Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Leituras de Março

Março foi o mês em que li três livros, cada qual com o seu estilo e que me deixaram com pensamentos e sentimentos diferentes entre si. O Mundo Amarelo, A Vida de Pi e Meia-Noite e dois foram as leituras do passado mês, de que falo agora!

O Mundo Amarelo 3O Mundo Amarelo não é um livro de desabafo pessoal do seu ator que passou ao longo da sua adolescência pela dor de ter cancro. Neste livro da Editorial Presença a boa disposição, alegria e a vontade de viver dão o mote para que se possa contar o que poderia ser visto com peso e negativismo com uma simplicidade mágica da forma como as mais variadas situações e pessoas levaram a que o mau se transformasse em várias lições de aprendizagem. Neste livro de Albert Espinosa, o autor conta como descobriu os seus primeiros amarelos, as pessoas que o marcaram e o vão marcando ao longo da sua vida, de uma forma ou de outra. O Mundo Amarelo não é um livro, é um desafio para se conseguir ultrapassar com um sorriso o que se pensa estar perdido no nosso dia-a-dia!

A Vida de Pi 2A Vida de Pi, editado em Portugal pela Editorial Presença, é para muitos um dos melhores livros dos últimos tempos. Para mim, isso não acontece da mesma forma e embora tivesse vontade de o ler, assim que o tive e me atirei para as suas primeiras páginas percebi de imediato que essa vontade se desvanecia. As aventuras de um adolescente que se vê, devido a um naufrágio em alto-mar, com alguns animais num bote e tem que sobreviver até ser encontrado ou dar com terra vai-se contando quando no fim se percebe que afinal as coisas podem não se ter passado bem assim. Um livro que é visualmente bem conseguido, já que consegui imaginar as variadíssimas cenas que são contadas, e de onde se podem retirar várias mensagens de vida, mas que não me acrescentou nada e não me deixa saudades. Para mim, A Vida de Pi criou mais expetativas do que as merecidas na realidade!

Meia-Noite e DoisMeia-noite e dois, um livro da Bertrand Editora, foi o primeiro livro de terror que li e embora tivesse gostado do que agora li, no total este livro fez-me pensar que tão depressa não irei ler nada da autoria de Stephen King. Dividido em dois livros que são encaixados como se se tratasse apenas de um, em Meia-noite e dois podem-se ler Os Langoliers e Janela Secreta, Jardim Secreto. Se a primeira história, que li há uns tempos, não me disse nada, fazendo até que deixasse o livro de lado na altura, já a segunda, a que li agora em Março, conquistou-me. Um autor, uma invenção, livros roubados, um amor, um desamor e vários outros conteúdos que fazem desta história um bom texto e com excelente conteúdo são os fatores que me levaram a gostar de Janela Secreta, Jardim Secreto. Um livro que me conquistou por um lado, mas que me deixou indiferente pelo outro.

Este foi o meu trio de leitura no mês de Março! Agora já tenho novos livros em mãos para que o Abril não seja perdido no que toca à literatura!

Meia-noite e dois

Meia-Noite e DoisStephen King foi o primeiro autor de terror que li, tendo começado a ler este livro há mais ou menos dois anos, no entanto, quase que fui obrigado, mentalmente, para o deixar a meio. Agora voltei a pegar em Meia-noite e dois e lá o terminei.

Com duas histórias - Os Langoliers e Janela Secreta, Jardim Secreto -, como se se tratassem de dois livros e não apenas de um, em Meia-noite e dois apercebi-me do que é bom e do que é mau em literatura. Um mesmo autor conseguiu-me conquistar, mas também me fez odiar o que estava a ler, por isso a paragem há uns bons meses atrás. 

Comecei por ler este livro com Os Langoliers, a primeira história que aparece e tenho que dizer que odiei. Terminei esta narrativa, porque não gosto de deixar livros a meio, mas com grande sacrifício. Não foi uma história que me tivesse conquistado, bem pelo contrário e do principio ao fim não percebi onde andava o terror e a graça do que estava a ler. Um avião e os seus passageiros entram inexplicavelmente num buraco negro e a partir daí tudo lhes acontece, aos que vão sobrevivendo até à saída daquele campo inexistente. Enfim, algo que não percebi do início ao fim!

Agora peguei novamente no livro e iniciei Janela Secreta, Jardim Secreto que logo desde o seu começo me suscitou bastante curiosidade por perceber que existia por ali muito mistério, suspense e algo que não batia bem com o que era contado sobre a personagem central. Gostei bastante desta janela de Stephen King que anulou por completo o insucesso com que olhei para Os Langoliers. Um autor, uma invenção, livros roubados, um amor, um desamor e vários outros conteúdos que fazem desta história um bom texto e com excelente conteúdo.

É pena este dois em um não me ter conquistado totalmente, porque se tivessem sido publicadas as duas histórias em livros separados, tinha adorado um e odiado o outro.

A ler Meia-Noite e Dois

Meia-Noite e DoisVoltei a pegar no livro Meia-Noite e Dois, da autoria de Stephen King, depois de terem passado vários meses em que o coloquei de lado porque a primeira história deste livro, que é um dois em um, não me ter conquistado.

Um livro de um dos melhores autores de terror, segundo o que rezam os críticos, e eu lá o comprei há quase dois anos, se não mesmo mais. Li a sua primeira história - Os Langoliers -, onde um avião entra por um buraco negro e tudo acontece do mais bizarro possível até o regresso ao normal acontecer e, se bem me lembro, quase ninguém sobreviver porque umas criaturas estranhas também por lá andavam, agora retomo à leitura desta obra de terror, mas numa nova história, a segunda. 

Agora vou-me aventurar com Janela Secreta, Jardim Secreto e vamos lá ver como corre. Eu nunca tinha lido algo de terror até pegar neste Meia-Noite e Dois, e como a primeira história não me foi apelativa, deixei logo a segunda para trás e para ler em outra altura. Chegou agora a vez de pegar no que Stephen King escreveu e entrar num novo mundo onde o terror acontece e eu espero ficar surpreendido e agarrado ao que vou começar agora a ler.