Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

03
Jul20

Geração descuidada

dinamicas-para-grupo-de-jovens-e1576146143307.jpg

 

Será impressão minha ou as novas gerações, quando se juntam em grupos, mostram um estado de indisciplina que há uns anos não acontecia? Geralmente não tenho contacto com grandes grupos de jovens, um ou dois, a solo ou com os pais, mas em situação de grupo é raro. Nestas semanas de pausa, mais por estes últimos tempos em que o estado de liberdade foi ligeiramente dado, todos começaram a sair à rua e é percetível que os jovens até atingirem a maioridade se têm juntado e são essas uniões que me têm levado a este pensamento quando as visiono de perto.

Tenho visto os grupos de jovens a andarem por aí, sem máscaras e distanciamento, com um palavreado bastante feio, com conversas sem nexo e onde se acabam por humilhar uns aos outros, com nomes feios, asneiras e frases feitas bastante pesadas com uma linguagem negativa onde falam de si, dos amigos e familiares rebaixando-se e acabando por aplicar um certo desrespeito entre si como se não existisse a ideia de defesa pessoal e respeito para com os outros.

Tenho visto uma geração muito espontânea, sem o apelidado de tento na língua, mostrando uma falta de educação ou talvez até um desnível de comportamentos que se tornam bem díspares quando estão acompanhados por adultos e quando ficam a sós com os seus pares e semelhantes.

14
Mai15

Adolescentes imbecis

Imbecis é sem dúvida a descrição adequada para o caso nacional do momento em que um grupo de adolescentes da Figueira da Foz agride um outro jovem ao longo de treze minutos. Como todos os que puderam assistir a este vídeo chocante, incredulidade é um dos estados que alertam para este facto que está a abrir os notíciários pelas últimas horas e a motivar grande alarido pelas redes sociais. 

Um absurdo é o comportamento dos jovens de hoje que mostram cada vez mais atitudes deploráveis perante os seus pares. Imbecilidade de tamanhos comportamentos e incredulidade com tais pensamentos sobre o que se passa nos dias pelas mentes dos jovens que não se negam a causar problemas. Muitas vezes fala-se da má educação que vem de casa onde os pais muitas vezes erram. No entanto isso nem sempre é bem assim, não existindo em vários casos uma má linha sobre como agir em sociedade, existindo sim depois um desvio consoante companhias e amizades. Quantos jovens não saem de famílias problemáticas e tornam-se adultos exemplares no futuro e vice-versa? 

A agressão não leva a lado nenhum, seja em que caso for! A educação pode ser deficiente em casa, no entanto isso não é tudo e na sociedade dos tempos modernos pais e educadores conseguem controlar cada vez menos os comportamentos dos mais novos que passam mais tempo sozinhos do que o aconselhado. Um bom pai não significa que consiga criar um bom filho, tal como um mau pai não significa que um mau filho irá surgir. Tudo depende de vários fatores e neste caso, venha quem vier contrariar, mas a imbecilidade do gang que se formou entre aqueles jovens afetou todos os que se foram incluido, muitas vezes sem o conhecimento dos progenitores. Os grupos estragam muitas vezes o que poderia correr bem e aí cabe a cada qual saber escolher com o que lhe foi passado sobre o que está bem e o que está mal. A mente é fraca em vários casos, eu sei, mas não vejo uma culpa total dos pais do século XXI como muitos outros agora afirmam com medo de andarem a fazer um mau trabalho de casa!

13
Mai15

Miúdos agressivos!

2015-05-13-agressao-01.jpg

Afinal em que mundo vivemos? Graúdos loucos é o prato do dia, agora os miúdos andarem com agressividade como comportamente permanente é mau demais numa educação que se espera seguir com rigor os bons costumes que muitos de nós ainda tivemos!

Nas últimas horas surgiu um vídeo, que entretanto foi retirado, no Youtube com um jovem estudante da Figueira da Foz a ser agredido por um grupo de raparigas ao longo de pelo menos 13 minutos. Chapadas, murros, empurrões, pontapés, palavrões e gozo foram os pratos fortes deste grupo que resolveu colocar um colega de escola a um canto para mostrarem que conseguem ser valentes perante um indefeso que se encontrava a solo. Não sabemos as razões que levaram estas raparigas, com a ajuda de alguns rapazes, a cometerem este grave erro social, no entanto o que é certo é que não existe justificação para tais cenas acontecerem, muito menos serem gravadas para mais tarde poderem recordar o mal que fizeram e gabarem-se ainda disso. Onde está a humanidade e onde estavam as regras que os pais passaram para estes adultos do futuro? Como jovens conseguem mostrar tamanha falta de bom senso nos dias que correm e com o acesso que têm a tudo, sabendo que mais cedo ou mais tarde isto iria aparecer e ser comentado por quem não queriam?

22
Set14

Casais desempregados

Este fim-de-semana foram revelados vários dados que mostram que o desemprego em Portugal voltou a subir e que existem um maior número de casais em que ambos estão desempregados. Curiosamente e infelizmente na semana passada um casal, não casados, mas claramente companheiros que partilham casa e vida, inscreveram-se no meu local de emprego e quando estavam a preencher as fichas fiquei pensativo por perceber como será difícil estarem duas pessoas, talvez com os seus fundos de desemprego a terminarem, em situações tão idênticas a partilharem o mesmo espaço, não existindo dinheiro a entrar da forma como é desejada!

Um membro do casal estar desempregado e a receber ajuda do estado e ter o seu parceiro a trabalhar ainda ajuda a controlar as contas e os gastos, agora estarem os dois à procura de emprego, com subsídios mínimos, e a não conseguirem arranjar nada talvez também pelas idades com que estão, é complicado!

Neste momento a empresa não está a colocar ninguém, no entanto aqueles dois seres pareciam mesmo capazes de ficarem a trabalhar, mesmo tendo que aprender o que nunca fizeram, já que como ouvi através de um sussurro, o senhor era mecânico anteriormente e isso nem foi colocado na sua inscrição, mostrando que quer fazer qualquer coisa, desde que lhe ofereçam um emprego.

O desemprego voltou a aumentar, os casais desempregados também aumentaram e os jovens continuam à procura do seu primeiro emprego! Uma realidade pesada que o nosso país continua a atravessar, depois de anos em que a crise apareceu e parece estar a tardar em desaparecer!

09
Jun14

Reportagem 15-12-2013

Meio ano já passou após a tragédia do Meco e ainda hoje a imprensa continua a debater o assunto, principalmente a TVI pela mão da jornalista Ana Leal. Se até agora todas as reportagens feitas sobre os jovens que morreram e os seus familiares deram destaque ao acidente, aos culpados, à situação em concreto, desta vez decidiram recordar quem eram os filhos, amigos, namorados e alunos que partiram!

Finalmente uma reportagem sobre a tragédia do Meco que não se debateu sobre a fatídica noite, mostrando quem foram os jovens adultos que deixaram a sua vida junto ao mar por um qualquer erro humano onde alguém e todos foram culpados. A jornalista não tem deixado o caso desde as suas primeiras horas e continua do lado das famílias que ficaram sem os seus filhos, em busca da verdade, mas com uma persistência cansativa publicamente.

Esta reportagem mostrou o outro lado, mostrou as pessoas que viveram e foram felizes ao longo da sua presença na terra, rodeados de quem sempre os amou. Confesso que fiquei comovido ao ver a reportagem 15-12-2013, percebendo a falta que as partidas fazem, o modo como cada qual é recordado e quem foram!

O acidente do Meco não tem de ter julgamento público e embora seja um caso que o país tem acompanhado, queria acreditar que esta reportagem em jeito de homenagem às vítimas poderia muito bem terminar o caso pela imprensa. Aplaudo o bom trabalho jornalístico, mas já chega!