Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

25
Nov18

White Christmas | ArtFeist

| O Informador

white christmas.jpg

Mais uma Natal se aproxima e mais uma vez a Artfeist Produções Artísticas aposta num musical dedicado à época, White Christmas. Numa produção original, inspirada no espetáculo do ano passado, Um Canto de Natal, o público é convidado a recordar os temas natalícios de todos os tempos.

Com Henrique Feist, Mariana Pacheco, Diogo Leite e Valter Mira em palco e com Nuno Feist responsável pela direção musical, este novo espetáculo vai muito ao encontro do que foi feito em 2017, fazendo uso dos melhores momentos do que havia sido apresentado onde se juntam novos apontamentos. Através de um cenário natalício, com neve, árvores, candeeiros e estrelas, o público é convidado a recordar no Auditório do Casino Estoril os temas de Natal mais célebres do Mundo, dos que marcaram viragens históricas em conflitos continentais, diferenças religiosas ou mesmo histórias familiares que se tornaram eternas e passadas de geração em geração. 

Do início ao fim do espetáculo o público é convidado a juntar-se às boas vozes dos artistas que de forma individual ou em grupo cantam e conquistam quem se deixar embalar pelos vários temas que vão sendo interpretados. 

10
Nov18

Convites Duplos | Faz-te Homem | 15.11.2018

| O Informador

Dois amigos de longa data decidem debater a sempre polémica temática do papel do homem na nossa sociedade e as suas ramificações com tudo o que o rodeia, com tudo o que se mexe… mulheres incluídas. A melhor forma que encontraram para abordar o abominável mundo do homem foi organizar uma “Conferência de e para Machos”, denominada Faz-te Homem, onde irão expor as suas indignações, receios, traumas, medos, frustrações, no fundo, o que os apoquenta.

Os espetadores, atentos à conferência sobre Futebol, Carros, Gajas, Porrada, poderão ser chamados a intervir.

António Machado e João Didelet estrearam no passado dia 07 de Novembro no Teatro Armando Cortez, em Lisboa, a comédia Faz-te Homem, inspirada no livro de Luís Coelho. Com cerca de uma hora de espetáculo, os dois atores debatem com todos os Zés da plateia, numa conferência de e para «machos», temas que intervém no dia-a-dia de todos os homens mas também na convivência com a ala feminina da sociedade. Sexo, filhos, futebol, rabos, gadgets, copos e compras são apenas alguns dos temas debatidos neste divertido espetáculo que se encontra com sessões às Quartas e Quintas-feiras pelas 21h30 na sala lisboeta. 

Para que todos possam ter a sorte de assistir a Faz-te Homem, sessão de dia 15, tenho convites duplos para vos oferecer. Este passatempo irá estar disponível até às 18h00 de dia 14 de Novembro, Quarta-feira, e nesse mesmo dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem...

09
Nov18

Faz-te Homem | Yellow Star Company

| O Informador

faz-te homem.png

Dois amigos de longa data decidem debater a sempre polémica temática do papel do homem na nossa sociedade e as suas ramificações com tudo o que o rodeia, com tudo o que se mexe… mulheres incluídas. A melhor forma que encontraram para abordar o abominável mundo do homem foi organizar uma “Conferência de e para Machos”, denominada Faz-te Homem, onde irão expor as suas indignações, receios, traumas, medos, frustrações, no fundo, o que os apoquenta.

Os espetadores, atentos à conferência sobre Futebol, Carros, Gajas, Porrada, poderão ser chamados a intervir.

António Machado e João Didelet estrearam no Teatro Armando Cortez, em Lisboa, um novo espetáculo com o selo de qualidade que as produções da Yellow Star Company já habituaram o seu público. Baseado no livro Faz-te Homem, da autoria de Luís Coelho, esta comédia teatral adotou o mesmo nome da obra escrita e foi encenada por Paulo Sousa Costa para ser apresentada ao público. 

Numa verdadeira conferência de homens e para homens, António Machado e João Didelet são dois Zés entre os que se sentam na sua frente para ouvirem o que todos pensam sobre as diferenças entre homens e mulheres, as desigualdades, problemas e injustiças de um casamento, os filhos, o sexo, o futebol, os rabos, a roupa e tudo o que pode gerar qualquer tipo de diferenças entre os pensamentos de ambos os sexos e mesmo os comportamentos aceitáveis do universo masculino e o que começa a fugir da típica tradição máscula. 

 

06
Nov18

Worst Of | Teatro Nacional D. Maria II

| O Informador

worst of cartaz.jpg

Não é incomum, ao longo dos tempos, escutar-se a opinião de um atraso crónico do teatro português, por comparação com as outras artes. Worst of propõe-se a passar os olhos pela história do teatro nacional à sombra desta impressão. Para isso, um "best of" de atores nacionais dará voz às lamurias com a ajuda de exemplos que confirmam o desalento. Worst of não é uma celebração.

Worst Of chegou à Sala Garrett do Teatro Nacional Dona Maria II para fazer uma visita à história do teatro em Portugal, com oportunidade para que a opinião nos tempos que correm seja dada de forma feroz e impactante, mostrando como existe uma falha sobre tudo o que foi feito, parecendo faltar evolução no que é feito e que chega, como é bem reforçado em palco, a ser uma «merda» pela falta de vontade em fazer mais, em ser diferente, arriscar e não continuar a ser mais do mesmo, poupando esforços e não procurando alterar ou fazer em condições um bom espetáculo cultural.

Esta criação do Teatro Praga e que conta com a interpretação de Rogério Samora, São José Correia, Márcia Breia, Vítor Silva Costa, Cláudia Jardim, Diogo Bento, Patrícia da Silva e Pedro Penim, divide-se em dois palcos, onde o passado é representado para ser comentado pelo presente. Recorrendo a textos de André Brun, Júlio Dantas, Gil Vicente, Luís de Sttau Monteiro, J.M. Vieira Mendes, Francisco Gomes de Amorim e Almeida Garrett, Worst Of une assim o passado histórico do teatro, dos primórdios sucessos aos grandes fracassos, a um texto debatido e que já havia sido recusado pela direção do Teatro Nacional Dona Maria II em 2006, ganhando agora vida em 2018. 

31
Out18

Convites Duplos | Fernando Tordo & Ary dos Santos: As Histórias das Canções

| O Informador

fernando tordo.jpg

No ano em que celebra 70 anos de vida e 50 de carreira, Fernando Tordo realizou concertos únicos em Lisboa e Porto. Agora será a vez do Auditório do Casino Estoril receber o cantor de 1 a 4 de Novembro para a apresentação do espetáculo Fernando Tordo & Ary dos Santos: As Histórias das Canções. 

Ao longo de quatro sessões, o músico e compositor irá reavivar a memória de todos com as composições que criou para José Carlos Ary dos Santos, com quem manteve uma forte parceria e amizade ao longo do tempo. As primeiras músicas compostas por Fernando Tordo e as letras de Ary dos Santos numa colaboração de onde resultaram temas como Cavalo à Solta, Estrela da Tarde e Tourada. Fernando Tordo & Ary dos Santos: As Histórias das Canções é um concerto celebrativo da música portuguesa, preservando memórias, contando histórias e recuperando êxitos. Ao longo de quatro dias Fernando Tordo recordará assim momentos que ficam para sempre na história da cultura portuguesa.

Tu que estás agora a ler este texto podes ganhar convites duplos para as sessão de Quinta e Sexta-feira, pelas 21h30, e Domingo, pelas 17h00. Este passatempo irá estar disponível até às 18h30 de Quarta-feira, 31 de Outubro, para a sessão de dia 01. Já para as sessões de dia 02 e 04 o sorteio encerra pelas 14h00 de dia 02. Nesses mesmo dias serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Quem não ganhar para uma sessão pode concorrer para a seguinte. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos convites duplos acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem...

30
Out18

Zé Manel Taxista - Uma Comédia com Brilhantina | UAU

| O Informador

zé manel taxista.jpg

Zé Manel, taxista, pai de família e adepto ferrenho do Benfica, anda arreliado com o sucesso de Lisboa, que transformou tudo em alojamento local e restaurantes gourmet. O próprio filho, Eusébio Jr., ganha a vida como condutor de tuk-tuk, e Vickie, o mais à frente lá do bairro, safa-se a arrendar partes de casa. Só Luna, a estudante italiana do Erasmus, está encantada com a enchente de estrangeiros e a borrifar-se para a “gentrificação”. Zé Manel tenta defender o prédio onde todos vivem da voracidade turística, até que chega Chico, um esperto entrepreneur, que já foi daquela rua e agora regressa com promessas de fama e dinheiro fácil. A tentação é grande e Zé Manel despista-se… naturalmente.

Maria Rueff celebrizou o seu Zé Manel Taxista há mais de 20 anos e agora, pela primeira vez, a famosa personagem de vários formatos televisivos com Herman José e também da rádio ganha uma nova vida nos palcos nacionais através do espetáculo musical Zé Manel Taxista - Uma Comédia com Brilhantina. 

Através de uma personagem bem conhecida do público e com uma história criada propositadamente para os palcos, Rueff junta-se a jovens atores com provas dadas para receber o público nesta nova jornada do seu Zé Manel, o benfiquista mais ferrenho dos taxistas portugueses. FF, Sissi Martins, Ruben Madureira, Rafael Barreto, Filipe Rico, Marta Mota, Sara Martins e Tiago Coelho compõem o elenco que se divide entre a representação, o canto e a dança do início ao fim. Com texto de Maria João Cruz, Mário Botequilha, Rui Cardoso Martins e Filipe Homem Fonseca, numa ideia de Maria Rueff e com encenação de António Pires, Zé Manel Taxista - Uma Comédia Brilhante conta com banda ao vivo composta por André Galvão no baixo e guitarra, Artur Guimarães nas teclas e Tom Neiva na bateria e percussão. 

Neste espetáculo o público é convidado a acompanhar este pai de família e bom vizinho numa fase em que as alterações provocadas pelo turismo na capital não são aceites. Em poucos anos Lisboa foi invadida pelos famosos TukTuk e por empresas como a Uber, isto ao mesmo tempo que as polémicas em torno do futebol se adensaram, as tascas deram lugar a restaurantes virados para os turistas e o alojamento local virou moda em bairros onde a história e tradição desaparecem. Zé Manel, o taxista que gosta de pratos cheios, um palito na mesa, uma boa bifana e defende o bairrismo e o seu clube como ninguém não aceita tanta alteração e este musical mostra isso mesmo.

O filho Eusébio de Zé Manel vira adepto do Sporting e condutor de um veículo Uber. O prédio onde habitam se prepara para ser transformado em quartos para alugar a quem visita Portugal, despejando os condóminos. Os contratos fraudulentos, os enganos e o caos da mudança que acabam por unir quem se gosta a favor do amor, da amizade, carinho e cuidados de uns para com outros numa sociedade cada vez mais individualista. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Boa noite."Hábitos de Leitura: Portugal na cauda d...

  • marta-omeucanto

    Eu leio onde calhar, seja em casa, na rua, ou em s...

  • O Informador

    Principalmente quando minutos antes estivemos disp...

  • O Informador

    Acordar um pouco mais cedo, uns minutos apenas, e ...

  • Cláudia C Silva

    EU agora tenho andado ler ao peq almoço, tal como ...

Mensagens

Pesquisar