Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Toda a Gente Nesta Sala um Dia Há de Morrer | Emily Austin

Topseller

toda a gente nesta sala um dia há de morrer.jpg

Título: Toda a Gente Nesta Sala um Dia Há de Morrer

Título Original: Eneryone in This Room Will Someday Be Dead

Autor: Emily Austin

Editora: Topseller

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 288

ISBN: 978-989-564-974-7

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: Gilda não consegue parar de pensar na morte, imaginando cenários terríveis e improváveis que a deixam de coração aos saltos e com falta de ar. A sua ansiedade é tão grave, que os funcionários das urgências já a conhecem. Desesperada por encontrar algum alívio, dirige-se a uma igreja católica que oferece serviços de psicoterapia, onde é recebida pelo padre Jeff, que depreende que ela está ali para uma entrevista de emprego. Demasiado envergonhada para o corrigir, Gilda confirma e acaba por ser contratada como rececionista, para substituir a antiga funcionária, Grace, uma mulher idosa recentemente falecida.

O problema é que Gilda não só não é católica como também é ateia e lésbica. Sentindo que tem de manter as aparências, decide aprender os procedimentos da igreja, enquanto tenta ganhar coragem para lavar a pilha de louça que se acumula no chão da sua casa e convencer a namorada de que, apesar do seu aspeto cada vez mais preocupante, está tudo bem consigo.

No decorrer das suas funções, Gilda encontra a correspondência trocada entre Grace e a sua velha amiga Rosemary, mas não tem coragem de lhe dar a má notícia, pelo que começa a fazer-se passar por Grace por e-mail, encontrando algum consolo naquela troca de palavras generosas. Contudo, quando a morte de Grace começa a ser investigada pela polícia, Gilda vê-se obrigada a lidar com as mentiras que contou e que podem revelar a toda a gente a forma como tem verdadeiramente vivido.

 

Opinião: Toda a Gente Nesta Sala um Dia Há de Morrer é anunciado com a manchete do Library Journal como sendo «hilariante, solidário, exasperante e comovente» e tenho a dizer que após esta mensagem acreditei que me iria deixar conquistar e emocionar facilmente com esta obra de Emily Austin. No entanto não consegui sentir, nem de perto, os altos e baixos anunciados como sendo um bom aperitivo de aproximação da obra junto do leitor. 

Verdade ou Consequência | M. J. Arlidge

Topseller

verdade ou consequência.jpg

Título: Verdade ou Consequência

Título Original: Truth or Dare

Autor: M. J. Arlidge

Editora: Topseller

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2022

Páginas: 416

ISBN: 978-989-564-946-4

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: A cidade de Southampton vê-se a braços com uma onda de crimes violentos sem precedentes. Fogo posto num ferro-velho. Um assalto a um carro que termina em tragédia. Um homicídio num dos parques da cidade. A polícia tenta alcançar respostas a todo o custo, mas, sem pistas, parece ser impossível descobrir o que liga todos estes casos.

Para a inspetora Helen Grace, no entanto, os problemas estão apenas a começar: dentro da própria esquadra, os obstáculos acumulam-se, deitando por terra qualquer avanço nas investigações, ao mesmo tempo que a pressão sobre si não para de aumentar — e quando as peças do puzzle se começam a encaixar, revelando uma hábil e perversa teia de crimes, a inspetora Grace vê-se obrigada a enfrentar algo que talvez seja impossível de travar…

 

Opinião: A inspetora Helen Grace é chamada ao centro da ação perante vários crimes ocorridos em simultâneo em Southampton e cujos primeiros indícios nada mostram qualquer ligação entre as várias mortes e roubos cometidos. Um incêndio com autor, assassinato e roubo de carro dão o mote para tudo começar e com a sua equipa Helen entra em funções sem prever que para além das complicações que terá no terreno também dentro do seu próprio núcleo encontra entraves de maior. 

Numa história de tensão, intriga e malícia com Joseph Hudson, que se envolveu num passado recente com Helen e que agora a quer ver fora do seu posto de controlo na investigação para o próprio o assumir, em Verdade ou Consequência todos os envolvidos no enredo do lado da procura pela verdade têm um lado da balança e os dados que vão sendo encontrados nem sempre conseguem ser partilhados a bem de um desenrolar rápido na investigação. Num drama interno com momentos distorcidos, os cuidados com todos os indícios tendem a ser maiores e Helen segue o seu lema pessoal de se defender a si própria e seguir em frente, numa fase quase em modo solitária, a percorrer escombros e quadros de crime naquela que considera a sua luta diária perante os crimes que são cometidos em sociedade. 

 

A Avó Dan | Danielle Steel

Bertrand Editora

a avó dan.jpg

Título: A Avó Dan

Título Original: Granny Dan

Autor: Danielle Steel

Editora: Bertrand Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Outubro de 2009

Páginas: 152

ISBN: 978-972-25-2010-2

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Uma caixa de mistérios. Danina Petroskova deixa à neta três objetos. Um medalhão com o retrato do homem que amou, umas quantas cartas enlaçadas em fita azul e as suas sapatilhas de prima bailarina na Rússia czarista. Objetos a contarem a juventude, os sonhos e a fuga da mulher que ela conhecia apenas como a … Sua avó.

 

Opinião: A Avó Dan morreu, deixando as suas memórias escritas de forma a poderem ser conhecidas anos mais tarde e assim o leitor é convidado a conhecer uma vida contada pela perspetiva de uma neta que se deixa render por um passado familiar vivido nos tempos de guerra na Rússia no século passado. 

Esta é a história de Danina Peteoskova, uma jovem que viveu o sonho da dança e que em certa altura deixou que as leis que lhe eram impostas contrabalançassem com o poder do amor por perceber que nem sempre é possível seguir caminhos paralelos quando sonhos profissionais e objetivos pessoais não se compatibilizam. Quem é afinal a avó Dan que só se tornou realmente conhecida depois de partir? Tudo é mostrado através desta partilha que surge através de uma caixa reveladora onde cartas se juntaram a sapatilhas de cetim e a um medalhão de ouro que provam como tudo aconteceu e terminou simplesmente porque seria necessário escolher entre o amor pela dança ou por um homem que sempre lhe quis bem numa época em que não era possível seguir sonhos e ser feliz ao lado da pessoa amada.

A Maldição | Lourenço Seruya

Cultura Editora

a maldição.jpg

Título: A Maldição

Autor: Lourenço Seruya

Editora: Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 384

ISBN: 978-989-9096-23-3

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: A mais recente investigação do inspetor Bruno Saraiva leva-o até ao Teatro da Passagem, em Lisboa.

A Pedra do Pecado foi representada apenas duas vezes em Portugal, uma em 1977 e outra em 1982. Foram encenadas por companhias diferentes, mas houve um acontecimento comum: em ambas as estreias morreu a atriz principal. Apesar de essas mortes terem sido consideradas de causas naturais, surgiu a crença de que a peça estaria amaldiçoada…

Durante muito tempo nenhum encenador ousou voltar a pegar nesse texto. Até que, quarenta anos depois, o Teatro da Passagem decide levá-la à cena novamente…

O dia da estreia chega finalmente e o ambiente é de tensão e nervosismo. Será que A Pedra do Pecado está mesmo amaldiçoada? Será que naquela estreia vai voltar a haver uma morte?

O público acorreu em massa ao Teatro da Passagem, enchendo a sala como há muito não acontecia. Nos bastidores, os atores já estão prontos a entrar em palco. O pano sobe e o espetáculo começa… Mas um deles não vai chegar vivo ao final.

 

Opinião: A Mão Que Mata abriu o conhecimento enquanto leitor da obra de Lourenço Seruya que nos presentou com o surgimento do inspetor Bruno Saraiva como protagonista da narrativa. Agora surge A Maldição, com Bruno de novo no centro da ação numa história que para além de servir de continuação do bom trabalho realizado com a primeira obra consegue ainda mostrar a excelente evolução do seu autor no sentido de criar um enredo ainda mais dinâmico e envolvente com uma maior capacidade de atração junto do leitor que fica viciado desde o início para desvendar a eterna questão... «Quem matou...»?

Numa história centrada nos preparativos para a estreia de uma peça que das duas vezes que foi encenada acabou por ter um final triste, com a morte da sua protagonista, a aposta volta a ser feita e os receios entre a produção acontecem ao mesmo tempo que outros não acreditam em sequências lógicas. Os ensaios de A Pedra do Pecado acontecem no Teatro da Passagem com todo o elenco em preparativos, as divergências entre atores, encenadora e equipa técnica são passados para o leitor e na noite da grande estreia eis que o inevitável acontece e a maldição da morte na primeira sessão do espetáculo surge. Suicídio, homicídio entre colegas ou alguém fora de cena a querer fazer das suas? E é aqui que surge a equipa de Bruno Saraiva para que a investigação seja feita na procura da verdade, tudo isto ao mesmo tempo que todos os possíveis envolvidos mantém as suas aparências e tentam seguir com a estreia adiada em diante o mais rapidamente possível.

Esta Ferida Cheia de Peixes | Lorena Salazar Masso

Guerra e Paz Editores

Esta ferida cheia de peixes

Título: Esta Ferida Cheia de Peixes

Título Original: Esta Herida Llena de Peces

Autor: Lorena Salazar Masso

Editora: Guerra e Paz Editores

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 144

ISBN: 978-989-702-722-2

Classificação: 5 em 5

 

Sinopse: Este é o livro da subida de um rio. Uma mãe branca, com o seu filho negro, sobe o rio Atrato, na Colômbia. Vai levar o filho que criou à mãe negra biológica. Quererá a mãe negra reclamar agora a criança?

É uma viagem, mas é também uma reflexão sobre a beleza e a dor da maternidade. O que é uma mãe? Uma mãe – diz-nos este romance – é uma coisa que dói. É ferida e cicatriz, é fingir que vences o medo.

Na viagem, surgem os outros protagonistas da história: o rio, que abençoa e afoga; o sentimento profundo de pertença a uma paisagem; as relações de cumplicidade das mulheres; a violência terrível da selva colombiana; a dificuldade de se ser mulher e mãe num mundo cheio de perigos.

Um fulgurante romance de estreia que cheira a verdade. Uma prosa comunicativa e um lirismo que criam uma atmosfera viciante. Esta Ferida Cheia de Peixes oferece-nos um mundo às vezes sonhador, por vezes muito realista, em que a ternura das imagens toca o leitor, abrindo-lhe feridas difíceis de sarar.

 

Opinião: Inesperado é a palavra que me surge para descrever o que senti com a leitura de Esta Ferida Cheia de Peixes logo a partir dos primeiros capítulos. Através de uma história bem quente perante o amor de uma família improvável, este romance é acima de tudo aconchego, dor, partilha, tristeza e desigualdade. Mostrando a viagem de barco de uma mãe de coração com o seu filho deixado aos seus cuidados pela guerra, fui convidando a entrar numa jornada onde a emoção se fez sentir por perceber que estava a ser conduzido pelo embalo da perda, do amor dos cuidados de quem quer bem e que de um momento para o outro tem de abdicar do seu bem maior, o amor por um filho que criou, para o entregar às suas origens. Através do embalo de uma canoa que segue a linha do rio e os contratempos da selva adjacente, através dos sons que revelam medo do que se esconde através da escuridão, as cores e o som que se misturam com o poder feminino que ganha grande destaque nesta história por revelar superação, esforço e autonomia perante uma sociedade machucada pelo conflito e a distância. 

Esta Ferida Cheia de Peixes revela em forma de amor a dor com que tantas famílias passaram e hoje continuam a sofrer por se apegarem e do nada lhes verem, de forma muitas vezes forçada, o seu bem lhes ser retirado. Como uma mãe que não dá à luz mas que é mãe por criar e formar uma criança consegue enfrentar o desapego? Como todos nós conseguimos dizer adeus a quem nutre o bem e sempre pensamos ter do nosso lado? Esta história, totalmente ficcional com raízes reais, é contada ao longo de nove capítulos, como os nove meses de gestação, e revela todo o amor que não pode ser passado pelo esquecimento dos momentos que marcam a História que o Homem decide alterar. 

Almoço de Domingo | José Luís Peixoto

Quetzal Editores

almoço de domingo.jpg

Título: Almoço de Domingo

Autor: José Luís Peixoto

Editora: Quetzal Editores

Edição: 2ª Edição

Lançamento: Abril de 2021

Páginas: 264

ISBN: 978-989-722-460-7

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Um romance, uma biografia, uma leitura de Portugal e das várias gerações portuguesas entre 1931 e 2021. Tudo olhado a partir de uma geografia e de uma família.

