Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Os métodos mais usados na personalização de brindes

18
Jul19

tinta serigrafia.jpg

 

Existirá alguém que não goste de receber brindes? Acho que não! Afinal, toda a gente gosta de receber presentes. Por este e outros motivos, tanto as pessoas como as empresas investem cada vez mais na personalização de brindes com o logotipo de marcas, frases, imagens ou nomes próprios.

Existem alguns produtos que servem excecionalmente bem o propósito de um brinde: estes são coisas que fazem sempre falta, para que as pessoas os mantenham sempre por perto e os usem, contribuindo para uma visão positiva da respetiva marca. São objetos que levam quem os recebe a pensar “Isto vai ser-me útil” ou “Ter mais um destes dá sempre jeito”.

Por outro lado, existem cada vez mais empresas no mercado que se dedicam a este tipo de serviços. Oferecem produtos cada vez mais personalizados e criativos - aliás a criatividade é o que diferencia as várias empresas neste mercado.

O exemplo da Pens.com, empresa líder no mercado global em brindes promocionais e personalizados, está presente em mais de 20 países em todo o mundo. A filosofia da empresa é apresentar soluções personalizadas e criativas junto das empresas, em todos os sectores e locais. Entender a forma como as empresas executam as suas estratégias de marketing verde, é um dos principais focos da empresa para obter inputs sobre os brindes promocionais e tipo de personalização que as estas empresas tendencialmente vão seguindo, como por exemplo os artigos “Drink Wear”, os brindes tecnológicos USB, ou mesmos os sacos de algodão – brindes promocionais passaram a ser úteis no dia-a-dia das pessoas.

A verdade é que os brindes personalizados estão cada vez mais na moda. Para o público são únicos, funcionais e desejáveis. Já para as marcas, são customizáveis, memoráveis e uma opção de marketing eficaz que pode impulsionar as vendas.

Para entendermos um pouco mais sobre a personalização e customização deste tipo de produtos, e para desmistificar todo este processo, apresentou uma lista dos métodos mais utilizados e que podem ser opção de escolha, por exemplo na realização de uma ação de marketing na sua empresa para os seus clientes, fornecedores e/ou colaboradores.

Casamentos: ficar bem na fotografia é obrigatório

08
Jul19

fotografia casamento.jpg

 

Suspeito que nenhum de nós vai passar por este verão sem ir pelo menos a um casamento. O dia de Sto. António abriu a temporada alta dos casamentos e agora é aproveitar a ocasião para rever os amigos, os primos que já não víamos há séculos e juntar toda a família. Sem dúvida, um dia para recordar.

Ainda assim, ninguém vai querer recordar mais o dia do casamento do que os noivos. Nessas coisas, confesso que sou um romântico. Olhar para as fotografias de casamento e ver que todos os nossos amigos e familiares se reuniram num determinado dia para celebrar o amor não pode deixar de ser gratificante e emocionante. Por outro lado, olhar para as fotografias, ver-nos mais novos, sem qualquer preocupação, e perceber que seguem ao lado da mesma pessoa é digno de um arrepio na espinha.

É por isso que acho que, de todas as coisas em que se pode poupar (ou mesmo prescindir) num casamento, o fotógrafo não é uma delas. Se tiramos centenas de fotos só num fim de semana ali em Espanha, como é que é possível deixar a fotografia de casamento, o derradeiro postal da cerimónia tão especial e preciosa, nas mãos de um perfeito amador?

As fotografias de casamento são uma das maiores recordações que levamos do grande dia - os únicos obstáculos aos truques da nossa memória, os partisanos que resistem à passagem do tempo. Não é por acaso que todos nós adoramos ver as fotos de casamento dos nossos pais, avós e bisavós. Às vezes, dão-nos a conhecer olhares apaixonados que não tivemos oportunidade de testemunhar ao vivo - mas sem os quais nem sequer estaríamos aqui.

Basta!

29
Mar18

violência 4.jpg

Portugal, pleno século XXI, uma sociedade supostamente desenvolvida mas com grandes falhas no que toca à igualdade de género e onde infelizmente a violência doméstica ainda persiste com as mulheres a serem vítimas de um crime não conjugal mas sim público. 

O Mundo continua a conviver com atos desumanos de agressões e maus tratos entre seres que não respeitam os que estão do seu lado, tal como não se respeitam a si próprios ao rebaixarem de forma física e psicológica parceiros que se deixam muitas vezes levar em conversas de mudanças e exceções para continuarem a conviver com o medo diário, numa luta desigual de forças de carácter. É necessária existir uma voz coletiva que todos ajude, porque nem só as mulheres são as vítimas, para que se consiga agir, não se ficando calado porque a denúncia é um bem necessário para que os maus feitores sejam levados perante a justiça sobre os seus comportamentos. O respeito perante o próximo é um bem necessário que cada um deve exigir socialmente porque nunca e em momento algum alguém se pode achar acima de qualquer outro. Infelizmente e em pleno momento de liberdade onde a palavra ganha força, os atos destes malfeitores continuam a ser silenciados pelo medo e confronto por quem se deixa ficar com o seu sofrimento num silêncio individual partilhado por muitos que não conseguem gritar «Basta!» num momento de pedido de auxílio para se sair de uma situação onde são praticados crimes abusivos de não respeito pelo ser humano. 

A agressão dentro do seio familiar, onde além de cônjuges também filhos, progenitores, irmãos e avós, são muitas vezes violentados das mais diversas formas e onde o silêncio continua a persistir, dando força ao agressor que segue o seu modus operandi como se nada interferisse entre o bom senso e a razão dos seus atos. Chega de violência e chega essencialmente de ver tudo a ficar silenciado a favor da continuação de formas de agressão praticadas por seres inglórios que pelos quatro cantos do planeta continuam a praticar e muitas vezes a incentivarem estes atos como um bem fundamental para a covivência perfeita e essencial. 

A violência doméstica tem ainda alguns problemas relacionados além do medo perante o agressor. Muitas vezes a vítima consegue ainda sentir a falta de apoio e a crítica gratuita da sociedade que a rodeia, sociedade essa que defende a denúncia, mas que ao mesmo tempo aconselha a aguentar um crime para que não se destrua uma família. Pensar em si, no seu bem-estar e mesmo nos que estão próximos não é aguentar a violência emocional e física, é sim sair, fugir e recomeçar de novo, longe de uma vida de dor e medo. 

Imagens do Passado

24
Dez17

recordar.jpg

Um serão destes acabei sentado perante a mesa da cozinha a recordar imagens do passado através de uma caixa de memórias cuja sua existência desconhecia.

Comecei a falar de algumas situações familiares de há uns anos atrás com a minha mãe e como se de uma mola se tratasse, acabou por se levantar e foi buscar a caixa que está arrumada no móvel há uns meses mas que nunca me tinha sentido tentado em procurar o que guardava. Agora fiquei a saber, memórias fotográficas minhas, dos pais, dos avós, dos primos, dos tios, dos vizinhos... Fotografias com décadas, com pessoas da família que não conheci sem ser por imagens e de outros que já cá não estão mas com os quais passei bons anos de felicidade. Perceber como as pessoas de hoje se preparavam para a fotografia em momentos especiais ou quando eram apanhados desprevenidos. Olhar para os meus avós quando tinham a minha idade e passeavam as filhas em locais que não conheço mas que de certo não ficam longe de onde moro. Tentar perceber onde foram tiradas certas fotografias, quem são as pessoas que aparecem e que não conhecemos, olhar para trás e ver o que uma pessoa mudou de feições e como momentos tão simples hoje servem de memórias que nos ajudam a recordar os vivos e os mortos. As roupas e os penteados de outros tempos, o momento em que me vejo mascarado quando ainda era um bebé com uns trajes tão ridículos até para a altura, olhar e ver os primos a fazerem as mesmas figuras e encontrar semelhanças de geração em geração. 

Selena Gomez, a rainha do Instagram!

18
Jul16

Selena Gomez.png

Neste exato momento existe uma fotografia que poderá ser apelidada como a mais popular no Instagram! E a quem essa imagem pertence? Ora bem, Selena Gomez é a sua protagonista com uma garrafa de Coca-Cola que vai saboreando com uma palhinha, destronando com esta imagem Justin Bieber que detinha a foto com mais gostos até ao momento!

A cantora norte-americana já detinha o maior número de seguidores pelas redes sociais e agora conseguiu também ter a imagem mais popular e em poucos dias. Em pouco mais de duas semanas, a fotografia da jovem de 23 anos conseguiu assim alcançar o top com mais de quatro milhões de likes. 

Esta imagem faz parte de uma campanha publicitária que Selena protagoniza onde se pode ler no rótulo «you’re the spark»/«és a faísca», frase que pertence ao tema «Me & the Rhythm», do segundo álbum da cantora, Revival, de 2015. A letra da música da cantora está na garrafa, tal como descreve a imagem e essa graça unida à beleza e simplicidade da jovem deram-lhe assim o lugar cimeiro de popularidade pelo Instagram!

Dupla da Alegria

13
Jun16

Costa e Marcelo.jpg

António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa partiram no 10 de Junho para comemorarem o Dia de Portugal com a comunidade portuguesa a residir em França. Pelas últimas horas dos nossos representantes em terras francesas a chuva fez uma surpresa e esta imagem ficará para a posteridade.

Marcelo não perdeu o seu lugar e a grande estrela da companhia optou por continuar com o que estava programado, mesmo debaixo de chuva. Só que Costa, como bom cavalheiro que é, lá pegou no chapéu de chuva para não deixar o Presidente, estrela pop star, de todos nós debaixo do mau tempo. 

E ai está! António Costa de chapéu na mão e Marcelo a fazer o que tão bem sabe... Discursar para quem o quiser ouvir!

Descodificar imagens de Sócrates

12
Set15

Parece que com esta imagem...

socrates1.png

... A análise de imagens e fotos voltou a estar na moda! A imprensa nacional pegou numa fotografia de José Sócrates e seus companheiros de serão tirada na noite do debate entre Passos Coelho e António Costa nos três canais televisivos e resolveu fazer o que só compete a qualquer investigador de crimes e roubos. Andam a explicar, canto por canto, cada pormenor da sala onde o grupo se encontrou naquela noite.

As posições, os livros na estante, os copos vermelhos, o sorriso à Mona Lisa de um dos amigos do ex-primeiro ministro, a publicidade dupla às águas Luso, os restos do jantar, portas e janelas abertas. Tudo está a ser descodificado por alguns jornalistas da nossa boa imprensa como se estivéssemos perante uma imagem de um crime que tem de ter uma explicação lógica. Será que os senhores jornalistas conseguirão entrar naquela sala para passarem também a limpo todo o chão para averiguar que sapatos e a quem pertencem já estiveram no local pelos últimos dias?