Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

20
Jul20

Finalistas e regressos no Big Brother

bigbrother2020.jpg

 

Ante-penúltima gala e o erro anunciado acontece a duas semanas do final no Big Brother com a entrada de dois ex-concorrentes para jogar um contra um outro por uma viagem de uma semana com tudo pago à ilha da Madeira. Necessidade disto não era nenhuma mas a produção acha que a dias do final existe necessidade de criar polémica e provocar os jogadores que ainda estão em competição pelos cinquenta mil euros do prémio final. Numa edição com regras que foram constantemente esquecidas por concorrentes e produção este ato de chamar expulsos a jogo é somente o deixar cair a ideia de que esta versão em 2020 do formato seria diferente. Foi diferente realmente, mas quebraram tanto o jogo possível que acabaram por provar que um reality show da TVI produzido pela Endemol acaba por ser sempre mais do mesmo, com erros atrás de erros, falhas, incumprimentos e desaires que só são possíveis por existir uma constante benevolência por parte de uma produção que não impõe limites aos concorrentes e os deixa esticar demasiado a corda. Neste caso todos os concorrentes que saíram por vontade do público foram colocados a votação, os quatro mais votados para voltarem fizeram teste ao Covid19 e a escolha para entrarem recaiu no Daniel Monteiro e no Hélder. 

Com estas entradas Diogo teve uma das suas excelentes saídas e tocou logo no tema do vírus, ao que o Big Brother e o Cláudio Ramos tiveram que explicar que estes concorrentes que regressaram fizeram os testes e que estão seguros. Em estúdio o público aplaudiu o comentário muito bem dado pelo Diogo, mostrando de certa forma que estas duas entradas seriam totalmente desnecessárias por respeito ao tempo que todos tiveram de ficar em quarenta por duas semanas antes do início da edição e que agora de um dia para o outro os testes foram feitos e as entradas aconteceram. Não concordo, o Diogo colocou a questão que todos nós fizemos quando foi anunciada esta decisão por parte da produção e o assunto devia ter sido estudado junto do público, já que se preocupam nesta edição do programa com tudo o que nós em casa pensamos e publicamos pelas redes sociais. A grande maioria não concorda com estas entradas, fosse de quem fosse, por serem totalmente desnecessárias, mas mais uma vez tudo é feito como produtora e canal decidem sem respeitar o previsto a favor das audiências. 

Momento Curva da Vida com a concorrente mais nova da casa, a divertida mas nem sempre verdadeira Sandrina. Discriminação, bullying, tentativa de suicídio, violência doméstica entre os pais, fome e necessidades. Sandrina aos 22 anos tem uma história de vida complicada, com bastantes altos e baixos familiares, tendo isso sido transportado para a jovem que é hoje, divertida, quem sabe para esconder os problemas que sofreu, com problemas com a sua imagem, o que acredito que seja resolvido quando sair da casa. Um momento comovente entre o confessionário e o estúdio com a concorrente a receber no final uma mensagem do jogador de futebol Quaresma, do qual é fã. 

E eis que o momento BBPlay recaiu sobre vários momentos da prova semanal onde o cumprimento da mesma e por iniciativa do Diogo com a concordância de todos a superação da prova iria reverter o seu valor para o Banco Alimentar, uma vez que têm comida suficiente na casa para os próximos dias. Com isto apostaram 100% do valor na prova mas a maioria desrespeitou as regras onde dois concorrentes tinham de estar sempre na pista de dança. Uns mais que outros foram saindo do local sem serem substituídos, mas existiu mesmo quem tramasse os colegas alterando as horas do relógio, como aconteceu com o Pedro Alves. Cláudio Ramos chamou o concorrente à atenção por poder levar a prova a não ser cumprida e a não ajudarem o Banco Alimentar, num ato solidário, ao que o concorrente respondeu de um modo em que mostrou que o seu pensamento é o de que o dinheiro compra tudo, que sabe como dar a volta quando chegar cá fora se perderem a prova, dando a ideia de que faz depois um donativo em nome próprio para a instituição pelos seus erros, ou seja, compra os seus erros com dinheiro, achando que pode fazer o que quer porque depois paga para remediar a situação. Mais mimado que isto não existe por ser de famílias ricas que até lhe ofereceram um carro para não entrar no Big Brother. A produção deu a prova como perdida, no entanto decidiu doar o dinheiro à instituição como um ato solidário. A Pipoca Mais Doce em estúdio, implacável como sempre, referiu e comentou as imagens que não passaram na noite de Domingo onde Pedro Alves decidiu colocar álcool no chão e deitar fogo para se aquecer, num mau exemplo numa época de incêndios, mostrando uma vez mais uma atitude de jovem mimado e incapacitado de raciocínio sobre o que deve e não deve ser feito, para mais num programa de televisão visto por milhões. Pedro Alves a ser incorreto ao longo de toda a semana, com sucessivos avisos por parte da produção mas com muito a passar ao lado do público que só assiste aos diários e extras do canal principal. Será esta uma tentativa de proteção para depois queimarem tudo na Gala? Não percebi esta balança da produção do querer esconder por um lado e depois mostrar quase tudo para o colocar mesmo na linha limite de saída. 

17
Jul20

Covid19 nos festejos do Campeão

festejos fcporto.jpg

 

Ah e tal, o FC Porto é campeão na época 2019/2020 e é tudo muito bonito para todos celebrarem pelo país e se esquecerem temporariamente que o Covid19 existe. Onde foi parar nesta noite quente de 15 de Julho de 2020, em que o grande clube do Norte se tornou de novo o campeão nacional, o vírus que tem atormentado o Mundo? Muitos na rua, muitos desses muitos sem máscara e sem qualquer proteção para com o vírus da moda. 

Bravo a todos os portistas que saíram à rua, principalmente os que vivem na cidade invicta, que foram até às principais avenidas celebrarem numa grande comunidade onde a bebida se juntou aos festejos para todos se esquecerem que estamos num país em alerta onde os novos casos de infetados com coronavírus não baixam há várias semanas consecutivas. Não poderiam festejar mentalmente ou nas vossas varandas e janelas com música e cânticos festivos de modo a não colocarem a saúde de muitos em risco?

27
Ago18

Festa de Verão sem DJ?

dj.jpg

Claro que não! Festa de Verão que é festa tem de ter música, pé no chão e dança. Por isso é que os DJs para festas em Lisboa já estão quase todos com a agenda cheia, mas há possibilidade de encontrar um bom DJ para a sua festa… se for a meio da semana.

Já alguém imaginou o que seria uma festa de Verão sem música? Vamos fazer esse exercício de imaginação durante alguns minutos. As pessoas iam começar por conversar e beber cervejas frescas (não se atrevem a fazer uma festa sem música e sem bebidas frescas, porque aí começo a duvidar que se qualifica como uma festa), mas ao fim de alguns minutos ficam aborrecidas. Pelo menos metade dos convidados pega no telemóvel e começa a ver o Instagram.

Eventualmente alguém se irá lembrar que o que falta na vossa festa é música. Se tiver convidados aventureiros, então talvez comecem a cantar. Claro que tem que ser uma música que toda a gente conheça, e todos sabemos quais são… talvez os seus vizinhos não fiquem muito contentes. A segunda hipótese, se tiver convidados menos atrevidos, é que alguém saque do telemóvel e comece a pôr uma playlist de Spotify.

06
Jul18

Convites | Mega Festival de Insufláveis | 21-07-2018

mega festival de insufláveis.jpg

O Primeiro Mega Festival de Insufláveis irá invadir o Jardim do Casino do Estoril pelos dias 20, 21 e 22 de Julho. A Yellow Star Company apresenta assim um evento dedicado aos mais novos onde a diversão não vai faltar ao longo de três dias que prometem ser bastante animados pelo espaço que se irá encher com mais de vinte insufláveis. 

Para todos os gostos, idades e feitios, todos irão poder brincar nestes insufláveis que irão estar espalhados pelo Jardim do Casino Estoril e onde os temas não irão faltar. Oceano de Bolas, Transformer, Aldeia dos Índios, Bola Mecânica, Coche Encantado e Palácio das Princesas são alguns dos insufláveis de destaque do evento onde também o Aqua Slide, Twin Slide e Casa dos Escorregas estarão com água a escorrer para refrescar os dias quentes que são esperados para esses dias. No que toca a espuma, os insufláveis Wild Splach Foam e Extreme Foam estão confirmadíssimos como as estrelas da companhia. Com isto já sabem, quem entrar no Mega Festival de Insufláveis terá de levar as toalhas porque a diversão molhada está garantida do início ao fim.

Para além dos insufláveis e para que não se sintam cansados e possam recuperar energias para nova ronda pela diversão, uma área de descanso e também de comida irá ser feita para que nada vos falte num dia mágico onde pais e filhos se podem divertir até que alguém acuse o cansaço. 

Já sabes, de 20 a 22 de Julho, das 10h00 às 20h00 diverte-te no Jardim do Casino do Estoril com a família. Bilhetes estão à venda na Ticketline, no local e também através do número 938667315 ou em bilheteira@yellowstarcompany.com. Bilhetes a partir dos 6€, existindo um Pack Familia (até 6 pessoas) no valor de 35€.

01
Jan16

Olá 2016!

As boas-vindas a 2016 tinham de ser feitas de forma calma, junto das pessoas que há mais anos estão do meu lado e assim foi. Ao longo dos últimos meses fui sentindo calma, tranquilidade e a percepção que a confusão não está de mãos dadas comigo. Os amigos que sempre tenho querido do meu lado estiveram comigo e continuarão a estar e este salto anual tinha de ser feito com eles, principalmente quando algumas vidas foram alteradas e não nos podíamos despegar logo agora que existe um pequeno presente quase de Natal entre nós.

Éramos cinco adultos, uma pequena borboleta que ainda nem um mês tem e o canino! Não chegou? Chegou pois! Foi assim que quisemos passar o ano, com calma, sossego e juntos. Comemos, bebemos, brincamos e conversamos, sempre de olho na criança que de tão sossegada quase nem se dá por ela. Um serão divertido que começou bem cedo com compras e afazeres mas que só ao final da tarde existiu a reunião total que durou até praticamente às quatro da manhã com os ensonados a darem sinal, eu incluído, e a noite a ter assim de terminar pelo cansaço do dia, da semana e do ano que terminou, onde nem sempre as coisas foram fáceis para cada elemento do quinteto.