Com este novo romance de José Luís Peixoto acompanhamos, entre 1931 e 2021, a biografia de um homem famoso que o leitor há de identificar — em paralelo com história do país durante esses anos. No Alentejo da raia, o contrabando é a resistência perante a pobreza, tal como é a metáfora das múltiplas e imprecisas fronteiras que rodeiam a existência e a literatura. Através dessa entrada, chega-se muito longe, sem nunca esquecer as origens. Num percurso de várias gerações, tocado pela Guerra Civil de Espanha, pelo 25 de abril, por figuras como Marcelo Caetano ou Mário Soares e Felipe González, este é também um romance sobre a idade, sobre a vida contra a morte, sobre o amor profundo e ancestral de uma família reunida, em torno do patriarca, no seu almoço de domingo.

 

Opinião: Uma verdadeira viagem no tempo e pela vida de um dos homens que mais tem marcado a história de Portugal pela forma que sempre mostrou pela luta pelos seus sonhos e objetivos, permanecendo sempre na sua vida o apoio aos outros e a vontade de fazer mais e melhor muito para também poder partilhar. Rui Nabeiro, o senhor Delta, é o grande protagonista de Almoço de Família, a biografia que José Luís Peixoto tornou real para dar a conhecer o homem que criou o império do café no nosso país, sem medos, enfrentando as oscilações económicas e as alterações políticas ao longo de quase um século de vida. Rui é o homem do café e através da leitura desta obra viajei, convivi e conheci o seu núcleo e as suas vivências, da família às viagens de negócios onde não faltaram os convívios com grandes nomes da nossa História, de Marcello Caetano a Mário Soares e Jorge Sampaio, de Portugal para o Mundo sem esquecer em algum momento as terras de Campo Maior que sempre foram suas e de que tem cuidado. Almoço de Domingo não é apenas uma biografia de Rui Nabeiro, é um retrato real de Portugal.

A ligação com os que o viram crescer, formar família e o grande grupo empresarial e os que nunca deixou para trás, fazendo o bem, criando postos laborais, acolhendo quem chegava, criando postos de trabalho, aumentado a vila de Campo Maior com infra estruturas essenciais para todos. O Sr. Delta é a grande figura da vila alentejana onde é o maior responsável pela criação de empregos que têm ajudado a fixar famílias. Nesta história real fui convidado a encontrar um empresário que nunca baixou os braços desde 1961, quando criou a marca Delta, tendo conquistado e unido esforços para seguir o seu caminho e estar sempre presente, sem muito delegar e sempre ao dar a cara nos bons e maus momentos financeiros que foi passando ao longo do percurso.

O Passageiro Misterioso | Louise Candlish

Clube do Autor

o passageiro misterioso capa.jpg

Título: O Passageiro Misterioso

Título Original: The Other Passenger

Autor: Louise Candlish

Editora: Clube do Autor

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2022

Páginas: 356

ISBN: 978-989-724-608-1

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Numa manhã gelada de Dezembro, um homem apanha o barco que o leva todos os dias para o trabalho. O amigo e vizinho Kit não apareceu, mas Jamie não está muito preocupado. No entanto, ao desembarcar, é surpreendido por dois agentes de polícia que o querem interrogar sobre a última vez em que os dois estiveram juntos. Kit está desaparecido desde então.  

Ao ser interrogado, Jamie percebe que alguém o acusou de discutir com Kit na última noite em que este foi visto. E o outro passageiro acredita que Jamie cometeu um crime. Incrédulo, Jamie recorda como conheceu Kit e a sua mulher, Melia, e de que forma as suas vidas ficaram irremediavelmente ligadas.

 

Opinião: Na primeira experiência literária com a escrita de Louise Candlish, através de O Passageiro Misterioso, encontrei um romance com bons toques de suspense através de uma leitura rápida e ágil que me conseguiu cativar desde o início com a convicção de que o final me iria surpreender e não seria o que parecia estar destinado, no entanto e embora me tenha sentido em comunhão com a leitura, o final acabou por ser um pouco sem sal e deixado por parte da autora um pouco ao abandono. Numa história onde o poder do dinheiro tem todo o destaque, o modo como todos podemos ser vitimas de artimanhas perante quem arrisca tudo para se sair bem em termos monetários é um facto, sendo esta narrativa um pouco como um alerta que nem sempre se pode confiar em quem parece chegar por bem do desconhecido. 

Inicialmente conhecemos o casal Clare e Jaime. Ela uma mulher de sucesso no setor imobiliário e que herdou uma bela casa familiar onde vivem. Ele já passou por um bom emprego, mas no momento em que chega junto do leitor é um empregado de café que precisa do apoio da companheira para permanecer numa situação económica estável, o que não lhe dá qualquer satisfação. Nas viagens de barco entre casa e o trabalho Jaime conhece várias pessoas, entre elas Kit, Steve e Gretchen, com quem se habitua a parar num pub local antes de regressar ao final do dia a casa. Curiosamente também Clare conhece e trabalha com Melia, noiva de Kit, tornando-se estes dois casais, de diferentes idades e em fases da vida também dispersas, amigos. No entanto logo de início o leitor percebe que existe um certo mal estar perante a boa vida que Clare e Jaime mantém e as fracas economias, com dívidas pelo meio, de Melia e Kit. A partir daqui o mote fica lançado e o que parece uma amizade improvável acaba por se desenrolar num novelo de mentiras, traições e uso mútuo para se atingirem determinados fins. 

A Herança de Uma Mulher | Danielle Steel

Bertrand Editora

A herança de uma mulher

Título: A Herança de Uma Mulher

Título Original: Property of a Noblewoman

Autor: Danielle Steel

Editora: Bertrand Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2022

Páginas: 296

ISBN: 978-972-25-3593-9

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Fotografias descoloridas de um casal atraente na Europa do pós-guerra. Correspondência antiga que indicia uma perda trágica. E uma magnificente seleção de pedras preciosas de engaste refinado. É este o conteúdo de um cofre há muito abandonado numa instituição bancária de Nova Iorque. Mas quem foi esta mulher que deixou tamanho tesouro sem testamento?

Duas pessoas, ligadas por mero acaso, começam a tentar deslindar este mistério: Jane Willoughby, assessora no Tribunal de Nova Iorque que lida com a homologação de testamentos, e Phillip Lawton, um perito em arte que trabalha para a célebre casa de leilões Christie’s. Aquilo que começa por ser uma simples relação laboral tornar-se-á para ambos em algo pessoal nos seus esforços para reconstruir uma vida de enigmas, esforços que os levarão de Nova Iorque a Londres, daí para Paris, para Roma e para Nápoles, numa série de revelações surpreendentes.

Marguerite Pearson partiu da América aos 18 anos, com um coração partido e na sombra da Segunda Guerra Mundial. Descobriu uma nova vida na Europa, mas viveu sempre no luto daquilo que deixou para trás. À medida que a verdade acerca da extraordinária história desta mulher nos é revelada - o seu amor proibido e a traição da sua família -, outras pessoas serão arrastadas para este puzzle que Jane e Phillip começam agora a desvendar, e, de entre elas, uma herdará a mais preciosa e inesperada dádiva de todas.

 

Opinião: A Herança de Uma Mulher trás consigo um romance bem ao estilo a que Danielle Steel já nos habituou. Um acaso surge na vida de dois jovens a iniciarem as suas carreiras profissionais e a partir daí o amor acontece e a verdade familiar de outros tempos vai sendo descoberta através da curiosidade e da procura da felicidade.

Primeiramente o leitor é convidado a conhecer Jane, uma jovem estagiária assessora do Tribunal de Nova Iorque que tem pela primeira vez a função de ficar encarregue de um achado num cofre do banco cuja sua proprietária faleceu sem deixar testamento e familiares próximos. Ao mesmo tempo chega Phillip, um perito em arte e responsável por leilões da Christie`s. O acaso une os dois jovens para se apurarem factos e a grande fortuna encontrada seguir para leilão por não existirem herdeiros, não sabendo Jane e Phillip que estas joias têm tanto para lhes dar como o agrado que desde logo sentem um pelo outro. 

Violeta | Isabel Allende

Porto Editora

violeta isabel allende.jpeg

Título: Violeta

Título Original: Violeta

Autor: Isabel Allende

Editora: Porto Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2022

Páginas: 360

ISBN: 978-972-0-03529-5

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Violeta del Valle é a primeira rapariga numa família de cinco irmãos truculentos. Nasce num dia de tempestade, em 1920, quando ainda se sentem os efeitos devastadores da Grande Guerra e a gripe espanhola chega ao seu país natal, na América do Sul.

Graças à ação determinada do pai, a família sairá incólume desta crise, apenas para ter de enfrentar uma outra: a Grande Depressão. A elegante vida urbana que Violeta conhecia até então muda drasticamente. Os Del Valle são forçados a viver numa região selvagem e remota, onde Violeta atinge a maioridade e viverá o primeiro amor.

Décadas depois, numa longa carta dirigida ao seu companheiro espiritual, o mais profundo amor da sua longa existência, Violeta relembra desgostos amorosos e apaixonadas relações, momentos de pobreza e de prosperidade, perdas terríveis e alegrias imensas. A sua vida será moldada por alguns dos momentos mais importantes da História: a luta pelos direitos da mulher, a ascensão e queda de tiranos, os ecos longínquos da Segunda Guerra Mundial.

 

Opinião: Isabel Allende lançou um autêntico livro de memórias perante a vida de Violeta, a personagem que dá vida ao romance com o próprio nome. Nesta história rapidamente conheci Violeta del Valle, uma mulher que ao completar o seu centenário dá vida às palavras através de escritos do que foi a sua vida ao longo do tempo, num testemunho que pretende deixar ao neto Camilo perante as verdades pessoais e familiares que passaram por vários momentos históricos como a Grande Guerra, a gripe espanhola, a Grande Depressão e até ao fim já com o nosso conhecido de forma presencial Coronavírus.

Nesta saga familiar fui convidado a viver o amor pelos olhos de Violeta que sempre contou com a amizade e a presença familiar nas suas batalhas. Mulher que viveu apaixonada, conhecendo vários momentos perante os homens com que se deixou apaixonar, foi mãe e lutadora, avó com esperança. Das fugas para fugir dos conflitos sociais, a doença incorporada pela resignação, os bons momentos familiares e com amigos, as perdas e a paixão, esta mulher transmite agora na sua escrita os seus altos e baixos sem esquecer a luta pelos direitos femininos e a diferença de classes sempre existente e com que lutou.

Percebendo o ciclo vicioso do Chile e que muitas vezes rondava entre os mais próximos de Violeta, onde ligações criminosas, cartéis de droga, golpes militares, espionagem e economia sempre abalavam a forma de seguir em frente desta mulher que nunca baixou os braços por lutar pelo bem por quem permaneceu do seu lado ao longo das várias fases pelas quais passou com os homens que amou, filhos e irmãos, tios e amigos que sempre foram permanecendo mesmo perante as deslocações pelas vicissitudes da vida que assim o exigiam. 

Numa união entre memórias fictícias e a História, Isabel Allende criou com Violeta um romance que revela muito sobre a perspicácia da autora em elaborar um esquema literário onde fui convidado a seguir uma linha condutora excelentemente bem elaborada como se me tivesse sentado num antigo cadeirão, com as bolachas caseiras e uma caneca de chá a acompanhar a conversa que podia acontecer com uma mulher recheada de memórias, que enfrentou os desaires da vida e que sempre acreditou na sua essência, Violeta. Numa narrativa com uma caraterização bem conseguida e todos os momentos bem descritos e emocionalmente retratados com personagens que se desenvolvem com o tempo, não é em vão que Allende é um dos nomes fortes da literatura mundial e neste romance existe mais uma vez a prova do seu sucesso junto dos leitores. 

 

Se ficaste curioso, encomenda já o teu exemplar de Violeta, de Isabel Allende

violeta.jpg

 

Guia para uma vida simples | Marta Arrais

Planeta de Livros

guia para uma vida simples.jpg

Título: Guia para uma vida simples

Autor: Marta Arrais

Editora: Planeta de Livros

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2022

Páginas: 256

ISBN: 978-989-777-526-0

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Suspende o mundo lá fora. Sossega. Apaga as luzes do que te distrai e deixa-te ficar. Põe o telemóvel no silêncio, baixa o ecrã do computador, desliga a televisão e ouve apenas o que o coração pede.

Encontra nestas palavras uma paz mais quieta, uma vida menos atribulada. Descobre, nestes textos, a simplicidade do que é essencial. E o essencial é, basicamente, o que importa. Aquilo que fica quando se apagam todas as luzes, se fecham todas as portas, se calam todas as vozes e se acabam todas as tarefas. O essencial é o que sobra quando não há mais nada.

Segue estas páginas como trilhos, caminhos, rotas e possibilidades, como um guia para uma vida mais verdadeira, mais simples e mais feliz.

 

Opinião: Encontra-te, protege-te e não te esqueças de viver com o bem que podes obter quando segues uma linha correta de pensamento e forma de agir perante os outros. Tudo tem o poder do retorno na nossa vida e neste Guia para uma vida simples, de Marta Arrais, como leitor encontrei sugestões para ajudar a definir a minha forma de estar e de olhar os outros para também me conseguir encontrar e perceber o que é realmente essencial e importa.