Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Morte marcada

Mau pensar que a morte pode bater à porta em qualquer momento da vida! Pior mesmo que isso será saber que em poucos dias o final aparece e não existe mais volta a dar para que uma continuação possa surgir. Como viverão os humanos que sabem que lhes restam poucos dias para se despedirem do que sempre tiveram ao longo de anos, fazendo os seus profundos adeus, partilhando as últimas conversas e tudo o que lhes sobra até que o último suspiro se dê e tudo fique para trás? Complicado (...)

Morto ou Matado

Tenho andado a ver a segunda temporada da série Elementar e com isso e graças à legendagem colocada pela FOX, surgiu-me uma questão gramatical que queria partilhar com todos vocês para tentar perceber se fui eu que aprendi mal o sentido e uso das palavras Morto ou Matado ou se afinal serão mesmo as legendas da série que são mal feitas. «Já se encontrava matado» ou «Já se encontrava morto», qual das duas formas é a correta? Somente em Elementar tenha esta dúvida em vários (...)

Ainda o tema da Morte

O tema da Morte apareceu com a tag ComCanela que mensalmente realizo com os com os blogs A Mulher Que Ama Livros e o Homem Certo. Fiz o meu texto e depois pensei em como a vida por vezes nos causa partidas indesejadas para com o enfrentar de tamanha dor pelos olhos de quem cá fica.  Já perdi três dos meus avós, eles (...)

A vida é curta!

Os acontecimentos que nos envolvem diariamente fazem-me cada vez mais pensar em como a vida pode ser curta! Deixamos as coisas boas de lado ao longo do tempo e depois, de um momento para o outro, tudo desaparece como se um interruptor conseguisse desligar o bater do coração. Desperdiçamos a felicidade e agimos consoante a sociedade, deixando muitas vezes para trás o que realmente nos poderia completar. Não conseguimos viver com completa plenitude todos os dias que vão passando sem (...)

Eu e o final da vida!

Este ano estou mesmo destinado a ter que assistir a acidentes, mortes inesperadas e partidas premeditadas! Voltei a ver alguém morrer, numa praia, e em poucos minutos! Sinto-me triste! Não conhecia o rapaz que deixou este mundo, só assisti a tudo a poucos metros de distância e percebendo as palavras de aflição dos amigos que o tentaram reanimar quando um ataque de epilepsia o fulminou! As coisas acontecerem em menos de uma hora, desde a chegada de bicicleta do indivíduo, aos (...)

Traumas

Os acidentes e acontecimentos do género sempre me ficam marcados pela mente por longos anos e os locais onde acontecem jamais são esquecidos, estando as imagens bem presentes quando passo pelo sítio onde algo de mau aconteceu. Agora foi o suicídio no Carregado mas antes já outros momentos do género marcaram a minha área traumática. Lembro-me de quando tinha aí (...)

Um ano depois... Avó!

Foi precisamente há um ano, que por volta das 13h00, recebi o telefonema da minha mãe a informar-me que a minha avó tinha falecido de um momento para o outro em sua casa, na sua cama e durante o sono. Ela partiu de um momento para o outro e quando nada o fazia prever. Andava bem, começava a recompor-se da partida do meu avô, que faleceu em Janeiro do mesmo ano, e assim de repente e quando lhe tentaram ligar para saber como estava, o telefone tocou várias vezes e ninguém atendeu! A (...)

Deserto alentejano

É a lógica que todos sabemos de que nos locais onde a população é mais envelhecida existe uma maior tendência a existirem mais mortes. Mas isso faz-se mesmo notar quando se visitam as aldeias alentejanas. Ao longo do ano tenho vindo várias vezes ao Alentejo passar uns fins-de-semana, umas férias ou uns dias isolados de descanso e ao vir para uma aldeia assim mais isolada costumo ir sempre aos mesmos locais tomar café, comprar o pão e por aí fora. De cada vez que cá venho oiço (...)

Conversa entre mãe e avó

Por vezes parece-me que nos falta o filtro e foi isso que eu hoje reparei na minha mãe quando se encontrava ao telefone com a minha avó, a mãe do meu pai, para lhe dar a notícia que tinha falecido uma vizinha. O que foi dito e que reparei que por vezes dizemos as coisas sem ter cuidado foi: - Olhe, é para lhe dizer que morreu aquela velhota que lhe tinha dito que estava doente! - dizia a minha mãe. Não sei o que foi respondido do outro lado, mas na minha mente, que estava a ouvir o (...)

Hoje ele fazia mais um aniversário

25 de Novembro sempre foi uma data assinalável do aniversário do meu avô materno. Todos os anos, mesmo que não o visse neste dia, falava com ele, sabia que ele estava na sua casa. Agora já não o tenho no mesmo sítio porque algo o fez partir da nossa companhia este ano. Hoje é totalmente um dia pesado aqui por casa. Os pais da minha mãe já não se encontram connosco para festejar mais um aniversário do meu avô Zé. Pois, a vida leva os bons para o local onde acredito que olham (...)