Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

26
Fev19

Alternativa na Antena 3

O Informador

antena 3.png

Nos últimos dias tenho vindo a descobrir um pouco mais a Antena 3 ao longo das viagens de carro e só posso dizer que ando a perceber que me identifico bastante com esta rádio que tem estado ao longo dos anos deixada de lado em detrimento da concorrência mais conhecida e que a maioria sintoniza. Isto é o típico seguir as massas e não procurar o que é bom!

As Manhãs da 3 com Ana Markl, Luís Oliveira e Inês Lopes Gonçalves que em televisão não gosto assim tanto mas que em rádio até consegue conquistar, falando de Música com Pés e Cabeça com Rui Vargas e ouvindo o Domínio Público com Daniel Belo, Mariana Oliveira ou Vanessa Augusto, estes são somente três dos programas que já me conquistaram. Isto para também poder falar das várias rubricas que vão passando ao longo da emissão, como é o caso de Com a Verdade me Enganas, com os protagonistas de As Manhãs da 3. O Aleixo Fm e o Por Falar Noutra Coisa, também conhecido blogger e influenciador, são também espaços que vão passando de boa disposição e critica social que entretém e fazem soltar algumas gargalhadas enquanto deambulamos por ai. Os outros programas e espaços ainda os estou a descobrir porque nem sempre consigo apanhar o que para mim é uma novidade nos horários em que tenho a companhia do sistema de som.

Quem não ouve Antena 3 faça o seu teste e numa viagem assim maior, como me aconteceu, deixem-se acompanhar pelas vozes e sons desta rádio do universo dos canais públicos e depois vejamos se não ficam também atraídos pela boa disposição e sentido de informação de Ana Markl, Fernando Alvim e companhia. 

28
Mai15

Regresso inesperado!

O Informador

Playboy.jpeg

E eis que a imprensa nacional acabou de ficar de novo com menos roupagem! A revista Playboy voltou às bancas para uma renovada temporada que deverá durar tanto como as duas anteriores, uns ligeiros meses, quem sabe!

Mafalda Teixeira, a atriz que tem um namoro eterno com Kapinha, foi a eleita para a reinauguração da publicação, no entanto a julgar pela foto de capa, esta sessão não tem nada de Playboy!

Um outro pormenor é... 4,95€ para ver umas fotos de uma atriz que nem é das mais badaladas da nossa praça em trajes menores, ler uma entrevista a uma outra atriz feita por Fernando Alvim e ainda acompanhar a grande entrevista a Pedro Boucherie Mendes não é demais? É, para mais quando já anteriormente quem lançou esta revista no nosso país percebeu que a mesma não funcionava!

21
Abr14

Estante da Fnac

O Informador

EstanteA Fnac Portugal pegou no que de bom tem pelas suas lojas e partiu à aventura de uma revista literária com publicação trimestral, tendo surgido assim a Estante. Com o custo de 1,5€ a partir do seu número 2, já que a primeira edição está disponível nas lojas de forma gratuita, surgiu assim um produto «para apaixonados por livros». O Informador já conta com a sua aqui por casa!

Valter Hugo Mãe, Mia Couto, José Saramago, João Miguel Tavares, Ricardo Araújo Pereira, Fernando Alvim, Lídia Jorge e João Tordo são apenas alguns dos nomes literários presentes pela primeira Estante da Fnac, sendo as páginas desta revista ainda compostas por artigos sobre a série e obra A Guerra dos Tronos, dando também destaque ao 25 de Abril, entre outros temas.

Da literatura nacional à internacional, dos clássicos aos contemporâneos, dos livros infantis aos que atingem o público sénior, a Estante acaba por ser uma revista publicitária sobre as novidades que podem ser encontradas pelas prateleiras da Fnac, valorizando o trabalho de cada autor e editora e percorrendo a literatura desde os seus primórdios à atualidade.

Com o tema «português» como destaque no número 1 da Estante, a quinta língua mais falada do mundo sai assim valorizada com artigos que mostram o quanto importante é!

A Estante já está na minha Estante e na tua?!

08
Abr14

Bobine Rebellis no Teatro Turim

O Informador

Bobine RebellisO Ciclo de Cinema proporcionado pela Bobine Rebellis no Teatro Turim já começou e O Informador marcou presença no primeiro dia, a primeira de quatro quintas-feiras de Abril em que curtas-metragens que não chegam aos grandes circuitos comerciais ganham visibilidade junto do público. Homecoming, de Filipe Coutinho, Embargado, de Leandro Silva, Quando Aprendi a Não Ter Medo da Morte e A Menina com Medo do Escuro, ambas de Maria Reis Andrade e Sementes e Frutos, de Rafael Gonçalves, foram as cinco curtas a que pude assistir e às quais posso dar nota positiva no seu conjunto.

Em Homecoming é retratado um lema humano onde a morte espreita, existindo um amor entre progenitor e filha e uma traição por parte da sua companheira. Tendo uma morte final já esperada, retratando assim os últimos dias de vida de um homem a quem lhe foi diagnosticado um tumor e que deixou de lutar pela vida pela falta de paz interior, esta curta gravada em inglês tem tudo para conseguir conquistar um público mais vasto, sendo o tipo de produto que os amantes do romance e do drama gostam de ver passar numa grande tela de cinema. Inspirado em factos reais e familiares, Filipe Coutinho retratou assim um tema que lhe esteve próximo e fê-lo da melhor maneira.

Com Embargado o seu criador Leandro Silva conseguiu em jeito de making off unir a ficção com a realidade fugindo da tradicional gravação deste género de produtos, deixando os espetadores com o pensamento que tudo o que é visto é mesmo verdade, não existindo ponta de ficção. Uma excelente ideia, que consegue enganar facilmente o público através da sua história que levou seis meses a gravar e que já conseguiu infiltrar-se em dois ou três festivais de curtas desde que foi criada. Um produto que não consegue conquistar todos, mas que tem o seu alvo bem definido, conseguindo cativar.

Maria Reis Andrade criou em casa as suas duas curtas animadas, Quando Aprendi a Não Ter Medo da Morte e A Menina com Medo do Escuro, mostrando assim a sua preferência por uma arte do cinema que não é muito vista. Através de rabiscos onde são criadas personagens a preto e branco, ambas as rápidas histórias contam o medo e os receios que talvez a sua autora também foi sentido ao longo do tempo, com as inseguranças que a vida profissional e o futuro lhe podem dar. A luta para com a morte que pode aparecer a qualquer momento e o medo do escuro bem presente nas crianças foram os temas que inspiraram a Maria nestas suas produções animadas.

Sementes e Frutos, de Rafael Gonçalves, explora um lado mais sensitivo em detrimento do cerebral, mostrando as ideias e vontades do seu criador em determinada altura. Para o seu realizador, autor e produtor, esta curta é uma homenagem à família, mostrando a calma do campo, sem falas e onde a natureza reina, deixando o tempo passar à espera do amanhã. Uma produção simples e pessoal que não consegue lutar com as histórias comerciais.

Cinco curtas-metragens, quatro autores e quatro estilos bem diferentes... O drama, a comédia, a animação e o relaxamento são as formas com que consigo identificar estes cinco produtos de autores nacionais que não têm conseguido mostrar o seu trabalho pelos grandes festivais cinematográficos que têm tido destaque por todo o país.

Quanto ao Bobine Rebellis é uma excelente ideia, mostrando que em Portugal existe muito por onde explorar no que toca ao cinema não patrocinado e que são precisos apoios para tais produções poderem ter destaque nas grandes salas. Uma união que nasceu e que tem pernas para continuar a mostrar horas e horas de pequenos filmes que mostram a ambição dos seus criadores para conseguirem vingar no mercado com as suas ideias.

Todas as quintas-feiras de Abril, no Teatro Turim, pelas 21h30 e pelo preço de 3€. Vale a pena ver estas e outras curtas que recebem depois os comentários de Gonçalo M. Tavares, Nuno Galopim, Teresa Tavares e Fernando Alvim, um em cada sessão e pela ordem mencionada!

01
Abr14

Ciclo de Cinema - Bobine Rebellis

O Informador

bobine-cartazAbril está aí e este mês um ciclo de cinema de novos cineastas portugueses acontece no Teatro Turim. Com a finalidade de mostrar ao público a quantidade de jovens que escrevem, produzem e filmam centenas de curtas-metragens por ano, sem conseguirem alcançar o público pretendido e os festivais e circuitos comerciais, chega agora esta iniciativa da Bobine Rebellis, com uma nova forma de passar cinema português!

A cada Quinta-Feira de Abril - dias 3, 10, 17, 24 -, será projectada cerca de uma hora de cinema português praticamente inédito, na presença dos autores e de comentadores, entre eles, Gonçalo M. Tavares e Fernando Alvim que, com o público presente, criarão um espaço de diálogo e opinião longe das pontuações nos jornais, dos prémios e cerimónias, e do preconceito de ouvir falar português no grande ecrã. Com esta montra pretende-se mostrar a energia, a iniciativa, a guerrilha, a paixão e a diversidade de obras despreocupadas com paradigmas estéticos e com a aflicção da crise. Com este evento, o Teatro Turim une a ida ao cinema com um espaço de experimentação, risco e liberdade artísticas dos novos criadores, sempre a pensar no compromisso da comunicação com o público.

Ao longo do mês de Abril existe assim uma montra onde o desejo de ver o cinema português crescer pela mão de uma geração que pode ser muito maior do que aquela que é eleita pelos festivais de cinema em Portugal tem um lugar. O público pode assim encontrar-se com os jovens criadores que marcarão o futuro do país, apoiando e incentivando estas produções para que amanhã possam existir bons portugueses pelo mundo cinematográfico.

Programa

banner mrec exames nacionais e provas de aferição

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook