Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Merda para o texto!

E quando surge aquele momento em que estamos a terminar um texto que está a dar mais trabalho que o habitual e perdemos por fechar a janela? Tudo poderia ter corrido de melhor forma caso não tivesse guardado somente uma única vez e logo no início a introdução do mesmo texto pelos Rascunhos. O que aconteceu depois disso? Pois, reescrever tudo de novo e as coisas não ficaram nem de perto próximas do que tinha anteriormente!

Se o novo texto ficou melhor ou pior que o outro não sei porque ficou diferente. No entanto de uma coisa tenho a certeza, fiquei danado, mas danado mesmo por ter perdido uns bons quinze minutos do trabalho no blog por um erro estúpido e despropositado. Enfim, agora é não esquecer que quando escrevo textos maiores tenho sempre que os atualizar para os Rascunhos para não voltar a correr estes riscos.

Asneiras de Paula Neves no Twitter

Podem ter dó, não? Então a atriz Paula Neves sempre se confessou uma sportinguista ferrenha que gosta de seguir o seu clube e ir ao estádio dar o seu apoio partilhando essas aventuras desportivas pelo Twitter, onde revela bons momentos da sua vida. Agora e porque disse duas asneiras pela rede social sobre momentos do jogo que colocou o seu Sporting frente ao Benfica, já caiu meio mundo para comentar de forma parva tal situação. Enfim!

«Merda» e «Este Maxi é inenarrável, q animal, filho da puta» foram as duas expressões que a Paula atirou para a rede social e tudo isso logo gerou discussão atrás de discussão sobre o que se diz pelo Twitter e o cuidado que deverá existir ou não com certas palavras. Será que as pessoas que passam ali a vida não têm mais nada para fazer a não ser a busca de alguns factos que alguém possa dizer e que podem dar que falar? A palavra e a frase que foram escritas mostram o pensamento da atriz no momento em que as revelou ao mundo e o que isso tem? Comentem a situação do país, as tendências de moda para o próximo ano, a situação do tempo... Sei lá!

Não façam escândalos onde eles não existam porque a qualquer um dá sempre vontade de partilhar asneiras e não só pelas redes sociais, só que como a sociedade é tão hipócrita todos se contém devido aos comentários que logo possam recair se tais palavras forem publicadas para os outros verem.

Enfim, só porque é uma pessoa conhecida já adoram fazer filmes desnecessários e agora nos próximos dias já a imprensa vai falar do caso. Haja paciência! Comentaram o que foi escrito porque a atriz é conhecida do público e isso pode dar que falar porque se fosse um borra botas qualquer nem um ai proferiam!

Paula continua a mostrar quem és e a verdadeira forma como pensas porque a inveja mata muita gente, e essa é que é a verdade!

Parece saído do traseiro de um cão

«Meu Deus, isto assim não vai. Que grande merda. Parece saído do traseiro de um cão.»

Barbara Kingsolver (A Lacuna)

«Parece saído do traseiro de um cão» é o que penso com determinados trabalhos e pensamentos que vejo por aí. Li esta frase e rapidamente a associei a alguns livros que já li, não é que não possa ser encaixada nas mais diversas situações do nosso dia-a-dia, mas o que me surgiu em primeira plano foi a literatura.

Existem pessoas que se acham uns óptimos escritores, apresentando-se como tal, e depois quando pegamos nas suas obras o que lá está é um autêntico lixo, sem existirem coisas boas à volta de tais publicações.

Infelizmente já caí no erro de comprar algumas destas «grandes merdas» e como não sou de deixar livros a meio, tive que as gramar até ao fim, mas não foi por isso que não deixaram de ser más, muito más mesmo.

Para além do que se lê, também existem por aí muitas coisas que não são nada apreciadas por mim e onde só apetece dizer, mas o que é isto ou para ser mais directo, mas o que é esta merda?

Enquanto o mundo for feito por se acharem coisas e não por quem as sabe fazer irá levar algum tempo a ficar tudo encaixado nos seus devidos lugares. Fazer o que não presta por pessoas que não o sabem fazer não vale a pena está? Merda é feita na casa-de-banho e em privado, nada de a andar a espalhar por aí como se fosse uma coisa boa para ser apresentada ao mundo.