Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

26
Fev18

Secret Story 7 | A Estreia

O Informador

secret story 7 manuel luís goucha.jpg

Estreada que está a sétima edição do Secret Story, apetece-me dar a minha primeira visão sobre o que vi ao longo da primeira gala conduzida por Manuel Luís Goucha. 

Com uma casa com duas portas que ditam os primeiros passos dos concorrentes entre o céu e o inferno, o interior da habitação não tem muito de diferente das temporadas anteriores. Mudanças de decoração e com mais espaços secretos, mas pouco se nota, a não ser o jardim que está em modo Alice, no País das Maravilhas, o que achei fantástico. 

Quanto aos concorrentes transcrevo rapidamente os perfis apresentados em cada apresentação. Joana F., 25 anos, Mealhada, Bruno, 28 anos, Amadora, Margarida, 35 anos, Barreiro, com o segredo «publiquei dois livros sobre a minha vida sexual» já conhecido, Luan, 26, Brasil e Tiago, 25 anos, Lisboa com o segredo «somos casados», Isabela, 19 anos, Almada, Marlene, 32 anos, Alemanha, Cátia, 29 anos, Açores, Joana C., 21 anos, Coruche, Rui, 23 anos, Vila Real Santo António, Pedro, 27 anos, Valongo, João, 25 anos, Valongo, irmãos e a jogarem somente como um concorrente, Sofia, 27 anos, Lisboa, Carina, 27 anos, Matosinhos, Nuno, 23 anos, Porto, César, 26 anos, Alte, e Gabriela, 23 anos, Loulé.

No que toca a segredos ainda não desvendados sobre a quem pertencem existem para todos os gostos. De «o meu pai tentou matar-me quatro vezes», «a minha irmã foi levada por um bispo da IURD», «sou filha/o da prima da minha madrasta», «fui raptado por engano em Espanha», «salvei milhares de pessoas em África», «já pousei nu para uma revista», «tentei matar o meu pai», «estive cego durante um mês», «vivi sete meses num país em guerra», «trabalho no circo», «vivi aterrorizada/o por um/a ex-namorada/o», «entrei na casa antes de todos os concorrentes», «o meu irmão salvou-me a vida» a «sou a chave do túnel dos segredos».

Primeiramente e nesta primeira e rápida análise sobre os concorrentes fiquei com a sensação que teremos uma Margarida que dará excelentes confessionários, o que poderá ser um ponto a seu favor junto do público das galas de Domingo. Quanto ao casal Luan e Tiago acredito que se souberem fazer as coisas poderão tornar-se um bom símbolo gay dentro da casa, no entanto com o jogo desconfio que as coisas possam não correr assim tão bem entre os dois. Vi uma Marlene e também uma Carina bastante prontas para armar confusão por qualquer mínima situação. Nuno, o conhecido de ex-concorrentes de anteriores edições do programa que surge assim com a lição estudada e com a mania que sabe como jogar corretamente neste desafio. O casal César e Gabriela deram-me a ideia que poderão dar bastante que falar, mas pela negativa. Quanto aos restantes não destaco assim nada de especial pela primeira impressão, mas o jogo ainda agora começou. 

05
Mai13

Piada da minha afilhada

O Informador

Ela tem quatro anos, mas é mais sabida que algumas crianças com mais idade. Num destes dias a minha afilhada ao ouvir uma música religiosa num evento público saiu-se com uma piada que nem parecia de uma criança, mas que só teve mesmo piada por ser contada por um ser daquela idade.

O tema que ouvíamos era este...

Pai Nosso, em Ti cremosPai Nosso, Te oferecemosPai Nosso, nossas mãosDe irmãos

E a conversa que se seguiu entre mim e ela foi algo do género - nas falas dela existem Rs e algumas palavras que não estão porque ela também não os diz!

Ela: «Tenho esta música lá em casa!»

Eu: «Ai tens? Então canta lá um bocadinho!»

Ela cantou e depois disse...

«Eu costumo ouvi esta música quando estou a arruma a casa ao fim-semana!»

Pensei que não tinha ouvido bem e perguntei...

«Quando limpas a casa ouves esta música, é?»

«Sim, quando ando a arruma a casa!»

Depois falei com a minha prima, mãe da pequena, e contei-lhe esta linda conversa e ela confirmou que quando anda nas limpezas caseiras e a miúda anda por lá atrás dela que esta música faz parte do roteiro que se anda a ouvir naqueles momentos.

Mas o que me surpreendeu foi ela ter feito aquela conversa assim como se fosse uma adulta que limpa e arruma a casa como gente grande e com um bom som como pano de fundo. Neste caso é um som religioso, mas cada qual tem os seus gostos e a Matilde já sabe bem o que anda a ouvir lá em casa quando é tempo de limpeza geral da casa e da mente.

Piada da afilhada aqui do «padinho» que tem com cada conversa que não lembra a ninguém!

30-a-50-nobel-literatura-mrec

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Mais comentados

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook