Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Eleições podem suspender isolamento

eleições.jpg

Existe no ar a ideia, lançada pelo Presidente Marcelo após a primeira reunião de 2022 com a Infarmed, de que no próximo 30 de Janeiro, dia de Eleições Legislativas, poderá existir uma suspensão do isolamento para que todos possam exercer o seu dever de voto.

E agora questiono... Quem terá tido esta disparatada ideia que parece saída de uma mente alucinada com algum produto tóxico à mistura? Vamos então lá perceber, milhares de portugueses estão em isolamento por terem testado positivo ao Covid19 ou por pertencerem ao núcleo próximo de um positivo, tendo de se manter fechado em casa e sem contatos durante dias. Agora, porque existem eleições, já ponderam arriscar outros tantos milhares de novos casos pela libertação, por umas horas, para que todos possam ir votar, existindo cruzamentos e possíveis contactos. 

 

 

Portugal organizado por Sampaio

Funeral Jorge Sampaio

As nossas instituições nacionais podem falhar em vários pontos, o Governo pode cometer inúmeros erros mas de uma coisa tenho a certeza, no campo da organização de eventos, sejam eles perante os mais diversos pretextos, nós portugueses somos dos melhores. 

Aquando na semana passada as cerimónias fúnebres do Presidente Jorge Sampaio se realizaram deu, mais uma vez, para perceber como na organização não existem falhas. Tudo planeado ao segundo, todos os locais preparados, convidados presentes e alinhados como ditam as regras nas cerimónias fúnebres de figuras de estado. O planeamento, o cuidado e até a forma como até em termos de comunicação tudo funcionou na perfeição, podendo ser possível assistir via televisão ao momento com todos os cuidados para com a proteção dos intervenientes, existindo respeito perante a homenagem da família, amigos e companheiros políticos. Tudo muito bem trabalhado com tempo e existindo a ideia de que é necessário valorizar o momento de quem nutriu o bem pelo país e por toda a sociedade. A cerimónia mesmo tornada pública acabou por ser familiar, existindo espaço para todos os momentos, respeitando a dor de quem viu um dos seus partir. Existiu respeito e uma demonstração de quando se quer é possível mostrar o bem, fazê-lo bem feito e de forma organizada e com uma boa preparação de base.

 

Chega de dejetos

cocó emoji

 

No dia em que Portugal foi a votos para eleger o Presidente da República para os próximos cinco anos, renovando Marcelo Rebelo de Sousa o seu mandato, eis que passei grande parte do dia a ler, em casa, respeitando o confinamento e só tendo saído logo pela manhã para exercer o meu poder e dever de voto. E foi a meio da tarde, na leitura do livro Não Te Esqueças de Mim, da autoria de Mhairi Mcfarlane, lançado entre nós pela editora Topseller, que encontrei a frase que passo a citar.

É tão bem-vindo como encontrar cocó de gato em nossa casa, quando não temos um gato.

Mhairi Mcfarlane, em Não Te Esqueças de Mim

Hoje é dia de Votar

eleição presidência da república.jpg

Hoje, 24 de Janeiro de 2021, contra todos os males que nos atormentam de momento, é dia de usarmos o nosso dever como cidadãos, fazendo a deslocação, a pé ou de transporte, necessária, já que existe liberdade para se exercer o poder de voto, e num instante bem rápido votar no candidato presidencial que melhor nos pode representar pelos próximos cinco anos como figura central do país.

O lote é extenso, a decisão geral parece estar mais que tomada e não acredito que existam grandes surpresas, e o lema é mesmo o de sair para votar em segurança e cumprindo as medidas necessárias de prevenção, como é pretendido no dia-a-dia há praticamente um ano. Usando máscara, desinfetando as mãos, mantendo as devidas distâncias de segurança e levando a caneta de casa, uma que escreva preferencialmente, tudo tenderá a correr bem.

O voto do Presidente Marcelo

Marcelo Rebelo de Sousa

 

A lei define que todos os cidadãos têm o direito de voto e que é obrigatório estar recenseado no local de residência para o fazer. Como sabemos em Portugal sempre existem exceções e nas eleições as mesmas tendem a existir, caso contrário não estaríamos neste país banhado de Covid19 em pleno fim-de-semana em que todos devemos exercer o nosso dever como cidadãos nas urnas espalhadas pelo território para se eleger o próximo Presidente da República, cujo nome já todos bem sabemos qual é.

Mas sabes qual é a graça no centro disto tudo? Todos devem estar recenseados na área de residência, menos Marcelo Rebelo de Sousa, o atual e futuro Presidente de todos nós. Como é do conhecimento público, Marcelo vive em Cascais, mas está recenseado em Celorico de Basto, Braga, sendo que no próximo Domingo, 24 de Janeiro de 2021, será neste local que o Presidente irá exercer o seu dever de votar em si próprio.

Ah e tal, não devemos circular entre concelhos, ah e tal, é obrigatório votar onde se vive, ah e tal, o Presidente é uma exceção. E com isto eu digo, ah e tal, quem deve dar o exemplo acaba por mostrar exatamente o contrário e comete as irregularidades que aconselha os cidadãos a não praticarem... 

Confuso com o Covid19 do Presidente

Marcelo Rebelo de Sousa

 

Revelo que me sinto algo confuso perante a situação do nosso Presidente Marcelo para com os seus testes de Covid19. Segundo dados revelados pelas imprensa, todos os dias o Presidente faz o seu teste rápido ao vírus do momento, e até aí tudo certo. Agora o que não entendi foi como tudo terá sido tratado quando no mesmo dia um primeiro teste matinal lhe apresenta um resultado negativo, o da tarde um resultado positivo e como o Presidente de todos nós tem outras regalias, no dia seguinte fez novo teste matinal que deu negativo de novo.

A questão que aqui coloco é só uma... Se um cidadão comum ao ser detetado como positivo para o Covid19 fica de imediato em isolamento por uns dias, sem contactos e saídas e sem direito a repetir o teste para confirmação, como é que umas horas após o teste positivo Marcelo o voltou a repetir para tentar obter a confirmação do resultado e eis que de vírus nem sinal? Um outro português ficaria em casa e só uns dez dias depois voltaria a repetir o teste, já o Presidente no dia seguinte fica a saber que afinal aquele positivo pode não ser bem assim.

Estranho isto não? Será que a partir de agora quem testar positivo poderá pedir para fazer testes diários até lhe ser transmitida uma boa notícia? Em certas situações o exemplo é dado para que todos o sigam, mas depois existem momentos, como esta dos testes presidenciais ao Covid19, em que a distinção é claramente notória. 

Abaixo o Covid19, Marcelo a Presidente!

Marcelo Rebelo de Sousa

 

Marcelo Rebelo de Sousa bem avisou que não estaria virado para fazer campanha eleitoral para ser reeleito Presidente da República e agora, mesmo na reta final para todos os candidatos darem tudo antes do dia E, de eleições, eis que surgiu o Covid19 e atirou o professor para isolamento no Palácio de Belém.

Marcelo não iria gastar centenas de milhares de euros com a sua campanha para continuar como Presidente, prescindindo também dos seus minutos diários de Direito de Antena e agora, como que um sinal, testou positivo ao vírus do momento e ficará mesmo em casa, a trabalhar dentro do possível, já que se mantém assintomático.

Feitas as contas assim por alto, o nosso Marcelo ficará, se tudo correr dentro do previsto, livre para circular mesmo nas vésperas do dia E, regressando assim ao ativo aquando a sua entrada no local das urnas lá da sua longínqua aldeia, reforçando junto das portuguesas e portugueses o dever de voto em direto em todos os canais televisivos e dando o ar da sua graça no seu regresso. Até lá acredito que o atual Presidente faça um direto algures para que o povo se mantenha atualizado e fique tranquilizado sobre o seu estado viral.

Vamos repensar o Natal

Marcelo Natal

 

O nosso querido Marcelo já fez a sua recomendação para que todas as famílias repensem o próximo Natal que será passado de mãos dadas com o Covid19. O Presidente já refletiu no seu encontro familiar e ao que parece tem dias e horários para receber cada filho e as suas respetivas famílias, recomendado a que todos façamos o mesmo. 

Então o nosso nadador Marcelo recomenda que nos dias natalícios as divisões sejam feitas numa organização por turnos, ou seja, uns reúnem com um pequeno ciclo ao almoço de 24, já na noite que se aproxima depois serão outros em torno da mesa, dividindo assim a família porque nada de ajuntamentos. Dia 25 podem fazer o mesmo, mas quem já almoçou ou jantou a 24 fica em casa enrolado na manta com o chá e bolo-rei por perto a ver os noticiários e os filmes mais recentes da Disney que estão a passar em sinal aberto nos ecrãs televisivos. 

Marcelo, o Presidente que se tornou nadador-salvador

original.jpeg.jpg

 

Agosto é uma autêntica maravilha no que toca aos serviços informativos dos principais canais de televisão e mesmo imprensa escrita em Portugal. No mês de férias, e em pleno feriado de 15 de Agosto, todos ficamos a saber como grande destaque que o nosso Presidente da República se tornou num quase nadador-salvador para ajudar duas jovens que caíram da sua canoa na Praia do Alvor, no Algarve.

Ao se encontrar de férias na praia algarvia, e num momento em que aproveitava o bom tempo à beira-mar, Marcelo Rebelo de Sousa, ao perceber que as duas jovens estavam atrapalhadas na água e com dificuldades em voltarem a canoa para subirem a bordo, decidiu ajudar com a sua boa forma de nadador e apoiou e ajudou as jovens a subirem a bordo dos meios de socorro, como um autêntico herói dos mares.

Marcelo, o Presidente que se tornou por um dia nadador-salvador é a notícia cor-de-rosa do fim-de-semana, acompanhando as férias de Cristiano Ronaldo, o sucesso online de Cristina Ferreira como figura mais pesquisada nos últimos dias, os dramas das guerras entre estrelas nos corredores da TVI e a contratação de Ljubomir Stanisic por parte da SIC. A vedeta nomeio disto tudo acaba por ser mesmo Marcelo, o salvador de Portugal, em trabalho ou de férias, na terra e no mar. 

Futebol e Populismo

img_920x518$2019_06_09_23_01_11_1559680.jpg

 

Viram, e consequentemente ouviram, o discurso do nosso Presidente Marcelo Rebelo de Sousa sobre Portugal ter sido o país escolhido para a fase final da Liga dos Campeões este ano?

Que populismo e alegria num país onde os casos de Covid19 tardam em descer com tanto sobe e desce, mas isso pareceu nada contar para esta decisão internacional que ainda teve a força do poder nacional porque, palavras minhas, 《sim, estamos todos em condições para receber jogadores e todas as equipas técnicas para sete jogos de futebol que serão vistos por milhões em todo o Mundo》. Ao mesmo tempo que falarem depois dos grandes jogos que não se esqueçam de anunciar os novos casos de contágio por esses dias que a julgar pela amostra atual não parecem ser nada positivos.

Marcelo revelou que esta conquista foi de todos nós, portugueses, e da Direção Geral da Saúde, mas não vejo como aplaudir neste momento este troféu que aparentemente Portugal ganhou por ter a final da grande competição no nosso território, quando estamos numa batalha contra uma doença mundial que tarda em abrandar em várias zonas do país, principalmente na região de Lisboa, onde os jogos irão decorrer.