Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

27
Jul20

Final do Big Brother a caminho...

big brother cláudio ramos.jpg

 

Na semana em que Cláudio Ramos visitou e jantou com os concorrentes do Big Brother, a penúltima gala do Big Brother começou como era esperado e por um motivo inesperado. A morte do pai de Ana Catharina marcou o final desta semana no jogo. A concorrente ficou a saber da notícia através de duas amigas que foram a uma sala privada da mansão da Ericeira, longe das câmaras e com todas as condições de segurança, e rapidamente a concorrente decidiu permanecer em jogo por estar longe da família que reside no Brasil. No Sábado as emoções foram fortes na casa e o serão de Domingo tinha mesmo de começar por este incidente que aconteceu fora do jogo mas que acabou por afetar a concorrente e os seus companheiros mais próximos. 

Com a devida homenagem, Cláudio Ramos discursou, mostrou todo o apoio do canal, produtora e público à concorrente brasileira, tendo sido mostrado como tudo foi explicado a Ana Catharina. A presença do Diogo nos momentos após a notícia ser dada, mostrando ter sido incansável com a sua companheira de jogo e com quem tem mantido uma ligação diferente e os desabafos para com o Big Brother da própria Ana sobre a sua história de vida para com o pai. O momento da curva da vida desta semana coube também a Ana Catharina, revelando os seus altos e baixos, mesmo perante a família que não aceitou a sua vontade de liberdade, partindo e acreditando nos seus objetivos e lutando pelos mesmos. A força para com a luta da igualdade das mulheres, o veganismo, a natureza, a proteção dos animais como se fossem pessoas. Todo o percurso que defendeu na casa é exatamente o reflexo da sua vida, lutando pelo coração e sem hesitar na hora de defender as suas vontades e crenças. A concorrente recebeu ainda mensagem em vídeo da mãe, que diz ser diferente de si, mas mostrando esta mensagem a quem a concorrente foi retirar a sua boa vontade para com a partilha e a vida. No final, Cláudio Ramos chamou Noélia ao confessionário para dar aquela força de quem perdeu o pai umas semanas antes de entrar na grande aventura da entrada no reality show. Um dos momentos mais fortes que este programa viveu ao longo da sua edição foi tudo o que a produção conseguiu criar em torno da Ana Catharina, sem cair no exagero e mostrando a simplicidade e a beleza que a própria concorrente sempre transmitiu com a sua estadia na casa, até num dos momentos mais pesados da sua vida.

Na sala os concorrentes escolherem os que poderiam ver os seus familiares, amigos e namorados através de um plástico onde deu para abraçar e conversar por breves instantes. Sandrina ganhou a escolha, tendo encontrado, ao final de três meses a sua mãe, chorando assim que bateu com os olhos na progenitora, recebendo assim força para a semana final do jogo. Ana Catharina também foi eleita, encontrando em noite de emoções fortes a amiga Débora com a qual praticamente não falou, abrançando e chorando, e gesticulando com a força do poder corporal a que nos tem habituado ao longo da sua estadia na casa. Iury também teve o seu momento com a mãe, mostrando mais uma crise de infantilidade com que nos tem habituado ao longo do jogo. Pedindo desculpas à mãe por algo que tenha feito dentro da casa, Iury sempre a pensar na opinião dos outros sem viver a experiência como devia. Na casa sempre pressionada por Daniel Monteiro quando este estava e após o seu regresso à casa da Ericeira, cá fora, sabendo que a família não aceitava os seus comportamentos amorosos, por isso tendo travado a sua naturalidade e vontade para ser uma concorrente real e não um boneco com a mente sempre a pensar no que poderia ser ou não aceite pelos pais. Soraia viu também a sua mãe, mostrando que mãe e filha têm a mesma forma bondosa de estarem na vida, mostrando ao público naquele momento a generosidade que as duas têm para com os outros e o amor que as une pela proteção e dedicação familiar numa luta pela igualdade e objetivos concretos de vida. No final, mesmo sem terem sido escolhidos, também Noélia, Pedro Alves e Diogo receberam as suas visitas. Pedro Alves recebeu a sua amiga de sempre, Marisa, num encontro em tons de brincadeira. Noélia voltou a ver pessoalmente o seu Felipe e no encontro vimos Noélia a ser Noélia, super preocupada com as lojas, com as viagens até à Venda do Pinheiro do marido, preocupando-se com tudo e mostrando que dentro e fora da casa esta concorrente algarvia é puramente igual. Diogo recebeu o seu amigo e colega profissional Gonçalo que lhe mostrou estar tudo bem, dando a dica para que o concorrente siga o jogo tal como o fez até aqui.

Comentários partilhados pelos espetadores nas redes sociais sobre a última semana dos concorrentes a serem mostrados para a casa e com direito a divagações dos concorrentes sobre os mesmos. Noélia e Hélder no confessionário para comentarem as picardias entre ambos na última semana, desde que o ex-concorrente regressou à casa com a missão de ser ainda pior do que já era antes de ser expulso do programa pelo público. Hélder regressou e devia tentar limpar a sua má imagem junto dos espetadores, mas tem feito exatamente o contrário do que o pretendido, enterrando-se ainda mais com metade do que deixa sair da sua boca neste seu regresso aos ecrãs. Posteriormente, Hélder trocou com Pedro Alves e com Noélia foram debatidos também os últimos dias de ambos e as suas quezílias numa convivência que se queria saudável. É sabido que não gosto do Hélder e acho o Pedro insuportável, estando a Noélia no meu top três dos favoritos, mas também percebo que seja bem complicado lidar com uma Noélia durante meses com o seu feitio controlador. 

Nos salvamentos da noite, Ana Catharina foi a primeira a ficar eleita como finalista, juntando-se assim ao seu Diogo, a Sandrina e também a Soraia. Mais tarde o público salvou a Noélia, a concorrente que mais vezes foi a votação ao longo de toda a edição e que sempre foi sobrevivendo no jogo e mesmo no final do direto Pedro Alves foi positivimanete expulso por decisão do público, passando assim Iury a fechar o lote de finalistas na edição de regresso do Big Brother à televisão portuguesa. Fez-se justiça mesmo junto do grande dia em que as portas da casa se fecham para renovação por umas semanas e o grupo base dos kamikaze deixou de existir como concorrentes ao prémio final, sobrando uma Iury e Sandrina que andaram durante bastante tempo na incerteza sobre o lado a que pertenciam.

20
Jul20

Finalistas e regressos no Big Brother

bigbrother2020.jpg

 

Ante-penúltima gala e o erro anunciado acontece a duas semanas do final no Big Brother com a entrada de dois ex-concorrentes para jogar um contra um outro por uma viagem de uma semana com tudo pago à ilha da Madeira. Necessidade disto não era nenhuma mas a produção acha que a dias do final existe necessidade de criar polémica e provocar os jogadores que ainda estão em competição pelos cinquenta mil euros do prémio final. Numa edição com regras que foram constantemente esquecidas por concorrentes e produção este ato de chamar expulsos a jogo é somente o deixar cair a ideia de que esta versão em 2020 do formato seria diferente. Foi diferente realmente, mas quebraram tanto o jogo possível que acabaram por provar que um reality show da TVI produzido pela Endemol acaba por ser sempre mais do mesmo, com erros atrás de erros, falhas, incumprimentos e desaires que só são possíveis por existir uma constante benevolência por parte de uma produção que não impõe limites aos concorrentes e os deixa esticar demasiado a corda. Neste caso todos os concorrentes que saíram por vontade do público foram colocados a votação, os quatro mais votados para voltarem fizeram teste ao Covid19 e a escolha para entrarem recaiu no Daniel Monteiro e no Hélder. 

Com estas entradas Diogo teve uma das suas excelentes saídas e tocou logo no tema do vírus, ao que o Big Brother e o Cláudio Ramos tiveram que explicar que estes concorrentes que regressaram fizeram os testes e que estão seguros. Em estúdio o público aplaudiu o comentário muito bem dado pelo Diogo, mostrando de certa forma que estas duas entradas seriam totalmente desnecessárias por respeito ao tempo que todos tiveram de ficar em quarenta por duas semanas antes do início da edição e que agora de um dia para o outro os testes foram feitos e as entradas aconteceram. Não concordo, o Diogo colocou a questão que todos nós fizemos quando foi anunciada esta decisão por parte da produção e o assunto devia ter sido estudado junto do público, já que se preocupam nesta edição do programa com tudo o que nós em casa pensamos e publicamos pelas redes sociais. A grande maioria não concorda com estas entradas, fosse de quem fosse, por serem totalmente desnecessárias, mas mais uma vez tudo é feito como produtora e canal decidem sem respeitar o previsto a favor das audiências. 

Momento Curva da Vida com a concorrente mais nova da casa, a divertida mas nem sempre verdadeira Sandrina. Discriminação, bullying, tentativa de suicídio, violência doméstica entre os pais, fome e necessidades. Sandrina aos 22 anos tem uma história de vida complicada, com bastantes altos e baixos familiares, tendo isso sido transportado para a jovem que é hoje, divertida, quem sabe para esconder os problemas que sofreu, com problemas com a sua imagem, o que acredito que seja resolvido quando sair da casa. Um momento comovente entre o confessionário e o estúdio com a concorrente a receber no final uma mensagem do jogador de futebol Quaresma, do qual é fã. 

E eis que o momento BBPlay recaiu sobre vários momentos da prova semanal onde o cumprimento da mesma e por iniciativa do Diogo com a concordância de todos a superação da prova iria reverter o seu valor para o Banco Alimentar, uma vez que têm comida suficiente na casa para os próximos dias. Com isto apostaram 100% do valor na prova mas a maioria desrespeitou as regras onde dois concorrentes tinham de estar sempre na pista de dança. Uns mais que outros foram saindo do local sem serem substituídos, mas existiu mesmo quem tramasse os colegas alterando as horas do relógio, como aconteceu com o Pedro Alves. Cláudio Ramos chamou o concorrente à atenção por poder levar a prova a não ser cumprida e a não ajudarem o Banco Alimentar, num ato solidário, ao que o concorrente respondeu de um modo em que mostrou que o seu pensamento é o de que o dinheiro compra tudo, que sabe como dar a volta quando chegar cá fora se perderem a prova, dando a ideia de que faz depois um donativo em nome próprio para a instituição pelos seus erros, ou seja, compra os seus erros com dinheiro, achando que pode fazer o que quer porque depois paga para remediar a situação. Mais mimado que isto não existe por ser de famílias ricas que até lhe ofereceram um carro para não entrar no Big Brother. A produção deu a prova como perdida, no entanto decidiu doar o dinheiro à instituição como um ato solidário. A Pipoca Mais Doce em estúdio, implacável como sempre, referiu e comentou as imagens que não passaram na noite de Domingo onde Pedro Alves decidiu colocar álcool no chão e deitar fogo para se aquecer, num mau exemplo numa época de incêndios, mostrando uma vez mais uma atitude de jovem mimado e incapacitado de raciocínio sobre o que deve e não deve ser feito, para mais num programa de televisão visto por milhões. Pedro Alves a ser incorreto ao longo de toda a semana, com sucessivos avisos por parte da produção mas com muito a passar ao lado do público que só assiste aos diários e extras do canal principal. Será esta uma tentativa de proteção para depois queimarem tudo na Gala? Não percebi esta balança da produção do querer esconder por um lado e depois mostrar quase tudo para o colocar mesmo na linha limite de saída. 

08
Jun20

Causas e justiça no Big Brother

bigbrother2020.jpg

 

A gala de todos os julgamentos no Big Brother, segundo anunciaram, começou e com algumas alterações para com as semanas anteriores. No entanto o mais importante foi mesmo a justiça feita com a saída do Hélder por vontade do público, mas lá chegaremos. Já saiu tarde, mas como eles dizem dentro da casa, o público vê tudo e sabe distinguir o bem do mal. 

Com público em estúdio, o que permite outro entusiasmo e perceção das reações, e com A Pipoca Mais Doce a assumir o seu lugar de comentadora aos Domingos como estava previsto de inicio e com a língua bem afiada como nós tem habituado, a gala iniciou com a passagem de imagens que colocaram concorrentes em destaque pelas atitudes da semana. Uns contra outros e todos contra todos é o lema que o Big Brother que os implementar na casa mas parece que alguns concorrentes ainda estão na paz e amor quando são lixados pelas costas pelos supostos amigos.

Para este início de noite quem melhor para começar em grande destaque? Teresa, a concorrente mais velha que neste momento consegue dizer o que quer sem medo do que os outros possam pensar. A Teresa entrou depois, sendo uma pessoa complicada de analisar no jogo, mas fundamental para mexer com a casa neste momento onde é preciso mexer para dar que falar e quem já andou nos bastidores de reality shows sabe bem o que tem de ser feito para dar nas vistas pelos melhores ou piores motivos. Maturidade ou intenção de criar show? A Teresa sabe ter destaque, sabendo jogar, levando quem quer ao limite como aconteceu no que resultou na expulsão de Pedro Soá. Podia a Teresa ser uma concorrente mais calma e apagada? Podia mas talvez se não tivesse criado guerras internas não conseguiria permanecer no jogo até ao momento por vontade do público. A Teresa não está entre os meus concorrentes preferidos mas também não andam no topo da tabela dos que desejo ver fora da casa. Por agora que fique uns tempos para continuar a 《dar canal》 com as suas inimizades.

Um dos momentos caricatos está do lado de Jéssica que em conversa com Pedro Alves ao longo da semana afirmou que Slávia a dar uma aula parecia um touro mas quando confrontada por Cláudio Ramos deu a volta ao dizer que se estava a chamar a si própria um touro. O apresentador insistiu muito pouco no tema perante o qual todos percebemos que o falso casalinho deu a volta para ficar bem na imagem, mas somente quem não quiser ver aceita esta justificação da Jéssica que entrou no Big Brother a pensar que estava no Love On Top e que tinha de encontrar logo nos primeiros dias o seu quebra nozes. Ainda dentro do casal fake, lá voltou o ciúme para com o Diogo. Será que com um mês de jogo ainda não perceberam que o Diogo tem um modo de estar na vida diferente da maioria dos concorrentes que se encontram na casa? Será que o Pedro Alves, Jéssica, Sónia e mais uns quantos não conseguem perceber que todos somos diferentes e que cada qual tem o seu modo distinto de estar na vida e assumir os seus atos e compromissos? Não somos todos iguais, identifico-me um pouco com a linha demonstrada pelo Diogo e aplaudo o facto de ver a banda passar para o criticarem e deitarem abaixo enquanto se ri para si e vai seguindo de cabeça erguida no jogo porque cá fora o público percebe as diferenças e não aceita irmandades siamesas.

Ao longo da noite existiu espaço para destacar o pedido de casamento a Noélia, feito via área ao longo da semana e com o companheiro da concorrente em estúdio para de confirmar o pedido com anel de noivado, exigindo assim que a concorrente fosse ao confessionário, o que parecia estar difícil ao longo das últimas semanas como uma autêntica injustiça. Noélia fez ainda a curva da vida como Jéssica na semana anterior, criando um dos momentos emotivos da noite revelando o seu passado com a morte de um irmão e posteriormente do pai umas semanas antes da entrada na casa da Ericeira. Não escondo que a Noélia tem ganho a minha preferência desde que entrou no jogo e toda a sua estadia e forma de estar têm mostrado que esta concorrente pode e merece chegar longe no reality show pelo que é na casa, provando que o presente genuíno é uma total reflexão do seu passado. 

Votações fechadas e eis que, como destaquei no início, o Hélder foi o concorrente convidado pelo público a deixar o jogo. Justiça foi feita perante uma pessoa com mau carácter, com uma forma de estar na vida algo provocadora para as atitudes que tem para com as mulheres e mesmo com pensamentos retrógradas para com temas como o racismo e a homossexualidade. O Hélder saiu finalmente, uma altura em que se achava entre os preferidos do público por pensar que tudo o que fez e disse foi bem visto pelos espetadores do programa. As pessoas não aceitam comportamentos machistas nos tempos que correm, para mais num homem com 39 anos com atitudes de miúdo, com vozes irritantes de desenho animado para parecer engraçado, com necessidade de criar brincadeiras para se tentar destacar mas somente conseguiu com tudo isso mostrar um lado menos bom da pessoa que diz ser. Desde o início que não me convenceu pela forma de falar das concorrentes e do seu passado amoroso e com o tempo a passar a imagem criada do Hélder sempre se veio a deteriorar. Da primeira vez o público ainda lhe deu, não sei como, uma oportunidade para se mostrar, mas agora já não existiu hipótese e a saída aconteceu. Dentro da casa ficaram os seus queridos amigos Daniel Monteiro, Pedro Alves, Sónia e Jéssica, principalmente, numa azia descarada quando viram Diogo e Ana Catharina entrarem quase de seguida. A discussão entre estes concorrentes revoltados, por se acharem os melhores, e os restantes irá acontecer muito certamente pelas próximas horas e quero ficar a aplaudir para ver tanto ignorância a ser dita por parte de jogadores que ao final de um mês ainda não perceberam que o jogo está do lado oposto ao que defendem.

01
Jun20

Moderação no Big Brother

big brother 2020.jpg

 

O Rui deixou o Big Brother por decisão do público na segunda ronda de nomeações entre os concorrentes dentro da casa no passado Domingo. Na Segunda-feira, Sónia infringiu as regras do programa e comunicou com o futuro marido, o seu Vítor, que se aproximou da casa da Ericeira para lhe dizer para não desistir do programa, tendo existindo uma rápida conversa entre os dois e levando a feirante a ficar na mão do público para permanecer ou não no jogo. Na Terça-feira uma discussão acessa entre Pedro Soá e os restantes concorrentes culminou numa quase agressão física deste para com Teresa, tendo o concorrente sido expulso pelo Big Brother. Na Quarta-feira entre os cinco nomeados, Ana Catharina, Diogo, Noélia, Renato e Teresa, Diogo era o menos votado para sair e ficou livre, tendo acontecido o mesmo com a Ana Catharina na Quinta. 

Ontem, último Domingo de Maio, mais uma Gala com Cláudio Ramos e mais uma voltinha no carrossel no jogo dos amigos do diz que disse nas costas onde todos se tentam safar num jogo onde as aproximações por interesse acontecem. Numa gala onde foi prometido o «tudo ou nada», Noélia foi, para minha agradável surpresa, a menos votada, ficando livre de imediato para desfrutar do resto da noite, esperando que perceba que não tem de ser a «senhora lá de casa» daquelas pessoas onde muitos gostam de ter empregados para lhes fazer tudo e mais alguma coisa. Seguiram com a sessão do BB Play, onde três vídeos que tendem a criar polémica dentro da casa estavam à escolha dos concorrentes que optaram por ver Mistério por Desvendar, onde Teresa divaga sobre não simpatizar com Iury e vice-versa, dando assim o mote para criar discussão e afastamentos pelos próximos dias no jogo. Esta fórmula dos concorrentes poderem escolher entre vários vídeos sobre as polémicas da semana já não é nova e mais uma vez voltam a reformular estratégias do passado para encherem espaço dos serões de Domingo e para tentarem mexer com o jogo. O formato com o lema «Tudo ou Nada» segue, Flávia através da retirada de bolas de um saco ganhou imunidade, o que me parece que não lhe fazia falta por ser das pessoas que mais próxima se encontra de todos e que tão cedo não deverá sofrer nomeações suficientes para ir a votação junto do público.

Chegou o momento da expulsão e Sónia, que havia sido castigada por comunicar com o exterior, foi salva ao mesmo tempo que Teresa foi menos votada que o Renato, levando o açoriano a deixar a casa, seguindo os passos do Fábio, Edmar e Rui onde em vinte concorrentes, dez homens e dez mulheres só os homens têm deixado o jogo por decisão dos portugueses, lembrando que também Pedro Soá já deixou a casa por expulsão do próprio Big Brother. Com estas saídas sucessivas da ala masculina acredito que em breve a produção organize uma ronda de nomeações só no feminino ou ainda se arriscam a ficar mais de um mês com uma casa em modo «mulherzinhas», o que seria talvez um feito inédito em todas as edições do reality show. 

Nomeações a começarem sem antes a escolha do líder para a próxima semana. Sandrina, que assumiu a liderança provisória após a expulsão de Pedro Soá, foi selecionando através de várias questões do Big Brother os colegas, sem saber que estava a retirar esses mesmos concorrentes da possibilidade de serem o próximo líder, papel entregue, como que milagrosamente ao Daniel Monteiro, um concorrente com que não simpatizo, e que ansiava muito ser líder, esperando eu, como mero espetador, que a sua semana de liderança seja o mais próximo possível dos dias do Pedro Soá, onde a liderança deu direito a uma expulsão por mau comportamento para com os outros concorrentes. Daniel Monteiro teve de tomar a decisão de quem não ia nomear, tendo escolhido a sua Iury e o amigo Hélder. 

25
Mai20

Big Brother, fórmula repetida e mal gerida

bigbrother2020.jpg

 

Anunciada como uma noite de dilemas, a terceira gala do Big Brother começou com um Alerta, o que já é conhecido de todos nós de outras aventuras produzidas pela Endemol para a TVI, o que logo ajudou a antever que iriam aparecer aqueles jogos da treta ao longo da noite com escolhas vãs entre uns e outros, mas afinal até foi calmo. 

Antevisão feita e eis que somente um dilema a dois foi feito de forma inusitada com os concorrentes a terem de escolher entre a Soraia ler uma carta enviada pela mãe ou o Pedro Soá ler a carta da sua namorada, tendo sido o seleccionado para ouvir o apoio e força para continuar em jogo. Uma questão básica e já batida entre outros reality shows do canal e que acaba por ser um completo enche chouriços para uma noite onde se procura criar polémica e instabilidade no grupo. Não havia necessidade de voltarem com este momento que não serve para nada e que só atrasa o alinhamento que fica sem espaço para debater o que realmente interessa.

O grupo foi confrontado com imagens das compras semanais, existindo pouco orçamento, uns pedidos especiais de alguns concorrentes, como a Teresa, que foram recusados por quem fez as escolhas, e depois pelas costas da maioria, eis que existiu tabaco a mais do que tinha sido combinado e que passou sem que os colegas soubessem. Não existiu orçamento para os quatro hamburgueres da Teresa, mas para tabaco extra e omitido o dinheiro já estava a mais. Um mau momento da Sónia que escondeu tabaco para o Daniel Monteiro que havia revelado que se abstinha do tabaco pelo pouco orçamento e afinal comeu e calou a pensar que passava despercebido. Queria ver discurso de batalha em direto mas a Teresa foi muito simples e deixou para mais tarde o confronto, talvez quando a nova lista de compras for feita, não tendo a produção obtido exito nesta tentativa de discussão em plena gala, talvez um pouco porque o próprio apresentador não conseguiu puxar pela oportunidade de debater o tema. 

Numa nova tentativa de provocarem a discórdia para os próximos dias, eis que a divisão entre os concorrentes que se apelidam de Kamikaze foi pedida, resultando a constituição do grupo na união entre Pedro Soá, Pedro Alves, Jéssica, Rui, Hélder, Daniel Monteiro e Angélica, ficando os restantes, Diogo, Teresa, Sandrina, Soraia, Noélia, Iury, Sónia, Slávia, Ana Catharina, Daniel Guerreiro e Renato, apelidados por neutros. Tudo isto foi feito pelas discussões que têm surgido ao longo da semana e também como uma balança que acabou por culmatar na expulsão por parte do público do Rui, que se tem assumido como um dos elementos dos Kamikaze e do meu ponto de vista acabou por levar assim por tabela, como se diz na gíria, por se deixar influenciar pelos concorrentes com maior capacidade de liderança dentro daquele que parece ser um núcleo defensivo e onde quase todos se acham os donos da razão. Com isto, Pedro Soá teve que fazer a palhaçada que já tinha anunciado na primeira semana se o Hélder saísse e que voltou a afirmar que faria se fosse o Rui a ser expulso na segunda semana. Se da primeira escapou, da segunda o Rui saiu mesmo e eis que Pedro Soá armou o teatro de que queria sair para mais uma demonstração de show off porque continua a acreditar que segue forte no jogo quando é um dos concorrentes com imagem negativa dentro da casa da Ericeira.