Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

09
Out20

Modern Family ainda não acabou...

Netflix

1600x900-Q90_e06cb0991ee33445654b96d29aa0d02b.jpg

 

Modern Family, que é como quem diz em português, Uma Família Muito Moderna, conta com onze temporadas, no entanto meti na cabeça que só existiam dez e que tudo terminava por aí. Esta semana cheguei ao que presumi ser o último episódio desta divertida série familiar, eis quando hoje, no momento em que ia fazer um texto todo piriri sobre esta produção, que me acompanhou ao longo dos últimos anos por ver aos poucos e devagar para render e como que ajuda a desanuviar no intervalo de séries mais pesadas, percebo que afinal são onze temporadas e não as dez que já vi.

Para quem não conhece Modern Family, e assim de forma rápida, esta série está centrada na família de Jay Pritchett, que divorciado reencontra o amor com Gloria Delgado, uma colombiana mais nova e que trás consigo um filho, Manny. A partir disto Jay tem dois filhos adultos e já com as suas vidas, Claire, casada com Phil, e que têm três filhos, Haley, Alex e Luke. Do outro lado existe Mitchell, casado com Cameron, que decidem adotar uma menina vietnamita, Lily. Aqui está o arranque desta divertida série que toca entre outros, em temas como a homossexualidade, o amor entre idades, os dramas dentro das famílias, a adolescência, a adoção e o divórcio. Dez anos passam e o núcleo familiar é mantido entre diversas situações inesperadas como na vida real acontece. Mantendo o ritmo e a base, esta série passa por diversas fases, acompanhando o desenvolvimento e o aparecimento de novas personagens no que aparentemente é simplesmente mais uma família normal entre tantas outras. 

Ao arrastar os últimos episódios da décima temporada para não me ter de despedir da série tão cedo e ao deitar pequenas lágrimas no que achei ser o final, fiquei mesmo a pensar que o último episódio, recheado de memórias de aniversários, ditava mesmo o fim desta que foi já considerada a melhor série, com inúmeros prémios e nomeações pelo caminho. Afinal a despedida aconteceu somente de forma provisória, já que existe toda uma nova fornada de episódios, ainda não disponível na Netflix, para ser vista em breve. Achei a décima temporada muito boa, comparada com as anteriores, talvez com um maior cuidado com o argumento ou então por pensar que seriam mesmo os últimos episódios e por ter visto assim piada em demasia, mas agora que percebo que ainda tenho mais Modern Family pela frente tudo fica mais composto, embora tenha de esperar uns tempos até a plataforma de streaming nos disponibilizar o que resta desta série familiar que todos deveriam acompanhar. 

 

03
Ago20

No Big Brother venceu a verdade!

soraia.jpg

 

A edição comemorativo do Big Brother chegou ao fim em bom tempo. Mais de oitenta dias depois os últimos concorrentes deixaram a casa com a vitória a ser atribuída a Soraia com 31% dos votos. 

Numa última gala intitulada como Última Noite, os dois intrusos do jogo nas últimas semanas foram convidados a saírem da casa logo no início da noite, com a viagem para dois pela ilha da Madeira a ser atribuída a Daniel Monteiro que venceu assim os desafios que o Big Brother lhe foi colocando frente a Hélder. Como sempre disse, não concordei com estas entradas de ex-concorrentes de novo na casa, ainda para mais para fazerem pior figura da que já tinha feito quando estavam em jogo. 

