Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

09
Set20

Inspirações repentinas

 

Motivos desconhecidos que nos trazem pessoas do nada para se cruzarem num curto espaço de tempo connosco e que do nada nos conseguem inspirar através de pequenas conversas rápidas e que nos mostram que sempre é possível acreditar nos nossos sonhos para se mudar, lutar e alcançar cada objetivo a que nos propomos. 

Há uns dias isso mesmo aconteceu com uma pessoa que esteve presente no meu local de trabalho durante uns dias a fazer as suas funções sem interferir com as da equipa. As conversas fluíam quando dava tempo e acabei por encontrar um ser lutador e bastante sonhador que mesmo fora da sua área acredita que com o esforço que nos explicou que sempre fez ao longo dos anos para atingir várias metas que agora, numa nova etapa de vida conseguirá voltar a conquistar todos os sonhos que tem em si. Começou cedo a trabalhar, viajou bastante e conheceu mundo antes de assentar arraiais e organizar família. Hoje com maiores responsabilidades e mudanças volta a sonhar em voltar a organizar o que já teve no passado por outras paragens e tem tudo tão bem definido que somente com as explicações que me foi fazendo acreditei no seu sucesso a médio prazo.

24
Jul20

Impressões primárias

pessoas.jpg

 

Sou muito de tirar impressões com o primeiro impacto com pessoas com que sei que me irei cruzar mais vezes ao longo do tempo. Quando o ser passa e não vai ficar em princípio por perto nem procuro criar uma ideia do que está do outro lado. Agora quando sei que fulano ou beltrano irá estar por perto em trabalho ou por estar próximo de alguém com quem costumo passar algum tempo então a análise já acontece de outra forma.

Rapidamente faço uma análise rápida do perfil do candidato a conhecido e tiro as minhas ilações, por vezes por expressões faciais, frases e comportamentos presentes no primeiro impacto, não deixando que isso influencie o contacto pelos tempos vindouros para perceber se a opinião inicial se vai alterando, o que geralmente não acontece.

Tenho casos com uma amiga e colega em que já sugeri várias vezes ao longo dos últimos tempos sobre quem se aproxima ser ou não de confiança e não me enganei em nada. Todos os que duvidei acabaram por desiludir mesmo a pessoa em questão e foram à sua vida num ápice, deixando marcas para trás a serem resolvidas depois. Atualmente existe novo pressentimento sobre uma não boa amizade existente para com essa pessoa que vê em alguém uma excelente companhia recheada de confiança quando está mais que à vista, pelo menos perante a minha análise, que esta aproximação repentina será somente mais uma peripécia que em tempos vindouros só servirá para a tentar lixar em grande.

08
Mar20

Confianças a mais

confiança.jpg

 

Pessoas calmas e tranquilas são bem-vindas à minha vida. Já aquelas que se acham as últimas gotas da garrafa e as estrelas que encontram supostas amizades em todo o lado podem ficar de fora do meu radar.

Odeio quem após conhecer já se acha fazer parte dos meus conhecidos mais próximos. Pessoas comuns e de bem com a vida não o fazem por existir consciência, mas os outros acham que as amizades são formadas com um simples «Olá!» estridente e que logo me deixa de pé atrás.

Primeiramente não sou fácil a criar novas relações, gostando de analisar comportamentos e modos antes de deixar que entrem um pouco na minha vida. E depois porque existe um espaço bem assumido da minha parte para com o abuso inicial, como se fossem os meus melhores amigos.

Gosto muito de olhar, analisando e percebendo se aquela pessoa poderia um dia fazer parte do meu núcleo restrito de quem gosto de manter por perto. Raramente me sinto enganado perante as primeiras impressões que retiro sobre as primeiras análises que faço, não existindo falhas nesse ponto. Quando percebo que logo de início as pessoas esticam a pastilha ficam logo de fora das possibilidades, mostrando até por vezes uma forma mais séria e arrogante da minha parte para cortar logo o mal pela raiz. 

 

18
Nov19

Conversa cansativa

bla bla bla.jpg

 

Sabes aqueles momentos em que estás a ouvir uma pessoa que não se cala durante meia hora e só pensas em sair do local? Esta situação já aconteceu com todos nós! O pior de tudo isto é que consegues sair com a desculpa de que vais almoçar e quem aparece logo de seguida e tens praticamente a obrigação de convidar a sentar na tua mesa? Essa mesma pessoa chata que te oferece mais meia hora de conversa infindável e em modo «alto e bom som». Sim, isto aconteceu comigo há poucos dias e foi tão, mas tão, cansativo!

17
Jul19

Ainda existem boas pessoas

boas pessoas.jpg

 

Uma sociedade hipócrita, individualista e competitiva reside neste momento num planeta cada vez mais complexo, desvalorizado e a cair no caos. No entanto existem boas pessoas, no meio disto tudo, que ainda resistem.

Nos tempos que correm ainda é possível encontrar boas pessoas, seres que nascem e preservam o dom de terem o bem do seu lado. Por vezes basta um olhar, um início de conversa, para se perceber que do outro lado podemos encontrar uma pessoa que valoriza a sua capacidade de refletir o bem através da grandeza da sua alma e generosidade.

As expressões, a capacidade de reação, a demonstração de apoio, um sorriso sincero, a palavra certa, o olhar expressivo, o tom calmo ao comunicar, os afetos e a forma de estar e ver a vida. Os pormenores identificativos à partida de uma boa pessoa existem, basta estar atento para se perceber quem está do lado do bem para mantermos por perto e agarrarmos para nos também conseguirem transmitir positivismo. Nada tem de ser feito por interesse, mas sim com o espírito de que é necessário fazer bem aos outros para também o podermos receber ao longo da vida.