leitores da publicação. Quente é o estado do tempo e quente será o estado das bancas quando a Cristina deste mês de Verão estiver disponível com uma das estrelas da representação a mostrar a força do amor, contando como as batidas do coração têm corrido ao longo da sua vida, não esquecendo Angélico Vieira. 

Esta Cristina é capaz de ter muito mais artigos interessantes, mas de certo que com esta capa muitos leitores, principalmente os masculinos que não são o alvo principal da publicação, se vão esquecer de virar as páginas!

Regresso inesperado!

Playboy.jpeg

E eis que a imprensa nacional acabou de ficar de novo com menos roupagem! A revista Playboy voltou às bancas para uma renovada temporada que deverá durar tanto como as duas anteriores, uns ligeiros meses, quem sabe!

Mafalda Teixeira, a atriz que tem um namoro eterno com Kapinha, foi a eleita para a reinauguração da publicação, no entanto a julgar pela foto de capa, esta sessão não tem nada de Playboy!

Um outro pormenor é... 4,95€ para ver umas fotos de uma atriz que nem é das mais badaladas da nossa praça em trajes menores, ler uma entrevista a uma outra atriz feita por Fernando Alvim e ainda acompanhar a grande entrevista a Pedro Boucherie Mendes não é demais? É, para mais quando já anteriormente quem lançou esta revista no nosso país percebeu que a mesma não funcionava!

Maxim vs. Playboy

As revistas Maxim e Playboy destinam-se aparentemente para o mesmo público, no entanto, para quem tem comprado as duas publicações desde o seu início, as diferenças são visíveis e parece-me que está na hora de optar por continuar a seguir só uma delas... Ou não!

Analisando as duas revistas masculinas percebe-se logo que a Playboy é muito mais elitista que a Maxim, sendo feita para um público com maior poder de compra e requinte. A Maxim nesse aspecto vai mais de encontro ao que procuro quando leio uma revista deste estilo.

Ambas são conhecidas por despirem as mulheres, mas o interior das suas páginas conta bem mais que isso. Em matéria de imagens com as musas de capa, a Playboy é a grande vencedora, sem querer dizer com isto que a revista concorrente não tenha boas imagens. E só neste ponto a Playboy é a minha eleita, em tudo o resto perde para a Maxim...

Pois é isso mesmo, as entrevistas, reportagens, artigos de moda, sugestões e crónicas são, a meu ver, de destacar as da revista Maxim, sendo mesmo o que gosto de ler quando mensalmente compro estas duas revistas. O mesmo tipo de artigos da Playboy deixa muito a desejar.

Depois ainda existe o facto de na Playboy, e por questões orçamentais, uma vez que as meninas de capa cobram mais que as da concorrente revista, se encontrarem demasiados anúncios publicitários, o que acaba por me irritar, uma vez que compro a revista para a consumir e não para ser comprado pela publicidade das grandes marcas.

No duelo Maxim vs. Playboy parece que a minha grande favorita é mesmo a primeira, no entanto, ainda tenho dúvidas se vou mesmo deixar de comprar a segunda, uma vez que existe sempre algo que me atrai!

Playboy Portugal já merece o seu nome

Seis meses depois da Playboy ser relançada em Portugal com a polémica capa com a tapada Rita Pereira, eis que a revista faz jus ao nome que tem e mostra finalmente a sua essência no nosso país.

Demorou quase meio ano a acontecer, mas aconteceu. Depois de Rita Pereira ter sido a figura de capa do regresso da Playboy a Portugal, foram cinco as figuras que já se seguiram e as duas últimas, Marta Pereira e Raquel Henriques, quiseram mostrar que as portuguesas também sabem tirar a roupa sem pudores.

As duas figuras femininas provaram nas páginas da publicação mensal que não têm problemas em mostrar o seu corpo, levando a Playboy Portugal a entrar no circuito mundial da revista que despe as mulheres bonitas. Porque será que a direcção desta conceituada revista quis começar devagar? Escolheu bem a sua primeira capa, mas não a mostrou como era desejado. Pagaram para ter uma figura de topo, mas esqueceram-se que essa mesma figura acabou por dar bem menos que a Popota tinha dado se fosse a escolhida. Agora sim, estão a fazer o seu trabalho como era pretendido logo desde o início.

Eu tenho as seis cá por casa e vejo a razão destas páginas serem as eleitas pela Escolha do Consumidor na categoria a que concorreram, mas não percebo mesmo a razão de quererem inicialmente que a Playboy fosse a Playoff nacional. Há que não voltar agora atrás!