Com isto a verdadeira noite da grande final começou com o desfilar dos concorrentes pelo confessionário para verem os seus melhores momentos ao longo dos meses de programa e para uma ligeira e rápida conversa com o Cláudio que se manteve durante grande parte da noite em ponto de rebuçado mesmo à beira das lágrimas. Sandrina, a boa disposição da casa com um último confessionário calmo e sentimental e com um vestido recheado de brilhantes. Diogo, alegre e bem disposto por estar na final e sem descartar o «tu cá tu lá» com o Cláudio e a apresentar-se de forma bastante descontraída de t-shirt para o dia decisivo desta edição do reality show e a aproveitar os minutos a que teve direito como puxar pelo número de telefone para que o público votasse em si, fazendo o que os outros não se lembraram, estando mais um vez a mostrar que está em jogo e que pensou em todos os pormenores para chegar onde chegou. Soraia, que foi apelidada como «uma pessoa que não existe» por ser uma concorrente tão boa e pura ao longo de todo o tempo de programa, com um coração enorme para todos e sem querer confusão à sua volta a mostrar até ao momento final a sua gentileza. Ana Catharina, que sempre defendeu as suas causas a chegar até ao final por lutar pelo que acredita, mostrando não querer somente ser uma amiga do Diogo, ficando com a pequena coelha para si, e provando até ao fim que a sua estadia no Big Brother foi «mara» e que ficaria na casa por mais uns tempos. Preparada para voltar ao trabalho está a Noélia, a patroa que nasceu para trabalhar e ordenar, a combater quase todas as semanas as nomeações e a ser a verdadeira vencedora dos serões de Domingo ao ultrapassar todas as barreiras que os colegas de casa lhe colocaram pela frente até chegar ao final, sendo a combatente e recordista por ser a mais sacrificada com semanas e semanas sem saber se iria permanecer no jogo. A miss Iury chegou divertida, mostrou ter opinião e apagou-se quando se apaixonou pelo controlador Daniel Monteiro, perdendo muito jogo e fazendo-se de parva quando as conversas não lhe agradavam, oscilando o seu jogo bastante e de forma desnecessária, o que só a prejudicou. 

Momento da decisão! Primeiro revelo o que seria o meu top entre os seis concorrentes finalistas. Soraia, Diogo, Noélia, Ana Catharina, Sandrina e Iury, embora os três primeiros lugares pudessem rodar entre si que ficaria satisfeito na mesma. Na verdade o sexto e quinto lugares ficaram entregues à Sandrina e Ana Catharina, respetivamente, ficando algo surpreso por achar que a Sandrina, com a sua falsa personagem cómica e esquecida, para não dizer mesmo burra, pudesse ficar numa posição mais cimeira, mas sem disputar o primeiro lugar. Já a Ana Catharina ficou dentro do esperado, mesmo apoiando o seu jogo e as suas causas, mas nunca acreditei que a concorrente subisse aos três primeiros lugares, embora tenha sido uma concorrente que adorei mas que nunca teve força para se afirmar como os que foram mais longe dentro das preferências na final. A quarta posição ficou entregue à Iury sem grande espanto porque sem a Ana e a Sandrina, seria de esperar que este lugar fosse entregue à miss que mostrou ser mais que isso mas que também estragou o seu jogo por se colar demasiado a uma relação pegajosa. E ficaram os meus três sensatos favoritos a disputar e bem o prémio final. Tenho a certeza que nunca gostei de ver uma tripla de finalistas tão perfeita no sofá em espera entre amigos pela decisão final. Qualquer um dos três, Diogo, Noélia e Soraia, podia ganhar e os três foram mesmo os mais votados na última semana de Big Brother. O terceiro classificado foi a Noélia, tal como previ, tendo a concorrente gerado um momento que só ela podia dar mesmo no final, isto porque colocou a máquina de lavar louça mesmo no minuto antes de deixar a casa a funcionar para deixar tudo limpo e lavado com o término do programa. Intervalo e com Diogo e Soraia a despedirem-se da casa onde viveram mais de três meses quase isolados do mundo, isto porque esta edição falhou em vários pontos para o contacto de vários concorrentes com o exterior. Os vencedores, os resistentes, o jogador e a pureza, qual dos dois sensatos irá vencer o Big Brother 2020? A expetativa aumentava mas qualquer um seria um justo vencedor!

03
Mar19

Je suis Conan Osíris

conan osiris.jpg

Conan Osíris é o grande vencedor da edição do Festival da Canção 2019. O que dizer sobre esta decisão de jurados e público? Não aprecio de todo, embora o tema entre no ouvido facilmente, mas confesso que Conan deverá ser o candidato que mais hipóteses terá de dar nas vistas na Eurovisão e de conseguir assim alcançar um lugar decente, após a grande derrota de Cláudia Pascoal no ano passado. 

Com viagem já marcada para Israel, país onde se realizará a edição deste ano da competição europeia, após a vitória de Netta Barzilai em Portugal em 2018, Conan será o nosso representante e quer se goste ou não, neste momento todos somos Conan Osíris porque rapidamente, se as rádios mais ouvidas assim o ajudarem, o tema Telemóveis irá ficar na cabeça de todos nós. 

Portugal já tem o seu candidato e agora resta esperar, apoiar e acreditar que após Salvador Sobral ter vencido que conseguiremos uma nova vitória com Conan Osíris e seu amigo contorcionista que antes de atingirem a final terão de passar por uma das semifinais que se realização a 14 e 16 de Maio e só depois, a 18 de Maio, vem o grande dia. 

Não gosto, não aplaudo, mas o que fazer neste momento quando a maioria de quem tomou a decisão gostou? Não votei e não fui contra a corrente e existe também um bom motivo para não se remar contra, é que as opções iam de mal a pior. Entre ir mal e seguir mesmo muito mal, vale mais seguir a viagem com o que acaba por ser mais espalhafatoso e diferente, assim sempre pode ser que se dê nas vistas e não se seja somente mais um.

31
Dez18

Fim de 2018 | Publicação interrompida

sem sinal televisão.jpg

Informo os meus queridos leitores que a emissão, ou melhor, publicação neste blog, será interrompida por breves momentos para os festejos perante a despedida de 2018 e entrada em 2019.

A pausa será breve, aliás, só mesmo de umas horas porque daqui a pouco, já no novo ano, a primeira publicação será feita porque por aqui tudo continuará a estar alinhado para se seguir a mesma linha dos últimos anos, «um texto por dia nem sabes o bem que te faz». 

Digam Adeus a 2018 e entrem em Bom em 2019! Até já!

30
Mai18

A despedida

tempo sonhar partir.jpg

As despedidas nunca foram o meu forte e hoje serei eu a deixar o projeto onde permaneci por um ano, primeiramente com vontade de agarrar o lugar e para o fim com a ideia que o final tinha de acontecer o mais rapidamente possível a favor do meu próprio bem estar.

Hoje é o dia, exatamente um ano após o primeiro, quando tudo começou, sendo necessário aprender tudo sobre uma área que não conhecia. Com um primeiro mês de aprendizagem e onde o desenrascar era necessário, as coisas foram acontecendo e hoje saio com o sentimento de missão cumprida, dando o meu melhor, esteja num bom estado de espírito ou não, aqueles momentos são para dar o que melhor tenho em termos laborais e isso não me falha, ou raramente falha. A equipa sempre me deu incentivo e no momento em que aos poucos se ficou a saber que a minha saída estava prevista por vontade própria vários foram os que tentaram fazer-me voltar atrás numa decisão já tomada. Sou de ideias exatas e quem me conhece sabe que quando tomo uma decisão que a mesma é para levar em diante e assim foi. Quase dois meses passaram após a conversa sobre a saída e hoje entrarei, subirei as escadas para mais um dia normal de trabalho, onde nem o facto de mudar de funções me fez ficar porque a vontade já foi decidida e não há quase volta a dar.

Trabalharei até à última hora do horário destinado, ensinarei quem ficará no meu lugar e deixarei o lugar com a certeza que fiz um bom trabalho. Os meus pensamentos não estão sozinhos nesse campo e quando se tem uma equipa a mostrar agrado pelo que foste fazendo e da forma como evoluíste rapidamente numa área laboral que não era a tua, é bom. Sempre é bom receber elogios e quando se tem ideia de que se está bem e se consegue perceber pelos outros que tens razão no que pensas sobre ti, perfeito.

Hoje será o Adeus, sei que irei soltar uma lágrima e que estes doze meses ficarão para sempre na lembrança. Trabalhei, conversei, brinquei, sorri e até me deixei emocionar. Muito aconteceu ao longo desta passagem com dias menos bons por me sentir sem vontade para enfrentar as horas onde já não estava bem, mas sempre disfarçando e dando o melhor que consegui. Mas também onde os bons momentos acabam por abafar os menos bem passados.