Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

20
Jul20

Finalistas e regressos no Big Brother

bigbrother2020.jpg

 

Ante-penúltima gala e o erro anunciado acontece a duas semanas do final no Big Brother com a entrada de dois ex-concorrentes para jogar um contra um outro por uma viagem de uma semana com tudo pago à ilha da Madeira. Necessidade disto não era nenhuma mas a produção acha que a dias do final existe necessidade de criar polémica e provocar os jogadores que ainda estão em competição pelos cinquenta mil euros do prémio final. Numa edição com regras que foram constantemente esquecidas por concorrentes e produção este ato de chamar expulsos a jogo é somente o deixar cair a ideia de que esta versão em 2020 do formato seria diferente. Foi diferente realmente, mas quebraram tanto o jogo possível que acabaram por provar que um reality show da TVI produzido pela Endemol acaba por ser sempre mais do mesmo, com erros atrás de erros, falhas, incumprimentos e desaires que só são possíveis por existir uma constante benevolência por parte de uma produção que não impõe limites aos concorrentes e os deixa esticar demasiado a corda. Neste caso todos os concorrentes que saíram por vontade do público foram colocados a votação, os quatro mais votados para voltarem fizeram teste ao Covid19 e a escolha para entrarem recaiu no Daniel Monteiro e no Hélder. 

Com estas entradas Diogo teve uma das suas excelentes saídas e tocou logo no tema do vírus, ao que o Big Brother e o Cláudio Ramos tiveram que explicar que estes concorrentes que regressaram fizeram os testes e que estão seguros. Em estúdio o público aplaudiu o comentário muito bem dado pelo Diogo, mostrando de certa forma que estas duas entradas seriam totalmente desnecessárias por respeito ao tempo que todos tiveram de ficar em quarenta por duas semanas antes do início da edição e que agora de um dia para o outro os testes foram feitos e as entradas aconteceram. Não concordo, o Diogo colocou a questão que todos nós fizemos quando foi anunciada esta decisão por parte da produção e o assunto devia ter sido estudado junto do público, já que se preocupam nesta edição do programa com tudo o que nós em casa pensamos e publicamos pelas redes sociais. A grande maioria não concorda com estas entradas, fosse de quem fosse, por serem totalmente desnecessárias, mas mais uma vez tudo é feito como produtora e canal decidem sem respeitar o previsto a favor das audiências. 

Momento Curva da Vida com a concorrente mais nova da casa, a divertida mas nem sempre verdadeira Sandrina. Discriminação, bullying, tentativa de suicídio, violência doméstica entre os pais, fome e necessidades. Sandrina aos 22 anos tem uma história de vida complicada, com bastantes altos e baixos familiares, tendo isso sido transportado para a jovem que é hoje, divertida, quem sabe para esconder os problemas que sofreu, com problemas com a sua imagem, o que acredito que seja resolvido quando sair da casa. Um momento comovente entre o confessionário e o estúdio com a concorrente a receber no final uma mensagem do jogador de futebol Quaresma, do qual é fã. 

E eis que o momento BBPlay recaiu sobre vários momentos da prova semanal onde o cumprimento da mesma e por iniciativa do Diogo com a concordância de todos a superação da prova iria reverter o seu valor para o Banco Alimentar, uma vez que têm comida suficiente na casa para os próximos dias. Com isto apostaram 100% do valor na prova mas a maioria desrespeitou as regras onde dois concorrentes tinham de estar sempre na pista de dança. Uns mais que outros foram saindo do local sem serem substituídos, mas existiu mesmo quem tramasse os colegas alterando as horas do relógio, como aconteceu com o Pedro Alves. Cláudio Ramos chamou o concorrente à atenção por poder levar a prova a não ser cumprida e a não ajudarem o Banco Alimentar, num ato solidário, ao que o concorrente respondeu de um modo em que mostrou que o seu pensamento é o de que o dinheiro compra tudo, que sabe como dar a volta quando chegar cá fora se perderem a prova, dando a ideia de que faz depois um donativo em nome próprio para a instituição pelos seus erros, ou seja, compra os seus erros com dinheiro, achando que pode fazer o que quer porque depois paga para remediar a situação. Mais mimado que isto não existe por ser de famílias ricas que até lhe ofereceram um carro para não entrar no Big Brother. A produção deu a prova como perdida, no entanto decidiu doar o dinheiro à instituição como um ato solidário. A Pipoca Mais Doce em estúdio, implacável como sempre, referiu e comentou as imagens que não passaram na noite de Domingo onde Pedro Alves decidiu colocar álcool no chão e deitar fogo para se aquecer, num mau exemplo numa época de incêndios, mostrando uma vez mais uma atitude de jovem mimado e incapacitado de raciocínio sobre o que deve e não deve ser feito, para mais num programa de televisão visto por milhões. Pedro Alves a ser incorreto ao longo de toda a semana, com sucessivos avisos por parte da produção mas com muito a passar ao lado do público que só assiste aos diários e extras do canal principal. Será esta uma tentativa de proteção para depois queimarem tudo na Gala? Não percebi esta balança da produção do querer esconder por um lado e depois mostrar quase tudo para o colocar mesmo na linha limite de saída.