Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Judite Sousa deixa TVI num bom momento

Publicado por O Informador, 07.11.19

judite sousa.jpg

 

Após algumas semanas longe dos ecrãs, a gozar um período de férias, Judite Sousa anunciou através das redes sociais a sua saída da TVI. 

Foi através de uma partilha pelo Instagram, que a diretora-adjunta da TVI e TVI24 comunicou que estava de saída do canal onde estava desde 2011, após uma longa carreira pela RTP. 

Depois de uma longa e serena ponderação, decidi terminar a minha relação profissional com a TVI. Foram oito anos que me permitiram, em total liberdade, vivenciar a paixão pelo jornalismo com sentido de dever e responsabilidade ao serviço de uma empresa privada. Este é o momento para expressar gratidão a todos os meus companheiros de trabalho das diferentes áreas da empresa. Os últimos anos foram particularmente difíceis, mas em palavras ou na reserva do silêncio, entendi sinais de conforto. Quero expressar o meu agradecimento ao José Alberto Carvalho que me desafiou para esta viagem, com amizade, em 2011. Quero igualmente agradecer ao Sérgio Figueiredo as oportunidades profissionais que me proporcionou nestes últimos quatro anos e que me ajudaram a ultrapassar momentos mais difíceis da minha existência. Finalmente, uma palavra aos espectadores da TVI cujo carinho e apoio nunca me faltaram.

Mostrando-se tranquila numa decisão que foi sua e perante a qual a empresa entrou em mútuo-acordo, Judite revelou entretanto à imprensa que esta «era uma decisão que vinha a ponderar desde o início do ano» e que agora foi tomada. Revelando que tem vários projetos a que se quer dedicar pelos próximos tempos, a jornalista pensa agora em descansar para depois agarrar o futuro que será bem mais calmo e longe dos grandes estúdios televisivos. 

Alguma imprensa revela que esta decisão de Judite esteja também a acompanhar a cada vez mais próxima entrada da Cofina na compra da Media Capital, indo de encontro às notícias de que vários rostos seriam afastados. Na verdade não vejo isso como uma possibilidade por parte da empresa, mas sim da jornalista que após vários anos a dar a cara pela informação, assumindo cargos de direção e entrando em cena como repórter em grandes acontecimentos nacionais e internacionais, se vê cansada e sem vontade de entrar num novo ciclo onde além de uma nova empresa será também tempo de recuperar a liderança perdida no início de 2019, tanto no entretenimento como na informação.

Novidades Grupo BertrandCírculo | Este vício de ler

Publicado por O Informador, 05.09.18

este vício de ler.jpg

O Grupo BertrandCírculo reuniu amigos, imprensa especializada e bloggers para anunciar os lançamentos literários que serão feitos dentro das suas várias chancelas - Bertrand, Quetzal, Temas e Debates, Círculo de Leitores, Contraponto, Pergaminho, ArtePlural, GestãoPlus e 11x17 - até ao final do ano. E antes de avançarem de forma corrida na leitura deste texto, posso-vos dizer que existem novidades para todos os gostos e várias surpresas já esperadas há algum tempo. No total serão mais de 80 publicações que irão ficar disponíveis pelos próximos meses, também a pensar no Natal e nos bons amantes de literatura. 

Começando pela Bertrand Editora, no espaço de ficção, posso revelar que os apreciadores da série Alias Grace poderão ter também a obra que inspirou a produção. Chamavam-lhe Grace, da autoria de Margaret Atwood, é finalmente publicado em Portugal. Numa história de crime, mistério e sexo, esta narrativa gira em torno da vida de uma das mulheres mais célebres e enigmáticas do seu tempo, Grace Marks, que se viu envolvida no homicídio do patrão e da governata. Nos lançamentos da Bertrand surge também o novo livro da coleção Mitologias de Gonçalo M. Tavares, Cinco Meninos, Cinco Ratos. Cinco crianças perdidas na floresta perdem a mais nova e a partir daí as crenças e os mundos imaginários fazem das suas entre encontros, mau olhado, perigos e mitologias. Um nome desconhecido surge no catálogo da editora a partir de agora. Susi Fox, a autora de Meu, uma narrativa onde a mãe de um recém nascido não o aceita como seu. Um verdadeiro pesadelo que vai para além de depressão pós-parto. Uma Educação, de Tara Westover, um dos livros que Barack Obama gostou de ler, surgirá nas livrarias pelas próximas semanas, sendo uma obra que acompanha a vida da autora, numa ficção não-narrativa. A partir das suas experiências, Tara debate a educação e o que de bom e mau podemos tirar partido da mesma. Acredito que A Coisa, de Stephen King, seja o grande lançamento destes últimos meses de 2018. Dividido em duas partes pelo seu volume, A Coisa vive da história de um grupo de crianças que percebe que por baixo da cidade algo de errado se passa. Anos mais tarde terão de se reunir e regressar ao local para enfrentarem de novo pesadelos de outros tempos. Dentro dos lançamentos próximos da Bertrand ficção existe ainda a destacar A Nossa Vida em Sete Dias, de Francesca Hornak, Fica Comigo Este Dia e Esta Noite, de Belén Gopegui, A Bela Adormecida Assassina, de Mary Higgins Clark e Alafair Burke, Amigos Para Sempre, de Danielle Steel, Cara ou Coroa, de Jeffrey Archer, Olha Por Mim, de Daniela Sacerdoti, A Herança de Judas, de James Rollins, A Fraude, de John Grisham e Uso da Força, de Brad Thor.

Grupo Porto Editora confirma novos nomes na Feira do Livro de Lisboa

Publicado por O Informador, 18.05.17

autores que nos unem 1.png

De 1 a 18 de Junho decorrerá a 87ª Feira do Livro de Lisboa e o Grupo Porto Editora não pára de surpreender com a lista de autores nacionais e estrangeiros que tem revelado com presença marcada no certame.

Após a confirmação de José Luís Peixoto (11 de Junho), Mário de Carvalho (3), Richard Zimler (10 e 11), Gonçalo M. Tavares (15), Bruno Vieira Amaral (10, 11 e 17), Francisco Louça (4), Sérgio Godinho (10), Anabela Mota Ribeiro (4 e 17), Manuela Gonzaga (10), Teolinda Gersão (18) e Alberto S. Santos (10, 11, 15, 17 e 18), eis os novos nomes agora lançados e que já deram o sim. 

autores que nos unem circulo.jpg

Luís Pedro Nunes irá lançar a obra Suficientemente no dia 2 de Junho, marcando assim presença no evento para lançamento e conversa com os leitores. Seguir-se-à João Pedro Marques que nos dias 3 e 18 estará a falar do seu mais recente romance, Vento de Espanha. Quem também já deu o sim para o dia 3 foi a escritora cubana Karla Suárez com Um Lugar Chamado Angola. A jornalista Judite Sousa e o psiquiatra Diogo Telles Correia estarão com Pensar. Sentir. Viver. nos dias 3 e 15 no espaço Grupo Porto Editora para uma conversa com os leitores e visitantes da Feira. Um outro psiquiatra estará a 4 de Junho para falar, explicar e conviver com quem queira ter a oportunidade de conhecer Augusto Cury, autor de O Homem Mais Inteligente da História. Da psiquiatria para o sacerdócio, José Tolentino Mendonça encontrar-se-à com os leitores também a 4 de Junho com o livro Teoria da Fronteira, que será lançado brevemente. O jornalista João Céu e Silva, autor de Fátima - A Profecia que Assusta o Vaticano, estará na Feira do Livro a 10 de Junho. A todos estes nomes estão também já certas as presenças de Luís Cardoso, autor de Para Onde Vão os Gatos Quando Morrem?, Cristina Carvalho, que publicou As Fabulosas Histórias da Tapada de Mafra e ainda Mário Vilhena da Cunha e Fortunato da Câmara que reuniram as histórias d' A Vida e as Receitas Inéditas do Abade de Priscos. 

Entrevista de Judite para a Cristina

Publicado por O Informador, 05.05.17

cristina judite.JPG

Três anos após a morte do filho, Judite Sousa encontrou o momento para dar a sua primeira entrevista onde fala da morte de André e se confronta com o passado profissional e o seu atual estado pessoal e dentro da TVI. A jornalista foi convidada duas ou três vezes por Cristina Ferreira para ser capa da sua revista, mas só agora contactou a apresentadora de Você na Tv! porque tinha chegado o momento de abrir o coração. 

Imediatamente comprei a revista para ler esta entrevista, talvez uma das mais aguardadas, e confesso que não fiquei dececionado. Li a conversa entre Cristina e Judite enquanto tomava o café da manhã e tenho de revelar que não consegui controlar a emoção num local público. Esta é uma entrevista emocionante e sincera onde se começa por um passado profissional que começou aos 18 anos e que levou a uma perda de parte da juventude que acabou por não ser vivida. Do Porto, de onde é natural, para Lisboa, onde assume ter passado por uma fase complicada para encontrar o seu lugar dentro da RTP, Judite mostra-se uma mulher marcada por um passado onde viveu bastante para o trabalho e deixou a vida pessoal de lado. Hoje, e após três anos da morte do filho, o rosto de Informação da TVI revela-se uma mulher que procurar viver «sobrevivendo» por esperar «muito pouco da vida».

Cristina entrevista Judite Sousa

Publicado por O Informador, 01.05.17

Judite na Cristina.jpg

Finalmente a revista Cristina terá Judite Sousa como rosto principal na segunda edição do terceiro ano da publicação.

A jornalista da TVI será o destaque da próxima edição da revista de Cristina Ferreira e a conversa, além da sua vida profissional, girará em torno da morte do filho da pivô do Jornal das 8. A assinalar três anos após a morte do jovem, Judite Sousa fala assim livremente sobre o peso da perda de um filho.

Cavaco Silva, o bisbilhoteiro

Publicado por O Informador, 27.02.17

Há memórias e há bisbilhotice política!

José Sócrates no Jornal das 8 da TVI sobre o livro Quinta-feira e Outros Dias da autoria de Aníbal Cavaco Silva.

Querem lá ver que o Sócrates agora anda a dizer que o carrancudo Cavaco é um bisbilhoteiro e que troca alhos com bugalhos o que ouve e diz? Não pode! Como pode o senhor dizer tais coisas de uma figura tão querida e a favor do bem?! Daqui a pouco só falta dizer que o Cavaco está senil!

Júlio Isidro sobre Judite Sousa

Publicado por O Informador, 14.09.14

O apresentador Júlio Isidro partilhou há horas pelo seu mural de Facebook um texto emotivo e bem surpreendente sobre Judite Sousa com o pretexto de que o show têm que continuar! Admirando o profissionalismo da jornalista e a forma como tem lidado com a tragédia pela qual tem passado nos últimos meses, Júlio publicou o que penso no texto que transcrevo de seguida e para o qual não consigo ter palavras...

Vi o debate dos dois candidatos a candidatos a talvez primeiro-ministro. Em boa verdade não estava ali pelo que os dois Antónios viessem a dizer, creio mesmo que estiverem desfocados da minha atenção em muitos momentos.
Estava ali porque do lado de cá, queria ver até onde pode ir esta expressão, "o espectáculo tem que continuar", nascida no século XIX, curiosamente no circo, onde um artista ferido, não poderia impedir os colegas de trabalharem e o público do direito de se divertir.
Estava ali solidário com as mãos brancas e a voz ligeiramente enfraquecida da Judite de Sousa que, mais uma vez, travava uma batalha da sua vida.
Ainda com a ferida de um amor perdido a sangrar, a Judite de olhos tristes, esteve à altura do desafio que se impôs.
Ali estava eu a ouvir em fundo as acusações e promessas dos candidatos a talvez primeiro-ministro, mas a pensar que há muitos pais sobre quem o mundo desaba num minuto, mas que podem viver a dor na sua obscuridade, longe dos olhos e ouvidos do mundo. Preço alto deste ofício (e não tenho dúvidas que a Judite, faz desta profissão um ofício) é a inevitável partilha da dor.
Neste circo, as figuras públicas sabem que o são para as alegrias e para as desgraças, provavelmente mais para estas, porque o espectáculo alimenta-se muito mais com lágrimas do que com sorrisos.
Ali estava eu a ouvir o eco das palavras dos "debatentes " e a sentir (sim, mesmo a sentir) o esforço da Judite para cumprir a sua missão, suspender por meia hora a viagem de retorno cíclico ao seu drama pessoal, sorrir de lábios a tremer e sair a correr para o refúgio da sua intimidade.
Aí sim, pode ser uma mãe sofrida como tantas outras a quem o destino rouba a alegria de viver.
Estive tenso e solidário com uma mulher, uma mãe e uma profissional que respeito e admiro.
Respirei de alívio no momento da despedida quase feita de olhos em baixo da Judite.
O perfume da fama, os dourados do sucesso e a ostentação da alegria têm um outro lado da medalha ao qual as figuras públicas não podem fugir.
Enquanto oficial do mesmo ofício e pai, abraço com carinho e respeito a Judite de Sousa.