Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Só vadiagem...

14
Nov13

Só vadiagem...Já sou tão famoso que nem o meu carro escapa às mensagens dos fãs e dos meus seguidores, mesmo que essas mensagens venham de pessoas conhecidas e que tão bem conhecem o meu veículo à distância!

Pois, a mana Pa deixou-me um papelinho no vidro do carro um dia destes com a mensagem...

«Só vadiagem...

Beijinho da mana

Para o mano querido!

PS - Porta bem»

Gosto tanto que estas coisas aconteçam porque são pequenos pormenores que nos deixam com um sorriso momentâneo!

Bolo de Aniversário

09
Nov13

boloNo dia 5 completei 27 anos e uns dias depois tive direito a um jantar com direito a bolo feito pela mana adoptiva Pa, que me deixou contente!

Já sabia que a Pa andava a preparar alguma surpresa doceira para me oferecer pelos anos, tanto que o teste dos Mínimos já tinha sido feito em modo plasticina, mas confesso que nunca esperei ver este trabalho final. Foi o primeiro bolo do género que ela fez e correu tão bem. Além do bom aspecto posso dizer que estava delicioso com a sua massa e recheio achocolatados!

Obrigado pelo bolo Mínimo que me ofereceste porque adorei como te adoro a ti!

O Informador em modo Mínimo

26
Out13

MínimoIsto é a primeira tentativa de me fazerem em jeito de Mínimo, tornando-me num dos pequenos seres amarelos que se tornaram célebres através do filme Gru, o Maldisposto.

A mana Pa anda a preparar alguma para o meu dia de anos e parece-me que isto é o primeiro esboço em plasticina do meu bolo de aniversário... Como não podia deixar de ser, e uma vez que gosto dos bonecos, pedi-lhe que me desse esta sua experiência, mesmo que venha com o aviso de que daqui a uns dias vai ganhar bolor por ser feito de plasticina!

Pronto, isto sou eu, em modo boneco amarelo e numa primeira versão! Depois mostrarei o produto final, já comestível, se vier a existir, claro!

Obrigado!

Presépio da mana Pa

07
Jan13

Presépio

Já conhecem a minha mana Pa, não já? Pois, não nos vimos nos dias antes de Natal, nem até à passagem de ano, mas ela não se esqueceu de mim e ofereceu-me uma prendinha, este presépio especial e cheio de pinta!

Foi no dia que fomos ver o filme Os Miseráveis, que a Pa me deu o presentinho de Natal de que gostei muito e que se encontra agora, como pode ser visto pela imagem, à frente dos meus livros.

Este presépio é tão giro, mas tão giro mesmo, que não o posso guardar, mesmo não estando em época de Natal já. Vai ficar no sítio onde está durante todo o ano e assim sempre que olhar para aquele local, lá está o presente da minha irmã do coração.

Nesta imagem natalícia existem algumas coisas engraçadas, não existem burro e vaca, tal como o senhor papa afirmou que tais figuras não fizeram parte desta histórica mágica. Depois, não dá para ver na imagem, mas por baixo das folhas das palmeiras existe uma luz que posso ligar sempre que quiser. Mas o que destaco mesmo é o facto de as três figuras serem tão redondinhas e fazerem-me lembrar que saíram de uma série de desenhos animados, daqueles que apetece apertar e levar para casa.

Adorei este presente da mana Pa! Tão giro e engraçado, que só podia vir mesmo daquela mente. Para quem quiser, contaram-me que foi comprado numa loja recheada de presépios, lá para os lados de Queluz!

Para a Pa, mana do coração

05
Dez12

Não tenho irmãos, mas tenho há dezasseis anos uma mana do coração que amo muito, muito e muito!

A minha Pa cruzou-se comigo quando fomos ambos para o quinto ano e desde aí quase não nos largamos mais. Não nos conhecíamos antes disso, mas começamos logo a ser amigos, a andarmos sempre juntos e hoje, dezasseis anos depois, a nossa amizade continua.

Tratamos-nos por manos porque é isso que sentimos. Confiamos um no outro para tudo. Ela ouve os meus desabafos e eu os dela. É com ela que partilho as minhas novas aventuras que não posso contar a toda a gente, é com ela que conto quando preciso de falar e falar e falar. É a ela que recorro também quando assuntos delicados me atormentam e têm que ser contados a alguém. Falo por mim, mas sei que o contrário também acontece. Não é «mana querida»?

Dizem que os amigos não são como irmãos, para mim a Pa é minha irmã e acabou-se. Já o é há tanto tempo e continuará a ser, venha quem vier, ela está no meu coração. Ambos não conseguimos estar juntos como e quando queremos, mas sabemos que estamos presentes um para o outro sempre que necessário e sempre que um de nós acenar por auxílio.

O amor de irmãos também acontece e o nosso grau de parentesco não é real, mas para ambos é bem verdadeiro e mais sentido do que se fossemos mesmo manos. Gosto tanto de ti Pa!