Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

07
Mai19

Casal da Treta | Força de Produção

O Informador

casal da treta cartaz.jpg

 

A igualdade de género é uma treta, mas isso vai mudar! Ou será que não? Se até agora isto era um “clube de cavalheiros” bem-falantes, CASAL DA TRETA marca a estreia de Détinha (Ana Bola), a mítica mulher de Zezé (José Pedro Gomes). Décadas de vida em comum recordadas na medida do possível: os estafermos dos filhos, o bairro onde sempre despejaram o lixo, o casamento que só quem foi lá é que o esqueceu. Do poliamor ao fitness, da "prótese" da próstata ao “forno” uterino, este casal não tem tabus. Mas Zezé e Détinha têm alguns segredos um do outro.... Lamentavelmente (ou lamentavelmentemestes, diria Zezé), os portugueses vão ter de os saber. Que treta.

José Pedro Gomes celebrou ao lado de António Feio o espetáculo Conversas da Treta. Anos mais tarde e após a partida do companheiro dos palcos, José Pedro Gomes pegou no formato e criou com António Machado o espetáculo O Filho da Treta. Agora e porque o sucesso que surge em torno deste fenómeno assim o pede, eis que Ana Bola entrou no mundo da Treta e ao lado de José Pedro Gomes protagoniza Casal da Treta, a comédia que pode ser vista no Teatro Villaret desde o dia 25 de Abril. 

Numa divertida comédia que reúne dois grandes atores, Casal da Treta dá a conhecer Détinha ao público que tem seguido o sucesso da Treta. A já bem mítica mas desconhecida mulher de Zezé, José Pedro Gomes, ganha assim rosto e corpo, através de Ana Bola, para ao longo de cada sessão provar que as conversas machistas e de cavalheiros podem ser partilhadas num seio familiar onde variados temas são debatidos entre dois seres que se amam mas que também se atrapalham. Num divertido espetáculo, o despejo dos grandes centros urbanos a favor do turismo, os filhos, o casamento em falência, as dívidas, o bairrismo, o corpo perfeito, o sexo e o mal dizer são alguns dos temas que de forma bem conseguida são debatidos nesta comédia que segue em crescendo e de forma atualizada. 

30
Out18

Zé Manel Taxista - Uma Comédia com Brilhantina | UAU

O Informador

zé manel taxista.jpg

Zé Manel, taxista, pai de família e adepto ferrenho do Benfica, anda arreliado com o sucesso de Lisboa, que transformou tudo em alojamento local e restaurantes gourmet. O próprio filho, Eusébio Jr., ganha a vida como condutor de tuk-tuk, e Vickie, o mais à frente lá do bairro, safa-se a arrendar partes de casa. Só Luna, a estudante italiana do Erasmus, está encantada com a enchente de estrangeiros e a borrifar-se para a “gentrificação”. Zé Manel tenta defender o prédio onde todos vivem da voracidade turística, até que chega Chico, um esperto entrepreneur, que já foi daquela rua e agora regressa com promessas de fama e dinheiro fácil. A tentação é grande e Zé Manel despista-se… naturalmente.

Maria Rueff celebrizou o seu Zé Manel Taxista há mais de 20 anos e agora, pela primeira vez, a famosa personagem de vários formatos televisivos com Herman José e também da rádio ganha uma nova vida nos palcos nacionais através do espetáculo musical Zé Manel Taxista - Uma Comédia com Brilhantina. 

Através de uma personagem bem conhecida do público e com uma história criada propositadamente para os palcos, Rueff junta-se a jovens atores com provas dadas para receber o público nesta nova jornada do seu Zé Manel, o benfiquista mais ferrenho dos taxistas portugueses. FF, Sissi Martins, Ruben Madureira, Rafael Barreto, Filipe Rico, Marta Mota, Sara Martins e Tiago Coelho compõem o elenco que se divide entre a representação, o canto e a dança do início ao fim. Com texto de Maria João Cruz, Mário Botequilha, Rui Cardoso Martins e Filipe Homem Fonseca, numa ideia de Maria Rueff e com encenação de António Pires, Zé Manel Taxista - Uma Comédia Brilhante conta com banda ao vivo composta por André Galvão no baixo e guitarra, Artur Guimarães nas teclas e Tom Neiva na bateria e percussão. 

Neste espetáculo o público é convidado a acompanhar este pai de família e bom vizinho numa fase em que as alterações provocadas pelo turismo na capital não são aceites. Em poucos anos Lisboa foi invadida pelos famosos TukTuk e por empresas como a Uber, isto ao mesmo tempo que as polémicas em torno do futebol se adensaram, as tascas deram lugar a restaurantes virados para os turistas e o alojamento local virou moda em bairros onde a história e tradição desaparecem. Zé Manel, o taxista que gosta de pratos cheios, um palito na mesa, uma boa bifana e defende o bairrismo e o seu clube como ninguém não aceita tanta alteração e este musical mostra isso mesmo.

O filho Eusébio de Zé Manel vira adepto do Sporting e condutor de um veículo Uber. O prédio onde habitam se prepara para ser transformado em quartos para alugar a quem visita Portugal, despejando os condóminos. Os contratos fraudulentos, os enganos e o caos da mudança que acabam por unir quem se gosta a favor do amor, da amizade, carinho e cuidados de uns para com outros numa sociedade cada vez mais individualista. 

banner mrec exames nacionais e provas de aferição

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Mais comentados

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook