Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ouvir, Filtrar, Ponderar.

O lema é este... Saber Ouvir, não responder logo quando o tema te faz ferver um pouco. Depois a sugestão é Filtrar a informação que te chegou e perceber se interessa ou é melhor deixar para trás. No fim Ponderar é sempre, mas mesmo sempre, a melhor solução antes de tomar qualquer decisão ou ação. Ouvir, Filtrar, Ponderar é o melhor trio de verbos que todos devemos seguir para se conseguir sobreviver de bem com a vida social para não se acabar por acusar desgaste e cansaço (...)

Responsabilidade futura

Ao longo do percurso de vida a maturidade e os conhecimentos vão sendo pontos base para se ganharem e ultrapassarem certos graus de responsabilidade nos mais diversos campos pessoais e profissionais. Cada um tem com a sua experiência a responsabilidade para conseguir tomar decisões através do poder de escolha e a partir do momento em que é necessário fazer opções de vida, escolhendo caminhos, optando por seguir determinados percursos que nem sempre se revelam nas melhores escolhas. Qu (...)

Pausas silenciosas

Momentos existem em que cada um necessita de fazer a sua pausa, procurar o silêncio que ajude a refletir, repensar o vivido, o presente e o que está para acontecer. Aquela solidão que pode servir de combustível para reforçar um amanhã com bases sólidas para se seguir em frente. Todos, em certos momentos da vida, já tivemos as nossas necessidades de procurar os silêncios em pausas forçadas pelo confronto pessoal. Este texto é assim como que a memória de todos os momentos em que (...)

Sem ideias!

A criação nem sempre está do nosso lado para que se consiga avançar com o processo de escrita e durante estes últimos tempos de confinamento tenho notado que o cansaço da situação não tem ajudado em nada a capacidade de raciocínio, bloqueando o surgimento de novas ideias. Parece que o pensamento está bem mais restrito como se tivesse perdido a noção da realidade, existindo como que uma dimensão mais reduzida, tal como o espaço de circulação em que estamos agora sujeitos. (...)

Valorizar

  Valorizamos os pequenos apontamentos da vida. Valorizamos quem nos rodeia e trás consigo boas energias. Valorizamos os novos conhecimentos e o que de bom podem trazem consigo. Valorizamos o simples facto de nos podermos abraçar e acarinhar. Valorizamos a liberdade que nos é permitida. Valorizamos a partilha para convivermos num mundo melhor. Valorizamos os momentos passados com a nossa família e amigos. Valorizamos a capacidade de esperança. Valorizamos o amor próprio tão (...)

Instantes

  Acordamos e preparamos para sair de casa, fechamos a porta e seguimos sem pensar que somos instantes, e que num instante somos nada. Saímos apressados já que os ponteiros do relógio não param e existem compromissos que não podem ser adiados. O «Até já!» fica suspenso, tal como tanto que deixamos por dizer e fazer porque a rotina não nos deixa desfrutar da companhia das pessoas que nos querem bem com tempo e dedicação. Tanto que fica para trás e a verdade no final de contas (...)

Estado de merecimento

  De certo que já ouviste a expressão "cada um tem o que merece". E certamente já pensaste no "que mal fiz eu para merecer isto". Agora pensa pelo lado positivo das boas situações e reflete sobre se existe uma expressão tipicamente portuguesa onde se reflita o bom estado das coisas boas que nos acontecem. Existe alguma frase corriqueira do estilo "que bem eu tenho feito para merecer isto" ou algo como "sou tão positivo que só podia merecer o bem"? Bem me parece que não! (...)

Caminhos

  Cada caminho é feito para ser seguido, aproveitando cada passo e procurando conhecer o que se espera pela frente, onde não só de retas se fazem os trajetos. Curvas e cruzamentos aguardam para se atravessarem pela caminhada a qualquer momento, deixando por vezes a linha primeiramente preparada a balançar e outras vezes, em situações mais complicadas, baralhada perante o caminho a seguir entre várias opções possíveis perante o dilema que está a ser colocado quando se fica (...)

Sofrem as redes sociais

  Meses de pandemia com várias semanas de quase isolamento e em que as redes sociais ajudaram um pouco a compensar a distância e ausência. No entanto com o tempo a passar e com a saturação desta nova vida, ao mesmo tempo que a habituação acontece, as redes sociais acabam por causar algum cansaço e hoje, talvez devido aos estados constantes de confinamento sem poder usufruir daquela liberdade que tanta falta faz, a partilha acontece de forma mais espaçada e em relação ao Instagram (...)