Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

20
Mar19

Ganha | Ser Como o Rio Que Flui

O Informador

ser como o rio que flui capa.jpg

Ser Como o Rio Que Flui é um corte transversal na anatomia da escrita de Paulo Coelho. Esta compilação de contos, opiniões e ideias constitui um belíssimo reflexo da vasta criação do escritor. Peças literárias de vários períodos e publicações compõem este livro, que tece uma linha sensível, acompanhada pelo olhar do criador, detendo-se naqueles pormenores da realidade quotidiana e da contemplação que destilam a subtil filosofia de quem observa a existência com a mesma placidez com que contempla um rio. Contar as histórias dos seres humanos, na sua variada e rica complexidade, é a missão que Paulo Coelho atribui à sua escrita, contando o que são e quem são, sem os prender àquilo que pretendem ou fingem ser. Quase como fotografias da vida, estas peças literárias são breves e intensas e revelam-nos pequenos momentos eternos de vidas de pessoas.

Paulo Coelho, autor de sucesso mundial, lançou há uns anos Ser Como o Rio Que Flui, uma junção de contos, opiniões e ideias que o acompanham na vida. Comprado e nunca lido por mim, resolvi, num início de uma ação que quero tornar rotina, oferecer aos visitantes do blog e redes sociais associadas ao mesmo, oferecer este exemplar a um de vocês. 

Através da publicação no Instagram estou a sortear o primeiro livro saído da minha estante de fila de espera e que irá diretamente para uma casa portuguesa. Ser Como o Rio Que Flui será o primeiro livro meu em passatempo, mas pelos próximos meses já outros estão preparados para serem protagonistas de um passatempo via redes sociais e somente para vos presentear com um livro que tenho em minha posse e que não irei ler porque outros se meteram pelo caminho e o tempo não estica de todo. 

23
Fev19

Ganha | A Sombra do Passado

O Informador

 

a sombra do passado capa.jpg

Um segredo antigo revelado…

Uma criança perdida, o segredo de uma mãe e um verão idílico que mudou a vida de uma mulher para sempre...

Corre o ano de 1958, Elizabeth Holloway é enviada para longe da sua casa de Londres, para passar o verão em Hartland, uma bela propriedade no litoral do condado de Sussex, no Sul de Inglaterra. Para a linda e inocente Elizabeth, os Shaws são um modelo de sofisticação e tratam-na como se fosse da família, mas quando ela se apaixona, ninguém a avisa que os seus sonhos são perigosamente ingénuos.

Quarenta anos mais tarde, a filha de Elizabeth, Addie, encontra uma estranha à sua porta, uma mulher que afirma ser sua irmã gémea. A princípio, Addie recusa-se a acreditar nisso — até que o seu amado pai admite que as circunstâncias do seu nascimento não foram as que ela tinha sido levada a crer que foram.

A revelação desafia tudo o que Addie achava que sabia sobre a mulher brilhante e difícil que tinha sido a sua mãe. E como a vida os leva de volta ao passado de Elizabeth, Addie e sua nova irmã Phoebe descobrem a extraordinária história de uma criança perdida, o segredo de uma mãe, e um verão de ouro que mudou a vida de uma mulher para sempre.

Nikola Scott nasceu na Alemanha e estudou Literatura Inglesa e Americana antes de abraçar o desafio de trabalhar como editora de ficção em Nova Iorque e Londres. Após a experiência como editora, Nikola decidiu abraçar o mundo da escrita e ser ela própria a dar vida a novas histórias. E foi assim que surgiu A Sombra do Passado, o romance de estreia de Nikola que já foi traduzido em mais de dez línguas e que chega agora a Portugal através do Círculo de Leitores. 

Tal como a critica publicada no The Daily Mail, «Se está à procura de uma história bem escrita, intrigante e recheada de segredos de família, leia este brilhante romance de estreia.». Eu já o estou a ler e é por estar a gostar desta leitura que consegue conquistar logo pelos seus primeiros capítulos que tenho um exemplar de A Sombra do Passado para te oferecer. Como? Basta visitares e seres seguidor d' O Informador no Instagram, fazer Gosto na imagem publicada com A Sombra do Passado e seguires os passos que no texto de apoio da publicação são explicados. Depois basta esperares que a sorte esteja do teu lado e começares a pensar que para além de receberes esta oferta se gostarias de entrar num encontro de Leitura Conjunta que irá ser proporcionado pela editora Círculo de Leitores num local a definir em Lisboa no dia 07 de Março.

 

30
Jan19

Sem redes sociais

O Informador

redes sociais.png

E se de um momento para o outro deixássemos de usar as redes sociais?

Neste momento a maioria das pessoas que nos rodeiam estão ligadas, quer seja via Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest ou por outras redes sociais que andam por aí e que não frequento. 

O dia-a-dia de cada um é relatado, comentado, mostrado e acaba por suscitar interesse em quem nos segue, muitas vezes sem a ideia de cuscar mas sim como para passar o tempo a olhar para as imagens e figuritas dos outros, percebendo também por vezes e através dos desabafos tornados públicos como está o estado de espírito de quem está do outro lado. No entanto, as redes sociais não transmitem somente coisas boas e isso por vezes acaba por prejudicar o próprio publicador que partilha de mais e quando dá por isso já é tarde.

Pois é, por vezes estar ligado, publicando o que apetece e disponível para quem esteja bem perto do que vamos publicando acaba por deixar a pessoa cansada e frustrada. Comentários menos bons, imensos artigos publicitários a invadirem as redes sociais como autênticos intervalos televisivos que parecem nunca mais ter fim, tricas e mexericos sobre uns e outros desnecessários, guerras de vizinhos e antigas relações a serem tratadas na praça pública. Tudo isto para quê? Para se dar nas vistas, querendo provar quem tem mais razão em cada tema, provocando o próximo para que este responda e por vezes fique mal visto junto de quem o segue. Existe mesmo necessidade?

11
Nov18

Conversas de telemóvel

O Informador

messenger.jpg

É um facto que me acompanha e deve ser para manter ao longo dos próximos anos! Não gosto de falar ao telemóvel, preferindo bem mais que me enviem mensagens que logo que possível, geralmente até de forma rápida, respondo. 

Podem enviar mensagens das mil e uma maneiras que encontrarem, uma vez que nos tempos que correm além do padrão base existem inúmeras possibilidades distintas com tanta aplicação a surgir no mercado como cogumelos em terras férteis deste país de costa marítima e cada vez mais propício a intempéries que até nos deixam sem rede móvel.

Vá, se quiseres contactar comigo, além dos sistemas de Messenger de FacebookInstagram e Twitter, tens ainda o Whatsapp, o e-mail e aqui o blog. Podes enviar-me a mensagem que quiseres porque a resposta será feita, nas suas devidas condições assim que possível e dentro dos prazos legais consoante a agenda de uma pessoa muito, mas mesmo muito ocupada... Eu!

17
Set18

Instagram | Seguir para deixar de ser Seguido

O Informador

instragram.jpg

Vou comentar em modo de alerta sobre uma situação que há umas semanas tinha detetado mas que não levei a sério, pensando que tinha sido uma situação esporádica, mas entretanto percebi que a mesma peripécia voltou a acontecer comigo e com outras pessoas. 

Todos ou quase todos andamos pelo Instagram, já agora para quem não me segue é só clicar aqui, e existem novos seguidores que até gostamos das suas publicações e também começamos a ver o que vão partilhando pela rede social. Tudo bem, é legitimo, sendo também aceitável que eu possa seguir quem não me segue e vice-versa. O que não percebo é como um grupo tão grande de comunicação social nacional consegue andar a fazer «Seguir» pelas suas várias páginas a bloggers para depois quando têm a mesma resposta deixarem de ser seguidores. Ou seja, a intenção do grupo Impresa é só mesmo Seguir para serem seguidos dentro das várias páginas para depois se desconectarem, ganhando seguidores para virarem costas. 

Esta situação havia acontecido comigo à uns tempos com a página do Jornal Expresso. Seguiram-me, retribui e no mesmo dia deixei de ser seguido. Tudo bem, podiam não ter gostado do que partilhei, pensei na altura. Uns dias depois fui seguido pela página principal da SIC, segui mas fiquei atento e sabem que mais? Deixei de novo de ser seguido. Mais recentemente comecei a ser seguido pela página do programa Fama Show, sabem o que fiz? Nada! Até agora ainda sou seguido mas aposto que assim que os começar a seguir que retiram logo o gosto pelo meu perfil. Esta situação poderia ter acontecido só comigo, mas outros bloggers começaram a queixar-se do mesmo. É o caso da página The Girl Who Reads Books em que lhe aconteceu exatamente o mesmo com o Jornal Expresso e a SIC Notícias. Seguiram para serem seguidos e deixarem de seguir.

08
Ago18

Controlo temporal nas redes sociais

O Informador

alerta facebook.jpg

Um tema que tem vindo a ser debatido nos últimos tempos vai de encontro ao aumento da duração que cada um de nós passa ligado às redes sociais. Agora FacebookInstagram revelam que existirão novidades através de uma nova ferramenta que irá controlar e alertar consequentemente os utilizadores sobre o tempo que passam diariamente nas respetivas plataformas sociais. A intenção é ajudarem as pessoas a controlarem as suas ligações às redes sociais para que o tempo que lhes seja dedicado seja intencional e não como uma banalidade cada vez mais habitual. 

Ao que tudo indica, o novo painel, que irá estar inserido nas Definições, irá revelar o tempo dispendido ao longo dos últimos sete dias, fazendo também um alerta sobre o uso diário da aplicação, existindo ainda a possibilidade de serem recebidas menos notificações para que não exista tanto incentivo em entrar na rede social ao longo do dia. Ao que parece, e segundo alguma imprensa mundial, este sistema não irá ser somente implementado nas redes sociais acima referidas, sendo que também a Apple e a Google irão inserir nos seus novos lançamentos uma funcionalidade semelhante de alerta sobre os tempos de consumo de cada aplicação para que possa existir um maior controlo e consciencializar os utilizadores. Segundo o comunicado lançado, estas novas ferramentas foram desenvolvidas com a colaboração de especialistas em saúde mental e académicos, tendo estas alterações recebido o apoio da Sociedade de Saúde Pública. Nas próximas semanas as alterações irão sendo lançadas de forma gradual a nível global.

banner mrec exames nacionais e provas de aferição

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook