Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

univseritarios-billboard

Vizinhança da discórdia

Publicado por O Informador, 26.02.20

vizinhança.jpg

 

Ainda é bem cedo, enquanto o menino toma o pequeno-almoço descansado, enrolado no roupão e a ver as últimas publicações pelo Instagram, um barulho estranho e acima do normal faz-se sentir pela rua. De início parece ser somente alguém a falar mais alto logo pela manhã, mas o som adensasse, as vozes elevam-se, até que o menino percebe que a vizinha estridente debaixo e o vizinho porco do lado estão numa discussão bem acessa. Nomes e palavrões bem feios são proferidos, ameaças e gestos acompanham e a gritaria continua, as portas batem para se voltarem a abrir e tudo recomeçar em menos de um minuto.

Uma discussão acesa que já vinha a ser sentida há algum tempo pelo menino, sendo adiada até que o pontapé de saída aconteceu quando um portão se abriu, duas pessoas se olharam, a noite de ambos deve ter sido mal dormida e o choque aconteceu sem sabedoria para se conversar e resolver as coisas a bem, sem causar estranheza e ganhar um destaque pela imprensa do passa a palavra cá do sítio. 

A propagação pelas redes sociais

Publicado por O Informador, 16.02.20

redes sociais 2020.jpg

 

O passa a palavra de antigamente onde nas ruelas e cafés de esquina as novidades da aldeia surgiam como cogumelos para serem partilhadas, comentadas e gerar falatório por uns dias, agora surge pelas redes sociais, fazendo ao mesmo tempo com que o tempo para se tornar assunto do momento se torne numa rápida discussão de horas. Tudo começa, é comentado e rapidamente fica no passado, mesmo as maiores polémicas do dia que surgem de forma tão rápida como desaparecem como um tema efémero na chamada aldeia global.

Hoje é tão fácil perceber o que está a acontecer, comentar com alguma rapidez sem existir o frente-a-frente e dizendo o que se quer porque no mundo online a frontalidade parece ser uma aptidão de muitos. Ser levado por opiniões alheias para rebaixar sem ter opinião própria e por vezes sem que se tente entender o que se passou. Se uns dão o seu parecer sobre determinado tema, se quem segue costuma gostar e concordar, então vão seguir a mesma ideia, não percebendo as verdadeiras razões dos acontecimentos, seguindo correntes sem verdades e sem opiniões próprias. A sociedade dos dias que correm segue comboios e quem os contrariar é visto como um opositor que de nada percebe e criticado por defender o oposto da maioria. Não podemos ter opinião própria agora sem ter de seguir a linha que a maioria acha ou segue como exata?

 

O livro Tu És Aquilo Que Pensas pode ser teu...

Publicado por O Informador, 12.02.20

tu és aquilo que pensas.jpg

 

Habitualmente lanço oportunidades para vos presentear através do blog, mas desta vez optei por criar um passatempo em exclusivo no Instagram, onde está disponível a hipótese de ganharem um exemplar da nova edição do livro Tu És Aquilo Que Pensas, da autoria de James Allen, lançado pela editora Albatroz.

Uma das obras de auto-ajuda mais lidas de sempre e com mais de cem anos, Tu És Aquilo Que Pensas voltou assim às livrarias nacionais para a partilha de conhecimentos em busca da conquista dos sonhos. Tudo passa pelo pensamento positivo para enfrentar o futuro com melhores ambições!

E se tudo aquilo que nos acontece depender, sobretudo, dos nossos pensamentos?

Era nisso em que acreditava James Allen quando escreveu As a Man Thinketh, que chega agora com nova tradução. Neste pequeno e valioso livro, repleto de ideias e exemplos, irás ver que o sucesso e a felicidade estão ao teu alcance, através de uma simples ferramenta: domina os teus pensamentos e dominarás o teu destino.

Escrita há mais de 100 anos - muito antes de outras referências que defendem o mesmo princípio -, esta é uma das obras de autoajuda mais lidas de sempre e um guia para líderes, coaches e mestres mundiais do desenvolvimento pessoal. Através dela, e ao longo de décadas, inúmeras pessoas mudaram a sua forma de estar e tornaram-se mais felizes e bem-sucedidas, ajudando, ao mesmo tempo, a transformar o mundo num lugar melhor.

"Sonha em grande - aquilo com que sonhares será aquilo em que te irás tornar."

Visita a minha conta de Instagram e participa nesta oportunidade!

Cláudio troca Cristina pelo BB2020

Publicado por O Informador, 11.02.20

cláudio ramos sic tvi.jpg

 

Pouco mais de um ano após se assumir como o vizinho mais fiel de Cristina Ferreira na SIC e com 18 anos com vários projetos no canal agora dirigido por Daniel Oliveira, Cláudio Ramos não hesitou quando o novo diretor da TVI, Nuno Santos, lhe apelou com a apresentação da nova edição comemorativa do Big Brother e o apresentador deixou mesmo a sua melhor fase no canal do grupo Impresa para abraçar, como já revelou à imprensa, «um sonho»!

Com estreia marcada para o final de Março, o novo BB2020 andava envolto em suspense quanto ao seu apresentador. Teresa Guilherme, Manuel Luís Goucha, Júlia Pinheiro, Vasco Palmeirim, Isabel Silva, Fátima Lopes, Nuno Eiró e mesmo Cláudio Ramos foram nomes comentadores e divulgados como possíveis hipóteses para apresentarem a edição renovada do reality show mais famoso do mundo. O suspense terminou, os castings estão em reta final, o local da nova moradia será na Ericeira e a preparação da produção está a decorrer a todo o gás. 

Foi através da sua conta pessoal do Instagram que Cláudio Ramos deixou a sua mensagem de agradecimento a todos os profissionais da SIC, dando ao mesmo tempo a notícia de que estava de saída para apresentar a nova edição de um programa que sempre o fascinou. «Da SIC guardo tudo de bom até na forma como me ajudou a gerir esta despedida. Deixo uma palavra de agradecimento à família do Dr. Francisco Pinto Balsemão, ao próprio Francisco Pedro, atual diretor da empresa, e à Mónica, com que trabalhei mais diretamente, que sempre foram comigo da maior atenção e um obrigado especial ao Daniel Oliveira que enquanto diretor, na altura da maior revolução televisiva dos últimos tempos contou comigo e fez de mim parte na história da televisão», partilhou. Falando também do projeto que o espera por «voar na direção do sonho e de aceitar um desafio absolutamente maravilhoso, esperado e ambicionado por mim há muito», rematando que «da mesma maneira que contei com todos ao longo destes anos vou continuar a contar porque continuo em vossas casas. Literalmente e mais que nunca... Sempre. Não me falhem. Por favor! Obrigado!». 

Cláudio Ramos sair da SIC neste seu momento profissional, onde estava inserido num programa com liderança absoluta e com as audiências a dar a primazia quase total ao canal, após vários anos de derrota, não era de todo assim tão esperado. Poderia acontecer, mas não via assim tão certo esta saída, embora já em Janeiro e com umas férias de duas semanas em que até a imprensa parece ter ficado algo surpreendida, percebeu-se que algo se poderia estar a passar pelos bastidores. Agora surgiu a certeza!

Teresa Guilherme afastada do reality show, Goucha e Fátima dedicados aos seus atuais e novos programas diários, os atuais rostos do canal a começarem a ganhar projetos para determinados horários e Cláudio deixa Cristina sem vizinho e agora é o novo traidor, como muitos já o apelidam, por deixar a apresentadora sem parceiro nas manhãs, tal como muito do público o fizera quando Cristina deixou a TVI e o Manuel sozinho no Você na Tv!

 

Já me segues no Instagram?

Publicado por O Informador, 02.02.20

instagram.jpg

 

Acordei com o pensamento de que tenho de te lembrar de vez em quando que O Informador vai para além do blog. Ah pois é, as redes sociais existem e recomendam-se!

Hoje e neste texto só me apetece divulgar a minha página de Instagram, que recomendo a Seguir, fazer um Gosto ou outro, Comentar, Partilhar e ficar por lá! O mundo digital está em diversas plataformas que se complementam, sendo necessário estar em todo o lado e manter a presença para não se perder nada de nada!

 

Ser Influenciador digital: Likes Vs. Motivação

Publicado por O Informador, 17.12.19

likes motivação.png

 

Se antigamente os verdadeiros influenciadores eram as figuras públicas que apareciam na televisão e no cinema, hoje em dia isso mudou e os influenciadores digitais tomaram lugar. Não ficam dúvidas quando vemos que os portugueses, cada vez mais, escolhem o meio online ao invés dos meios tradicionais.

Aliás, atualmente as crianças não dizem apenas que querem ser professores ou médicos, mas também instagrammers ou youtubers, ou seja, os ditos influenciadores. Os mais velhos, inclusivamente, começam a ter essa ideia em mente devido às diversas vantagens associadas.

No entanto este não é um caminho fácil! Mas se, mesmo assim, o quiseres percorrer, vou ajudar.

 

Qual o papel do influenciador digital?

O influenciador digital é uma pessoa capaz de influenciar o comportamento ou opinião dos seus seguidores através do conteúdo que publica nos canais de comunicação.

Na prática o que acontece é que os influenciadores trabalham arduamente para conquistar uma audiência fiel através de conteúdo de qualidade e, posteriormente, o trabalho árduo mantém-se, mas com o objetivo de manter essa audiência.

 

Quanto ganha este profissional?

A renda de um influenciador digital é muito variada, mas, o importante, é que é possível viver desta profissão – e viver bem a nível financeiro – para quem se dedica bastante ao seu espaço.

Além da publicidade com marcas, também é possível ganhar dinheiro com outras rendas, como a publicação de livros, a criação de cursos e eventos, entre outros.

A culpa da abstenção é do Google

Publicado por O Informador, 14.12.19

perguntas google 2019.png

 

Todos já sabíamos, mas agora que foi revelada a lista das dez questões mais feitas no Google ao longo de 2019, a dúvida fica desfeita. A abstenção nas eleições está mesmo na falta de informação que o Sr. Google tem sobre os locais onde os portugueses podem votar. «Como saber onde votar?» foi a questão mais colocada em Portugal entre as pesquisas feitas no motor de busca. A abstenção aconteceu em grande escala - 45,5% - e está visto assim que não existiu uma resposta certa para tanta dúvida que pairou pelo nosso território há uns meses atrás sobre o momento e local de exercer o ato de eleger os governantes nacionais. 

Está mais que visto que os portugueses queriam muito votar mas que o Google não estava em condições de fornecer as coordenadas certas e no dia D desviou milhões de portugueses para centros comerciais, esplanadas e desertos, tudo para afastar as pessoas das mesas eleitorais. Está explicado assim a falta de filas para se votar.

Aconselho a que nas próximas eleições os nossos governantes e mesmo o Presidente Marcelo venham a reunir com o Sr. Google, outro sabichão, para que esteja bem informado sobre os locais onde cada um de nós tem de se dirigir para votar e eleger. Primeiro cumprir com o seu dever enquanto cidadão, depois olhar para o entretenimento dos tempos livres.