Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Toda a Gente Nesta Sala um Dia Há de Morrer | Emily Austin

Topseller

toda a gente nesta sala um dia há de morrer.jpg

Título: Toda a Gente Nesta Sala um Dia Há de Morrer

Título Original: Eneryone in This Room Will Someday Be Dead

Autor: Emily Austin

Editora: Topseller

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 288

ISBN: 978-989-564-974-7

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: Gilda não consegue parar de pensar na morte, imaginando cenários terríveis e improváveis que a deixam de coração aos saltos e com falta de ar. A sua ansiedade é tão grave, que os funcionários das urgências já a conhecem. Desesperada por encontrar algum alívio, dirige-se a uma igreja católica que oferece serviços de psicoterapia, onde é recebida pelo padre Jeff, que depreende que ela está ali para uma entrevista de emprego. Demasiado envergonhada para o corrigir, Gilda confirma e acaba por ser contratada como rececionista, para substituir a antiga funcionária, Grace, uma mulher idosa recentemente falecida.

O problema é que Gilda não só não é católica como também é ateia e lésbica. Sentindo que tem de manter as aparências, decide aprender os procedimentos da igreja, enquanto tenta ganhar coragem para lavar a pilha de louça que se acumula no chão da sua casa e convencer a namorada de que, apesar do seu aspeto cada vez mais preocupante, está tudo bem consigo.

No decorrer das suas funções, Gilda encontra a correspondência trocada entre Grace e a sua velha amiga Rosemary, mas não tem coragem de lhe dar a má notícia, pelo que começa a fazer-se passar por Grace por e-mail, encontrando algum consolo naquela troca de palavras generosas. Contudo, quando a morte de Grace começa a ser investigada pela polícia, Gilda vê-se obrigada a lidar com as mentiras que contou e que podem revelar a toda a gente a forma como tem verdadeiramente vivido.

 

Opinião: Toda a Gente Nesta Sala um Dia Há de Morrer é anunciado com a manchete do Library Journal como sendo «hilariante, solidário, exasperante e comovente» e tenho a dizer que após esta mensagem acreditei que me iria deixar conquistar e emocionar facilmente com esta obra de Emily Austin. No entanto não consegui sentir, nem de perto, os altos e baixos anunciados como sendo um bom aperitivo de aproximação da obra junto do leitor. 

30% em Livros, só Hoje!

oportunidades-970x250-billboard

Hoje, só hoje, 18 de Maio de 2022, mais de 7 milhões de livros estão com descontos de 30% na Wook. Quer seja em português ou inglês, a nossa livraria online colocou a maioria dos seus livros, com mais de dezoito meses de publicação num autêntico rebuliço com esta baixa, durante vinte e quatro horas, dos preços. Hoje é de aproveitar estes 30% que chegam aos milhões, só tendo a encomenda de ser feita e paga até às 23h59 para que as escolhas de cada um cheguem pelos próximos dias em condições e com um menor valor às nossas moradas, para mais com a oferta dos portes de envio. Se irei utilizar esta promoção para comprar alguns dos livros que estão na minha lista de desejos, a resposta é claramente positiva. 

 

Verdade ou Consequência | M. J. Arlidge

Topseller

verdade ou consequência.jpg

Título: Verdade ou Consequência

Título Original: Truth or Dare

Autor: M. J. Arlidge

Editora: Topseller

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2022

Páginas: 416

ISBN: 978-989-564-946-4

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: A cidade de Southampton vê-se a braços com uma onda de crimes violentos sem precedentes. Fogo posto num ferro-velho. Um assalto a um carro que termina em tragédia. Um homicídio num dos parques da cidade. A polícia tenta alcançar respostas a todo o custo, mas, sem pistas, parece ser impossível descobrir o que liga todos estes casos.

Para a inspetora Helen Grace, no entanto, os problemas estão apenas a começar: dentro da própria esquadra, os obstáculos acumulam-se, deitando por terra qualquer avanço nas investigações, ao mesmo tempo que a pressão sobre si não para de aumentar — e quando as peças do puzzle se começam a encaixar, revelando uma hábil e perversa teia de crimes, a inspetora Grace vê-se obrigada a enfrentar algo que talvez seja impossível de travar…

 

Opinião: A inspetora Helen Grace é chamada ao centro da ação perante vários crimes ocorridos em simultâneo em Southampton e cujos primeiros indícios nada mostram qualquer ligação entre as várias mortes e roubos cometidos. Um incêndio com autor, assassinato e roubo de carro dão o mote para tudo começar e com a sua equipa Helen entra em funções sem prever que para além das complicações que terá no terreno também dentro do seu próprio núcleo encontra entraves de maior. 

Numa história de tensão, intriga e malícia com Joseph Hudson, que se envolveu num passado recente com Helen e que agora a quer ver fora do seu posto de controlo na investigação para o próprio o assumir, em Verdade ou Consequência todos os envolvidos no enredo do lado da procura pela verdade têm um lado da balança e os dados que vão sendo encontrados nem sempre conseguem ser partilhados a bem de um desenrolar rápido na investigação. Num drama interno com momentos distorcidos, os cuidados com todos os indícios tendem a ser maiores e Helen segue o seu lema pessoal de se defender a si própria e seguir em frente, numa fase quase em modo solitária, a percorrer escombros e quadros de crime naquela que considera a sua luta diária perante os crimes que são cometidos em sociedade. 

 

A Avó Dan | Danielle Steel

Bertrand Editora

a avó dan.jpg

Título: A Avó Dan

Título Original: Granny Dan

Autor: Danielle Steel

Editora: Bertrand Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Outubro de 2009

Páginas: 152

ISBN: 978-972-25-2010-2

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Uma caixa de mistérios. Danina Petroskova deixa à neta três objetos. Um medalhão com o retrato do homem que amou, umas quantas cartas enlaçadas em fita azul e as suas sapatilhas de prima bailarina na Rússia czarista. Objetos a contarem a juventude, os sonhos e a fuga da mulher que ela conhecia apenas como a … Sua avó.

 

Opinião: A Avó Dan morreu, deixando as suas memórias escritas de forma a poderem ser conhecidas anos mais tarde e assim o leitor é convidado a conhecer uma vida contada pela perspetiva de uma neta que se deixa render por um passado familiar vivido nos tempos de guerra na Rússia no século passado. 

Esta é a história de Danina Peteoskova, uma jovem que viveu o sonho da dança e que em certa altura deixou que as leis que lhe eram impostas contrabalançassem com o poder do amor por perceber que nem sempre é possível seguir caminhos paralelos quando sonhos profissionais e objetivos pessoais não se compatibilizam. Quem é afinal a avó Dan que só se tornou realmente conhecida depois de partir? Tudo é mostrado através desta partilha que surge através de uma caixa reveladora onde cartas se juntaram a sapatilhas de cetim e a um medalhão de ouro que provam como tudo aconteceu e terminou simplesmente porque seria necessário escolher entre o amor pela dança ou por um homem que sempre lhe quis bem numa época em que não era possível seguir sonhos e ser feliz ao lado da pessoa amada.

A Maldição | Lourenço Seruya

Cultura Editora

a maldição.jpg

Título: A Maldição

Autor: Lourenço Seruya

Editora: Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 384

ISBN: 978-989-9096-23-3

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: A mais recente investigação do inspetor Bruno Saraiva leva-o até ao Teatro da Passagem, em Lisboa.

A Pedra do Pecado foi representada apenas duas vezes em Portugal, uma em 1977 e outra em 1982. Foram encenadas por companhias diferentes, mas houve um acontecimento comum: em ambas as estreias morreu a atriz principal. Apesar de essas mortes terem sido consideradas de causas naturais, surgiu a crença de que a peça estaria amaldiçoada…

Durante muito tempo nenhum encenador ousou voltar a pegar nesse texto. Até que, quarenta anos depois, o Teatro da Passagem decide levá-la à cena novamente…

O dia da estreia chega finalmente e o ambiente é de tensão e nervosismo. Será que A Pedra do Pecado está mesmo amaldiçoada? Será que naquela estreia vai voltar a haver uma morte?

O público acorreu em massa ao Teatro da Passagem, enchendo a sala como há muito não acontecia. Nos bastidores, os atores já estão prontos a entrar em palco. O pano sobe e o espetáculo começa… Mas um deles não vai chegar vivo ao final.

 

Opinião: A Mão Que Mata abriu o conhecimento enquanto leitor da obra de Lourenço Seruya que nos presentou com o surgimento do inspetor Bruno Saraiva como protagonista da narrativa. Agora surge A Maldição, com Bruno de novo no centro da ação numa história que para além de servir de continuação do bom trabalho realizado com a primeira obra consegue ainda mostrar a excelente evolução do seu autor no sentido de criar um enredo ainda mais dinâmico e envolvente com uma maior capacidade de atração junto do leitor que fica viciado desde o início para desvendar a eterna questão... «Quem matou...»?

Numa história centrada nos preparativos para a estreia de uma peça que das duas vezes que foi encenada acabou por ter um final triste, com a morte da sua protagonista, a aposta volta a ser feita e os receios entre a produção acontecem ao mesmo tempo que outros não acreditam em sequências lógicas. Os ensaios de A Pedra do Pecado acontecem no Teatro da Passagem com todo o elenco em preparativos, as divergências entre atores, encenadora e equipa técnica são passados para o leitor e na noite da grande estreia eis que o inevitável acontece e a maldição da morte na primeira sessão do espetáculo surge. Suicídio, homicídio entre colegas ou alguém fora de cena a querer fazer das suas? E é aqui que surge a equipa de Bruno Saraiva para que a investigação seja feita na procura da verdade, tudo isto ao mesmo tempo que todos os possíveis envolvidos mantém as suas aparências e tentam seguir com a estreia adiada em diante o mais rapidamente possível.

ManiFESTA-te pela Leitura

E090BD54-2B98-45CB-852C-9B8888585C69.jpeg

Dia 22 de Abril celebra-se o Dia Mundial do Livro e este ano existirá um evento em Lisboa que celebrará todo o mundo literário, falo então do ManiFESTA-te pela Leitura que aconteceu em 2019 e devido à pandemia teve de ficar por organizar nos últimos anos.

Agora é através dum desfile a partir das 14h30 de Sexta-feira, 22, que partirá do Largo de Camões e seguirá pelo Chiado até ao Rossio, fazendo várias paragens para momentos de leitura em voz alta junto às livrarias que ficam pelo trajeto estabelecido, o ManiFESTA-te está de volta. A organização deste evento está entregue ao Plano Nacional de Leitura, PNL, e destina-se assim a celebrar o valor do livro, da leitura e da palavra antes e agora. 

 

 

Esta Ferida Cheia de Peixes | Lorena Salazar Masso

Guerra e Paz Editores

Esta ferida cheia de peixes

Título: Esta Ferida Cheia de Peixes

Título Original: Esta Herida Llena de Peces

Autor: Lorena Salazar Masso

Editora: Guerra e Paz Editores

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 144

ISBN: 978-989-702-722-2

Classificação: 5 em 5

 

Sinopse: Este é o livro da subida de um rio. Uma mãe branca, com o seu filho negro, sobe o rio Atrato, na Colômbia. Vai levar o filho que criou à mãe negra biológica. Quererá a mãe negra reclamar agora a criança?

É uma viagem, mas é também uma reflexão sobre a beleza e a dor da maternidade. O que é uma mãe? Uma mãe – diz-nos este romance – é uma coisa que dói. É ferida e cicatriz, é fingir que vences o medo.

Na viagem, surgem os outros protagonistas da história: o rio, que abençoa e afoga; o sentimento profundo de pertença a uma paisagem; as relações de cumplicidade das mulheres; a violência terrível da selva colombiana; a dificuldade de se ser mulher e mãe num mundo cheio de perigos.

Um fulgurante romance de estreia que cheira a verdade. Uma prosa comunicativa e um lirismo que criam uma atmosfera viciante. Esta Ferida Cheia de Peixes oferece-nos um mundo às vezes sonhador, por vezes muito realista, em que a ternura das imagens toca o leitor, abrindo-lhe feridas difíceis de sarar.

 

Opinião: Inesperado é a palavra que me surge para descrever o que senti com a leitura de Esta Ferida Cheia de Peixes logo a partir dos primeiros capítulos. Através de uma história bem quente perante o amor de uma família improvável, este romance é acima de tudo aconchego, dor, partilha, tristeza e desigualdade. Mostrando a viagem de barco de uma mãe de coração com o seu filho deixado aos seus cuidados pela guerra, fui convidando a entrar numa jornada onde a emoção se fez sentir por perceber que estava a ser conduzido pelo embalo da perda, do amor dos cuidados de quem quer bem e que de um momento para o outro tem de abdicar do seu bem maior, o amor por um filho que criou, para o entregar às suas origens. Através do embalo de uma canoa que segue a linha do rio e os contratempos da selva adjacente, através dos sons que revelam medo do que se esconde através da escuridão, as cores e o som que se misturam com o poder feminino que ganha grande destaque nesta história por revelar superação, esforço e autonomia perante uma sociedade machucada pelo conflito e a distância. 

Esta Ferida Cheia de Peixes revela em forma de amor a dor com que tantas famílias passaram e hoje continuam a sofrer por se apegarem e do nada lhes verem, de forma muitas vezes forçada, o seu bem lhes ser retirado. Como uma mãe que não dá à luz mas que é mãe por criar e formar uma criança consegue enfrentar o desapego? Como todos nós conseguimos dizer adeus a quem nutre o bem e sempre pensamos ter do nosso lado? Esta história, totalmente ficcional com raízes reais, é contada ao longo de nove capítulos, como os nove meses de gestação, e revela todo o amor que não pode ser passado pelo esquecimento dos momentos que marcam a História que o Homem decide alterar. 

O Aliado Improvável | Daniel Pinto

Clube do Autor

o aliado improvável.jpg

Título: O Aliado Improvável

Autor: Daniel Pinto

Editora: Clube do Autor

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 372

ISBN: 978-989-724-609-8

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Baseado em factos históricos, O Aliado Improvável explora o mistério por trás da campanha de espionagem mais mortífera da Segunda Guerra Mundial, conhecida por Englandspiel.

Em Maio de 1940 os Países Baixos renderam-se à Alemanha, após uma batalha intensa. Em poucas semanas Hitler dominava grande parte da Europa Ocidental. De imediato estabeleceram-se contactos entre os Aliados e os movimentos de Resistência para organizar a libertação. Desesperados, os Aliados recorrem a Simon Clifford, agente enigmático e assassino profissional, para eliminar o homem que ameaça os seus ambiciosos planos.

Preparam um grande desembarque de tropas nos Países Baixos. Porém, nos meses finais de 1943 uma misteriosa mensagem codificada altera os projetos. O que aconteceu? Teriam os alemães sido avisados?

 

Opinião: Com o Mundo a passar por uma situação de Guerra, chegou até mim O Aliado Improvável, onde a Segunda Guerra Mundial está em grande destaque ao lado dos dois protagonistas desta história de espionagem.

Conhecendo Simon, um espião norte americano, e Jason, um assassino britânico, o próprio título, O Aliado Improvável, diz tudo sobre o cruzamento destes dois homens que de forma inesperada se tornam numa dupla que rapidamente consegue chegar junto do leitor e que entre identidades falsas a percorrerem várias cidades europeias vão desfiando os novelos que vão surgindo em busca da verdade para ajudar o final e desmantelamento da guerra, tudo através de uma boa rede de informadores, enfrentando os perigos dos tempos de guerra onde nem sempre os inocentes e os que tentam resolver a incompatibilidade conseguem sair ilesos de um confronto com rostos bem organizados. 

Abril, livros mil!

Feira do livro22 - bill«Abril, águas mil!» costuma ser o ditado popular tão ouvido por estes dias ao longo dos anos. Só que desta vez o que venho apregoar é mais Abril, livros mil!, tudo porque a Feira do Livro da Wook começou no passado dia 04 e irá ficar disponível até ao dia 25 de Abril, Dia da Liberdade por sinal, com descontos que vão até aos 50%, sendo que esta promoção não é acumulável com outras que possam estar em vigor no mesmo período de tempo. 

Esta promoção conta com descontos que vão dos 10% aos 50% através de desconto imediato ou da combinação de desconto imediato com desconto em cartão wookmais nos artigos selecionados e devidamente assinalados, existindo também a oferta de portes de envio para Portugal Continental, em encomendas de valor igual ou superior a 15€ nos envios “Entrega Standard”. Para encomendas de valor inferior a 15€, o valor dos portes é devolvido em cartão Wookmais para possível desconto posterior. Os serviços extra como a entrega ao sábado e Janela Horária têm um custo adicional não gratuito. A oferta de portes é válida para entregas nos Açores e Madeira, em “Entrega Standard”, sendo que estas condições são válidas para encomendas até 10 kg.

 

O Verão do Lobo | Hans Rosenfeldt

Suma de Letras

13B37C0F-9EAE-43F9-AE2E-9FFA8BDCA149.jpeg

Título: O Verão do Lobo

Título Original: Vargasommar

Autor: Hans Rosenfeldt

Editora: Suma de Letras

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Março de 2022

Páginas: 432

ISBN: 978-989-784-516-1

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: Um lobo morto.

Um negócio de drogas que correu mal.

Uma assassina letal.

Quando restos humanos são encontrados no estômago de um lobo morto, Hannah Wester, polícia na remota cidade fronteiriça de Haparanda, no Norte da Suécia, sabe que não haverá outro verão como aquele. Os restos mortais estão relacionados com um confronto sangrento entre traficantes de droga na fronteira com a Finlândia. Mas como é que o homem chegou à floresta de Haparanda?

Hannah e os colegas não deixam pedra sobre pedra. Mas o tempo escasseia e eles não são os únicos a procurar. Quando a brilhante e mortal Katja chega, acontecimentos inesperados e brutais sucedem?se. Em poucos dias, a vida em Haparanda complica-se, também para Hannah, que se verá forçada a confrontar o próprio passado.

Bem-vindo a Haparanda, uma aldeia fronteiriça onde todos são suspeitos.

 

Opinião: O Verão do Lobo começa com a descoberta de lobos mortos e consequentemente a perceção de que os mesmos terão sido envenenados e que tinham no seu interior carne humana que teriam comido. Até este ponto estive a par da situação, no entanto quando a entrada de variadíssimas personagens começa a surgir e a causar diversos prismas perante a história, o que aconteceu a partir daí foi somente um afastamento enquanto leitor do que prometia ser uma grande companhia literária.

A morte humana, a guerra da droga entre russos e finlandeses que levam a diversos assassinatos, a verdadeira máfia russa e o treino de crianças para aprenderem a matar. E depois os diversos rostos policiais dentro da investigação, tudo muito baralhado na tentativa de explicar todos os acontecimentos que parecem numa primeira fase tão dispersos como desnecessários para o que parecia ser a premissa da narrativa.