Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

10
Mar17

Impérios com baixos salários

O Informador

É uma realidade sobre a qual todos temos noção, mas quando é contada na primeira pessoa acaba por ter outro sentido. Um trabalhador com mais de seis anos de casa numa grande cadeia de supermercados nacional ganha praticamente o mesmo hoje que há seis anos, tendo sido aumentado somente por obrigação e estando agora a receber pouco mais de treze euros que os seus colegas que entraram há meses com as mesmas funções. Assim se percebe a ditadura da liderança dos grandes que reinam sobre tudo e todos com preços baixos e com salários também baixos. Escravidão e sentimento de falta de consideração e valorização das pessoas que se esforçam no trabalho para não verem uma recompensa lhes bater à porta. 

Trabalhar praticamente todos os fins-de-semana, receber quase o ordenado mínimo, horários diários trocados e perceber que não existe futuro num dos grandes que supostamente deveriam formar pessoas para que ano após ano se sentissem bem onde estão parece não ser a ideia das empresas que lideram o mercado e deitam abaixo os mais pequenos em busca dos milhares que poderiam dividir com quem dá o litro por pouco. 

É uma completa vergonha perceber isto de forma real e em conversa num corredor de supermercado, quando os anos passam, a vida se vai alterando e é necessário mais para seguir em frente. Mas que mais quando o empregador não valoriza os seus funcionários que tenta manter mas para os quais não olha ao final do mês. Todos não passamos de peões neste mundo de cifrões onde os mais ricos continuarão sempre a rebaixar as classes mais baixas que dificilmente conseguem dar a volta enquanto dia após dia necessitamos de ser consumidores, gastando o pouco que se ganha em empresas que não praticam o bem. 

03
Abr16

Conquistadores

O Informador

Conquistadores.jpg

Autor: Roger Crowley

Data: Março de 2016

Editora: Editorial Presença

Número de páginas: 304 páginas

Classificação: 4 em 5

 

Opinião: Portugal no início do século XV sentia verdadeiras dificuldades para com a necessidade de alargamento da sua área pesqueira, existindo ao mesmo tempo falta de cereais e ouro, o que exigia que várias medidas fossem tomadas a favor do comércio marítimo. Começou assim a aventura dos portugueses com a descoberta do mundo.

Conquistadores é a excelente obra da autoria de Roger Crowley que retrata de forma bem explicativa e eximia a criação do primeiro império global que começou com a conquista de Ceuta em 1415. Conhecer, lutar, conquistar e comercializar eram as palavras chave dos navegadores portugueses que partiam de Lisboa em busca de novos territórios onde a riqueza de bens alimentares e materiais existia. As especiarias e o ouro foram o atractivo para o Infante D. Henrique chegar e vencer, dando o mote para os conquistadores que se seguiram, entre eles Bartolomeu Dias, Pêro da Covilhã, Afonso de Paiva e Afonso de Albuquerque.

banner mrec exames nacionais e provas de aferição

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Mais comentados

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook