Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lotação esgotada

Vivemos em época de lotação esgotada para cá e lotação esgotada para lá! Por estes dias pedi gentilmente a um casal que aguardasse a sua entrada na loja por já estarmos com o número de pessoas permitido por lei no espaço. O dito senhor não sei se levou a mal as simples palavras, 《Boa tarde! Peço para aguardarem por já estarmos com o número (...)

Orçamento assustador

Foca-te num orçamento que desejas pedir para avançares com determinada obra, projeto ou seja o que for. Agora pensa que estás frente a frente com a pessoa que te vai dar o valor final, que te vai dizendo o que precisa de ser feito enquanto vai acrescentando no sistema instalado no seu portátil valores. Tudo pronto e eis que te apresenta linha por linha o que terá de ser feito e todos os custos. Conforme as páginas vão avançando vais somando por alto valores e no final, mesmo na (...)

As críticas a Fanny

Fanny, a belle portugaise, conhecida concorrente de reality shows que se iniciou nas lides televisivas com a sua entrada na segunda edição de Secret Story - Casa dos Segredos, nunca deixou de aparecer no pequeno ecrã e na imprensa através de entradas em programas da vida real ou participações em diversos programas, foi das poucas que com o tempo foi sobrevivendo com as suas aparições públicas, sendo ao mesmo tempo um dos rostos mais acarinhados. Com a entrada em 2020 de (...)

Eu Nunca | T2 | A Esperança

Netflix

Eu Nunca... trás para as séries Netflix o universo indiano sem que as personagens estejam estereotipadas com o amigo engraçado dos protagonistas. Nesta série os indianos americanos não são estereotipados como os amigos que vivem do comércio, são sim cidadãos comuns e que fazem uma vida totalmente normal, estando esta produção centrada no dia-a-dia da jovem Devi, nascida no ceio familiar (...)

A Mão Que Mata | Lourenço Seruya

Cultura Editora

Título: A Mão Que Mata Autor: Lourenço Seruya Editora: Cultura Editora Edição: 1ª Edição Lançamento: Maio de 2021 Páginas: 320 ISBN: 978-989-9039-39-1 Classificação: 4 em 5   Sinopse: Uma casa. Dez pessoas. Alguém não sairá com vida. Naquela fria manhã de inverno, a família Ávila acordou em sobressalto: na sala de estar, jaz a tia (...)

Barulho da Vizinhança

No ato do crescimento, quando o mesmo acontece dentro de um seio familiar normal e com regras sociais bem definidas, vais percebendo que existem horários para tudo e que as regras de bom civismo são para serem respeitadas. No entanto e como bem sabemos nem todos seguimos o mesmo bom senso perante o respeito para com os outros e quando o incómodo acontece o pensamento que logo surge é sobre a falta de cuidado de uns para com os outros. Viver em prédios ou vivendas germinadas é sempre (...)

Salta a máscara

Vozes governamentais fazem-se ouvir sobre a possibilidade de nos próximos meses a retirada da máscara venha a ser possíveis em locais públicos. Neste momento tenho a confessar que estou tão agarrado ao pequeno pedaço de pano quando ando na rua, no supermercado, centros comerciais e afins que dificilmente irei logo retirar a máscara da cara quando o mesmo for permitido. Quando estou sozinho em certos locais públicos retiro a máscara, claro, mas cruzar-me com os outros, poder estar (...)

Sacos literários

O dia 01 de Julho de 2021 assinalou o processo do pagamento obrigatório dos sacos através da lei lançada pelo Governo com a finalidade de proteger o ambiente e ajudar com o lucro nos vários projetos futuros para com o sistema (...)

Praia sem vento, sff!

Acordas num dia de folga bem cedo, olhas para as temperaturas que se vão fazer por algumas praias do país e percebes que até irá estar um bom dia para se poder aproveitar e seguir até ao areal. E assim o fiz! Temperaturas pareciam estar bem dispostas, estava com tempo, despachei-me, coloquei tudo no saco, passei pelo supermercado para acrescentar algumas coisas para o decurso do dia e segui direito ao litoral do país. Pelo caminho decidi para onde ir, cheguei, estacionei, tirei a (...)

Malvada da melga

Já deitado e o som de uma melga fazia-se sentir fora do quarto por perto da luz do corredor. A tentativa de homicídio aconteceu sem sucesso, tendo o insuportável inseto desaparecido da vista e ficando em silêncio por um bom bocado. Voltei para a cama, deitado de televisão, tablet e luz da mesa de cabeceira ligados e consegui estar sem visitas por um bom espaço de tempo, até que ela voltou. Começou a fazer-se ouvir, cada vez mais perto e do nada pousou no meu braço, sacudi mas (...)